Resenha Florestan Fernandes O Negro No Mundo Dos Brancos artigos e trabalhos de pesquisa

  • A integração do Negro na Sociedade de Classes e o Negro no Mundo dos Brancos do Autor Florestan Fernandes

    2013. RESENHA REFERENTE AOS TEXTOS: A INTEGRAÇÃO DO NEGRO NA SOCIEDADE DE CLASSES - VOLUME 1 E 2 – E O NEGRO NO MUNDO DOS BRANCOS DO AUTOR FLORESTAN FERNANDES O texto A integração do Negro na Sociedade de Classes possui uma forte importância no que se concerne à observação analítica da questão racial no Brasil, nota-se a evidenciação da condição da margem social estabelecida para os negros e mulatos. Entende-se que Florestan buscou expor tal problemática de exclusão social dos negros e mulatos...

    848  Palavras | 4  Páginas

  • Resenha

    Resenha: A integração do negro na sociedade de classes, de Florestan Fernandes Um dos objetivos de A integração do negro na sociedade de classes é o de demolir o mito da “democracia racial” brasileira, e o autor, Florestan Fernandes analisou diversos dados referentes à população negra e mulata em São Paulo, especialmente na primeira metade do século XX. O que fica bem claro é que a Abolição da escravatura libertou os negros “oficialmente”, mas que na prática a discriminação e a submissão da população...

    1364  Palavras | 6  Páginas

  • Resenha do documentário "Zumbi Somos Nós" com comentários baseados em "A Integração do Negro na Sociedade de Classes", de Florestan Fernandes

    CH Ciências Sociais Disciplina: Antropologia III Professor: Emanuel Estudante: Thiago do Nascimento Silva Resenha do Documentário “Zumbi Somos Nós” e comentários acerca do pensamento de Florestan Fernandes em sua obra “A Integração do Negro na Sociedade de Classes” O Documentário “Zumbi Somos Nós”, produzido pelo Grupo 3 de Fevereiro surgiu a partir do assassinato de Flávio Santana. Negro, dentista, membro da “classe média” e namorado de uma mulher branca moradora de um condomínio de luxo, Flávio...

    807  Palavras | 4  Páginas

  • Florestan Fernandes

    Biografia de Florestan Fernandes: Sociólogo e político brasileiro Florestan Fernandes (1920-1995) nasceu em São Paulo, no dia 22 de julho de 1920. (SP), considerado o fundador da sociologia crítica no Brasil. Iniciou sua formação primária no Grupo Escolar Maria José, em Bela Vista, São Paulo (1926), fez o Tiro de Guerra (1936) e o Curso Madureza no Ginásio Riachuelo em São João da Boa Vista, São Paulo (1938-1940 e licenciou-se na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras na Universidade de São...

    4647  Palavras | 19  Páginas

  • A sociologia de florestan fernandes

    A Sociologia de Florestan Fernandes     Octávio Ianni     A SOCIOLOGiA DE FLORESTAN FERNANDES inaugura uma nova época na história da Sociologia brasileira. Não só descortina novos horizontes para a reflexão teórica e a interpretação da realidade social, como permite reler criticamente muito do que tem sido a Sociologia brasileira passada e recente. Permite reler criticamente algumas teses de Silvio Romero, Oliveira Vianna, Sérgio Buarque de Holanda, Gilberto Freire entre alguns outros. Simultaneamente...

    4197  Palavras | 17  Páginas

  • Resenha do artigo sobre miscigenação

    Resenha do artigo: Colonização, miscigenação e questão racial: notas sobre equívocos e tabus da historiografia brasileira Ronaldo Vainfas O autor fala em seu artigo sobre Colonização, miscigenação e questão racial, e faz observações sobre equívocos e tabus da histografia brasileira. O texto resenhado está disposto em doze páginas e em uma única seção.  O presente artigo de Ronaldo Vainfas se desenvilve a partir das notas sobre equívocos e tabus da historiografia brasileira no que tange...

    1200  Palavras | 5  Páginas

  • Resenha do livro O Significado da Raça na Sociedade Brasileira

    Periódico de Divulgação Científica da FALS Ano VIII - Nº XVII-DEZ / 2014 - ISSN 1982-646X RESENHA TELLES, Edward E. O Significado da Raça na Sociedade Brasileira. Trad. Ana Arruda Callado. Versão divulgada na internet em Agosto de 2012. 239 p. por Neide Cristina da Silva1, Fernando Leonel Henrique Simões de Paula2 Lançado primeiramente em inglês com o título Race in Another America: The Significance of Shin Color in Brazil (2004), a obra ganhou o premio de melhor livro de Sociologia do American...

    1733  Palavras | 7  Páginas

  • Colonização, miscigenação e questão racial: notas sobre equívocos e tabus da historiografia brasileira resenha critica

    Universidade Federal Fluminense (1978), mestre pela mesma Universidade em História do Brasil (1983), Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (1988). Professor da UFF desde 1978, sendo, desde 1994, Professor Titular de História Moderna. RESENHA CRÍTICA: 21/10/2012. O autor discorre em seu artigo sobre Colonização, miscigenação e questão racial, ressalta algumas notas sobre equívocos e tabus da histografia brasileira. O texto resenhado está disposto em doze páginas e em uma única seção...

    2512  Palavras | 11  Páginas

  • Florestan Fernandes

    trabalho aqui presente tem como proposta apresentar uma análise do pensamento crítico de Florestan Fernandes, abordando suas principais idéias dentro do ramo sociológico. Um dos aspectos centrais é compreender como Florestan Fernandes empreende uma sociologia crítica, articulando seus métodos com a sociologia clássica e moderna da Europa. A partir dessa compreensão de como se formou o pensamento de Florestan, é que analisaremos os novos horizontes que se abrem nos estudos sociológicos que reinterpretaram...

    7551  Palavras | 31  Páginas

  • Resenha

    RESENHA CRÍTICA É uma descrição minuciosa que compreende certo número de fatos: é a apresentação do conteúdo de uma obra. Consiste na leitura, no resumo, na crítica e na formulação de um conceito de valor do livro feitos pelo resenhista. A finalidade de uma resenha é informar o leitor, de maneira objetiva e cortês, sobre o assunto tratado no livro, evidenciando a contribuição do autor: novas abordagens, novos conhecimentos, novas teorias. A resenha visa, portanto, a apresentar uma síntese...

    1954  Palavras | 8  Páginas

  • Gilberto freyre e florestan fernandes

    VERSUS O REVISIONISMO DE FLORESTAN FERNANDES: A DOCILIDADE E O RACISMO NAS RELAÇÕES SOCIAIS BRASILEIRA Introdução O presente trabalho foi construído durante a escrita de nossa dissertação de mestrado, intitulada “A Escola Moderna e a Des/Construção do Negro: por novos olhares históricos”, quando tivemos a oportunidade de se debruçarmos sobre os textos de Gilberto Freyre e do Grupo de pesquisadores da USP, coordenados sob a orientação do professor Florestan Fernandes. Durante a pesquisa, ficaram...

    3205  Palavras | 13  Páginas

  • O negro no mundo dos brancos

    FERNANDES, Florestan. O Negro no Mundo dos Brancos; página 81-95. Editora Global. São Paulo, 2007 Fernandes afirmar que “o preconceito e a discriminação raciais, (...) são encarados como uma espécie de pecado e de comportamento vergonhoso”. E por isso aponta “dois níveis diferentes de percepção da realidade e de ação ligados com a “cor” e a “raça”: primeiro o nível manifesto, em que a igualdade racial e a democracia racial se presumem e proclamam; segundo, o nível disfarçado, em que funções colaterais...

    534  Palavras | 3  Páginas

  • Florestan Fernandes

    Fatores determinantes do povo brasileiro para Florestan Fernandes Entre o século XV e o XVI, o mundo passou por enormes transformações. Entre todas, a principal foi a diferença do modo de pensar do homem, afastando-se principalmente do saber concedido pela igreja, que dominava os meios científicos e políticos da Europa. A partir dai da origem a grandes navegações, buscando a ampliação da metrópole. Espanha, Portugal e Inglaterra mantinham o monopólio da indústria mercantilista, que visava o descobrimento...

    1767  Palavras | 8  Páginas

  • Florestan Fernandes

    Florestan Fernandes ESTUDOS AVANÇADOS 19 (55), 2005 229 Florestan Fernandes: revisitado BARBARA FREITAG Introdução Florestan Fernandes no Ciclo de Conferências “Intérpretes do Brasil”, idealizado pela Academia Brasileira de Letras, aconteceu pelo mérito do grande sociólogo paulista que, no parecer do crítico literário Antonio Candido (2001) é um dos maiores sociólogos do Brasil, senão do mundo. A data marcada pelos organizadores do ciclo foi mero acaso, mas acabou sendo uma data simbólica:...

    5431  Palavras | 22  Páginas

  • resenha critica

     UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO Disciplina: Metodologia da Pesquisa em Educação Resenha RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: evolução e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia da Letras, 1995. (p.106-133; 193-244). Darcy Ribeiro nasceu em Montes Claros, Minas Gerais, no dia 26 de outubro de 1922. Faleceu na capital federal em 17 de fevereiro de 1997, vítima de câncer. Foi antropólogo...

    3153  Palavras | 13  Páginas

  • a vida e obra de florestam fernandes

    Florestan Fernandes foi um sociólogo que em toda a sua obra sempre se colocou sob o ponto de vista dos excluídos. De origem bastante humilde, descendente de imigrantes portugueses que não tiveram sucesso em São Paulo, Florestan Fernandes começou a trabalhar desde criança, vivendo em condições adversas na região central da São Paulo da década de 1930. Com muito esforço e dividindo seu tempo entre trabalho e estudo, Florestan conseguiu se formar e tornar-se professor. Um dos aspectos interessantes...

    1202  Palavras | 5  Páginas

  • Florestan Fernandes

    A questão racial brasileira vista por três professores FLORESTAN FERNANDES JOÃO BAPTISTA BORGES PEREIRA ORACY NOGUEIRA Apresentação de LILIA MORITZ SCHWARCZ A APRESENTAÇÃO* s entrevistas que se seguem foram publicadas, pela primeira vez, no jor- nal A Gazeta, em 27 de agosto de 1966. Depois disso, foram veiculadas em uma edição limitada do Departamento de Antropologia da PUC. A mais formal e a última das publicações foi a da ECAUSP, editada em 1971 pelo prof. Egon Schaden...

    5494  Palavras | 22  Páginas

  • Resenha - Florestan Fernandes: O negro no mundo dos brancos

    FERNANDES, Florestan. “O negro no mundo dos brancos”. Considerações Iniciais: A obra reúne vários escritos, publicados em períodos diferentes. É uma análise sociológica a respeito da questão racial no Brasil, vista a partir de São Paulo; Florestan Fernandes questionava o mito da democracia racial, que vigorava na época. Até mesmo o título “O negro no mundo dos brancos”, choca-se com a idéia vigente no período de seu lançamento, que a sociedade brasileira é frutos da “união de três raças”...

    7489  Palavras | 30  Páginas

  • Florestan fernandes

    “A Integração do Negro na Sociedade de Classes”: uma difícil via crucis ainda a caminho da redenção Autor: Florestan Fernandes Resenhado por: Gilcerlândia Pinheiro de Almeida Nunes (UFRN)1 Florestan Fernandes teve sua vida dedicada aos estudos de Sociologia, à docência e à educação de forma mais ampla (ele acreditava que os educadores deveriam ser engajados na tarefa da transformação social), e à militância política2. Para a Sociologia brasileira trouxe inovações muito importantes, como a...

    3486  Palavras | 14  Páginas

  • Resenha Critica. Vainfas

    Colonização, miscigenação e questão racial: notas sobre equívocos e tabus da historiografia brasileira. Revista Tempo (London), Niterói, v.8, p. 7-22, 1999. RESENHA CRÍTICA O texto tem como objetivo analisar as ideias de alguns autores e pensadores, tais como, Varnhagen, Capistrano de Abreu, Gilberto Freyre, Caio Prado Junior, Florestan Fernandes, dentre outros, acerca do Brasil colônia. Ao longo do texto, Vainfas destaca ainda as contribuições destes autores, assim como alguns equívocos e tabus na...

    1132  Palavras | 5  Páginas

  • FLORESTAN FERNANDES E OS DILEMAS DA DEMOCRACIA NO BRASIL

    FLORESTAN FERNANDES E OS DILEMAS DA DEMOCRACIA NO BRASIL Patrícia Olsen de SOUZA  RESUMO: Este artigo pretende discutir a noção de democracia presente no pensamento de Florestan Fernandes entre os anos de 1950 e 1960, buscando salientar as diversas gradações que ela adquire nesse período. Nesses anos, sua concepção de democracia transita entre uma possibilidade imanente à sociedade de classes, à necessidade de sua afirmação para a consolidação da ordem social competitiva e à negação...

    4537  Palavras | 19  Páginas

  • Florestan fernandes

    CENTRO UNIVERSITARIO IBERO-AMERICANO PIRITUBA ADMINISTRAÇÃO CIENCIAS SOCIAIS IMPACTOS SOCIAIS DAS OBRAS DO SOCIOLOGO FLORESTAN FERNANDES Felippe Lucena Spindola RA: 1190425801 São Paulo,18/10/2011 INDICE * BIOGRAFIA..........................................................................................................PAG 4 * OBRAS DE FLORESTAN E SEUS IMPACTOS NA SOCIEDADE ................................PAG 5 * CONSIDERAÇÕES FINAIS.......................................

    1103  Palavras | 5  Páginas

  • Florestan Fernandes

    Florestan Fernandes (São Paulo, 22 de julho de 1920 — São Paulo, 10 de agosto de 1995) foi um sociólogo e político brasileiro. Foi duas vezes deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores. Biografia Segundo seus relatos, Florestan Fernandes teve, ainda criança, o interesse pelos estudos despertado, principalmente pela diversidade dos lugares onde passou sua infância. Afilhado de Hermínia Bresser de Lima, filha de Carlos Augusto Bresser, Florestan aprendeu com ela a dedicação aos estudos: "O...

    1135  Palavras | 5  Páginas

  • A importância do legado de florestan fernandes

    A IMPORTÂNCIA DO LEGADO INTLECTUAL E POLÍTICA DE FLORESTAN FERNANDES O artigo do professor Ianni trata da relevância do legado intelectual e político do professor Florestan Fernandes, grande sociólogo brasileiro, que iniciou a sua vida acadêmica na Universidade de São Paulo, no curso de Ciências Sociais em 1943. No ano seguinte tornou-se assistente do professor Fernando de Azevedo na cadeira de Sociologia II, sendo este um importante passo para a sua formação sociológica e o início de sua...

    5249  Palavras | 21  Páginas

  • Se ´preto´ é cor; ´negro´ é raça?

    tópicos, sucessivos e concorridos debates na internet sobre racismo no portal LUIS NASSIF ocorreu o uso abusivo em mais de duzentas vezes, da classificação racial dos pretos e pardos na condição racial de “negros” (`19/02, ´Preconceito sutil é mais forte e perpetua o racismo´; e 18/02, ´O DNA dos “Negros” e Pardos brasileiros´,) http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/preconceito-sutil-e-mais-forte-e-perpetua-racismo. Ficou obvio o uso da linguagem racialista que é fonte do racismo que queriam combater...

    3199  Palavras | 13  Páginas

  • Resenha as identidades do Brasil

    História Tempo Histórico, História Do Pensamento Histórico Ocidental E Pensamento Brasileiro, (2012), História, a Ciência dos Homens no Tempo, (2009), e a obra aqui resenhada, As Identidades do Brasil de Varnhagen a FHC (2009). IV – Apresentação da resenha Com a consolidação do Brasil Império, ouve uma preocupação por parte do jovem imperador Dom Pedro II em construir uma História Nacional. Do século XIX até o período atual, muitas obras foram lançadas em torno da História (sobretudo o Brasil Império)...

    1985  Palavras | 8  Páginas

  • a construção da identidade negra fernandes florestan

    ............3 2.1 IDENTIDADE: IDENTIDADE O DIREITO A UMA SOCIAL E IDENTIDADE JURÍDICA....................................................................................................6 2.2.“A INTEGRAÇÃO DO NEGRO NA SOCIEDADE DE CLASSE” ... 8 2.3. A INTEGRAÇÃO DO NEGRO NA SOCIEDADE...............................10 3. CONCLUSÃO...............................................................................................11 3.1. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS............................

    6823  Palavras | 28  Páginas

  • Resenha de Identidades do Brasil

    UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE CIENCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA RESENHA DO LIVRO “AS IDENTIDADES DO BRASIL” AUTOR: JOSÉ CARLOS REIS 2015 INTRODUÇÃO Na obra aqui examinada José Carlos Reis evidenciou diversas interpretações do Brasil realizadas por alguns dos principais autores da historiografia brasileira. Desde o prefácio da primeira edição do livro, Reis nos coloca que não...

    7505  Palavras | 31  Páginas

  • Resenha Tenda dos Milagres

    Skidmore, Gilberto Freyre, Florestan Fernandes e Edward Teles. A tese de Skidmore retrata a raça e a racionalidade, sendo chamada de Racismo Científico. Segundo ele o racismo é algo ligado ao fator biológico, visto que as diferenças raciais determinavam a cultura, ou seja, os traços físicos se relacionavam com as características intelectuais e morais (povos de raça branca eram considerados superiores, por já nascerem com a intelectualidade e a moral, diferentemente dos povos negros que não possuíam tais...

    2698  Palavras | 11  Páginas

  • A integração do Negro na sociedade de Classe

    “A INTEGRAÇÃO DO NEGRO NA SOCIEDADE DE CLASSES”: UMA ANÁLISE DAS DISCRIMINAÇÕES E DESIGUALDADES RACIAIS NO BRASIL Este artigo tem por objetivo conhecer e discutir o contexto no qual as idéias raciais brasileiras emergiram e se disseminaram, para melhor interpretar as relações raciais no Brasil na atualidade. Para tanto, analisa a construção do preconceito e do racismo, avaliando o processo histórico dos afrodescendentes desde sua chegada ao Brasil até a época presente. É sabido que a população...

    6108  Palavras | 25  Páginas

  • Resenha: A HISTÓRIA DA SOCIOLOGIA NO BRASIL CONTADA PELA ÓTICA DA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO

    Resenha: A HISTÓRIA DA SOCIOLOGIA NO BRASIL CONTADA PELA ÓTICA DA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO MAZZA, Débora. A historia da sociologia no Brasil contada pela ótica da sociologia da educação .In: sociologia para educadores. /Leandro Konder, Maria de lourdes Rangel Tura (org.), Rita Amélia Teixeira Vilela...[et at]. –Rio de Janeiro: Quartet, 3a ed. 2004,160 p. ...

    605  Palavras | 3  Páginas

  • A integração do negro na sociedade de classes: discriminações e desigualdades raciais no Brasil com a construção das hierarquias sociais.

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE HUMANIDADES UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS SOCIAS DISCIPLINA: ESTRUTURA DE CLASSES E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL PROFESSOR: RONALDO SALES JR. ALUNA: LARA LANNY DE OLIVEIRA SILVA A integração do negro na sociedade de classes: discriminações e desigualdades raciais no Brasil com a construção das hierarquias sociais. O debate sobre as relações raciais no Brasil tornou-se pauta da política brasileira nos últimos anos, tornando-se também objeto de...

    4187  Palavras | 17  Páginas

  • O negro na historiografia brasileira

    UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE HISTORIA O NEGRO NA HISTORIOGRAFIA E NA REALIDADE BRASILEIRA Preconceito e exclusão social por CELSO PAULO DE SOUZA RIO DE JANEIRO – 2012/ 1 CELSO PAULO DE SOUZA O NEGRO NA HISTORIOGRAFIA E NA REALIDADE BRASILEIRA Preconceito e exclusão social Trabalho de conclusão do curso de bacharelado...

    13331  Palavras | 54  Páginas

  • Como fazer uma resenha crítica

    e profissional na sociedade em que está inserido. Trata-se, pois, de uma oportunidade de exercício crítico e de compreensão essenciais para o desenvolvimento daqueles que se iniciam na vida científica universitária. Resenha: • Conceito, importância e finalidade: A resenha é a apresentação do conteúdo de uma obra. Ela consiste na descrição minuciosa dos fatos a partir da leitura, resumo, crítica e “formulação de um conceito de valor do livro feitos pelo resenhista.” (LAKATOS; MARCONI, 2009...

    1154  Palavras | 5  Páginas

  • Florestan fernandes

    FLORESTAN, Fernandes. As “Trocinhas” do Bom Retiro: Contribuição ao Estudo Folclórico e Sociológico da Cultura e dos Grupos Infantis. In Pro-Posições. V. 15, n.1 (43) – jan./abr. 2004 Página 229 As “Trocinhas” do Bom Retiro [Nota: 1] Contribuição ao Estudo Folclórico e Sociológico da Cultura e dos Grupos Infantis Prefácio O folclore, durante tanto tempo abandonado aos amadores, seus únicos estudiosos, tornou-se hoje uma ciência, que tem suas regras, seus métodos, e que...

    9434  Palavras | 38  Páginas

  • Fernandes, florestan. “a ascensão social do negro e do mulato”. in: .“a integração do negro na sociedade de classes: (no limiar de uma nova era)”

    FICHAMENTO REFERÊNCIA FERNANDES, Florestan. “A ascensão social do negro e do mulato”. In:_________ .“A integração do negro na sociedade de classes: (no limiar de uma nova era)”. Vol. 2. São Paulo: Globo, 2008, p. 189 – 230. CITAÇÕES “Aos poucos , ambos deixam de ficar à margem da vida social organizada e logram se classificar no sistema vigente de classes sociais.” P. 189 “No entanto, o referido fenômeno constitui uma manifestação pura de mobilidade social vertical e possui enorme...

    2890  Palavras | 12  Páginas

  • Justiça e Diversidade no mundo do Negro

    Justiça e Diversidade no mundo do Negro “A sociedade brasileira largou o negro ao seu próprio destino, deitando sobre seus ombros a responsabilidade de reeducar-se e de transformar-se para corresponder aos novos padrões e ideais de homem, criados pelo advento do trabalho livre, do regime republicano e do capitalismo”. (Florestan Fernandes. A Integração do Negro na Sociedade de Classes) Do ponto de vista institucional, ou sob a ótica do Estado, a participação política dos negros e negras foi historicamente...

    738  Palavras | 3  Páginas

  • Vida e obra de florestan fernandes

    VIDA E OBRA DE FLORESTAN FERNANDES. Órfão de pai, Florestan nasceu em 1920, em São Paulo, filho de uma migrante portuguesa que trabalhava como empregada doméstica na cidade de São Paulo. Ele começou a trabalhar aos seis anos, como engraxate, depois garçom e vendedor. Consta que fora chamado por Vicente durante a infância porque os patrões de sua mãe não admitiam que ele fosse chamado por Florestan, por considerar que Florestan não era nome de pobre. O casal dizia que o nome era típico das classes...

    606  Palavras | 3  Páginas

  • Florestan fernandes

      Vida de Florestan Fernandes Florestan Fernandes nasceu em 1920 em São Paulo, filho de uma imigrante portuguesa analfabeta, que o criou sozinha, trabalhando como empregada doméstica. Sua luta pela vida começou já na infância, aos 6 anos, Florestan também começou a trabalhar, primeiro como engraxate, depois em vários outros ofícios. Mais tarde, ele diria que esse foi o início de sua aprendizagem sociológica, pelo contato que teve com os habitantes da cidade. Aos 9 anos, a necessidade de ganhar...

    778  Palavras | 4  Páginas

  • Análise comparada do pensamento de Nina Rodrigues, Gilberto Freyre e Florestan Fernandes sobre a questão racial no Brasil.

    Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP Faculdade de Ciências e Letras – FCL. Araraquara-SP Análise comparada do pensamento de Nina Rodrigues, Gilberto Freyre e Florestan Fernandes sobre a questão racial no Brasil. Trabalho direcionado á disciplina “Sociologia Brasileira”. Ministrada pelo Prof. Dr. José Antonio Segatto Discente: Mayara Gregoracci dos Santos RA 121124541 ARARQUARA/SP Dezembro/2014 O Pensamento...

    2835  Palavras | 12  Páginas

  • Resenha 01 Como trabalhar com raça em sociologia

    Bruna Gonçalves Piazzi N. USP 7617741 Resenha : “Como trabalhar com 'raça' em sociologia” , Antonio Sérgio Alfredo Guimarães. O texto tem como objetivo principal discutir o conceito de raça. Para tanto, o autor inicia sua exposição diferenciando os conceitos na ciências sociais entre os “analíticos”, aqueles que fazem sentido dentro de determinada teoria, e os “nativos”, aqueles que possuem sentido no mundo prático, em determinado contexto histórico. Neste sentido, afirma que “raça” possui pelo...

    1206  Palavras | 5  Páginas

  • Fernandes Preconceito Racial

    FERNANDES, Florestan. 1972. O negro no mundo dos brancos, São Paulo, Difel. 1965: A persistência do passado 1966: Aspectos da questão racial 1968: Ciência e consciência 1969: Além da pobreza: o negro e o mulato no Brasil, pp. 70-73 O desalojamento dos negros do mercado de trabalho e sua inserção tardia “Há, em primeiro lugar, a longa fase (aproximadamente de 1827 a 1885), em que a imigração foi sufocada pelas contingências sócio-econômicas do regime servil. Nessa fase, o imigrante não ameaça os padrões...

    1764  Palavras | 8  Páginas

  • criar artigos e resenhas

    Profª Magda Vieira da Silva TÉCNICAS : COMO FAZER FICHAS, RESUMOS E RESENHAS CRÌTICAS Projeto Integrado I Profª Magda Vieira da Silva UNIP- Universidade Paulista JUNDIAÍ MAIO DE 2003 FICHAS O conteúdo que constitui o corpo ou texto das fichas varia segundo sua finalidade.Pode ser: Bibliográfica; Citações; Resumo ou Conteúdo; Esboço; Comentário ou Analítica. FICHA BIBLIOGRÁFICA Segundo Salvador (1980:118)...

    6685  Palavras | 27  Páginas

  • Florestan Fernandes

    Florestan Fernandes Nasceu em são Paulo em 1920, filho de uma imigrante portuguesa analfabeta, que o criou sozinha trabalhando como empregada doméstica. Florestan Fernandes começou a trabalhar aos seis anos e aos nove anos largar os estudos para ajudar a família. E só volta a estudar mais tarde em um curso de supletivo, aos 18 anos, foi aprovado para o curso de ciências sociais da universidade de São Paulo, em 1951 completou seu doutorado, foi assistente catedrático, livre-docente e, em 1964...

    802  Palavras | 4  Páginas

  • o mundo e seus trabalhos

    Resenha Raça e racismo no Brasil Paula Miranda-Ribeiro e José Alberto Magno de Carvalho* TELLES, Edward. Racismo à brasileira: uma nova perspectiva sociológica. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003. 347 páginas. Racismo à brasileira: uma nova perspectiva sociológica, de Edward Telles, foi recebido com muito entusiasmo pela mídia. Em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo, de 19/10/2003, Elio Gaspari rasga elogios ao autor, ao livro e aos seus achados. Lançado no Encontro da Associação ...

    2159  Palavras | 9  Páginas

  • Florestan Fernandes Desenvolvimento

    1 - Florestan Fernandes Dia 22 de Julho de 1920, nasceu em São Paulo o Florestan Fernandes; filho de uma imigrante portuguesa analfabeta, que o criou sozinha, trabalhando como empregada doméstica. Com seus seis anos de idade, ainda criança, ele já começou a trabalhar, primeiro como engraxate, depois em vários outros ofícios. Aos 9 anos, a necessidade de ganhar dinheiro o fez abandonar os estudos, ele não termina seu curso primário e acaba se formando mais tarde no curso de Madureza, um espécie...

    790  Palavras | 4  Páginas

  • Florestan Fernades

    Florestan Fernandes nasceu 22 de julho de 1920, em São Paulo e foi um grande sociólogo brasileiro. Sua mãe era uma empregada portuguesa analfabeta, solteira e foi criado por sua madrinha Hermíria Bresser de Lima. Aos seis anos de idade já trabalhava, deixando de lado os estudos, não concluindo o curso primário, mas formando-se mais tarde no Curso de Madureza, que é como um supletivo. Em 1941, entrou na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, formando-se mais tarde...

    1178  Palavras | 5  Páginas

  • Politica Para Negros

    ATHOS GABRIEL JANNUZZI BRUNO WILSON PINTO CORREIA LUIZ JOEL SERVELO DE FREITAS NETO TAYLLER CRISTHYAN COUTINHO TRABALHO DE SOCIOLOGIA: POLITICA DOS NEGROS Projeto de pesquisa apresentado à disciplina de Sociologia do 3° Ano do Ensino Médio do Colégio Adventista Boa Vista para obtenção...

    1562  Palavras | 7  Páginas

  • florestan fernandes

    Vida Florestan Fernandes (1920-1995) nasceu em São Paulo, no dia 22 de julho de 1920. De origem humilde, teve dificuldades em seus estudos iniciais. Filho de mãe solteira, foi criado por sua madrinha Hermíria Bresser de Lima. Em 1941 ingressou na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, concluindo o curso de Ciências Sociais. Em 1945 trabalhou como assistente do professor Fernando de Azevedo, na cadeira de Sociologia II. Na Escola Livre de Sociologia e Política...

    893  Palavras | 4  Páginas

  • Florestan Fernandes

     Biografia Florestan Fernandes nasceu em São Paulo, no dia 22 de julho de 1920. Sua luta pela vida começou já na infância, para conquistar o próprio nome - já que patroa de sua mãe o chamava de Vicente, por considerar que Florestan não era nome de pobre - e sobreviver começou a trabalhar aos seis anos, o que o impediu de completar o curso primário e o levou a se formar no curso de madureza (supletivo). Era vendedor de produtos farmacêuticos quando, aos 18 anos, ingressou na Faculdade de Filosofia...

    1133  Palavras | 5  Páginas

  • A Integra o do Negro na Sociedade de Classes

    A Integração do Negro na Sociedade de Classes "A Integração do Negro na Sociedade de Classes", de Florestan Fernandes, publicada em 1965 e, originariamente, sua tese de cátedra em sociologia, representa um momento de viragem nas análises sobre a questão racial no Brasil, além de ser obra importante no interior da produção intelectual do autor. Expressa, ao mesmo tempo, a persistência do seu interesse no tema das relações interétnicas, já demonstrado na pesquisa "Brancos e Negros em São Paulo", realizada...

    1097  Palavras | 5  Páginas

  • HISTORIA SOCIO-CULTURAL DO AMAPA: uma analise sobre as politicas publicas para inclusão e valorização do negro na sociedade amapaense (2005-2011)

    PEREIRA HISTORIA SOCIO-CULTURAL DO AMAPA: uma analise sobre as politicas publicas para inclusão e valorização do negro na sociedade amapaense (2005-2011) Macapá 2011 DHEILA DA SILVA E SILVA EVANY MOREIRA LOPES FRANCIELLY KARINE LIMA PEREIRA HISTORIA SOCIO-CULTURAL DO AMAPA : uma analise sobre as politicas publicas para inclusão e valorização do negro na sociedade amapaense( 2005-2011) Trabalho apresentado , orientado pelo Professor Ms. Ney Costa; no curso de Licenciatura...

    14935  Palavras | 60  Páginas

  • Onstrução dos direitos civis do negro no brasil

    FESP – FACULDADE DE ENGENHARIA SÃO PAULO A CONSTRUÇÃO DO DIREITOS CIVIS DO NEGRO NO BRASIL SÃO PAULO, SP 2011 (PAGINA 2 EM BRANCO) Anfrísio Nicolau dos Santos Jr “et all” SÃO PAULO, SP 2011 Anfrísio...

    11291  Palavras | 46  Páginas

  • RESENHA CRÍTICA DO LIVRO Cultura brasileira e identidade nacional

    RESENHA CRÍTICA ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. 1 CREDENCIAIS DO AUTOR             Nasceu em Ribeirão Preto (SP) em 1947. Estudou na Escola Politécnica (USP) entre 1966 e 1969. Formou-se em Sociologia e Antropologia pela Universidade de Paris VIII e doutorou-se em Sociologia e Antropologia pela École des Hautes Études em Sciences Sociales.             Foi professor da Universidade de Louvain (1974-1975), da UFMG (1977-1984) e...

    1930  Palavras | 8  Páginas

  • NEM PRETO NEM BRANCO PRECONCEITO NA INTIMIDADE

    culminaram com  a  segunda guerra mundial. O   antropólogo roquete pinto  em 1929,  embora não se declarasse racista,  no congresso brasileiro de eugenia,  pregava que em 2012 80 % da população seria branca e 20 % mestiça , não existiria  portanto nenhum negro ou índio no Brasil. Como ele, Euclides da Cunha,  escritor de Os Sertões,  tinha a  mestiçagem como um traço negativo da sociedade brasileira.  Por outro lado, nesta época,  um grupo reunido no  Instituto Históricos e Geográfico brasileiro  , passa...

    1401  Palavras | 6  Páginas

  • Resenha Sociologia Do Brasil

    DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES SOCIOLOGIA DO BRASIL DOCENTE: CESÁR SANSON DISCENTE: LEILA PATRICIA DE LIMA RESENHA DO PENSAMENTO DE FLORESTAN FERNANDES NO LIVRO “A REVOLUÇÃO BURGUESA NO BRASIL” NATAL, RN INTRODUÇÃO Florestan Fernandes foi um estudioso muito importante para diversas as áreas das ciências sociais como da vida cotidiana, e para se entender a formação histórico social...

    913  Palavras | 4  Páginas

  • resenha

    EXEMPLO DE RESENHA1 I) OBRA PEREIRA, João Baptista Borges. Cor, profissão e mobilidade: o negro e o rádio de São Paulo. São Paulo: Pioneira, EDUSP, 1967. 285. P. Il.21 cm x 13,6 com. R$ 85,00.1 II) CREDENCIAS DA AUTORIA João Baptista Borges Pereira é brasileiro. Graduou-se em Ciências Sociais pela USP. Obteve o grau de mestre na Escola Pós-Graduada de Ciências Sociais, da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo; doutorou-se pela Faculdade de Ciências e Letras da Universidade de...

    1647  Palavras | 7  Páginas

  • Florestam fernandes

    FACULDADE DA ALDEIA DE CARAPICUÍBA FALC – SP Paul Felix Lazarsfeld X Florestan Fernandes   A Relevância da Disciplina Sociologia Aplicada I no Cursando de Administração de Empresa SÃO PAULO (Maio/2012) ...

    4514  Palavras | 19  Páginas

  • 1 PROFESSOR NEGRO DO BRASIL

    br Durante pelo menos dez anos, o antropólogo Kabengele Munanga, nascido na República Democrática do Congo (antigo Zaire) e professor titular da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, foi o único professor negro a lecionar em um programa de pós-graduação em Antropologia no Brasil. Kabengele passou dez anos sem participar das reuniões da Associação Brasileira de Antropologia (ABA). Em 1996, sua proposta de mesa foi recusada pela organização da ABA. Em 2006...

    2660  Palavras | 11  Páginas

  • Branquitude - O lado oculto do discurso sobre o negro - Cida Bento

    Branquitude - O lado oculto do discurso sobre o negro - Cida Bento Maria Aparecida Silva Bento Este artigo constitui-se numa abordagem psicossocial do processo de formação sobre relações raciais do CEERT2 . A experiência do CEERT na formação sobre relações raciais em diferentes instituições tem revelado que. embora cada uma dessas instituições seja diferente - os desafios de ensinar sobre racismo tem sido, mais parecidos do que diferentes. Por conta disso, serão reportadas diferentes experiências...

    5709  Palavras | 23  Páginas

tracking img