fichamento KochFichamento do texto “Trajetória da Lingüística Textual” de Ingedore Koch.

Páginas: 11 (2719 palavras) Publicado: 11 de junho de 2015
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS
DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E LETRAS
LÍNGUA PORTUGUESA: O TEXTO
PROFESSORA: REGINA EGITO

ALUNA: CAMILA BELIZÁRIO RIBEIRO
PERÍODO: 5º

Fichamento do texto “Trajetória da Lingüística Textual” de Ingedore Koch.

Capítulo 1
Análises interfrásticas e gramáticas de texto

Na fase inicial (metade da década de 60 até meados de70), a Lingüística Textual concentrou-se nos mecanismos interfrásticos que são parte do sistema gramatical da língua. Entre os fenômenos a serem discutidos estavam: a correferência, a pronominalização, a seleção do artigo, a ordem das palavras, a relação tema/tópico – rema/comentário, a concordância dos tempos verbais, as relações entre enunciados não ligados por conectores explícitos, fenômenos deordem prosódica, entre outros.
Deu-se maior importância às relações referenciais, a exemplo de Harweg (1968), que acentuou que os pronomes constituem uma seqüência de frases em texto. Entretanto, pronome aqui é tido como toda e qualquer expressão lingüística que retoma, a qualidade de substituens, outra expressão correferencial. Assim, o texto é visto como resultado de um “múltiploreferenciamento” e é definido como uma sucessão de unidades lingüisticas constituída mediante uma concatenação pronominal ininterrupta.
Escritores alemães como Isenberg (1968) e Valter (1979) faziam referências às anáforas do tipo associativo(Ex.: Ontem houve um casamento. A noiva usava um longo vestido branco). Contudo, pouco se falava nas relações anafóricas de porções textuais de maior ou menorextensão, como acontece com o uso de demonstrativos (Ex.: Naquele dia, ele recebeu um telegrama [...]. Isso renovou-lhe o ânimo [...]).

As gramáticas de texto

Lingüistas de formação gerativista preocuparam-se em construir gramáticas textuais, baseados na idéia de que o texto seria a unidade lingüística superior à sentença. As tarefas básicas destas gramáticas seriam: determinar os princípios deconstituição do texto, fatores responsáveis por sua coerência e as condições nas quais a textualidade é manifestada; levantar critérios para a delimitação de textos; diferencias várias espécies de textos.
Levou-se em consideração a existência de uma competência textual à semelhança da competência lingüística chomskyana, visto que todo falante da língua pode distinguir um texto coerente de umincoerente. Isso significa que qualquer falante é capaz de parafrasear ou resumir um texto, perceber se ele está completo ou incompleto, dar-lhe um título ou produzir um texto a partir de um título dado.
O texto é considerado a unidade hierarquicamente mais alta e, a partir dele, pretende-se chegar às menores, para então classificá-las. Entretanto, essas classificações são realizadas sem que seperca a função textual de elementos individuais.
Harald Weinrich (1964, 1969, 1976) define o texto como uma seqüência linear de lexemas e morfemas que se condicionam e constituem o contexto reciprocamente. Ou seja, o texto é uma “estrutura determinativa” onde tudo está interligado.
O modelo de Janos Petöfi consta de uma base textual que consiste em uma representação semântica indeterminada comrespeito às manifestações lineares do texto. Este modelo torna possível a análise, a síntese e a comparação dos textos. O léxico é de suma relevância, com suas representações semânticas intencionais. Para este autor, a gramática textual previa um componente contextual, formado por um subcomponente semântico-extensional, responsável pela interpretação semântica, e um subcomponente pragmático, relativoàs questões de produção/recepção de textos. Esta teoria da Estrutura do Texto/Estrutura do Mundo está centrada na relação entre a estrutura de um texto e as interpretações extensionistas (em termos de mundos possíveis) do mundo (ou complexo de mundos) que é textualizada em um texto.
Teun van Dijk (1972), um dos pioneiros da Lingüística Textual, ao construir gramáticas textuais, levou em...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Entrevista com Ingedore Koch sobre Linguística Textual
  • Fichamento Coesão Textual Koch
  • resenha Texto e Contexto
  • Capitulo texto e coerencia de ingedore vilaca koch
  • Resenha do livro Desvendando os segredos do texto de Koch Ingedore
  • RESUMO DO TEXTO “CONCEPÇÕES DE LÍNGUA, SUJEITO, TEXTO E SENTIDO”, DE INGEDORE KOCH
  • Livro Texto De Linguistica Textual Final
  • RESENHA A constru o do sentido no texto coesão e coerencia de Ingedore Villa a Koch

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!