Fichamento auguste comte + h.t. buckle (método analítico)

Páginas: 5 (1075 palavras) Publicado: 11 de junho de 2013
COMTE, Auguste. A filosofia positiva e o estudo da sociedade. In: GARDINER, Patrick. Teorias da História. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1984.

BUCKLE, Henry Thomas. “Introdução geral à História da civilização na Inglaterra”. In: MARTINS, Estevão de Rezende. A História Pensada. Teoria e método na historiografia europeia do século XIX. São Paulo: Contexto, 2010.

Esmiuçando os textosde Comte e Buckle, a partir de uma perspectiva metodológica, é possível notar como a concepção de História enquanto ramo de conhecimento científico configurou-se, como tal, de maneira bastante problematizada no século XIX.
Comte, primeiramente, discorre sobre como a interpretação da realidade pelos humanos, a projetada no passado ou a do presente - e desde a Antiguidade -, poderia ser estruturadaem três estados teóricos de maneira cronológica: o ‘estado teológico’ (primórdios das civilizações) refere-se à explicação de tudo o que possa ser passível de compreensão baseado em elementos gerais da natureza (como exemplo, o trovão); depois, em um ‘estado metafísico’ (que teria predominado durante o desenvolvimento das civilizações ao longo dos séculos), as questões sobre o mundo eramsolucionadas buscando o amparo de entidades sobrenaturais (deuses ou espíritos – a existência de um Deus do trovão, por exemplo, é vista em várias religiões antigas em formas diferentes).
E, por fim, Comte expõe a sua ideia de ‘estado positivo’, onde “o espírito humano, reconhecendo a impossibilidade de obter noções absolutas, renuncia a procurar a origem e o destino do universo e a conhecer as causasíntimas dos fenômenos, para se consagrar unicamente à descoberta, pelo uso bem combinado do raciocínio e da observação, das suas leis efetivas e na continuidade (sic) das suas relações invariáveis de sucessão e de semelhança” (p. 91). Ou seja, para o pensador francês tido como o “pai da Sociologia”, a fim de o conhecimento histórico ser delineado como uma ciência propriamente dita, e definir um‘estado positivo’ consolidado (algo que ainda estaria longe no século XIX), abordar os ‘fenômenos’ do passado seria uma ação sujeita ao estabelecimento de padrões e fórmulas de análise por parte de seus estudiosos contemporâneos; daí surge seu conceito de ‘Física social’ para denotar a História como vertente científica humana, que funcionaria teoricamente aos moldes das ciências exatas como a Química ea Física. Desse pressuposto, Comte ilustra o conceito do consensus como um ponto universal de orientação aos estudos - inclusive, obviamente, às pesquisas relativas aos atos humanos no tempo: Tal consensus tem a ver com a formulação – e da separação teórica – do que é tangível à elucidação humana e do que seria deveras complexo (como analisar os buracos negros no Universo) e, assim, nãonecessariamente preocupante às nossas dúvidas da vida prática – tais indagações sem respostas concretas – difíceis de organização empírica - deveriam ser absorvidas pela ideia de consensus.
No caso da Física social (“positiva”) proposta, ela se opõe as diretrizes das ciências exatas e biológicas, problematizadas em suas minúcias a fim de se obter soluções para estruturas mais abrangentes dentro danatureza, no tocante a apropriação de um ‘sistema geral’; que seria composto pela sociedade, enquanto grupo de seres humanos (os agentes históricos), para investigação de leis gerais concernentes ao seu funcionamento – “visto que o conjunto da matéria é então certamente muito melhor conhecido e mais imediatamente acessível do que as diversas partes que nele se distinguirão ulteriormente” (p. 99). Comte,assim, distingue na Física social duas vertentes passíveis de análise: a “estática social” (ordem) e a “dinâmica social” (progresso); e ambas são complementares – sendo que a primeira condiciona os padrões intrínsecos para o andamento da segunda e, em contrapartida, os movimentos ‘involuntários’ da segunda – porventura – seriam aptos a buscar reformulações às concepções das leis da primeira....
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • AUGUSTE COMTE
  • Auguste Comte
  • Auguste comte
  • Auguste comte
  • Auguste Comte
  • auguste comte
  • Auguste Comte
  • Auguste comte

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!