Case administração

Páginas: 8 (1785 palavras) Publicado: 28 de abril de 2013
Universidade Estácio de Sá
Campus Niterói
Curso: Administração
Disciplina: Tópicos Esppeciais em Administração III
Prof. Claudio Mendes
CASE 01: MST S/A
A empresa têxtil Matrics, localizada em Apucarana, no Paraná, há muito tempo não sabe o que é recessão. É lá que, a cada mês, são produzidos cinco mil bonés e duas mil camisetas para um cliente especial: o Movimento dos TrabalhadoresRurais Sem Terra (MST). Estima-se que a receita mensal com a encomenda seja de R$ 25 mil, representando um faturamento de R$ 300 mil por ano. “Eles sempre nos pagaram em dia”, conta Patrícia Lima, responsável pelo atendimento ao MST. “Nunca atrasaram uma fatura.” Há oito anos, a Matrics fornece roupas, chapéus e bandeiras para os militantes do movimento. Nenhum cliente da empresa cresceu tanto em tãopouco tempo. E aquilo que, no início, despertava uma certa desconfiança nos donos da Matrics, hoje é o carro-chefe da produção.
Há dias em que todos os 45 funcionários dedicam-se exclusivamente ao MST. O gasto dos sem-terra com as camisetas e bonés – o mesmo que causou celeuma ao ser usado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva – revela um lado pouco conhecido de uma organização que vemchacoalhando o País. É a versão S/A do MST. Hoje, os sem-terra atuam como se formassem uma grande corporação empresarial, com todas as divisões internas: produção, vendas, logística, finanças, treinamento e marketing. E, como têm capacidade para promover ações relâmpago em diversos pontos do território nacional, muitas delas simultâneas, os sem-terra reúnem qualidades que faltam a muitas empresas:liderança, disciplina e determinação. Só na última semana, houve invasões coordenadas em Pernambuco, no Paraná e em Minas Gerais. “Temos de admitir que, como uma organização econômica, eles são muito competentes”, reconhece o adversário Luiz Hafers, conselheiro da Sociedade Rural Brasileira.
Na retórica, o MST S/A ainda é bastante duro e agressivo. Os líderes pregam a ocupação à força dos latifúndios,a ampla reforma agrária e até mesmo uma revolução socialista. No entanto, na prática, muitas das iniciativas do movimento são cem por cento capitalistas. O MST administra um caixa milionário, explora o valor da sua marca como poucas empresas, recolhe vastas contribuições internacionais, vende e exporta seus produtos, faz a intermediação financeira nos empréstimos agrícolas governamentais e treinaintensamente seus quadros profissionais. Um exemplo é a construção de um centro de formação em Guararema, São Paulo, ao custo de R$ 7,4 milhões. Assim como muitas multinacionais, o MST também terá sua “universidade corporativa”, batizada como Escola Nacional Florestan Fernandes, em homenagem ao sociólogo que inspira o movimento. Uma outra escola já funciona em Caçador, Santa Catarina.
Noorganograma do poder, a corporação também tem o seu CEO. Ainda que não exista formalmente o cargo de presidente, o líder incontestável, desde a fundação do movimento, em 1984, é o gaúcho João Pedro Stédile, que, há poucos dias, deixou os produtores rurais em estado de alerta ao dizer que existem mil trabalhadores sem-terra para cada latifundiário e conclamou seu exército de 80 mil famílias acampadas anovas invasões. Abaixo de Stédile, há um número restrito de executivos, como Gilmar Mauro, de São Paulo, Roberto Baggio, do Paraná, e Mário Lill, do Rio Grande do Sul. Estes três fazem parte da direção central e Lill, que chegou a entregar uma bandeira dos sem-terra ao palestino Yasser Arafat, é quem cuida das finanças. Descendo na hierarquia, chega-se aos 90 coordenadores regionais em 23 dos 27Estados brasileiros e aos militantes – quase todos assalariados. Mas de onde vem o dinheiro para manter tanta gente em acampamentos, tantos quadros internos e promover ocupações em regiões tão remotas? “Nós não temos controle sobre o dinheiro, porque é tudo descentralizado e cada regional recolhe os recursos que usa nas suas atividades”, garantiu Lill à DINHEIRO.
Na prática, ainda que haja um...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Cases de administração
  • Cases de Administracao
  • COMEX2014
  • Administração de contas a receber case petrobrás
  • Administração
  • Administração de marketing
  • TRABALHO NEGOCIAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS CASE: CONTROLE ACIONÁRIO DO GRUPO GPA
  • Case

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!