Resumo Quarta Parte Do Reino Das Trevas Leviatã artigos e trabalhos de pesquisa

  • O leviatã

    TRABALHO DE SOCIOLOGIA Leviatã Professor: Daniel Henrique Andriolli Wessler Alunos: Barbara Caroline Strutz Gabriel Rohling Kelvin Maciel Mateus Gabardo Lemos Taió, Setembro de 2012 1 INTRODUÇÃO Neste trabalho trataremos a respeito de um dos mais importantes livros da politica moderna: Leviatã de Thomas Hobbes. Deste livro de grande influência e importância no estudo da filosofia da política da sociologia e da religião faremos uma breve análise ou resumo do que o autor quiz passar...

    1657  Palavras | 7  Páginas

  • O leviatã - thomas hobes

    JACOBSEN O LEVIATÃ DANIEL HENRIQUE ANDRIOLI WESSLER CAROLINA SUÉLEN CAVILIA CARLOS EDUARDO LANGE LARISSA TRENTINI MATEUS LUZZANI MATHEUS BATISTTA Taió / SC 2012 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 3 2 Thomas Robbes 4 2.1 O Leviatã 4 2.1.1 O que é o leviatã? 4 2.2 O Homem 5 2.3 O Estado 7 2.3.1 Funções do Soberano 9 2.4 O Estado Cristão 10 2.5 O Reino das Trevas 11 3 CONCLUSÃO 12 4 ANEXOS 13 5 REFERÊNCIAS...

    3355  Palavras | 14  Páginas

  • Leviatã

    PLÍNIO BERARDO LIVRO: O LEVIATÃ – THOMAS HOBBES JARDINÓPOLIS 2013 JHENIFFER FLAVIA R. P. BONETI LAÉRCIO JOSÉ MONTEVERDE MICAELA XAVIER BEZERRA LIVRO: O LEVIATÃ – THOMAS HOBBES Projeto de Pesquisa apresentado à disciplina Filosofia, do 3.º ano do Ensino médio da escola estadual Professor Plínio Berardo sob a orientação do professor: Fábio Francisco Freitas. JARDINÓPOLIS 2013 RESUMO O trabalho mostrará o pensamento...

    4818  Palavras | 20  Páginas

  • Thomas Hobbes - Leviatã

    prematuro com medo da Armada Espanhola (a “Armada Invencível”) que estava prestes a atacar a Inglaterra. Embora o tema do medo e do seu poder avassalador fossem aparecer mais tarde em suas obras, os primeiros anos de vida de Hobbes foram em grande parte livres da ansiedade. Seu pai era o vigário de Charlton e Westport, cidades próximas de Malmesbury, mas uma disputa com outro vigário o levou a se mudar para Londres. Como resultado, aos sete anos de idade, Thomas Hobbes, ficou sob a tutela de seu tio...

    1999  Palavras | 8  Páginas

  • O leviatã

    O Leviatã – Capítulos XLIV a XLVII CAPÍTULO XLIV Das trevas espirituais resultantes de má interpretação das Escrituras A quarta parte do livro nada mais é que uma crítica profunda às Sagradas Escrituras, a partir de falhas que elas apresentam. Além dos poderes soberanos dos homens e divinos, há ainda os poderes malignos (do reino das trevas). Satanás é chamado príncipe do poder do ar e as pessoas que estão sob seu domínio são chamados filhos das trevas. O reino das trevas é uma confederação...

    1611  Palavras | 7  Páginas

  • Hobbes, O leviatã

    e adulto na época em que acontecia a Revolução Gloriosa, defendia a monarquia e o absolutismo. Sua obra de maior destaque foi “O Leviatã”. Este trabalho trata-se de uma resenha do livro “O Leviatã” que é dividida em quatro partes, sendo elas: (1) Do homem, (2) do estado, (3) do estado cristão e (4) das trevas. As partes um e dois serão mais trabalhadas, neste resumo, por serem as mais importantes da obra. Um dos pontos-chave de sua investigação, diz respeito a uma das questões fundamentais do...

    1103  Palavras | 5  Páginas

  • Ficha de leitura - Thomas Hobes - Leviatã

    FICHA DE LEITURA 1. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA HOBBES, Thomas. Leviatã, ou Matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e civil (1651). São Paulo: Martins Claret, 2009. 2. SOBRE O AUTOR Hobbes nasceu na Inglaterra no ano de 1588. Durante seus 91 anos, lecionou matemática, criou teorias políticas, ganhou o título de filósofo inglês e publicou importantes obras, pode-se destacar Leviatã e Do cidadão, ambas em 1651. Sua filosofia a respeito da origem contratual do Estado, serviu para preparar...

    2170  Palavras | 9  Páginas

  • O Leviatã

    UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DA FOZ DO ITAJAÍ – CESFI ENGENHARIA DO PETRÓLEO EDUARDO CANIGGIA LINHARES COELHO O GRANDE LEVIATÃ DEFENDIDO POR THOMAS HOBBES BALNEÁRIO CAMBORIU 2013 RESUMO Filosofo e cientista político inglês, Thomas Hobbes (1588 a 1679), considerado como um dos teóricos do poder absolutista em vigor na Idade Moderna, defendia que Estado deveria ser a instituição fundamental para regular as...

    2296  Palavras | 10  Páginas

  • Leviatã 4ª parte

    Leviatã é uma obra de leitura obrigatória no estudo da filosofia, historia da filosofia e sobretudo da ciência política, praticamente um livro de cabeceira assim como “O Príncipe” de Maquiavel. Leviatã, ou “Matéria”, fala sobre a forma e o poder de um estado eclesiástico e ao mesmo tempo civil. Além de um texto filosófico, é também uma teoria de conhecimento e teoria jurídica básica, bem como, uma formação teológica. A obra é dividida em 4 partes: O Homem, A Republica, A religião Cristã e o Reino...

    562  Palavras | 3  Páginas

  • O Leviatã - Fichamento

    Fichamento “LEVIATÔ HOBBES, Thomas. Leviatã. 2ª edição, Editora Martin Claret, 2012. INTRODUÇÃO Leviatã República ou Estado: “Homem artificial” instituído para proteção e defesa do homem natural. Considerações: - Homem como matéria e artífice; - como e por que pactos se institui; - o que é um Estado cristão; - o que é o Reino das Trevas. PARTE I DO HOMEM CAPÍTULO I DAS SENSAÇÕES Pensamentos do homem, individualmente: representação de um objeto. Origem: sensação – meras fantasias...

    3348  Palavras | 14  Páginas

  • Leviatã thomas hobbes

    Introdução O Livro Leviatã ou matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico foi escrito por Thomas Hobbes em 1.651, num período de intensa agitação política. Portanto a obra engloba um sistema de ética, psicologia, antropologia, educação, economia, política e jurisprudência analítica. É, portanto a teoria monística da soberania. Partidário do poder absoluto, Hobbes dá origem à idéia do pacto social, não estabelecendo contradição entre ambos. Pelo pacto social os homens, desistindo de seu direito...

    4844  Palavras | 20  Páginas

  • HOBBES, Thomas. Leviatã.

    HOBBES, Thomas. Leviatã. Introdução As máquina são como seres humanos artificiais criadas pelo homem através da arte. As máquinas possuem vida artificial. “Pois o que é o coração, senão uma mola; os nervos, senão outras tantas cordas; e as juntas, senão outras tantas rodas, imprimindo movimentos ao corpo inteiro, tal como foi projetado pelo Artifície?” Definição de Estado: a arte vai mais longe ainda, imitando aquela criatura racional, a mais excelente obra da natureza, o Homem. Porque...

    4355  Palavras | 18  Páginas

  • Resumo leviatã

    Nome: Maria Eduarda da Silva Chaves RESUMO DO LIVRO LEVIATÃ Capítulo I: Das sensações Os pensamentos dos homens, segundo Thomas Hobbes, podem ser vistos de forma individual, ou em seu conjunto. Quando analisado de forma individual “é a representação ou aspecto de determinada qualidade ou qualquer outro acidente de um corpo exterior ao nosso, que vulgarmente chamamos objeto”. Este mesmo objeto citado pode atuar sobre os olhos, ouvidos e no corpo humano em geral, produzindo uma variedade...

    10308  Palavras | 42  Páginas

  • O Leviatã

    Almeida THOMAS HOBBES: O LEVIATÃ Goiânia 2014 CONTEXTO HISTÓRICO Thomas Hobbes, um inglês com formação nas áreas de Filosofia, Matemática e Teoria Política, nascido no século XVI (1588-1679). Sofreu influencia do pensamento de Rene Descartes, da reforma anglicana, de Francis Bacon, de Maquiavel e também de Galileu Galilei. Viveu durante a Revolução Puritana inglesa, 11 anos na França. Em 1651 publica o livro O leviatã. Suas principais teorias se desenvolvem...

    923  Palavras | 4  Páginas

  • LEVIATA DE THOMAS HOBBES

    REVISTA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA Nº 23: 23-41 NOV. 2004 PODERES INVISÍVEIS VERSUS PODERES VISÍVEIS NO LEVIATÃ DE THOMAS HOBBES1 Pedro Hermílio Villas Bôas Castelo Branco RESUMO O conceito de secularização adotado pelas teorias do Estado moderno permitiu institucionalizar um Estado laico que alterou a concepção de legitimidade, solapando qualquer possibilidade de reivindicação do poder divino pelos governantes. Hoje, porém, depois do 11 de setembro de 2001, acentuou-se a necessidade de repensar o...

    14818  Palavras | 60  Páginas

  • Thomas Hobbes - O leviatã

    ganham o famoso ícone do monstro Leviatã. Capitulo 17-19 (INICIO DO LIVRO II) Hobbes argumenta que mesmo com o direito de natureza requer que o ser humano busque paz, e mantenha o estabelecimento de contratos, a busca do homem pelo poder sempre coloca em risco a segurança do contrato. Hobbes conclui que é necessário haver um poder comum, uma autoridade soberana, para que o ser humano mantenha o contrato. Esta entidade soberana seria estabelecida pelo povo como parte do contrato, e autorizada a punir...

    2831  Palavras | 12  Páginas

  • Pequeno Resumo sobre Leviatã de Thomas Hobbes

    Leviatã Magnum opus (obra mais popular e renomada) de Thomas Hobbes (5 de abril de 1588 — 4 de dezembro de 1679) foi um matemático, teórico político, e filósofo inglês. Dividido em 4 grandes partes: O Homem, O Estado, O Estado Cristão e o Reino das Trevas. O Interessante para a compreensão da concepção do Estado e do Contrato Social está nas duas primeiras partes: O Homem e O Estado. 1 - O Homem O homem chega ao entendimento através da linguagem, das palavras. O homem dá sentido as coisas elas...

    679  Palavras | 3  Páginas

  • Thomas Hobbes

    RESUMO No livro, Hobbes analisa a sociedade, no qual seus componentes básicos são o homem e suas sensações, ele define várias paixões e sentimentos de maneira impessoal e com base em princípios científicos. Hobbes tenta desvendar, o individuo, sendo que o objetivo era pensar no “Estado”, que só poderia acontecer após a entender o ser humano e suas relações sociais, o que os move na vida, quais seus desejos, paixões e quais os recursos que estes utilizam para realiza-los...

    979  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo Conceito de Hobbes

    Considerações sobre o Estado em Hobbes Considerations on the State in Hobbes Elson Rezende de Mello1 RESUMO: Para entender o Estado atual em suas transformações, pode ser pertinente entrar em contato com um filósofo que esteve nas origens desse Estado e do sistema-mundo que o envolve. No contexto da época de Hobbes, século XVII, o Estado, centro de suas propostas políticas, teria uma circunscrição mais limitada na referência a nacionalidades, nascentes ou em consolidação. Nossa modernidade ...

    8215  Palavras | 33  Páginas

  • Leviatã

    Leviatã Hobbes tinha como propósito na obra Leviatã.. explicar os conceitos do homem e da cidadania..  e para começar seu projeto, Hobbes argumenta que.. para compreender o estado, primeiro precisamos entender a humanidade.. uma vez que o Estado não é senão um homem artificial... e o soberano que alguém que ele trata no livro... o soberano do Estado é como a alma de um homem, e os magistrados do estado.. como as articulações de um homem.. De acordo com Hobbes, a maneira correta de entender...

    9955  Palavras | 40  Páginas

  • Leviatã Thomas Hobbes

    INTRODUÇÃO O livro chamado “Leviatã ou Matéria, Forma e poder de um Estado Eclesiástico e civil”, foi escrito por Thomas Hobbes, um teórico político, filósofo e matemático inglês. Publicado em 1651, escrito durante a Guerra Civil inglesa é considerado uma das obras mais antigas e influentes da Teoria do Contrato Social. Suas idéias e pensamentos derivam do contexto social da época em que viveu. A obra considerada homônimo ao Leviatã bíblico, fala da estrutura da sociedade e do governo legítimo...

    1786  Palavras | 8  Páginas

  • Resumo completo livro o leviatã de thomas hobbes

    mundo) É imitada pela arte dos homens. A vida não passa de um movimento dos membros, (máquinas que se movem) possuem uma vida artificial? E a arte vai mais longe, imitando, a mais excelente obra da natureza, o Homem. Pela arte é criado o grande LEVIATÃ que se chama REPÚBLICA, ou ESTADO, que não é senão um homem artificial, embora de maior estatura e força, para cuja proteção e defesa foi projetado. A soberania é uma alma artificial, pois dá vida e movimento ao corpo inteiro; os magistrados e outros...

    23950  Palavras | 96  Páginas

  • O leviatã

    Inglatera. Formou-se em Oxford. Foi preceptor do conde de Devonshire. Conheceu Descartes, Galileu etc. Fugiu para a França em 1640, antes da deflagração da Guerra Civil inglesa. Foi preceptor do futuro rei exilado, Carlos II. Sua grande obra, Leviatã, foi publicada em 1651. PRINCIPAIS IDEIAS: Hobbes sustenta que o mundo consiste exclusivamente de partículas materiais em movimento; A própria ideia de uma substância não material, chave para os conceitos tradicionais de Deus e da alma humana...

    3378  Palavras | 14  Páginas

  • a teologia politica de hobbes

    A teologia política de Hobbes “A força do símbolo mítico-religioso do leviatã, não escolhido e extraído por acaso por Hobbes do livro de Jó (41, 24) do velho testamento como título de seu livro, ainda é um desafio para estudiosos.”  O livro diz respeito à estrutura da sociedade e do governo legítimo, e é considerado como um dos exemplos mais antigos e mais influentes da teoria do contrato social. “Não só o conhecimento político, jurídico, mas também, cabalístico, mitológico, teológico de Hobbes...

    649  Palavras | 3  Páginas

  • Resumo principais filósofos - Visao Política

    Os mitos antes da Filosofia quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 09:59 CONSIDERAÇÕES:   Neandertal vivia na mesma organização social, não houve progresso tecnológico significante por milhares de anos. Homo Sapiens era interativo, pois havia comunicação. Havia avanços tecnológicos e culturais, mas o grande avanço cultural é o mito. Tanto mito quanto ciência usam narrativas para explicar fenômenos. Egípcios criavam histórias para explicar fenômenos diários. Tinham também uma idéia de que a...

    2815  Palavras | 12  Páginas

  • Leviatã

    Resumo – O Leviatã de Thomas Hobbes. Chevallier, Jean-Jacques – as grande obras políticas de Maquiavel a nossos dias – 4ª Edição – Rio de Janeiro , Agir, 2002. Hobbes e o Leviatã - o gigante composto por indivíduos aglomerados. Hobbes publica em 1651 “Leviatã, ou a matéria , a Forma e o Poder de um Eclesiástico e Civil – Leviatã, na introdução o autor indica o caminho que pretende seguir: “ ... a arte do homem... pode fazer um animal artificial...Mais ainda, a arte pode imitar o...

    3070  Palavras | 13  Páginas

  • FILOSOFIA JURIDICA RESUMO AULAS

    FILOSOFIA JURIDICA - RESUMO AULAS Aula 01: -SOCIEDADE MILESIANA: Havia um rei que era eleito de tempos em tempos, o rei era o divino na terra junto aos homens. Era ele o responsável por explicar todas as coisas, e para isso criava mitos. Na Idade das trevas (Grega), não existia muitas explicações para as coisas, não se pensava muito em explicar, isso gerou uma descrença do povo. Diante disso o homem é obrigado, impulsionado a buscar explicações, busca-se então explicações mais racionais, homem...

    5748  Palavras | 23  Páginas

  • Thomas hobbes

    Luiz Fernandes Vida e Obras do Filósofo e Cientista Thomas Hobbes São José, 10 de Abril de 2012. FILÓSOFO E CIENTISTA POLITICO INGLÊS. THOMAS HOBBES RESUMO Filosofo inglês do século XVII, fundador da filosofia moral política inglesa, nasceu em Westport, Inglaterra , a 5 de abril de 1588 e morreu Hardimck Hall em 4 de dezembro de 1679. Thomas Hobbes, filho de família pobre,o pai, um clérigo da...

    1870  Palavras | 8  Páginas

  • Leviata

    Hobbes publica “Leviatã”, ou Matéria, Forma e Poder de um Estado Eclesiástico e Civil. (Resumo) No Leviatã vemos como a sociedade melhor se organiza, quando o Estado controla os poderes e as ações do homem. Ele afirma que onde não há lei nem justiça o homem não saberá lidar com as situações do cotidiano. O Leviatã é a sinopse do bobbismo, trata-se de seguirmos um rígido desenvolvimento dialético que nos conduz, dos homens naturais ao homem artificial, ao Estado-Leviatã. Para Hobbes no...

    1455  Palavras | 6  Páginas

  • O Leviatã

     PARTE 1: DO HOMEM DA SENSAÇÃO Para Thomas Hobbes, os pensamentos dos homens podem ser observados de duas maneiras: de forma individual e em seu conjunto. Individualmente significa representação de alguma qualidade externa a nós, a qual denominamos objeto, o qual atual em nosso órgãos sensoriais e no corpo humano, fazendo com que surjam variadas aparências, que chamamos de sensação. Assim, a sensação é a ilusão originária causada pelo movimento das coisas exteriores nos nossos olhos, ouvidos...

    2083  Palavras | 9  Páginas

  • Resumo Livro Leviatã

    HOBBES, Thomas. Leviatã – ou matéria, forma de poder de Estado eclesiástico e civil. 2ª ed. São Paulo: Martin Claret, 2012. Comparando o homem a uma máquina, as engrenagens são semelhantes. Seus atos são responsáveis pelas consequências que sofre. A sabedoria é fruto do conhecimento acerca do homem, de si mesmo e do temor de Deus acima de tudo. Segundo Thomas Hobbes, os estímulos externos são objetos que proporcionam ao indivíduo separadamente e ao conjunto uma mútua dependência. Para o autor...

    11487  Palavras | 46  Páginas

  • O Leviatã: capítulos XIII, XIV e XV.

    O Leviatã: capítulos XIII, XIV e XV. Obs. O Resumo não foi feito por mim. CAPÍTULO XIII: “Da Condição Natural Da Humanidade Relativamente À Sua Felicidade E Miséria” Este capítulo começa pela definição da igualdade entre os homens, sendo natural a igualdade entre os homens, no que diz respeito ao corpo e ao espírito. Mesmo que os homens sejam diferentes no corpo, exemplos uns mais fortes e outros mais fracos, mesmo assim se um quiser matar o outro consegue, porque se não conseguir fazer...

    4972  Palavras | 20  Páginas

  • Thomas Hobbes. O leviatã

    ....8 4. Observações Finais sobre Hobbes e a Democracia Constitucional (1978)..............9 4.1 O papel e os poderes do soberano........................................................................11 4.2 As diferenças entre os cidadões do Leviatã........................................................11 A Doutrina Hobbesiana na razão pratica: 1.1 Introdução: Thomas Hobbes (1588-1679) viveu na Inglaterra durante uma época turbulenta, agitada por lutas internas....

    4113  Palavras | 17  Páginas

  • Thomas hobbes

    INTRODUÇÃO O presente trabalho mostra o pensamento filosófico e político de Thomas Hobbes, dando ênfase a sua mais importante obra- Leviatã - assim como relata sua vida e o contexto histórico em que viveu. Nessa obra, Thomas Hobbes faz um estudo do comportamento do homem no estado de natureza ate seu encontro com o homem artificial – O Estado-O “Leviatã. Hobbes nos faz imaginar como seriam os homens no Estado de Natureza. Hobbes é defensor do Estado absolutista e suas idéias e pensamentos...

    1678  Palavras | 7  Páginas

  • resumo

    encarregou de superar o universalismo da Igreja Católica e os particularismos dos poderes locais feudais presentes durante a Idade Média. - A formação desse Estado centralizado também teve como resultado a definição de fronteiras precisas entre um reino e seus vizinhos, pois ele deixava de ser apenas um agregado de feudos. Em geral, os limites eram fixados ao longo dos rios, mas também houve fronteiras determinadas por meio de linhas imaginárias. As fronteiras marítimas, principalmente após as grandes...

    2815  Palavras | 12  Páginas

  • Trazendo o reino

    TRABALHO A Natureza Do Reino Escola de Líderes Prof.º: Denise Freitas Turma: 2013 Aluna: Sheila Bezerra Spuldaro Apostila: A Natureza do Reino Data: 28/04/2013 Trabalho * Resumo das páginas 24 a 28. * Trazendo o Reino Mostra como os fenômenos que ocorrerão no futuro invade o presente. Agora nós precisamos olhar para o que o futuro desencadeia. Jesus é o centro, o foco a essência do Reino. Jesus é o Messias, tanto...

    552  Palavras | 3  Páginas

  • O Reino de Deus

    1 O REINO DE DEUS 1.1 Os sinóticos como fonte para verificação da relação de Jesus com o reino de Deus1 John Meyer, depois de uma verificação minuciosa das principais fontes (Flávio Josefo, Fílon de Alexandria, documentos do Império romano, evangelhos apócrifos)2 que conduziam ao Jesus histórico, concluiu que os evangelhos, sobretudo, os sinóticos ofereciam veracidade, mesmo que seu conteúdo não se tenha preocupado com uma biografia de Jesus nos moldes atuais,3 em oposição aos outros documentos...

    9491  Palavras | 38  Páginas

  • Leviatã cap 5

    Resumo do livro “O leviatã” de Tomas Hobbes. * Capítulo V – Da razão e da Ciência O raciocínio se faz quando alguém concebe uma soma total, a partir da adição ou da subtração de pequenas parcelas. Os escritores de política adicionam pactos para descobrir os deveres dos homens, e os juristas adicionam leis e fatos para descobrir o que é certo e errado nas ações dos homens. Logo, seja em qualquer matéria, se houver lugar para adicionar ou subtrair (coisas, informações, etc.), há também espaço para...

    594  Palavras | 3  Páginas

  • Thomas Hobbes

    A pujança do Leviatã, seu livro mais conhecido, quase ofuscou o restante de sua obra, transformando-o, ao mesmo tempo, num autor clássico e num mito, pois suas ideias e conceitos foram indicadores e fatores de mudanças sócias e políticas. O Leviatã de Hobbes divide-se em quatro partes: a primeira denomina-se Do homem, a segunda Do Estado, terceira Do Estado cristão e a quarta Do reino das trevas. Embora as interpretações apenas se dediquem aos escritos da primeira e da segunda parte do livro de Hobbes...

    2519  Palavras | 11  Páginas

  • Administrador publico

    que os Homens passaram a se organizar socialmente? Para compreendermos tudo isso, Hobbes nos faz imaginar em como seriam aos homens no Estado de Natureza. O presente trabalho intitulado “Resumo do livro O Leviatã de Thomas Hobbes”, procura explicitar de forma clara, breve e concisa a obra de Thmos Hobbes. Um resumo efectuado tendo em vista a clarificar o pensamento político de Thomas Hobbes, tem como obejectvos: Geral:  Propor o pensamento político, sobretudo, a origem do Estado em Thomas Hobbes...

    3836  Palavras | 16  Páginas

  • Direito civil

    1603. Nessa época a Inglaterra encontrava-se sobre a dinastia Stuart, sob o reinado de Janes I, onde estava ocorrendo uma grande polêmica advinda do poder do Papa para depor os reis. Uma lei foi aprovada em 1606 pelo Parlamento inglês que cobrava da parte dos católicos um juramento para formar uma aliança que iria contra os privilégios do Papa. Em 1608 Hobbes se formou em bacharel em artes e, logo em seguida, foi contratado pelo Barão de Hardwick, que em 1618 foi nomeado Conde de Devonshire. As atribuições...

    2084  Palavras | 9  Páginas

  • FICHAMENTO FONTE: HOBBES, Thomas. Leviatã

    DIREITO 2014.2 Estudante: Cícera Ericênia Alves Pereira FICHAMENTO FONTE: HOBBES, Thomas. Leviatã: Ou, a matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil. Tradução de D’Angina, Rosina. São Paulo: Ícone, 2000. (Parte 2: Do Estado). PALAVRAS-CHAVE: Poder CONTEÚDO: Pág.60- Tal como então faziam as pequenas famílias, assim também fazem hoje as cidades e os reinos, que não são mais do que famílias maiores, para sua própria segurança ampliando seus domínios e, sob qualquer...

    1180  Palavras | 5  Páginas

  • Resumo apocalipse

    RESUMO LIVRO DE APOCALIPSE DISCIPLINA E PROFESSOR FAZER CAPA ÊNFASE DE APOCALIPSE = SOBRE O CRISTO TRIUNFANTE, REVELADO EM SUA GLÓRIA LIVRO PODE SER DIVIDIDO EM TRÊS PARTES: 1. “As coisas que viste” – a visão de João do Cristo ressurreto e glorificado 2. “As que são” – descrição das igrejas 3. “As que hão de acontecer depois destas”- desdobramento profético de acontecimentos futuros. O acontecimento central é a volta de JESUS CAPÍTULO 1 – Introdução ao assunto do livro, o autor. As cartas...

    645  Palavras | 3  Páginas

  • Thomas Hobbes Leviatã Ensaio

    Botelho de Carvalho Em suas considerações finais do tratado “Leviathan” (1651), Thomas Hobbes (1588-1679) diz: “Deste modo, concluí meu discurso sobre o governo civil e eclesiástico, ocasionado pelas desordens do tempo presente...” (HOBBES, Thomas. Leviatã. São Paulo: Martin Claret, 2012. p.561). Nesse sentido, a finalidade do tratado seria responder ao problema das guerras civis na Inglaterra durante a década de 1640, diagnosticando os interesses (por meio do método ‘cui bono’ ciceroniano) e demais...

    1282  Palavras | 6  Páginas

  • RESUMO DE CIÊNCIA POLÍTICA COM TGE

    RESUMO DE CIÊNCIA POLÍTICA COM TGE 1- DIVISÃO GERAL DO DIREITO ACEPÇÕES: Direito = rectu a)Direito norma (objetivo): é imperativa, pois ordena ações e omissões por meio de regras. (DIREITO REGRA) b)Direiro faculdade (subjetivo): é atributiv, pois atribui faculdade a uns e obrigações a outros. É a possibilidade de exigir aquilo que as normas atribuem a alguém como próprio. (DIREITO REGRA) c)Direito justo: dar a cada um o que lhe é devido; direito é objeto de justiça. (DIREITO COMO ALGO DEVIDO) ...

    1782  Palavras | 8  Páginas

  • Dinamica Da Quaresma 2013 1 Parte

     Crer n’Aquele que Ele enviou (Jo 6, 29) Da Cruz à Glória da Ressurreição! Parte I (Do I Domingo da Quaresma a Domingo de Ramos) Uma caminhada para a vivência da Quaresma e do Tempo Pascal 2013 “A questão, então posta por aqueles que O escutavam, é a mesma que colocamos nós também hoje: «Que havemos nós de fazer para realizar as obras de Deus?» (Jo 6, 28). Conhecemos a resposta de Jesus: «A obra de Deus é esta: crer n’Aquele que Ele enviou» (Jo 6, 29). Por isso, crer...

    9783  Palavras | 40  Páginas

  • LEVIATA

    LEVIATÃ - a natureza fez os homens iguais, tanto nas faculdades de corpo quando de espírito: a prudência é a experiência, oferecida a todos os que se dedicam. * a desigualdade foi introduzida pelas leis civis. - todos tem a mesma esperança de atingir os seus próprios fins: tornam-se inimigos os que procuram o mesmo. Antecipação garante a segurança perante a desconfiança mutua. - natureza humana: condição natural de guerra de todos contra todos. Nela, não há propriedade, pois pertence a cada um...

    2105  Palavras | 9  Páginas

  • resumo o homem espiritual

    RESUMO: O HOMEM ESPIRITUAL Watchman Nee 1. Espírito, alma e corpo O conceito corrente da constituição dos seres humanos é dualista: alma e corpo. Segundo este conceito, a alma é a parte interior espiritual invisível, enquanto que o corpo é a parte corporal externa visível. A Palavra de Deus não divide o homem em duas partes de alma e corpo. Pelo contrário, trata o homem como um ser tripartido: espírito, alma e corpo. 1 Tessalonicenses 5:23, 24 diz: “E o...

    8277  Palavras | 34  Páginas

  • Thomas hoobes

    hipotética partiu do contrário, ou seja, iniciou sua teoria a partir dos homens convivendo sem Estado, para depois justificar a necessidade dele. Hobbes, propalou que o surgimento do Estado não decorreu de desígnio divino. Entretanto no seu livro LEVIATÃ, publicado em 1651, divergiu da opinião aristotélica, sustentando que a natureza não ajunta, mas dissocia , porque os desejos e as paixões impelem os homens a atacar e a destruir seus semelhantes. Esse estágio do convívio humano sem autoridade...

    2355  Palavras | 10  Páginas

  • Ciencias politicas

    homem o conhecimento de si mesmo) – introdução da dúvida. - O projeto de uma ciência dos valores humanos. - O exercício da duvida - A contribuição de Sócrates – a postura investigatória e critica acerca das instituição sociais. PLANTÃO - A polis – parte integrante da agenda filosófica. ~ Teoria do conhecimento: o verdadeiro conhecimento é obtido através do estranhamento de tudo que se assenta na opinião comum. - Critica dos sistemas políticos historicamente construídos. -Todo o poder que se distancia...

    4026  Palavras | 17  Páginas

  • Resumo Historia do Direito Brasileiro

    Historia do Direito Brasileiro Resumo Ordenações Filipinas Foi a união da Espanha com a união do Brasil, após a morte de D.Sebastião, dando inicio ao domínio espanhol, que vai de 1581 à 1640. Em 1603, passaram a vigorar no Brasil as ordenações filipinas ou código filipino, que também era composto de Cinco livros, com semelhança às ordenações anteriores, mas mudando a estrutura judiciária, criando novos cargos. É considerada uma das ordenações mais violentas, com pena de morte, torturas, etc. Estrutura...

    3100  Palavras | 13  Páginas

  • leviatan I a VI

    O Leviatã teoria do direito por Adriano Rochael Corrêa. 1º Direito Noturno C Da introdução : A natureza imita a arte , e a arte imita a natureza, e na formação do estado , o grande Leviatã acaba por ser a reconstrução do ser em dimensões muito maiores para que este garanta sua saúde e sua segurança , onde cada individuo tem sua função assim como um órgão do corpo humano. Esse homem artificial deve ser...

    2616  Palavras | 11  Páginas

  • Hobbes poder temporal

    HOBBES: PODER TEMPORAL E ESPIRITUAL DO ESTADO HOBBES: TEMPORAL AND SPIRITUAL POWER OF THE STATE Willam Gerson de Freitas∗ Resumo: Esse artigo tem como objetivo expor o motivo pelo qual Hobbes defende que o Estado, para manter a paz, deve ter sob seu domínio, necessariamente, o poder temporal e o espiritual. Para o filósofo inglês, enquanto o Estado possui o poder capaz de promover a paz, os discursos religiosos podem levar os homens à condição de guerra de todos contra todos mediante a diversidade...

    5600  Palavras | 23  Páginas

  • estudante

    O Leviatã. Leviatã,-que é um monstro bíblico, cruel e invencível, que simboliza o poder do estado absoluto, destacando o símbolo de dois poderes, o civil e o religioso- destacando-se a segunda parte, onde detalha a sua visão de Estado. O Estado a um ser humano artificial, do qual nos, humanos naturais o criamos para proteção e defesa. ‘E a arte vai mais longe ainda, imitando aquela criatura racional, a mais excelente obra da natureza, o Homem. Porque pela arte é criado aquele grande Leviatã a...

    1856  Palavras | 8  Páginas

  • A BELEZA DE CRISTO E O CARÁTER DO CRISTÃO (RESUMO)

    COMUNIDADE EVANGÉLICA SARA NOSSA TERRA CURSO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PASTORAL SARA AUGUSTA PAULA CAROLINA CAETANO DE MORAES A BELEZA DE CRISTO E O CARÁTER DO CRISTÃO (RESUMO) São Paulo 2014 SUMÁRIO 1 O PROPÓSITO DE DEUS...................................................................... 3 2 VENCENDO A INIQUIDADE.................................................................. 6 3 EDIFICANDO O CARATER..............................................

    3210  Palavras | 13  Páginas

  • Resumo: O mundo de Sofia

    bolos iguais porque usa a mesma forma; que todos os cavalos tem algo em comum, mesmo que uns sejam brancos e outros pretos, talvez porque eles tenham sidos fundidos na mesma forma; que se um homem tivesse uma alma imortal, ele teria que possuir duas partes bem distintas o corpo e a alma; e que homens e mulheres são igualmente racionais. A carta mandada do filosofo para Sofia contava que Platão foi discípulo de Sócrates, e abriu sua própria escola de filosofia onde “ensinava” na forma de dialogo, além...

    3137  Palavras | 13  Páginas

  • Resumo O Leviatã

    RESUMO - O Leviatã (Hobbes) CAP. V – Da razão e da ciência Pensamento matemático, explicando a razão através de operações de adição e subtração, sendo assim, um calculo das consequências das denominações gerais que convencionamos para anotar e exprimir nossos pensamentos. Anotar- organizar o pensamento dentro de uma linguagem, quando calculamos para nos próprios. ERRO – “Apenas uma ilusão, ao presumir que algo aconteceu, ou está para acontecer, acerca do que, muito embora não tivesse acontecido...

    2287  Palavras | 10  Páginas

  • Thomas hobbes

    FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO CURSO DE DIREITO THOMAS HOBBES E O LEVIATÃ SÃO PAULO 2013 THOMAS HOBBES E O LEVIATÃ: DIREITO PRIMEIRO SEMESTRE Trabalho apresentado no curso de graduação á faculdades Integradas Rio Branco, curso de direito, para melhor conhecimento e aprofundamento da matéria de ciências politicas. Orientação: Prof...

    2159  Palavras | 9  Páginas

  • Resumo do Evangelho de Marcos

    Resumo do livro de Mateus O Evangelho de Mateus contem ensinamentos fundamentais do Cristianismo, dentre varios temas o livro de Mateus é especialmente útil para a compreensão de como a vida de Cristo foi o cumprimento das profecias do Antigo Testamento. 1 - a genealogia de Jesus: de Abraão até Jesus. no capitulo 1 Maria, desposada com José, ficou grávida pelo Espírito Santo. José, achando que ela tinha cometido imoralidade com outro homem, ia rejeitá-la. então Um anjo do Senhor explicou...

    6402  Palavras | 26  Páginas

  • Resumo cap 23 ao 30, o leviatã - thomas hobbes

    Resumo cap 23 ao 30, o Leviatã - Thomas Hobbes Cap. 23 – A respeito dos ministros públicos do poder soberano Ministro público é o que é encarregado pelo soberano – quer este seja um monarca ou uma assembleia – de qualquer missão, com autoridade no desempenho dessa missão, para representar o Estado. Alguns ministros públicos, têm a seu cargo a administração geral, quer de todo o domínio, quer de uma parte dele. Ainda há os que têm administração especial, como para a economia,milícia...

    2385  Palavras | 10  Páginas

tracking img