antiguidade e idade media

Páginas: 71 (17640 palavras) Publicado: 9 de abril de 2014
MUSEU DE TOPOGRAFIA PROF. LAUREANO IBRAHIM CHAFFE
DEPARTAMENTO DE GEODÉSIA – UFRGS

*A MESOPOTÂMIA E SEUS POVOS*
Texto original de:
João Lourenço da Silva Netto
Advogado – Historiador – Escritor - Juiz de Fora-MG

Janeiro/2009

Ampliação e ilustração de autoria de;
Iran Carlos Stalliviere Corrêa
Museu de Topografia Prof. Laureano Ibrahim Chaffe – Porto Alegre-RS

*Um zigurate dacidade de UR, cuja base mede 1.800 m2*
No mesmo milênio em que se formava a civilização egípcia,
desenvolvimento semelhante se verificava ao longo das margens dos rios
TIGRE E EUFRATES, apenas a poucas centenas de quilômetros de distância.
Ali como no Egito, o progresso técnico ocorria muito mais rapidamente do que
na Europa. Antes que todos os povos europeus houvessem adotado o uso do
metal,haviam os povos orientais passado pela ERA DO COBRE E DO
BRONZE e ingressado na IDADE DO FERRO.
De seus primitivos centros no Egito e na terra entre os rios TIGRE E
EUFRATES, a civilização logo se espalhou por todo o FERTIL CRESCENTE, a
área de terras produtivas em forma de ferradura que se estende no rumo
norte da BABILÔNIA, em direção ao planalto do EUFRATES, e depois se curva
no rumo sul,outra vez, passando pela SÍRIA e pela PALESTINA.

Gradualmente, a civilização ainda mais se difundiu: na direção leste para
a terra dos Medos e dos Persas; na do oeste pela Ásia Menor, até as ilhas e
península da Grécia e da Itália, até as costas distantes do MEDITERRÂNEO.
Por conveniência, os historiadores se referem a essa civilização como
"MESOPOTÂMICA", embora seja às vezes o termoMESOPOTÂMIA restringido
à parte norte da terra que fica entre os dois rios.
A civilização mesopotâmica era completamente diferente da egípcia. Sua
história política, assinalada por interrupções bruscas; sua composição racial
era menos homogênea e sua estrutura social e econômica oferecia campo
mais longo à iniciativa individual.
A cultura egípcia era predominantemente ética; a mesopotâmicajurídica.
O desprezo dos egípcios pela vida, excetuando-se o período do Médio Império,
era geralmente uma atitude de alegre resignação relativamente liberta de
superstições grosseiras. A atitude mesopotâmica, ao contrário, era
melancólica, pessimista e inquietada por terrores mórbidos. Enquanto o nativo
do Egito acreditava na imortalidade da alma e dedicava grande parte de seus
esforços apreparação da vida futura, seu contemporâneo mesopotâmico vivia
no presente, olhava com indiferença seu destino após a morte. Finalmente a
civilização do Vale do Nilo compreendia conceitos de monoteísmo, uma religião
de amor e igualdade social, a do Tigre - Eufrates era egoísta.

*Sua religião raramente ultrapassava o estágio de um politeísmo primitivo
e seus ideais de justiça se limitavam em grandeparte à observância literal dos
termos de um contrato.*

Hoje em dia não se considera a Mesopotâmia uma região muito especial a
não ser pelo petróleo que possui. Na antiguidade era um lugar privilegiado
para a sociedade humana. Na época das cheias os rios Tigre e Eufrates,
transbordavam e provocavam enchentes em sua planície. Quando as águas
retornavam ao leito normal, uma rica camada de"húmus” (matéria orgânica
que se origina da decomposição de restos de animais e vegetais), ficava
depositada sobre a terra tornando-a fértil e própria para o cultivo. Irrigado e
fertilizado pelas enchentes, o solo mesopotâmico possibilitava a produção de
grande parte dos legumes e grãos. Além disso, os rios cheios de cardumes
favoreciam a pesca. Havia ainda a caça abundante nas margens dos riose
condições para a criação de animais.
O bom aproveitamento dessas vantagens naturais dependia, entretanto
do trabalho e do planejamento dos homens, com o esforço coletivo dos
membros da comunidade.
O trabalho do controle das cheias do Tigre e Eufrates e de construção
de sistemas de irrigação era fundamental para a sobrevivência das populações
da região e gerando essa necessidade de...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Biblioteca na Antiguidade e Idade Média
  • A educação na antiguidade e na idade média
  • Transição da antiguidade para a idade média
  • Antiguidade, Idade Média e Mercantilismo
  • O SURDO NA ANTIGUIDADE E NA IDADE MÉDIA
  • Ideias Psicológicas Da Antiguidade À Idade Média
  • A transição da "antiguidade" para a dita idade média.
  • Ideias psicológicas da antiguidade à idade média

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!