Descrição e Avaliação Parcial da Rede de Extensão Tecnológica de Santa Catarina do Sibratec – RETESC (2009-2011)

Páginas: 19 (4651 palavras) Publicado: 20 de outubro de 2014
Carlos Heitor Zimmermann (SOCIESC) HYPERLINK mailtocarlos.heitor@sociesc.org.br carlos.heitor@sociesc.org.br Resumo O objetivo deste artigo descrever a Rede de Extenso Tecnolgica de Santa Catarina do Sibratec - RETESC e realizar uma avaliao parcial de sua atuao, por meio da anlise dos resultados obtidos, correspondendo percepo dos empresrios e dos extensionistas, comparando-os com programassemelhantes j realizados, bem como, dos aspectos crticos do seu funcionamento de acordo com a percepo da coordenao da rede e responsvel pela sua operacionalizao. Palavras-chave Sibratec Extenso Tecnolgica MPMEs. 1. Introduo As micro, pequenas e mdias empresas (MPMEs) representam 99 de todas as empresas na comunidade europia, empregando mais de 90 milhes de pessoas. Estes nmeros, com alguma variao,se repetem pela grande maioria das economias de mercado mais evoludas. O nmero de MPMEs por atividade no Brasil em 2006, de acordo com o Anurio do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2008 (SEBRAE DIEESE, 2008), era 995.415 no Comrcio, 862.619 em Servios, 286.224 na Indstria e 76.024 na Construo, totalizando mais de 2, 2 milhes de MPMEs. O entendimento generalizado da importncia socioeconmica dasMPMEs tem levado os governos de diversos pases a desenhar e implementar polticas de apoio a esta classe especfica de empresas. Estas polticas incluem redues em alquotas de impostos, reduo de burocracia para abertura e fechamento de pequenos empreendimentos, incentivos a exportao, apoio gerencial e tecnolgico, prazos e juros de financiamentos diferenciados, apoio a formao de redes de pequenasempresas, etc. Mas ainda assim, Bessant (1998) coloca que apesar da evoluo na elaborao das polticas, ainda existe uma falta de conhecimento sobre a natureza e a extenso do apoio s necessidades das PMEs e os mecanismos para realiz-lo eficazmente. A necessidade de avaliar cada programa de apoio s MPMEs (com a identificao dos resultados alcanados e sua comparao com os objetivos traados a anlise dascausas do sucesso ou insucesso) reside no fato de reunir consistente subsdio de informaes para aprimoramento das polticas pblicas. O principal objetivo suprir com eficincia e eficcia as principais necessidades das MPMEs, sejam elas especficas ou mais generalizadas. preciso observar e, se possvel, quantificar os benefcios destas polticas de apoio, comparando-os com seus custos. Tendo isso em vista edesenvolvendo atividades com o objetivo de aumentar o valor agregado de faturamento, produtividade e competitividade destas empresas que foi criado pelo Ministrio da Cincia, Tecnologia e Inovao (MCTI), um instrumento de articulao e aproximao da comunidade cientfica e tecnolgica com as empresas, ou seja, o Sistema Brasileiro de Tecnologia (SIBRATEC), operado pela Financiadora de Estudos e Projetos(FINEP). O SIBRATEC um programa sistmico com trs dimenses (i) Redes Temticas de Centros de Inovao, que tem como objetivo gerar e transformar conhecimentos cientficos e tecnolgicos em produtos, processos e prottipos com viabilidade comercial para promover inovaes radicais ou incrementais (ii) Redes Temticas de Servios Tecnolgicos, que so formadas por laboratrios e entidades acreditadas ou quepossuam sistema de gesto da qualidade laboratorial (iii) Redes de Extenso Tecnolgica, estruturadas por estado e voltadas essencialmente para solucionar gargalos na gesto tecnolgica, projeto, desenvolvimento, produo e comercializao de bens e servios das MPMEs (MCT, 2011). As Redes de Extenso Tecnolgica so exemplos de atuao do governo brasileiro no apoio tecnolgico s MPMEs. Estas redes congregam asentidades especializadas na extenso tecnolgica atuantes na regio, por meio da organizao de um arranjo institucional, constitudo por entidades locais de apoio tcnico, gerencial e financeiro. O objetivo principal do RETESC de solucionar alguns gargalos na gesto tecnolgica, adaptao de produtos e processos e a melhoria da gesto da produo das micro, pequenas e mdias empresas catarinenses, ou seja,...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • ANÁLISE ESTATÍSTICA DA VARIAÇÃO DO CUB/SINDUSCON ENTRE OS MESES DE JANEIRO DE 2009 A OUTUBRO DE 2011 NO ESTADO...
  • Avaliação biométrica e econômica de pinus em santa catarina
  • Santa Catarina
  • Santa Catarina
  • DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS CASOS DE INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1), NO ESTADO DE SANTA CATARINA, EM 2009.
  • Santa catarina
  • Santa Catarina
  • Santa catarina

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!