Conflito árabe-israelense

Páginas: 93 (23059 palavras) Publicado: 26 de março de 2012
O CONFLITO ÁRABE-ISRAELENSE – IDEOLOGIA, NACIONALISMO E CIDADANIA NO ORIENTE MÉDIO Eduardo Spohr

1

O CONFLITO ÁRABE-ISRAELENSE IDEOLOGIA, NACIONALISMO E CIDADANIA NO ORIENTE MÉDIO

EDUARDO SPOHR MATRÍCULA 0114163-0 COMUNICAÇÃO SOCIAL – JORNALISMO PUC-RIO – DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL ORIENTADOR: PROF. EVERARDO ROCHA 17-06-2002

O CONFLITO ÁRABE-ISRAELENSE – IDEOLOGIA,NACIONALISMO E CIDADANIA NO ORIENTE MÉDIO Eduardo Spohr

2

Sumário Introdução – Os Limites da Intolerância Parte 1 – História, Cultura e Política História e Religião O Século XX Biografias Parte 2 – O Processo de Paz O que querem israelenses e palestinos? Cidadania e Nacionalismo Acordos de Paz Yasser Arafat e a ONU O Fator Terrorismo Parte 3 – Confronto de Ideologias Os discursos israelense epalestino A atuação dos EUA Os países árabes A postura européia A ONU A Imprensa Internacional Conclusão – A Paz é Possível? Bibliografia Anexos pg. 03 pg. 05 pg. 05 pg. 07 pg. 18 pg. 21 pg. 21 pg. 22 pg. 24 pg. 27 pg. 29 pg. 33 pg. 33 pg. 39 pg. 40 pg. 41 pg. 42 pg. 42 pg. 45 pg. 47 pg. 50

O CONFLITO ÁRABE-ISRAELENSE – IDEOLOGIA, NACIONALISMO E CIDADANIA NO ORIENTE MÉDIO Eduardo Spohr

3Introdução – Os Limites da Intolerância
Ódio. Essa é a chave para entender definitivamente o conflito entre palestinos e israelenses no Oriente Médio. Antes de continuar a ler este texto, esqueça tudo o que você sabe sobre guerras. Este estudo trata de uma situação totalmente única, peculiar. Uma guerra onde a raiva, a vingança e a intolerância são as únicas vencedoras. A eterna bola de neve daviolência, que desce pelo Monte das Oliveiras, parece ter colidido com a Terra Santa, trazendo um inverno frio e longo para árabes e judeus. Terror. Essa é a imediata conseqüência das ações de dois povos que não sabem conviver lado-a-lado. De povos sem memória, que à medida que querem restaurar a sua identidade e nacionalidade, esquecem os feitos de seus antepassados. Os palestinos perderam a indulgênciados antigos povos árabes, que souberam, durante toda a história, respeitar a sociedade e a cultura de judeus e cristãos. Os israelenses, que foram humilhados e discriminados durante a Segunda Guerra, e exterminados no Holocausto, parecem ter jogado a dura lição que aprenderam pela latrina. Para Israel, a ocupação é fundamental para conter a expansão de grupos terroristas islâmicos, que têm comoobjetivo arrastá-los pelo deserto e afogá-los no Mar Mediterrâneo. Para os palestinos, o inimigo sionista quer destruí-los, matá-los, prendê-los, exterminá-los e expulsá-los das terras onde seus avós moravam. Dentro desse contexto, a tática do terror é usada pelos dois lados. Os atentados terroristas contra civis são a maneira que os árabes mais radicais encontraram para convencer a populaçãoisraelense a ir embora da (sua) região. As retaliações militares a esses ataques também são atos claros de terrorismo de Estado. Ao atacarem cidades e matarem civis palestinos em resposta a ações terroristas, Israel produz mais homens-bomba, dando continuidade a um conflito interminável. Mas então, de quem é a Terra Prometida, afinal? Os judeus se fixaram primeiro em Jerusalém, antiga cidade de Canaã, hápelo menos 4 mil anos. A invasão egípcia os obrigou ao exílio, de onde retornaram sob a liderança de Moisés. Durante a dominação romana, eles se dispersaram pelo mundo - a chamada diáspora. Em 635 d.C., com a expansão islâmica, os muçulmanos chegaram à região, e lá permanecem até hoje. Somente em 1917, com a Declaração Balfour, e posteriormente após a Segunda Guerra Mundial, os judeus de todo omundo começaram a retornar ao Oriente Médio. Sob o slogan “Uma terra sem povo para um povo sem terra”, os filhos de Abraão se prepararam para restabelecer o seu lar na Palestina. No entanto, a bordão sionista estava apenas parcialmente certo – e por isso parcialmente errado. Em 1917, a região contava com dez árabes para cada judeu. Com o aval britânico (na época a Inglaterra controlava a...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Conflitos Árabes Israelenses
  • Conflitos árabes
  • Conflitos Arabes Israelenses
  • o conflito arabe israelense
  • Resumo do Conflito Árabe-Israelense
  • Conflitos Árabes-Israelense
  • Conflito Árabe-Israelense
  • Conflito Árabe-israelense

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!