Análise do poema "fanatismo " de florbela espanca

Páginas: 2 (269 palavras) Publicado: 17 de maio de 2012
A poesia se torna arte - "Fanatismo "

Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão de meu viver,
Pois quetu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida…
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezeslida!

“Tudo no mundo é frágil, tudo passa…”
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, vivo de rastros:“Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!…”

Florbela Espanca - Livro de Soror Saudade


Análise do poema:

Este poemaapesar da época apresenta linguagem clara e atual, desse modo não houve grandes problemas na compreensão da leitura.
Logo nos primeiros versos da poesia oleitor pode sentir a verdade das palavras de quem sente, ou ao menos tem completo conhecimento de um tema que apesar de muito comum na literatura poética,torna-se ímpar na mente ou na alma perdida de um poeta.
O amor não recíproco de alguém, retratado por Florbela Espanca nos remete a emoções tão pueris quepessoas interiormente ou inteiramente adultas muitas vezes não compreendem ,pois se tornaram cegos pela maturidade assim como os olhos do eu poético , por razõesmais nobres.
A melancolia presente em “Fanatismo” justifica a idéia de que poetas se inspiram na própria vida, ou então fogem dela, esse poema, porém misturaas duas partes, incluindo a pureza de um sentimento como a tristeza e resignação diante de um amor inalcançável e saudades de um relacionamento acabado.
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Análise de Poema de Florbela Espanca
  • Analise de poemas
  • Análise de poemas de mário quintana e florbela espanca
  • poemas de florbela espanca
  • Florbela Espanca
  • florbela espanca
  • FLORBELA ESPANCA
  • Florbela espanca

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!