DIÁLOGO MARIO E BANDEIRA

Páginas: 19 (4720 palavras) Publicado: 19 de outubro de 2013




























Arquivo-Museu de Literatura Brasileira da Fundação Casa de Rui Barbosa



20 CULT - abril/2000



s cartas que mando pra você são
suas. Se eu morrer amanhã não quero que
você as publique. Nem depois da morte
de nós dois quero um volume como o
epistolário Wagner-Lizt. Essas coisas podem ser importantes, nãoduvido, quando
se trata dum Wagner ou dum Lizt que fizeram arte também pra se eternizarem. Eu
amo a morte que acaba tudo. O que não
acaba é a alma e essa que vá viver contemplando Deus.” (de Mário de Andrade
para Manuel Bandeira, 25/01/1925).
Para nossa felicidade, o destinatário
das cartas de Mário de Andrade não
atendeu ao pedido do missivista compulsivo, adivinhando, sob a máscara damodéstia, o esforço “guaçu” por ele realizado no sentido de nos legar um dos
mais significativos documentos da vida
intelectual brasileira deste século. Prova
disso é a publicação da correspondência
entre Mário de Andrade e Manuel
Bandeira, primeiro volume de uma
coleção organizada pelo Instituto de
Estudos Brasileiros (IEB), da Universidade de São Paulo, em parceria com
a Edusp, e que permite,graças à divulgação da correspondência passiva do

Como não lembrar, em Mário, da
curiosidade perpetuamente “em via de
satisfação”, de suas convicções transitórias, sua busca incessante em face da
qual as respostas representariam “o descanso em vida, parar mais detestável que
a morte”1? Com a diferença talvez de que
Mário nunca se liberta completamente
da “coação” exercida pela necessidadede
coerência, donde a imensidão de explicações pontuando cada gesto ou afirmativa seus e a força com que retruca às afirmativas vibrantes de Bandeira “com uma
análise muito de máquina, cheia de rodinhas cada uma bem no lugar, cheia de polias, cheia de relógios etc.” (p. 362).
Comentando as estratégias de divulgação do modernismo, as rixas entre
“panelas” literárias, batendo-se em defesa
dalíngua brasileira, discutindo poemas,
quadros, composições musicais, é patente
na correspondência a flexibilidade nas
posições críticas assumidas por Mário; a
tendência a tomar partido considerando
o “efeito moral” de suas declarações.
Flexibilidade que, por um lado, se vincula
ao desejo de sinceridade (de comunicação
rente às modulações da personalidade, às
sensações que “renascem de simesmas
sem repouso” na alma desse que é “trezentos, trezentos-e-cinqüenta”) e, por
outro, constitui fonte de sofrimento para
um sujeito, como bem observa Bandeira,



“A

Mário de Andrade

escritor – mantida sob lacre, inacessível
à consulta, até 1995, por um desejo do
próprio Mário, preocupado em resguardar a intimidade alheia –, reconstituir o
itinerário de uma amizade e, apartir daí,
recuperar o clima de uma etapa importante de nossa história literária.
Amizade, é preciso que se diga,
marcada por diferenças de temperamento
e pela incorruptível lhaneza de seus protagonistas. Amizade, portanto, afeita à
polêmica, fruto de uma intimidade que
não se priva do mundo, mas, ao contrário,
nele se aquece pela consciência intensificada de suas contradições. Amizade
algoassemelhada ao amor mundi de que
nos fala Hannah Arendt ao se referir à
figura de Lessing, amor a este espaço
intermediário entre os homens que, comprimido em tempos sombrios (a fraternidade dos párias, em que se verifica uma
humanidade invisível, sem ressonância
pública ou significação política), dilatase na amizade autêntica pela ação discursiva. Entre a verdade e a amizade,
Lessingsempre escolheu a primeira, variou seus argumentos tendo mais em vista
seu poder de incitação ao discurso, seu
efeito no mundo, que sua lógica interna;
o pensamento como instrumento para se
mover em liberdade no mundo (e não
como ersatz psicológico de liberdades
confiscadas).



Escondam no Correio o ouvido
Direito, o esquerdo nos Telégrafos,
Quero saber da vida alheia,
Sereia.

○...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Bandeira
  • bandeiras
  • Bandeiras
  • Bandeiras
  • diálogo
  • dialogo
  • Mario
  • Mario

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!