Tipos De Virtudes Segundo Aristoteles artigos e trabalhos de pesquisa

  • A virtude da justiça segundo Aristóteles

     A virtude da justiça Justiça, segundo Aristóteles, é a disposição moral que torna os indivíduos aptos a realizar atos justos e que os faz agir justamente e desejar o que é justo. Tomás de Aquino também dá a sua definição de justiça: “A justiça consiste em dar a cada um o que lhe é devido”. Por essas duas definições observamos que justiça é uma virtude do ser humano e o seu objeto é o justo. Ser justo ou injusto é algo do indivíduo. O hábito do ser humano que define se ele é justo ou injusto...

    1020  Palavras | 5  Páginas

  • Aristóteles - a ética a nicomaco, as virtudes e a amizade

    obra de Aristóteles sobre Ética. Nela se expõe sua concepção teleológica e eudaimonista de racionalidade prática. À Ética cabe determinar a finalidade suprema que preside e justifica todas as demais, e qual a maneira de alcançá-la. Essa finalidade suprema é a felicidade que não consiste nem nos prazeres, nem nas riquezas, nem nas honras, mas numa vida virtuosa. A ética e a política estão no campo da deliberação e deliberar bem é saber decidir. Virtude Na sua obra A Política Aristóteles entende...

    1634  Palavras | 7  Páginas

  • etica das virtudes de aristoteles

    SANDRO LUIZ DA SILVA A ÉTICA DAS VIRTUDES DE ARISTÓTELES SÃO LEOPOLDO 2008 SANDRO LUIZ DA SILVA A ÉTICA DAS VIRTUDES DE ARISTÓTELES Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de Mestre em Filosofia, Curso de Pós-Graduação em Filosofia, Centro de Ciências Humanas, Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Orientador: Prof. Dr. José Nedel São Leopoldo 2008 S586e Silva, Sandro Luiz da A ética das virtudes de Aristóteles / por Sandro Luiz da Silva --...

    24307  Palavras | 98  Páginas

  • AMIZADE POR ARISTÓTELES

    ANGÉLICA PAIXÃO SEGUNDO ANO DO ENSINO MÉDIO AMIZADE POR ARISTÓTELES GUARAPARI 2014 ANGÉLICA PAIXÃO SEGUNDO ANO DO ENSINO MÉDIO AMIZADE POR ARISTÓTELES NOME DOS AUTORES: ÁLLEX WILLYAN SILVA ALLYSON SOUZA DE LIMA CASTRO CARLOS EDUARDO SIQUEIRA PRIORI DIEGO SANTANA FRAGA GUILHERME CORADELLO MATEUS DE OLIVEIRA PEDRO MATHEUS MOREIRA DOS SANTOS YGOR BRANDÃO DOS SANTOS GUARAPARI ...

    3921  Palavras | 16  Páginas

  • Amizade Aristóteles

    analisar a comparação que Aristóteles faz entre os diferentes tipos de amizade e as conseqüências que cada uma tem no cotidiano dos cidadãos. Explicitar as espécies de Constituição política e seus desvios, assim como a relação desses desvios com a amizade. Antes de Aristóteles, nenhuma teoria fora elaborada para definir-lhe a natureza. Coube a Aristóteles o merecimento de ter resumido o que de melhor o pensamento grego nos legou sobre a amizade. Como veremos Aristóteles ao tratar da amizade tenta...

    1589  Palavras | 7  Páginas

  • Aristoteles

    Viver bem: a ética de Aristóteles 1. O bem final para seres humanos Os seres humanos entregam-se a comportamentos com propósitos. Fazemos coisas com razões e agimos tendo fins em vista. Assim, caminhamos para a loja com a intenção de comprar leite. Se um amigo que encontramos na rua nos perguntar no caminho por que estamos a caminhar na direcção da loja, a resposta sensata e correcta é a verdadeira: “Para comprar leite.” Se o nosso amigo for divertido e começar a regalar-nos com piadas e histórias...

    17681  Palavras | 71  Páginas

  • Aristoteles

     ARISTÓTELES 1) BIOGRAFIA 384 a.C. - Aristóteles nasceu em Estagira, Macedônia, norte da Grécia. Seu pai, Nicômaco, médico, pesquisador biológico, era amigo e médico do rei Amintas, pai de Felipe e avô de Alexandre. Cedo, Aristóteles teve contato com a política, medicina e com a biologia. 367 a.C. – Com a morte de seu pai, aos 18 anos vai para Atenas cursar a escola de Platão e ali permanece por 20 anos, até a morte de seu Mestre. Platão. 347 a.C. – Morre “Platão”, Espeusipo (sobrinho...

    3452  Palavras | 14  Páginas

  • O sumo bem e as virtudes em aristóteles e a moralidade em kant

    1. O sumo bem e as virtudes em Aristóteles O pensamento de Aristóteles faz parte das morais teleológicas (o objectivo da moral é alcançar uma vida boa, virtuosa e feliz) do tipo eudemonismo - segundo o pensamento eudemonista, o homem deve afastar o sofrimento para alcançar a felicidade e para ser feliz, o homem deveria experimentar somente a vivência constante de situações que lhe gerem bem-estar. Em sua Ética Aristóteles preocupa-se com o bem humano. Entretanto, esse bem é determinado por dois...

    3388  Palavras | 14  Páginas

  • Aristóteles justiça

    1 Aristóteles Outrossim, de todos os filósofos da antiguidade, é Aristóteles quem desenvolve, mais precisamente, os temas ligados à filosofia do Direito, apresenta as primeiras noções sobre Justiça, dentro de uma perspectiva jurídica. Conceituando-a, enfocando-a sob o contexto da “Pólis”, isto é, mencionando sua relevância na estrutura da elaboração da lei e do Direito, necessários à vida social, dentro da cidade-estado. Existem grandes trabalhos de Aristóteles, onde o tema central é a Ética; um...

    3555  Palavras | 15  Páginas

  • Aristóteles o sentido polissêmico, legalidade e equidade

    Aristóteles o sentido polissêmico, legalidade e equidade 1. Teoria da justiça segundo Aristóteles Aristóteles fez várias considerações no que toca a legalidade e equidade, trazendo uma grande contribuição e inovação para os estudos sobre a justiça. Segundo Bittar, o desenvolvimento do tema justiça na teoria de Aristóteles foi obtida após uma análise critica de conhecimentos reunidos ao longo dos séculos anteriores a ele (pré socratismo, platonista....), como também, da reunião das opiniões de...

    1482  Palavras | 6  Páginas

  • Aristoteles

    "A POLÍTICA” Introdução Considerado por alguns como o maior pensador de todos os tempos, Aristóteles nasceu no ano de 385 a.c., em Estagiros, pequena cidade da Trácia, fundada por colonos gregos. Nicómaco, seu pai, era médico pessoal do rei Amintas II e consideravam-no como um dos homens mais sábios e cultos na profissão. É natural que Aristóteles dele tenha herdado não apenas alguns conhecimentos de medicina mas também o gosto pela observação direta das coisas que evidencia nas suas obras. Seguiram...

    3291  Palavras | 14  Páginas

  • Sócrates, Platão e Aristóteles

    homens a conhecer e a cuidar de si mesmos é a tarefa suprema da qual, ele, Sócrates, considera ter sido investido por DEUS. A VIRTUDE SOCRÁTICA ou a NOVA TÁBUA dos VALORES Sócrates conseguiu determinar em que consiste a Virtude (αreth) Humana. Fato que os Sofistas não fizeram. A ARETÉ é aquilo que atualiza plenamente essa consciência e inteligência. VIRTUDE, para Sócrates é “ciência” ou “conhecimento”, o contrário disso é VÍCIO, ou seja, privação de ciência e conhecimento. Æ Conhecimento:...

    10050  Palavras | 41  Páginas

  • A ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE NA VISÃO DE ARISTÓTELES

    A ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE NA VISÃO DE ARISTÓTELES Trabalho de Filosofia Resumo A humanidade, desde os primórdios, buscou na sociedade uma forma de defesa e sobrevivencia. Esse trabalho, com o objetivo de esclarecer dúvidas e dar maior entendimento à sociedade atual buscou nos livros de Aristóteles seus ideais e linha de raciocinio que se distingue em qualquer tempo, seja ele arcaico ou hodioderno. Palavras – chave: Aristóteles. Organização da Sociedade. Filosofia. 1 - INTRODUÇÃO ...

    3028  Palavras | 13  Páginas

  • Justiça por Aristoteles

    Justiça segundo Aristóteles Eduardo Oliveira Ferreira E-mail: eduardoferreira55@gmail.com Certa vez, um filósofo estava conversando com um camponês, e disse:- Temos de expulsar Aristóteles de nós. O homem surpreso com a afirmação disse:- Mas eu nem sequer o li; por que razão tenho de expulsá-lo de mim? O filósofo com um sorriso na face disse: -A prova de seu domínio sobre o homem ocidental é que ele domina o pensamento de gente que nunca ouviu falar a seu respeito. Aristóteles é o tipo de pensador...

    2414  Palavras | 10  Páginas

  • A politica de aristóteles

    A Política de Aristóteles A Política de Aristóteles, embora talvez surpreendentemente, é um dos grandes clássicos da filosofia política, e em que pulsa o gênio aristotélico da apreensão global de uma realidade. Adquiriu esse estatuto apesar de ser um texto incompleto e provisório, com imperfeições, repetições e remissões obscuras e redigido a partir de uma primeira versão destinada ao ensino oral. Mas foi nesta sua obra genuína que o filósofo verteu o essencial de mais de quarenta anos de investigações...

    6390  Palavras | 26  Páginas

  • Ética à Nicômaco - de Aristóteles

     Ética e Nicômaco – de Aristóteles Não há, nem poderia haver a pretensão de publicar nesta prancha um resumo que fosse de Ética a Nicômaco. Em minha opinião este tratado mais do nunca deveria ser lido em nosso país. Aristóteles nasceu em 384 a. C, em Stagira, na margem norte do Mar Egeu. Seu pai, médico do rei da Macedônia, se chamava Nicômaco, nome que ele depois deu a seu filho. Foi preceptor de Alexandre, o Grande. Quando Alexandre já não precisa mais dele, ele volta para Atenas, onde funda...

    1426  Palavras | 6  Páginas

  • Amizade em Aristóteles

    Capitulo I- Antes de Aristóteles 1.1- A PRÈ HISTÒRIA DA ÈTICA Popularmente ética é o estudo dos juízos de apreciação que se ferem á conduta humana, a ética deriva do substantivo grego ETHOS, que designa a morada do homem ou a casa do homem. Novos costumes e novos usos são criados pelo homem. E o hábito que vai gerar a virtude. Ética é uma nova expressão utilizada por Aristóteles para oferecer uma apresentação consistente das disposições da ação constitutivas para uma vida bem sucedida, ou...

    17387  Palavras | 70  Páginas

  • Seminário ética a nicômaco (aristóteles) - (capítulos 2, 3 e 4 - livro ii)

    Livro II - Capítulo 2 “Os atos correspondentes à virtude moral não podem ser exatamente previstos, mas deve-se evitar tanto excesso como falta.” Primeiro parágrafo: O primeiro parágrafo cita a discussão que se dará ao longo do capítulo, discussão esta que trata não de entender o que é a virtude, uma vez que Aristóteles parte do pressuposto de que seu leitor já sabe o que a virtude é, mas quais e como os atos devem ser praticados para que a causa final - nos tornarmos bons - seja atingida. Ou seja...

    1998  Palavras | 8  Páginas

  • Aristóteles

    1.Como Aristóteles explica o ponto de partida do conhecimento? Através da sensação. O conhecimento começa para Aristóteles com as simples percepções sensíveis. Estas são pequenas alterações que um organismo sofre devido à entrada de uma informação que vem do exterior. Nem todos os seres têm a capacidade de receber estas informações.Os minerais, por exemplo, não a têm. Esta capacidade já marca a diferença entre seres mais simples e mais complexos. 2.Qual a relação entre os sentidos e...

    1839  Palavras | 8  Páginas

  • Mediania e luta: a virtude em aristóteles e kant

    Mediania e luta: a virtude em Aristóteles e Kant Middle ground and struggle: the virtue in Aristotle and Kant Letícia Machado Pinheiro* RESUMO: A questão da virtude é um tema recorrente na filosofia, contudo, é inegável o espaço e valor concedido ao conceito aristotélico da virtude enquanto mediania. Kant, não de modo tão sistemático quanto Aristóteles, também tratou da questão da virtude e não se furtou de comentar, ainda que brevemente, a questão posta por Aristóteles. É sob a motivação...

    9211  Palavras | 37  Páginas

  • politica aristoteles

    Livro III – Pólitica - Aristóteles: - Neste livro, Aristóteles analisa acerca da teoria da cidadania e todo o contexto que a envolve. A cidade agora é um composto formado por várias partes e o cidadão é uma dessas partes. Tem-se a figura do “legislador” que teria a função primordial de conhecer o regime, a constituição ou a forma de governo (e as leias que a rege) da cidade. Nesse sentido “político”, Aristóteles afirma que a cidade em si é composta pelos seus fundadores originais, ou seja, aqueles...

    1280  Palavras | 6  Páginas

  • Afirmações verdadeiras e falsas de platão e aristóteles

    ARISTÓTELES VERDADEIRAS • Achava que a realidade está no que percebemos e sentimos com os sentidos. • tudo na natureza possuía a probabilidade de se concretizar numa realidade que lhe fosse inerente. • acreditava que na natureza havia uma relação de causa e efeito e também acreditava na causa da finalidade. • O desenvolvimento da justiça para Aristóteles eram baseados nas questões sociais, politicas e retoricas. • Para Aristóteles, a racionalidade humana se exerce por meio do lógos (discurso)...

    3452  Palavras | 14  Páginas

  • Aristóteles

    No ano de 367 a.C, Aristóteles partiu para Atenas e entrou para a Academia de Platão, filósofo seguidor das ideias de Sócrates, e se tornou um dos grandes filósofos da história. Apesar de ter sido aluno de Platão, Aristóteles muito o criticou, demonstrando a personalidade filosófica que possuía e adquirira. Aristóteles desenvolveu conceitos próprios, como a contraposição às ideias já existentes, como o método dialético desenvolvido por Platão. Para Aristóteles, este não era um método seguro para...

    2798  Palavras | 12  Páginas

  • Prudencia em Aristóteles

    de Aristóteles, “Ética a Nicomaque”. Ainda que a concepção contemporânea de prudência seja oposta à de Aristóteles na medida em que a vemos como uma disposição excessiva de cautela, observamos que o princípio tem origem nos pensamentos aristotélicos. A prudência em Aristóteles, é compreendida como uma virtude, uma vez que o prudente é aquele que delibera bem. Na medida em que a razão que opera no interior das virtudes morais nos leva a um fim, ou seja, a eudaimonia (felicidade). Aristóteles afirma...

    2598  Palavras | 11  Páginas

  • Prudencia em aristóteles

    Em Aristóteles toda a atividade do homem tem uma finalidade, todas as suas ações pretendem um fim. Esse fim é sempre um bem, então todas as atuações tendem ao bem, e nesse caso o bem é algo supremo do homem e, consequentemente, será também o seu bem supremo. Esse bem supremo é sinônimo de felicidade, então todo ser humano busca a felicidade como causa final e todo homem concorda com isso. Porém não há concordância de quais são os meios de se alcançar essa finalidade ultima. Diz haver três tipos de...

    1820  Palavras | 8  Páginas

  • Conhecer, legislar e educar: a filosofia das coisas humanas na ética nicomaquéia de aristóteles

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA Conhecer, legislar e educar: A filosofia das coisas humanas na Ética Nicomaquéia de Aristóteles Priscilla Tesch Spinelli Tese apresentada como requisito parcial para a obtenção do título de Doutor em Filosofia Orientador: Prof. Dr. Alfredo Carlos Storck Porto Alegre, maio de 2010 Aos meus pais, pela educação que me deram. Agradecimentos Este trabalho contou...

    98964  Palavras | 396  Páginas

  • Pesquisa sobre a Politica de Aristoteles

    Introdução Aristóteles deu início a criação de suas teorias políticas a partir do momento que tornou-se receptor de Alexandre ‘’O Grande’’. Segundo o criador, todas as outras ciências estão subordinadas a política dentro de uma cidade, já que em sua opinião esta é a mais suprema. Considerado o primeiro grande mentor de coisas públicas, dizia também que não muito adiantava o estudo da política para aqueles que dispunham de pouca experiência, como os jovens, por exemplo, e assim tornavam esse estudo...

    9809  Palavras | 40  Páginas

  • Aristóteles - Amizade

    de Aristóteles sobre o que realmente significa amizade, comecei a rever os meus conceitos e percebi que tenho poucos amigos verdadeiros, porém, me fez perceber o quanto é importante cultivar constantemente as poucas amizades que tenho, porque amizades verdadeiras são tão raras que, temos que cuidar. Porém, há vários tipos de amizade que tentarei descrever o que entendi a respeito da amizade neste trabalho. O livro começa dizendo “...visto que ela é uma virtude ou...

    3083  Palavras | 13  Páginas

  • Aristóteles

    Aristóteles Alunos: Disciplina: Ética, Cidadania e Jornalismo. Professora: Sandra Helena de Souza Introdução Aristóteles foi um dos maiores filósofos gregos que com seus escritos difundiu seus ideais por todo ocidente e que é estudado e respeitado atualmente. Iremos abordar nesse trabalho uma síntese de nossa apresentação em sala de aula com temas que orbitam a ética e a moral aristotélica. Ética, moral e virtudes A reflexão...

    1662  Palavras | 7  Páginas

  • Questinário sobre Aristóteles

    Questões referentes ao Texto sobre Aristóteles 1)Aristóteles indica que há uma diferença fundamental entre as ciências “teóricas” e as ciências “práticas”. Qual é o objetivo de cada uma delas? As ciências teóricas buscam, a partir de seu desenvolvimento, o conhecimento em si. Já as ciências práticas são estudadas visando os benefícios que se obtém delas. 2)Qual é a diferença entre as ciências? A diferença fundamental entre tais modalidades de conhecimento está em seu método e nas faculdades...

    2271  Palavras | 10  Páginas

  • ARISTÓTELES

    ARISTÓTELES: A POLÍTICA LIVRO 1 Aristóteles começa seu livro classificando a cidade (sociedade política) como uma associação, e a destaca como a mais importante sociedade que existe. Ele estabelece três formas de governo: 1. Pequeníssimo número de homens: TIRANO/SENHOR; 2. Direção de um número maior, ecônomo: CHEFE POLÍTICO; 3. Um número maior ainda: SOBERANO; Um governo controlado por um só homem, com sua própria autoridade, é chamado governo real, esse governo é considerado um governo político...

    4494  Palavras | 18  Páginas

  • Platão e aristoteles

    A DIMENSÃO POLÍTICA SEGUNDO PLATÃO E A CRÍTICA DE ARISTÓTELES Clara Maria Brum de Oliveira e Wellington Trotta* 1. Introdução O propósito deste trabalho é passar em revista algumas lições de Platão quanto ao sentido de justiça e como esse pensamento é organizado politicamente, e em que medida Aristóteles se contrapõe a ele na elaboração do seu sistema político-jurídico. Inicialmente uma pergunta pode ser feita: qual a importância de se visitar esses autores tão distantes do nosso tempo, e, além...

    9027  Palavras | 37  Páginas

  • Aristoteles

    Aristóteles O grande filósofo grego, filho de Nicômaco, médico de Amintas, rei da Macedônia, nasceu no ano 384a.C, em Estagira, colônia grega da Trácia, no litoral setentrional do mar Egeu. Aos dezoito anos, em 367a.C, vai para Atenas e ingressa na Academia Platônica, onde fica por vinte anos, até a morte do Mestre. Nesse período, estuda também os pensamentos pré-platônicos, que lhe foram úteis para a construção de seu grande sistema filosófico. Estudiosos especulam que ele se mostrava como alguém...

    3271  Palavras | 14  Páginas

  • Aristoteles

    ARISTÓTELES: VIDA Fatores biográficos estruturantes 1. Família de tradição asclepíada 2. Discípulo de Platão, professor na Academia 3. Relação com a Corte macedônica Aristóteles nasceu em Stágiros, na Macedônia, em 384 a.C., e morreu em Cálcis, em 322 a.C. Aos 18 anos, ele ingressou na Escola de Platão, em Atenas, e nela permaneceu por vinte anos, ou seja até 348 a.C., época da morte do mestre. A partir de então, Felipe, rei da Macedônia, convidou-o para ser professor de seu filho Alexandre...

    1493  Palavras | 6  Páginas

  • Felicidade - Aristoteles

    Felicidade Aristóteles O eudemonismo ou eudaimonismo (do grego eudaimonia, "felicidade") é uma doutrina segundo a qual a felicidade é o objetivo da vida humana. A felicidade não se opõe à razão mas é a sua finalidade natural. O eudemonismo era a posição sustentada por todos os filósofos da Antiguidade, apesar das diferenças acerca da concepção de felicidade de cada um deles. SegundoAristóteles: "A felicidade é um princípio; é para alcançá-la que realizamos todos os outros atos; ela é exatamente...

    1512  Palavras | 7  Páginas

  • Aristóteles: justiça e virtude

    1 ARISTÓTELES: JUSTIÇA COMO VIRTUDE 1.1 O tema justiça e a ética A justiça tem sede no campo ético para Aristóteles, ou seja, tem sua teoria definida como uma ciência prática. A justiça assim nomeada como virtude (dikaiosyne), torna-se o foco das atenções do ramo do conhecimento humano que se dedica ao estudo do próprio comportamento; à ciência prática intitulada ética, cumpre investigar e definir o que é justo e o injusto, o que é ser temerário e o que é ser corajoso, o que é ser jactante. Dentro...

    3130  Palavras | 13  Páginas

  • Perguntas aristoteles

    Livro I 01) Dentre todas as ciências Aristóteles considera a ciência política como superior às demais, por quê? ( p.18) 02) “A julgar pela vida que os homens levam, estes, em sua maioria e os mais vulgares entre eles, parecem (não sem um certo fundamento) identificar o bem ou a felicidade com o prazer. Pode-se dizer, com efeito, que existem três tipos principais de vida, a vida agradável, política e contemplativa”. Aqui Aristóteles está se referindo a qual tipo de vida? Defina a vida agradável e...

    1579  Palavras | 7  Páginas

  • O agir humano em Aristóteles

    UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE HUMANIDADES CURSO: MESTRADO ACADÊMICO EM FILOSOFIA O AGIR ÉTICO SEGUNDO ARISTÓTELES  Narcisa Ferreira Lima Rocha Fortaleza­Ceará 2009 Narcisa Ferreira Lima Rocha O AGIR ÉTICO SEGUNDO ARISTÓTELES Dissertação   apresentada   à   Universidade   Estadual   do  Ceará como requisito parcial para obtenção do título de  Mestre   em   Filosofia   com   área   de   concentração   em  Ética.                                        Orientadora: Profa Dra...

    10322  Palavras | 42  Páginas

  • aristoteles

    Curitiba 2013 homem como animal político Autor: Rodrigo Pereira da Rocha.1 RESUMO Esse artigo tem como objetico compreender o percurso de Aristóteles na definição do homem como “Animal Político”. Será utilizado para deselvolver esse trabalho com pesquisas em bibliográficas e pesquisas em sites. Aristóteles defende essa tese dizendo que o homem é um animal político, pois possui características específicas, dentre elas estão o dom da palavra, a noção de bem e mal, e o conceito...

    2220  Palavras | 9  Páginas

  • aristoteles

    Aristóteles: Virtude e Política (Politéia) Jayne Duarte nº12 2ºB Filosofia Profº Reginaldo São Paulo 2015 Virtude Segundo Aristóteles , a virtude é a excelência própria de algo mas deve-se agir racionalmente. Ou seja, o homem corajoso enfrenta aquilo que tem lógica em enfrentar. Por exemplo um rato. Mas é idiotice enfrentar um leão, estando desarmado. Tipos de Virtudes Aristóteles faz distinção entre dois tipos de virtudes: a virtude intelectual, e a virtude moral. A virtude intelectual...

    589  Palavras | 3  Páginas

  • Ética Nicômao de Aristóteles

    INTRODUÇÃO O presente trabalho faz uma reflexão acerca do livro intitulado Ética a Nicômaco de Aristóteles. Essa obra é composta por dez livros, sendo que cada um deles está subdividido entre nove e catorze capítulos, onde Aristóteles assume o papel de um pai preocupado com a educação e a felicidade de seu filho, tendo a intenção de fazer com que as pessoas reflitam sobre as suas ações e coloquem a razão acima das paixões, buscando assim a felicidade individual e coletiva, pois o ser humano vive...

    2432  Palavras | 10  Páginas

  • Política segundo aristóteles

    | | | | | Política, segundo Aristóteles A vida de Aristóteles |Este grande filósofo grego, filho de Nicômaco, médico de Amintas, rei da Macedônia, nasceu|  |[pic] | |em Estagira, colônia grega da Trácia, no litoral setentrional do mar Egeu, em 384 a.C. Aos| | ...

    3190  Palavras | 13  Páginas

  • Ética a Nicômaco - Aristoteles

    - Obra de Aristóteles... Ética a Nicômaco - Aristóteles Sumário *Resumo e Introdução- p.01 *Desenvolvimento- p.02 a p.06 *Considerações finais - p.07 *Referências bibliográficas- p.08 01 Resumo O presente trabalho se trata de uma fantástica obra de Aristóteles, denominada Ética a Nicômaco, sendo que a obra possui esse nome porque o pai, e principalmente o filho de Aristóteles se chamavam...

    3027  Palavras | 13  Páginas

  • Fichamento John B. Morral - Aristóteles, cap IV

    Fabiana Calabrese Universidade Federal Fluminense Relações Internacionais Política I Profa. Célia Lessa “Aristóteles” – capítulo IV MORRAL, John B. CIÊNCIA POLÍTICA EM ESTILO PERIPATÉTICO “Para o filósofo [Aristóteles], o comportamento ético individual é uma subdivisão do que chama ‘ciência política’, uma exploração intelectual geral dos campos inseparáveis da vida individual e da vida comunitária, que juntos compõe a unidade da pólis” (MORRAL, John B. pág. 49) “[...] pressupõe a distinção...

    3726  Palavras | 15  Páginas

  • Aristóteles

    ARISTÓTELES A VIDA Quando Aristóteles (que nasce em Estagira em 384-83 a. C.) entrou na escola de Platão, contava apenas 17 anos. Nesta escola permaneceu 20 anos, ou seja, até à morte do mestre (348-47). Esta longa permanência, tanto mais notável tratando-se de um homem que possuía excepcionais capacidades especulativas e independência de pensamento, torna impossível dar crédito às anedotas que nos chegaram sobre a ingratidão de Aristóteles relativamente ao mestre. Segundo Diógenes Laércio...

    10967  Palavras | 44  Páginas

  • Diferentes formas de poder segundo Aristóteles

     2) Diferentes formas de governo segundo Aristóteles Segundo o Livro 3 de ‘’A Política’’, Aristóteles afirma que o indivíduo só pode ser feliz em sociedade e que este, é um animal político sendo mais do que um ser social e é a ética que conduz à política. Para ele governar é permitir ao cidadão viver a vida plena e feliz. Para ele, cidade é composta por partes distintas e é somente pelo bem soberano que o homem pode alcançar a vida perfeita e a felicidade. Cidadão é aquele que possui o...

    822  Palavras | 4  Páginas

  • A Ética em Aristoteles

     VIDA E OBRA = ARISTÓTELES Aristóteles era natural de Estagira, na Trácia,[5] sendo filho de Nicômaco, amigo e médico pessoal do rei macedônio Amintas III, pai de Filipe II.[6] É provável que o interesse de Aristóteles por biologia e fisiologia decorra da atividade médica exercida pelo pai e pelo tio, e que remontava há dez gerações. Segundo a compilação bizantina Suda, Nicômaco era descendente de Nicômaco, filho de Macaão, filho de Esculápio. Com cerca de 16 ou 17 anos partiu para Atenas, maior...

    2160  Palavras | 9  Páginas

  • Resenha livro 1 cap.13 - ética a nicômaco (aristóteles)

    LIVRO I, CAPÍTULO XIII: ÉTICA A NICÔMACO – ARISTÓTELES Compreender e dominar a ação de agentes sensoriais que, de forma inexorável, imputam no caráter humano marcas indeléveis. Isso foi, por um bom período, causa de inquietação entre uma gama de importantes filósofos – dentre outras classes de homens comprometidos com o a produção do saber – e, ainda hoje, é combustível fomentador de profundas e infindáveis discussões tanto no meio acadêmico como fora dele. Uma análise...

    895  Palavras | 4  Páginas

  • Aristoteles e a Politica

     AS BASES DO PENSAMENTO POLÍTICO DE ARISTÓTELES E A FUNDAÇÃO DE UMA FILOSOFIA POLÍTICA Resumo: O presente trabalho é resultado de uma pesquisa cujo objetivo foi analisar os livros I, II e III da política de Aristóteles buscando demonstrar como a Filosofia Política deste autor concede à Polis a finalidade da existência do homem, demonstrando que somente na cidade-estado o homem será capaz de desenvolver todas as suas capacidades. A Polis será aquela cidade que torna possível a felicidade...

    9373  Palavras | 38  Páginas

  • Aristóteles - Política

    Aristóteles: Política Nascido em Estagira - uma região da Macedónia – foi em Atenas que Aristóteles estudou a constituição de 158 cidades gregas e, mais tarde, as ensinou em inúmeras lições cujas notas viriam a ser compiladas no “Tratado da Política”. Logo nas primeiras páginas do Tratado da Política (mais precisamente na 8ª), Aristóteles escreve que “(…) o homem é naturalmente feito para a sociedade política. Aquele que, pela sua natureza, e não como consequência do acaso, existisse sem qualquer...

    2485  Palavras | 10  Páginas

  • Aristóteles

     ARISTÓTELES E A MEDIANIA Também Aristóteles, em sua obra Ética a Nicômacos, foca suas atenções no equilíbrio, na mediania como uma sabedoria no momento de tomada de decisão. Sua preocupação é de que toda ação humana tende a um fim: que são os bens. O conjunto das ações humanas e o conjunto dos fins particulares para os quais elas tendem subordinam-se ao “fim último”, que é o “bem supremo”, que todos os homens concordam em chamar de felicidade. “A felicidade é algo final e auto-suficiente...

    2023  Palavras | 9  Páginas

  • Aristóteles ao Alcance da Razão

    INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA Inara Zanuzzi AO ALCANCE DA RAZÃO - UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A AÇÃO LIVRE EM ARISTÓTELES - Porto Alegre 2007 INARA ZANUZZI AO ALCANCE DA RAZÃO - UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A AÇÃO LIVRE EM ARISTÓTELES - Tese apresentada ao Programa de PósGraduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul como requisito parcial para obtenção do título de Doutor em Filosofia. Orientador:...

    153083  Palavras | 613  Páginas

  • aristoteles

    a si mesmo. 2.BIOGRAFIA O Filósofo grego Aristóteles nasceu em 384 a.C., na cidade antiga de Estágira, e morreu em 322 a.C. Seus pensamentos filosóficos e idéias sobre a humanidade tem influências significativas na educação e no pensamento ocidental contemporâneo. Aristóteles é considerado o criador do pensamento lógico. Suas obras influenciaram também na teologia medieval da cristandade. Aristóteles foi viver em Atenas aos 17 anos, onde conheceu Platão, tornando seu discípulo...

    1145  Palavras | 5  Páginas

  • O CONCEITO DE AMIZADE SEGUNDO OS FILÓSOFOS PLATÃO, ARISTÓTELES E EPICURO

    O CONCEITO DE AMIZADE SEGUNDO OS FILÓSOFOS PLATÃO, ARISTÓTELES E EPICURO O valor da amizade já era enaltecido tanto nos poemas épicos quanto nos poemas líricos, e sobre tudo nos poemas trágicos. Ela era um dos mais expressivos vínculos capazes de reunir os homens, dispersos pela singularidade de suas vidas e de seus interesses individuais, em formas ordenadas de comunidade, como as famílias, as seitas religiosas, as instituições filosóficas e as instituições políticas. A amizade é uma das...

    1747  Palavras | 7  Páginas

  • Vida de Aristóteles

    VIDA DE ARISTÓTELES Um dos mais importantes filósofos gregos, Aristóteles (384 - 322 a.C.), nasceu em Estágira, colônia de origem jônica encravada no reino da Macedônia. Filho de Nicômaco, médico do rei Amintas, aproveitou as circunstâncias favoráveis para seus estudos. Em 367 a.C., aos seus 17 anos, foi enviado para a Academia de Platão em Atenas, na qual permaneceu por 20 anos, inicialmente como discípulo, depois como professor, até a morte do mestre em 347 a.C. O fato mesmo de ser filho...

    6623  Palavras | 27  Páginas

  • Aristóteles e o direito

    FILOSOFIA DO DIREITO Aristóteles e a Justiça “A base da sociedade é a justiça; o julgamento constitui a ordem da sociedade: ora o julgamento é a aplicação da justiça.” (Aristóteles) Introdução Primeiramente, cumpre ressaltar que, ao se analisar o direito, deve-se ter em mente que ele é PRODUTO da sociedade, ou seja, ele reflete a realidade, as transformações, convicções e anseios sociais de uma determinada época. Assim, é possível notar, nos diferentes períodos históricos, as transformações...

    2292  Palavras | 10  Páginas

  • Projeto de pesquisa sobre aristóteles

    APRESENTAÇÃO FILOSOFIA E VIDA DE ARISTÓTELES (385-322) Petrolina-PE 2013 FACULDADE DE CIENCIAS APLICADAS E SOCIAIS DE PETROLINA – FACAPE OBJETIVO Objetivo geral: Fazer com que as ideias e os feitos do filósofo ARISTÓTELES sejam mais apreciados e propagados no meio acadêmico. Objetivos específicos: Expor os pensamentos de Aristóteles sobre a filosofia, política, ciência, teologia e psicologia...

    3018  Palavras | 13  Páginas

  • Teoria ética de aristóteles

    MARIA AUXILIADORA SANTOS ALVES TRABALHO SOBRE: TEORIA ÉTICA DE ARISTÓTELES Aracaju Setembro – 2012 AMANDA BISPO DOS SANTOS HELAINE CRISTINA DOS SANTOS MARIA AUXILIADORA SANTOS ALVES TRABALHO SOBRE: TEORIA ÉTICA DE ARISTÓTELES Trabalho apresentado ao Curso Tecnólogo...

    2121  Palavras | 9  Páginas

  • Análise da política segundo aristóteles e maquiavel

    Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Departamento de Filosofia Filosofia Política I João Carlos P. Silva 201130012-4 Análise da Política segundo Aristóteles e Maquiavel A Política segundo Aristóteles Homem, um animal político O método que Aristóteles utiliza para analisar a política consiste em identificar na natureza de algo a sua finalidade, ou seja, para ele a essência do homem consiste em muito mais do que a sua forma ou sua capacidade intelectual, mas antes um estado...

    2809  Palavras | 12  Páginas

  • Aristóteles: JUstiça e virtude (questionário)

    texto Aristóteles:A Justiça  como Virtude   1 - Como Aristóteles divide as ciências? E qual é a ciência  que trata da justiça?      Aristóteles divide as ciências em práticas, poéticas ou produtivas e teoréticas. A Justiça é foco das atenções ao estudo do próprio comportamento humano, sendo assim a ciência prática, intitulada ética.    2- Como Aristóteles  define a justiça?  A justiça para Aristóteles está interligada a ética, e a define como uma virtude, em sua categorização genérica, estando...

    936  Palavras | 4  Páginas

tracking img