Entre saias justas e jogos de cintura - Capítulo 5

Páginas: 32 (7803 palavras) Publicado: 8 de dezembro de 2013
SÉRIE ANTROPOLOGIA

133
DESCONSTRUÇÃO DAS CATEGORIAS
"MULHER" E "NEGRO"
Mireya Suárez

Grupo de Trabalho Temas e Problemas da População Negra no Brasil
XV Encontro Anual da ANPOCS: 15 a 18 de outubro de 1991
Caxambú, Minas Gerais

Brasília
1992

Desconstrução das Categorias "Mulher" e "Negro"

Mireya Suárez

INTRODUÇÃO
Virginia Woolf e Simone de Beauvoir repararam, com muitapropriedade, que a
mulher e a feminilidade eram assuntos que intrigavam profundamente o pensamento
europeu. Woolf (1985) agrega que o tema obsesionava particularmente aos homens e
Beauvoir (1980) comenta que o "problema" do que fosse mulher estava colocado,
exclusivamente, por e para eles. Entretanto, para os propósitos deste ensaio é significativo
reter o fato de que, seja como respostareativa ao pensamento masculino ou, como acredito,
por compartilharem das temáticas de seu tempo, as duas escritoras, como muitas outras
depois delas, também se colocaram a questão1.
A construção da categoria "mulher", em singular, perpassa discursos de diferentes
origens sociais, como o literário, o científico, o religioso, e os diversos discursos de senso
comum. Também perpassa discursos dediferentes orientações ideológicas, desde os mais
conservadores aos mais progressistas, incluídos aqueles produzidos pelo feminismo.
Todos esses discursos diferem e divergem o suficiente como para configurar, no
campo em que se encontram e se atritam, uma das polêmicas mais importantes deste
século. Entretanto, o fato de ser possível identificar neles elementos comuns conduz a
pensar queconstituem transformações de uma mesma estrutura de pensamento que, como
no caso do apartheid sulafricano, é essencialista2.
A construção da identidade feminina, baseada nas características biológicas, na
celebração da maternidade e no elogio as numerosas atitudes a ela associadas, acaba por
definir a mulher enquanto categoria natural que, resistente às forças arbitrárias da cultura,
da história e dapessoa, existe sempre única e imutável. Em trabalho recentemente
publicado pela Secretaria de Educação do Estado de Rio Grande do Sul (1990:87), lê-se:
"Este é um trabalho que se destina a prestar uma homenagem à mulher, este ser que
sempre, e em todo lugar, tem sido sinônimo de amor, de doação e busca de
soluções para os problemas que nos afligem no que diz respeito à educação, à posse
1Na apresentação de um dos trabalhos mais notáveis de sua obra, Beauvoir (1980:9) afirma que
"Se a função de fêmea não basta para definir a mulher, se nos recusamos também explicá-la pelo
eterno feminino e se, no entanto, admitimos, ainda que provisoriamente, que há mulheres na terra,
teremos que formular a pergunta: que é uma mulher?."
2

A procura por compreender os fundamentos cognitivosdo apartheid, Crapanzano (1985:20)
escreve que na perspectiva essencialista, "...logo que um objeto ou coisa é classificado será para
sempre esse objeto ou coisa. Terá uma identidade. Adquirirá uma essência particular. Estará sujeito
a certas regularidades que serão entendidas como regras ou leis da natureza."

2

da terra, ao trabalho, à habitação, etc."
Entretanto, a construção de umaidentidade feminina universal (situada em alguma
medida fora do tempo e do espaço), celebrada por algum de seus atributos e fundamentada
na natureza, encontra-se não apenas nos discursos de senso comum mas também nos
discursos científicos e feministas.
Ao examinar o pensamento dos fundadores da teoria sociológica moderna, Kandal
(1989) mostra que, com raras exceções, eles presumem que acategoria "mulher" refere-se a
uma condição essencial, dada pela natureza ou, então, tornada uma segunda natureza em
virtude da prática da dominação masculina3. Entre as formulações teóricas mais
universalisantes e, portanto, essencialistas, se destaca a de Lévi-Strauss, para quem a
mulher é (nos sistemas sociais não ocidentais mas, aparentemente, também nestes) um dos
bens que, ao serem...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Capitulo 5
  • Capítulo 5
  • capitulo 5
  • capitulo 5
  • Capitulo 5
  • capitulo 5
  • Capitulo 5
  • Capitulo 5

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!