Ficha de leitura jamais fomos modernos – ensaio de antropologia simétrica.

Páginas: 3 (664 palavras) Publicado: 29 de abril de 2013
FICHA DE LEITURA:
LATOUR, Bruno. “Crise”; “Constituição”. In: Jamais fomos modernos – Ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994, p.07-52.

Letícia Zat Vargas

BrunoLatour nasceu na cidade de Beaune, em 22 de junho de 1947, é antropólogo, filósofo e professor de Sociologia na École Nationale Supérieure des Mines de Paris e na Universidade de Califórnia, San Diego.Sua obra Jamais fomos modernos, foi publicada pela primeira vez no ano 1991 na França, para três anos depois, em 1994 ser publicada no Brasil pela Editora 34 Ltda.
Latour inicia seu texto relatandoas notícias de um jornal, onde as informações são separadas como se não houvesse relação alguma entre elas. Ao relatar as páginas do jornal o autor nos mostra que todas as informações estãointerligadas e critica essa separação dizendo:
“Contudo, ninguém parece estar preocupado. As páginas de Economia, Política, Ciência, Livros, Cultura, Religião e Generalidade dividem o layout como se nadaacontecesse. O menor vírus da AIDS nos faz passar do sexo ao inconsciente, à África, às culturas de células, ao DNA, a São Francisco; mas os analistas, os pensadores, os jornalistas e todos que tomamdecisões irão cortar a fina rede desenhada pelo vírus em pequenos compartimentos específicos, onde encontraremos apenas a ciência, apenas economia, apenas representações sociais, apenas generalidades, apenaspiedade, apenas sexo.”
Em seguida, em um subtítulo chamado “A crise da Crítica”, o autor nos diz que se desenvolveram três repertórios distintos para falar do nosso mundo: a naturalizaçãopersonificada por Changeux, a socialização por Bourdieu, e a desconstrução por Derrida. Quando o primeiro fala de fatos naturalizados, não existe mais sociedade, nem sujeito, nem forma do discurso. Quando osegundo fala de poder socializada, não existe mais ciência, técnica, texto ou conteúdo. Quando o terceiro fala de efeitos de verdade, a ciência e os jogos de poder são esquecidos. Assim, cada uma das...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Resenha- Jamais fomos modernos
  • resenha "jamais fomos modernos"
  • LATOUR, Jamais Fomos Modernos
  • Jamais Fomos Modernos
  • FICHAMENTO
  • JAMAIS FOMOS MODERNOS
  • Resumo de Latour, Jamais fomos Modernos
  • Ficha de leitura

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!