Eça de queirós

Páginas: 8 (1878 palavras) Publicado: 2 de março de 2013
Eça de Queirós
 José Maria Eça de Queirós nasceu a 25 de novembro de 1845, na Póvoa de Varzim. Devido a ser filho ilegítimo de um magistrado, Eça foi entregue aos cuidados dos seus avós paternos, mas aos 10 anos internaram-no no colégio da Lapa, no Porto.
Em 1861, matriculou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Aqui, juntou-se ao famoso grupo académico da Escola de Coimbraque, em 1865, se insurgiu contra o grupo de escritores de Lisboa. Esta revolta dos estudantes de Coimbra é considerada como a semente do realismo em Portugal. Mas o seu papel foi bastante discreto.
Terminou o curso em 1866 e fixou-se em Lisboa, exercendo simultaneamente advocacia e jornalismo. Participou na Gazeta de Portugal e mais tarde partiu para Évora e fundou o jornal Distrito de Évora.
Noano seguinte, agregou-se ao Cenáculo, grupo formado por alguns escritores e intelectuais pertencentes á “Geração de 70”, que procuravam desenvolver na capital a agitação intelectual iniciada em Coimbra.
Em 1969, viajou até à América do Norte e também foi ao Egito para assistir à inauguração do canal do Suez, na companhia do Conde de Resende. Após o seu regresso decide dedicar-se á carreiraadministrativa, passando 6 meses em Leiria como Administrador de Conselho.
Em 1872 é nomeado Cônsul em Havana, Cuba. Dois anos mais tarde, foi transferido para Inglaterra, onde residiu até 1878. De Bristol e Newcastle, onde residia, enviou frequentemente correspondência para jornais portugueses e brasileiros. No entanto, a sua longa estadia em Inglaterra encheu-o de melancolia.
Em 1886, casou com D.Maria Emília de Castro, uma senhora fidalga irmã do Conde de Resende. O seu casamento é também um pouco polémico, pois casou aos 40 anos com uma mulher de 29.
Em 1888 foi com alegria transferido para o consulado de Paris, realizando assim a ambição de toda a sua vida.
Nos últimos anos da sua vida, escreveu para a imprensa periódica, fundando e dirigindo a Revista de Portugal. Sempre que vinha aPortugal, reunia em jantares com o grupo dos Vencidos da Vida, os acérrimos defensores do Realismo que sentiram falhar em todos os seus propósitos.
Morreu em Paris em 1900.

Obra
A sua obra conta com um espólio considerável de publicações, algumas durante a vida do escritor e outras depois da sua morte. É também notável a sua colaboração em jornais e revistas da época.
1866 | Notas Marginais,folhetins publicados na Gazeta de Portugal; Distrito de Évora, edição de páginas jornalísticas |
1867 | O Milhafre, folhetim publicado na Gazeta de Portugal |
1870 | De Port Said a Suez e O Mistério da Estrada de Sintra, folhetins publicados no Diário de Notícias; A Morte de Jesus, folhetim publicado na Revolução de Setembro |
1871 | Conferência “A Nova Literatura ou O Realismo como Novaexpressão da Arte”; publicação de As Farpas |
1874 | Singularidades duma Rapariga Loira |
1875 | O Crime do Padre Amaro (primeiros capítulos publicados na Revista Ocidental |
1876 | O Crime do Padre Amaro (2ª versão e primeira edição em livro) |
1877 | Cartas de Londres, no jornal do Porto A Actualidade; manuscrito de A Capital, integrado no projeto “Cenas da Vida Real” |
1878 |Primeira edição de O Primo Basílio |
1879 | Manuscrito de O Conde de Abranhos; colaboração com a Gazeta de Notícias, do Rio de Janeiro |
1880 | Folhetins de O Mandarim publicados no Diário de Portugal; |
1884 | 2ª edição de O Mistério da estrada de Sintra |
1887 | A Relíquia |
1888 | Os Maias; Correspondência de Fradique Mendes no Repórter |
1889 | Direção da Revista de Portugal |
1890| Uma Campanha Alegre |
1895 | Direção do Almanaque Enciclopédico para 1896 |
1896 | Direção do Almanaque Enciclopédico para 1897 |
1900 | A Ilustre Casa de Ramires |
1901 | A Cidade e as Serras |
1902 | Contos |
1903 | Prosas Bárbaras |
1905 | Cartas de Inglaterra e Ecos de Paris |
1907 | Cartas familiares e Bilhetes de Paris |
1925 | A Capital |
1926 | O Egipto |
* Os...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Eça de queirós
  • Eça de queiros
  • Eça de Queiros
  • Eça queiros
  • Eça de Queirós
  • Eça de Queirós
  • eca de queiros
  • Eca queiros

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!