As perspectivas de cooperação sul-sul no relacionamento brasil-china

Páginas: 27 (6731 palavras) Publicado: 23 de abril de 2011
As perspectivas de cooperação Sul-Sul no relacionamento Brasil-China
Henrique Altemani de Oliveira

O relacionamento sino-brasileiro é avaliado como decorrente de uma perspectiva similar de inserção internacional. Assim, no período da Guerra Fria, Brasil e China implementaram uma cooperação no plano político-estratégico visando uma ação conjunta direcionada à revisão das regras do comérciointernacional. Já no momento posterior, esta perspectiva de Cooperação Sul-Sul é retomada em decorrência das dificuldades de obtenção de consenso na redefinição do Sistema e da Ordem Internacionais. Não se trata de uma oposição aos países desenvolvidos, mas de uma estratégia de aproveitamento das discordâncias entre estes países. Por fim, aponta-se que a parceria estratégica Brasil-China compreendeos setores político e tecnológico, enquanto que não há parceria no campo econômico.
Henrique Altemani de Oliveira: Professor de Relações Internacionais e Coordenador do Grupo de Estudos Ásia-Pacífico da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Foi Professor Visitante no Núcleo de Pesquisa em Relações Internacionais da Universidade de São Paulo e Professor da Universidade de Brasília.Palavras-chave: relaçôes internacionais, cooperação, fóruns multilaterais, Brasil, China.

Considerações iniciais

Nas duas últimas décadas do século XX, o Brasil passou por um duplo processo de
transformações. Enquanto, no plano político, os anos 80 marcaram a transição de um regime militar para a democracia, no plano econômico o Brasil reconheceu a

NUEVA SOCIEDAD 203
H e n r i q u e Alt e m an i de Oli v e i r a / A s p er s p e c t i v a s de co o p e r a ç a o S ul- S ul no rel a c i o n a m e n t o Br a s il- C hi n a

exaustão do modelo essencialmente autárquico de desenvolvimento. Em conjunto com a turbulência financeira, a estratégia de inserção à economia mundial sob controle do Estado tornou-se crescentemente mais difícil. Com o objetivo de manutenção de uma relativa margemde manobra no plano externo, a distribuição diversificada da estrutura brasileira de comércio exterior não só é percebida como uma vantagem, como se procura mantê-la. Em 2005, 19.2% das exportações brasileiras foram para os Estados Unidos e 22.4% para a União Européia. A ALADI foi responsável por 21.5%, a Ásia por 15.7% e o resto do mundo por 19.5%. Assim, todas as principais áreas do mundo sãoimportantes mercados para o Brasil. Entretanto, o desafio de ampliação da participação do país no mercado mundial e de continuidade do processo de desenvolvimento econô­ mico requer ações nas diversas regiões. Esse objetivo de universalização ou de diversificação de parcerias mostra-se como uma constância na definição da política externa brasileira, sendo que, na visão de Lima, «representa um traçodo estilo diplomático brasileiro, o qual favorece a flexibilidade no processo decisório e o alargamento das possíveis opções inter­ nacionais, de forma que a possibilidade de escolhas futuras sejam mantidas em aberto»1. Neste sentido, tanto o governo de Fernando Henrique quanto o de Lula, ainda que com possíveis ênfases diferenciadas, mantêm esta perspectiva de diversificação. Assim, em seu atualprojeto de inserção internacional, o Brasil delega à região asiática um espaço especial, considerando-se a grande demanda por investimentos e por acesso a tecnologias de ponta, bem como por um mercado com alta capacidade de consumo. Por sua vez, o Brasil suscita interesses na Ásia por se caracterizar como uma importante fonte supridora de matérias-primas, princi­ palmente produtos alimentícios einsumos básicos. Nesse sentido, enquanto a Ásia se dinamiza e se especializa em produtos manufaturados, é mantido ou ampliado o interesse na importação de produtos básicos do Brasil2.
1

Maria Regina Soares Lima: «Brazil's Response to the ‘New Regionalism’» en Gordon Mace y JeanPhilippe Thérien: Foreign Policy and Regionalism in the Americas, Lynne Rienner Publishers, Boulder, Colorado, 1996,...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • A politica externa e a cooperação Sul-Sul
  • Cooperação Sul-Sul. Caso Moçambique
  • Vantagens e desvantagens da Cooperacao Sul-Sul
  • A cooperação sul-sul e a ação dos BRICs na África
  • Sul do Brasil
  • Sul do Brasil
  • Disputas do mar do sul da China
  • A cooperação sul-sul numa perspectiva histórica de relações internacionais (resumo do livro de patrícia soares leite)

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!