04 Ensinar a pensar LUIDI

Páginas: 9 (2144 palavras) Publicado: 19 de junho de 2015

Por que Pensar?1

O mundo contemporâneo exige que pensemos, mas priva-nos freqüentemente das condições para pensar.
Recentemente, os cientistas sociais do CEDEC, um prestigiado centro de investigação sociológica do Brasil, propuseram-me que, juntamente com eles, tentasse responder à pergunta: por que pensar? O interesse específico deles era encontrar razões e caminhos para pensar o Brasil, masqueriam encontrá-los a partir de uma reflexão mais geral sobre por que e como pensar as sociedades dos nossos dias e a nossa existência pessoal nelas. A pergunta soa necessariamente estranha num tempo em que tanto se fala da sociedade de informação e do conhecimento, a qual conota o triunfo do esforço mental sobre o esforço físico, num tempo que se diz auto-reflexivo, em que os indivíduos seassumem cada vez mais como sujeitos autônomos, senhores das suas escolhas, capazes de usar a reflexão para alterarem, tanto os processos de trabalho, como as trajetórias de vida. A verdade é que, num tempo que parece exigir o pensamento ativo de todos nós, são muitos, talvez a grande maioria da população mundial, que não têm condições para pensar pelas mais variadas razões: porque estão demasiadosubnutridos para terem sequer energia para pensar; porque vivem um quotidiano tão cansativo e absorvente que não lhes deixa tempo para pensar; porque na ânsia de fruir a sociedade de consumo, pensam que parar para pensar seria um desperdício; porque acreditam que os meios de comunicação social e as elites políticas e culturais pensam por eles tudo o que há a pensar. Por isso, aceitei o reto e eisalgumas das respostas que propus para a pergunta: porquê pensar?
Primeira resposta: porque as condições que destroem a capacidade ou a disponibilidade de pensar destroem também a vida, a qualidade de vida e sobretudo a felicidade. Vivemos num mundo que tanto esgota as pessoas pelo trabalho como pela falta dele. Crescentemente, o bem estar mínimo é obtido à custa de fortes doses de medicalização.Segunda resposta: porque não podemos confiar em quem pensa por nós. Nunca como hoje o pensamento público esteve tão ligado a interesses minoritários mas poderosos que avaliam a sociedade - quer pelo que mostram dela, quer pelo que ocultam - em função dos benefícios que podem colher dela. Promovem o conformismo (a aceitação do que existe), o situacionismo (a celebração do que existe) e o cinismo (oconformismo com má consciência).
Terceira resposta: porque nem tudo está pensado. O possível, por ter mais energia, é mais rico que o real. Por isso, não é legítimo reduzir o real ao que existe. Há alternativas e o importante é que o pensar que os permite ver seja o mesmo que os permite avaliar. Só assim poderemos distinguir as boas das más alternativas.
Quarta resposta: porque pensar não é tudo. Alucidez das nossas ações pressupõe que elas sejam pensadas, mas se forem só pensadas nunca serão ações. É preciso agir e sentir porque o pensamento só é útil a quem não se fica pelo pensar. Aqueles que se arrogam a só pensar, passam a vida a espalhar a morte no que escrevem, a mesma morte que está dentro deles.
Quinta resposta: porque as ações lúcidas não conduzem sempre a resultados lúcidos.Quantas causas nobres terminaram em crimes hediondos? De quantas boas ações está o inferno cheio? O lado mais positivo do mundo em que vivemos reside em que aqueles que o querem mudar para melhor não dispensam ter razões para o que fazem e para o que é feito em nome deles.

Ensinar a pensar2
Espera-se que o professor desenvolva no seu aluno, em primeiro lugar, o homem de entendimento, depois, ohomem de razão, e, finalmente, o homem de instrução. Este procedimento tem esta vantagem: mesmo que, como acontece habitualmente, o aluno nunca alcance a fase final, terá mesmo assim beneficiado da sua aprendizagem. Terá adquirido experiência e ter-se-á tornado mais inteligente, se não para a escola, pelo menos para a vida.
Se invertermos este método, o aluno imita uma espécie de razão, ainda antes...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Ensinar e pensar (emmanuel kant)
  • Pensar o Ensinar e Aprender com Deleuze Educador
  • Pensar o ensinar e aprender com deleuze educador
  • Coluna Pensar
  • pensar
  • Eu pensar
  • A pensar
  • PARA PENSAR

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!