dcvg

Páginas: 8 (1910 palavras) Publicado: 2 de março de 2015
engecorr@engecorr.ind.br

AUTHORIZED DISTRIBUTOR

+55 (21) 3936-2699

INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®
CIPS / DCVG / GPS
TREINAMENTO OPERACIONAL
ENG° AMAURI GUTIERREZ
amauri@engecorr.ind.br
Rev. 00 – Dez/2009

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

1. FUNDAMENTOS
1.1. SISTEMAS DE PROTEÇÃO CATÓDICA
FLUXO DE CORRENTE
DO LEITO DE ANODOS (+)
PARA A TUBULAÇÃO(-)

CORRENTE “SAI” PELOS
ANODOS, FLUI PELO SOLO E
“ENTRA” NO DUTO PELOS
DEFEITOS NO REVESTIMENTO

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

1. FUNDAMENTOS
1.2. GRADIENTES DE POTENCIAL

ESTRUTURA CATODICAMENTE
PROTEGIDA TORNA-SE MAIS
ELETRONEGATIVA QUE O SOLO
AO SEU REDOR

TERRA
TERRA

REMOTA

REMOTA

O FLUXO DE CORRENTE
PRODUZ UM GRADIENTE
DE POTENCIALENTRE A
TUBULAÇÃO E O SOLO

TERRA
REMOTA

POTENCIAIS SÃO INTENSOS NAS
PROXIMIDADES DA TUBULAÇÃO, DECAEM
COM O INVERSO DA DISTÂNCIA E TENDEM
A ZERO NA POSIÇÃO DENOMINADA “TERRA
REMOTA”

TERRA
REMOTA

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

1. FUNDAMENTOS
1.2. GRADIENTES DE POTENCIAL
EM REGIÕES LIVRES DE DEFEITOS, O
POTENCIAL NO NÍVEL DO SOLO
ADJACENTE ÀTUBULAÇÃO É PRÓXIMO DE
ZERO, OU SEJA, PRÓXIMO DO POTENCIAL
NA TERRA REMOTA.

QUANDO DEFEITOS ESTÃO PRESENTES, O
POTENCIAL NESTAS REGIÕES AUMENTA
CONSIDERAVELMENTE, UMA VEZ QUE A
CORRENTE IMPRESSA “ENTRA” PELAS
FALHAS NO REVESTIMENTO.

GRADIENTES DE POTENCIAL
ELEVADOS INDICAM DEFEITOS
NO REVESTIMENTO!

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

1. FUNDAMENTOS
1.2.GRADIENTES DE POTENCIAL
O GRADIENTE DE POTENCIAL FORMA
SUPERFÍCIES ESFÉRICAS CONCÊNTRICAS.
NO NÍVEL DO SOLO SURGEM LINHAS
EQUIPOTENCIAIS CIRCULARES.

A MEDIÇÃO DAS DIFERENÇAS DE
POTENCIAL SOLO-AO-SOLO
PERMITE A IDENTIFICAÇÃO DE
DEFEITOS NO REVESTIMENTO

PRINCÍPIO DE
FUNCIONAMENTO DO MÉTODO
DCVG!

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

2. INSPEÇÃO PELO MÉTODO DCVG2.1. O MÉTODO DCVG
O INSPETOR CAMINHA SOBRE A
FAIXA DE DUTOS, MEDINDO OS
POTENCIAIS SOLO-AO-SOLO.

DUAS TÉCNICAS DE
MEDIÇÃO:
• ELETRODOS DISPOSTOS
PERPENDICULARMENTE AO
DUTO (MENOS PRÁTICO)
• ELETRODOS

DISPOSTOS
PARALELAMENTE AO
DUTO (RESULTADOS
MAIS FÁCEIS DE SEREM
VISUALIZADOS)

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

2. INSPEÇÃO PELO MÉTODO DCVG
2.2.DEFINIÇÃO DE GRADIENTE DCVG
• INSPEÇÕES DCVG SÃO REALIZADAS UTILIZANDO UMA CORRENTE PULSANTE, I.E.
CHAVEANDO OS RETIFICADORES QUE PROTEGEM A TUBULAÇÃO
• USUALMENTE SÃO ADOTADOS CICLOS DE INTERRUPÇÃO DE 1 SEGUNDO, SENDO
600 ms “OFF” E 400 ms “ON”
• SÃO REGISTRADOS OS POTENCIAIS SOLO-AO-SOLO DURANTE O PERÍODO “ON” E
DURANTE O PERÍODO “OFF”
• delta V(ON) – DIFERENÇA DE POTENCIAL SOLO-AO-SOLODURANTE O CICLO “ON”
“Correntes provenientes do SPC, bem como de fontes externas (correntes
dinâmicas, interferências de terceiros etc.)”
• delta V(OFF) – DIFERENÇA DE POTENCIAL SOLO-AO-SOLO DURANTE O CICLO “OFF”
“Correntes provenientes apenas de fontes externas”

GRADIENTE DCVG = delta V(ON) – delta V(OFF)

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

2. INSPEÇÃO PELO MÉTODODCVG
2.3. LOCALIZAÇÃO DE DEFEITOS
À MEDIDA QUE O OPERADOR SE APROXIMA DA FALHA, O INSTRUMENTO REGISTRA
UM GRADIENTE CRESCENTE E COM POLARIDADE POSITIVA

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

2. INSPEÇÃO PELO MÉTODO DCVG
2.3. LOCALIZAÇÃO DE DEFEITOS
AO SE POSICIONAR SOBRE O EPICENTRO DA FALHA, O INSTRUMENTO REGISTRA UM
GRADIENTE NULO, UMA VEZ QUE OS ELETRODOSENCONTRAM-SE SOBRE A MESMA
SUPERFÍCIE EQUIPOTENCIAL

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

2. INSPEÇÃO PELO MÉTODO DCVG
2.3. LOCALIZAÇÃO DE DEFEITOS
À MEDIDA QUE O OPERADOR SE AFASTA DA FALHA, O INSTRUMENTO REGISTRA UM
GRADIENTE CRESCENTE E COM POLARIDADE NEGATIVA

TREINAMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO
HEXCORDER MILLENIUM®

2. INSPEÇÃO PELO MÉTODO DCVG
2.4. PERFIL DO...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!