analise O tronco do ipê

Páginas: 9 (2142 palavras) Publicado: 23 de novembro de 2014
 Espaço

Casa Grande: Chamada pelos negros, Localizada no alto de uma colina, (de onde tudo se vê) tendo a sua direita a capelinha de Nossa Senhora, abaixo em uma grande quadrado encontram-se as fábricas e as casas de lavoura, encontrava-se também as casas dos administradores e a senzala. Havia Moinho, serraria,jardim, horta e sítios de recreio.
Cabana de Pai Benedito: esta cabana ficava em uma região agreste, corria um rio perto de uma varzea, também neste campo aberto ficava de um outro lado arvores sombreando aquele local onde destava-se um Ipê, ao fim da planície tinha uma cadeia de penhascos, que em vertiacal decia e submergia nas águas no mais alto penhasco ficava a cabana de sapê.
O tronco doipê -> é a resistência da alma da terra que se ramifica e que floresce a cada ano.
Como as terras, as plantas se renovam e os homens abandonam a vida rural para irem a cidade. O tronco do ipê significa a tristeza e o abandono da terra onde vai se processando historicamente desde o sec. XIX.
O Boqueirão -> é o fuir das coisas, do tempo e das pessoas da fazenda, sendo, toda a força e progressodessa fazenda; tudo engole, para sempre torrente do tempo no abismo onde nao havia mais volta
Personagens

Há duas personagens centrais do romance, que são Mário de Alice, onde gira toda a trama e o romance, porém há outras personagens que relaciona-se direta e indiretamente com essas duas personagens principais,classificaremos aqui os mais próximos como secundário e os mais distantes de terciários:
Os secundários são: Pai Benedito, Joaquim Freitas (Barão da Espera) José Figueira.
Os terciários são: Adélia, D. Francisca, a Baronesa, Tia Chica as mucamas, D. Alina, pajem Martinho e Domingues Pais
Os demais personagens como Lucio, Lopes, D. Luíza, e Frederico, relaciona-se mais com as personagens terciários, porisso não agrega a lista.

Mário

Os vários sentimentos que Mário sente, da toda coloração para o livro, divido entre o amor puro e sincero que sente por Alice e a dúvida cruel sobre sua suspeita que Joaquim Freitas (Barão da Espera) pai de Alice, assassinou seu pai José Figueira .
Cresce então nos moldes destatragédia, um menino conturbado, frio, confuso, com oscilações temperamentais, uma hora ama Alice outra a odeia, a indignação de ser criado e pior, sustentado pelo possível assassino de seu pai, aterroriza sua alma, ferindo sua mente e espírito constantemente.
Altivo, arteiro e com um porte físico saudável sendo considerado bruto e rústico e comparado como um "animal preso" com a energia abundantee com a necessidade de liberar o que sente , Mário se arrisca várias vezes ao boqueirão, e vence todas as armadilhas que esta mata sombria reserva, e resiste aos encantos de Mãe d'agua. Inúmera vezes Mário maltrata Alice pra que de alguma forma ele possa vingar-se do Barão, mas como fazer sofrer a pessoa que ama? Este é um dos motivos que o deixa tão enfermo de espírito e que levou a Alice quasemorrer como diz o narrador no livro:

"O abalo que sofreu Mário vendo desaparecer o corpo de Alice, espancou de seu espírito a visão, para mostrar -lhe a realidade. Havia nesse menino um coração precoce como seu espírito, já capaz dos grandes ódios, como dos rasgos de heroísmo.
Diante da catástrofe ele esqueceu qem era a vítima, para só lembrar -se que uma vida corria perigo. A idéia devingança, que afagara em um instante de cisma, agora o enchia de horror. Como pudera associar uma memória querida à desgraça de ontrem?"
cap. XIV pag. 203



Atitudes como essa vem e vão na vida de Mário, negando seu amor por orgulho e por não compreender o que sente dentro de si.
Após...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • o tronco do ipe
  • Tronco do Ipê
  • Tronco do Ipê
  • O TRONCO DO IPE
  • O Tronco do Ipê
  • Resumo do livro do tronco de ipe
  • Livro o tronco do ipê
  • Resumo tronco do ipe

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!