Fichamento do livro: história antiga: testemunhos e modelos; guerra e império

Páginas: 6 (1476 palavras) Publicado: 22 de abril de 2013
UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO
Departamento de História

FICHAMENTO Capítulo V: Guerra e Império

História Antiga
Profº: Almir Marques
História Antiga
Profº: Almir Marques

Novembro, 2012
Rio de Janeiro
Fichamento do Livro: História Antiga: testemunhos e modelos |
Aluna: Rosecler Meneze do Nascimento |
Departamento de História |
Professor: Almir Marques |
|
Ficha Bibliográfica: |
FINLEY,Moses. História Antiga: testemunhos e Modelos. São Paulo: Martins Fontes, 1991. |
Capitulo V: Guerra e Império“O que a maioria dos homens chama de paz é apenas uma aparência; na realidade, todas as cidades vivem, por natureza, em permanente estado de guerra não declarada contra todas as outras cidades”. (626 A). (p.89)“[...] a guerra é um produto da civilização [...]”. (p.89)“[...] todos os povoshistóricos foram nesse sentido, sociedades “civilizadas” que promovem guerras com inexorável frequência”. (p.89)“Atenas esteve em guerra por em média, de dois em cada três anos, entre as guerras persas e a vitória de Filipe da Macedônia em Queronéia em 338 a.C, e que nunca usufruiu dez anos consecutivos de paz em todo esse período”. (p.90)“Segundo um dos cálculos, nas guerras do meio século contraAníbal e Filipe da Macedônia, dez por cento, ou mais, de todos os homens adultos da Itália estavam em guerra ano após ano [...]”. (p.90)“A ideologia correspondente era complexa, mas o traço dominante era que a guerra estimulava as virtudes mais elevadas, uma doutrina bastante familiar ao mundo moderno”. (p.90)“O povo conhece plenamente sua força nacional apenas na guerra, na luta corporativa comoutros povos... a paz conduz à debilitação”. (p.90,91)“Na antiguidade e ainda hoje, com expressões do lado trágico da guerra, com imagens de uma idade douradora sem guerra, com uma condenação da “guerra civil”.” (p.91) “[...] a guerra é uma condição natural da sociedade humana.” (p.91) “[...] a guerra é uma forma natural de comportamento humano”. (p.92) “[...] a exigência romana de só seremtravadas guerras justas, reforçada pelo direito fecial, embora na prática tenha se tornado hipócrita, ou a norma universal de que se deveria permitir o sepultamento dos inimigos mortos, se necessário por meio de uma trégua [...]”. (p.92) “a causa mais verdadeira, a meu ver de qual menos se fala, foi o medo provocado em Esparta pelo crescente poder de Atenas, que levou a primeira a partir para aguerra” (1.23.6, cf. 188). (p.92) “Não obstante a sólida preocupação com a guerra nas narrativas históricas antigas é significativo que a análise das causas não tenha progredido muito”. (p.93) “[...] a guerra é inevitável, uma consequência da natureza do homem, ao contrário da história das constituições e das lutas constitucionais, que são feitas pelo homem e, por conseguinte estão sujeitas aalterações através da ação humana”. (p.93) “A questão essencial é como se julga o uso da violência enquanto meio “normal” de se atingir o alvo desejado, seja ele individual ou social”. (p.93) “A antiguidade era um mundo no qual uma grande parte da força de trabalho atuava sob várias formas de compulsão não econômica [...]”. (p.94) “Contudo, há e houve entre os historiadores uma forte relutância emdiscutir a guerra antiga e suas consequências com um olhar firme, não distorcido por anacrônicas considerações ideológicas ou psicológicas [...]”. (p.94) “[...] a Grécia permaneceu fragmentada em cidades-estados porque esse sistema “correspondia muito bem as tendências secretas da alma grega” (p.30): “o ideal que animava todas as cidades-estados gregas é sintetizado na palavra ‘liberdade’. (p.95)“[...] os espartanos, e não os atenienses, é que deviam ser censurados pela eclosão da longa da guerra, da qual saíram vencedores”. (p.96) “Tucídides considerou a armada que zarpou de Atenas em 415 a.C. a mais suntuosa e esplendida expedição jamais lançada ao mar por um estado grego (6.31.1)”. (p.97) “[...] o real objetivo de Atenas era impedir que os cereais da Sicília chegassem aos espartanos...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Fichamento finley, moses.“guerra e império”. história antiga: testemunhos e modelos são paulo: martins fontes,...
  • Resumo dos cap. I e II do livro "História Antiga: testemunhos e modelos" de Moses Finley
  • Fichamento do livro: História Antiga. Noberto Guarinello
  • Fichamento do livro a cidade antiga
  • fichamento do livro a cidade antiga
  • Fichamento livro cidade antiga
  • Fichamento de História Antiga
  • Historia antiga fichamento

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!