Porticos Isostaticos artigos e trabalhos de pesquisa

  • Trabalho sobre pórticos em madeira

    Vantagens e Desvantagens 4 3. Tipos de pórticos e suas características 5 3.1 Pórtico bi-apoiado 6 3.2 Pórtico engastado livre 6 3.3 Pórtico tri-articulado 7 3.4 Pórtico bi-apoiado com articulação e tirante (ou escora) 7 3.5 Pórtico simples de alma cheia 8 3.6 Pórtico simples com vigas tipo treliçadas 8 3.7 Pórtico com coluna central 9 3.8 Pórtico em arco 9 4. Elementos estruturais dos pórticos e suas funções 10 5. Carregamentos 11 ...

    3590  Palavras | 15  Páginas

  • Pórticos

    PÓRTICOS Resistência de Materiais Profª Elizabeth Soshima Cássio, Djenane,Yana. O QUE É PÓRTICO?  Em arquitetura o Pórtico é um local coberto a entrada um edifício, de um templo ou de um palácio. Pode se estender ao longo de uma colunata, com uma estrutura cobrindo uma passarela elevada por colunas ou fechada por paredes.  Pórtico é a união de 3 peças (2 coluna e a viga) pode ser fixa ou articuladas e também pode conter tirantes. O PÓRTICO NA HISTÓRIA  Surgiu na Grécia...

    863  Palavras | 4  Páginas

  • Porticos

    devido à ligação rígida existente entre os mesmos, os chamados nós do pórtico - seguindo no exemplo, a junção entre a trave e o travessão. O conjunto de pilares e vigas de um edifício constitui, por exemplo, um pórtico espacial, estrutura responsável pela estabilidade da edificação. As cargas verticais são transmitidas aos pilares pelas vigas. Já esforços horizontais são compensados pelo outro apoio. Em arquitetura, um pórtico é o local coberto à entrada de um edifício, de um templo ou de um palácio...

    856  Palavras | 4  Páginas

  • Porticos, vigas e pilares

    ............................................................................................... 4 CAPÍTULO III PILARES..................................................................................................... 5 CAPÍTULO IV PÓRTICOS.................................................................................................. 6 CAPÍTULO V CONCLUSÃO............................................................................................. 7 CAPÍTULO VI REFERÊNCIAS...

    1148  Palavras | 5  Páginas

  • DIAGRAMA DE CARREGAMENTOS EM ESTRUTURA COMPOSTA POR PÓRTICOS ISOSTÁTICOS PARA APOIO DE PÁTIO SUSPENSO DE DEPÓSITO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

    Escobar Senra DIAGRAMA DE CARREGAMENTOS EM ESTRUTURA COMPOSTA POR PÓRTICOS ISOSTÁTICOS PARA APOIO DE PÁTIO SUSPENSO DE DEPÓSITO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Belo Horizonte 2014 Arthur Geovanne Tavares Couto, Letícia Carolina Silva, Monique Luiza Santos Munyra Teixeira da Silva e Pedro Lucas Ferreira Mendes Escobar Senra DIAGRAMA DE CARREGAMENTOS EM ESTRUTURA COMPOSTA POR PÓRTICOS ISOSTÁTICOS PARA APOIO DE PÁTIO SUSPENSO DE DEPÓSITO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Iº Projeto...

    4972  Palavras | 20  Páginas

  • TRABALHO DE ESTRUTURAS isoestatica

    Professor: Edison dos Santos Guimarães UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO ESTUDO DOS QUADROS ISOSTÁTICOS PLANOS Itatiba-SP 2015 INTRODUÇÃO • O trabalho acadêmico apresentado tratase do estudo dos quadros isostáticos planos, necessariamente o estudo dos Pórticos. Visando na determinação dos diagramas de forças cortantes, normais e momentos fletores. E no cálculo do deslocamento, em um determinado ponto da estrutura. PÓRTICOPórtico são estruturas formadas por barras, que formam quadros entre si. CLASSIFICAÇÃO...

    503  Palavras | 3  Páginas

  • Análise estrutural de edifícios de paredes de concreto por meio de pórtico tridimensional sobre apoios elásticos

    DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ESTRUTURAS ELIAS TESTONI Análise estrutural de edifícios de paredes de concreto por meio de pórtico tridimensional sobre apoios elásticos São Carlos 2013 ELIAS TESTONI Análise estrutural de edifícios de paredes de concreto por meio de pórtico tridimensional sobre apoios elásticos (VERSÃO CORRIGIDA) O exemplar de defesa encontra-se disponível no serviço de Pós-Graduação da EESC Dissertação apresentada ao Departamento...

    42989  Palavras | 172  Páginas

  • Mecânica dos Sólidos

    RV6 + 18 - 6 . 6,00 = 0 RV6 = 18kN HV6 = 0 positivo: baixo para cima HV6 = 0 positivo: esq. para dir. 1. Pórticos D definição Estrutura linear plana, com cargas coplanares, constituída por barras retas ligadas entre si. E exemplo Exemplos de pórticos: Concreto Madeira Aço Esquema de Carregamentos, Forças e Esforços para um Pórtico Para cada Barra Esforço externo (P) Esforços Internos Esforços Força Normal ( N ) Força Cortante ( V ) ...

    2218  Palavras | 9  Páginas

  • Mecanica geral i

    1m 1m 2 2m 4 2m 8 tf Exercício 09: O pórtico isostático abaixo, conforme mostrado, está apoiado em um engaste em 2 e livre na extremidade 1. Sabendo-se que atuam sobre o pórtico as cargas distribuída variável no trecho 1-2 e concentrada em 3, determinar as reações de apoio H2, R2 e M2 e os esforços solicitantes (normal, cortante e momento fletor) na seção “S” indicada. 2 tf/m 6 tf 1 3 2m S 2 2m 8m 1m 1m Exercício 10: O pórtico isostático abaixo, conforme mostrado, está apoiado...

    641  Palavras | 3  Páginas

  • PONTES EM ARCO Novo

    consideração as deformações devido à retração, à variação de temperatura e à deformação lenta, o que tem influência na forma do arco e torna necessária a existência de juntas. O concreto simples, por isso, exige que se adote um sistema estrutural isostático como o arco triarticulado, o qual permite deformações, isentas de efeitos de coação, por meio do abaixamento do fecho. Hoje em dia, via de regra, as pontes em arco são construídas de concreto armado, sendo que o tabuleiro, frequentemente, é em concreto...

    1615  Palavras | 7  Páginas

  • Sistemas Estruturais

    8 – PÓRTICOS Os pórticos são estruturas lineares planas, com cargas coplanares, constituídas por barras retas articuladas entre si. São resultados da associação entre vigas e pilares de estruturas maciças ou ocas. Há diversos tipos de pórticos podendo ser classificados de duas maneiras: - Quanto à geometria: - pórtico plano (bidimensional); - pórtico espacial (tridimensional). - Quanto à estaticidade: pórtico hipostático, isostático ou hiperestático...

    1928  Palavras | 8  Páginas

  • Engenharia civil

    engastadas e livres; vigas biapoiadas com balanço; vigas Gerber; vigas inclinadas. Pórticos isostáticos planos: pórticos simples; pórticos com barras curvas; pórticos compostos. Arcos triarticulados. Estudo das treliças isostáticas: introdução e classificação de treliças; solução por equilíbrios de nós; método de Ritter; introdução ao estudo das treliças espaciais. Grelhas isostáticas. Pórticos espaciais isostáticos. Estudo das cargas móveis em estruturas isostáticas: introdução; linhas de influência...

    1176  Palavras | 5  Páginas

  • Condições de Apoio

    Newton • 3º Lei de Newton Condições de Equilíbrio e Vínculos • Grau de Estaticidade: é o equilíbrio entre os movimentos de corpos rígidos e as vinculações em uma estrutura, classificando-se em: • Hiperestáticos (vinculação em excesso) • Isostáticos (número mínimo de vínculos) • Hipoestáticos (vinculação deficiente) O grau de estaticidade (total): O grau de conexão: O grau de estacidade: O grau de estaticidade interno: gt = C1 + 2C2 + 3C3 − 3m c=r–1 ge = C1 + 2C2 + 3C3 − 3 gi= C1...

    510  Palavras | 3  Páginas

  • Esforços simples

    S2 2 m 1 2 000 3 m 5 m 1 m 1 m Exercício 09: O pórtico isostático abaixo, conforme mostrado, está apoiado em um engaste em 2 e livre na extremidade 1. Sabendo-se que atuam sobre o pórtico as cargas distribuída variável no trecho 1-2 e concentrada em 3, determinar as reações de apoio H2, R2 e M2 e os esforços solicitantes (normal, cortante e momento fletor) na seção...

    681  Palavras | 3  Páginas

  • Arquitetura

    PÓRTICOS (QUADROS ISOSTÁTICOS) * NOTAS DE AULA DEFINIÇÃO OS PÓRTICOS SÃO ESTRUTURAS LINEARES PLANAS CONSTITUÍDAS POR BARRAS RETAS ARTICULADAS ENTRE SI. OU SEJA, SÃO O RESULTADO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE VIGAS E PILARES. AS VIGAS E OS PILARES QUE O COMPÕEM SOFREM DEFORMAÇÕES AXIAIS (EXTENSÃO OU REDUÇÃO) E POR FLEXÃO. NÃO OCORRE DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO. - O TIPO DE VÍNCULO QUE UNE A ASSOCIAÇÃO ENTRE VIGAS E PILARES NOS PÓRTICOS É RÍGIDO, OU SEJA...

    853  Palavras | 4  Páginas

  • EIM argamassa

    CIVIL ESTRUTURAS HIPERESTÁTICAS Exemplos: Estrutura Isostática g=0 Restringida a movimentação de corpo rígido. ENGENHARIA CIVIL ESTRUTURAS HIPERESTÁTICAS Exemplos de Pórticos: ENGENHARIA CIVIL ESTRUTURAS HIPERESTÁTICAS Exemplos de Pórticos: ENGENHARIA CIVIL ESTRUTURAS HIPERESTÁTICAS Exemplos de Pórticos: ENGENHARIA CIVIL ESTRUTURAS HIPERESTÁTICAS 2. Tipos de Vínculos 2.1.Vínculos no plano: No plano, um corpo rígido qualquer tem três graus de liberdade de movimento: ...

    1235  Palavras | 5  Páginas

  • estruturas

    FACULDADE JAGUARIÚNA Faculdade de Engenharia Civil SISTEMAS ISOSTÁTICOS E HIPERESTÁTICOS Adriano de Aquino Paiva da Silva Jaguariúna, SP 2012 2 FACULDADE JAGUARIÚNA Faculdade de Engenharia Civil Adriano de Aquino Paiva da Silva Trabalho apresentado como parte das atividades desenvolvidas ao longo do aprendizado no curso de Metodologia de Pesquisa Científica, da graduação em Engenharia Civil na Faculdade Jaguariúna. Professora: Dra. Marilza das Neves Jaguariúna,...

    2866  Palavras | 12  Páginas

  • Resumo Livro Construções de Concreto

    definidos em princípio, especialmente nos pontos críticos. CAPÍTULO 6 – Tipos estruturais das pontes de concreto PONTES EM VIGAS Sistemas estruturais Viga sobre dois apoios, simplesmente apoiadas com um único vão ou em sucessão de tramos isostáticos, devem ser dimensionadas para o momento Máximo e exigem juntas em cada extremidade. Figura 6.1 Vigas sobre dois apoios em vários vãos com a laje do tabuleiro continuam sobre as juntas para diminuir o numero das juntas. Apenas um apoio da “correnta”...

    5360  Palavras | 22  Páginas

  • Mecanica aplicada

    e superior) e, ainda, treliça em cada parte interna na união dos quadros. PORTICOS PLANOS São estruturas formadas por barras que formam quadros entre si. Existem quatro tipos fundamentais de quadros isostáticos planos, que associados entre si, da mesma forma com que associamos vigas simples para formar vigas compostas, formam os chamados quadros compostos. São eles: Cálculo das Solicitações Como nos pórticos existem barras verticais, horizontais e inclinadas usa-se para o seu estudo...

    659  Palavras | 3  Páginas

  • Metodo das Forças

    flexibilidade são adquiridos de acordo com as equações a seguir: Aplicação de estruturas hiperestáticas em exemplos práticos - Exemplo de pórticos em pontes: Nesse exemplo a viga e os pilares formam um único sólido (pórtico). Figura 3 Na figura abaixo, o esquema pode ser dado por 2 apoios fixos (hiperestático), 1 apoio fixo e móvel (isostático) ou 2 engastes ( hiperestático), o que varia dependendo da rigidez do solo. Figura 4 - Exemplo de viga contínua em ponte: Há um apoio entre...

    781  Palavras | 4  Páginas

  • Derivadas na pratica

    SEMIÓTICA APLICADA Aluno: José da Silva Orientador: José de Alencar Introdução Foi feito um estudo do procedimento para cálculo de cargas críticas e modos de flambagem e freqüências e modos de vibração de treliças, vigas e pórticos. A partir do emprego de funções de forma, descrevendo o campo de deslocamentos em um elemento, foram obtidas as matrizes de Rigidez Elástica, Rigidez Geométrica, e Massa para cada elemento. As matrizes dos elementos foram utilizadas para obter as correspondentes...

    975  Palavras | 4  Páginas

  • ANÁLISE ESTRUTURAL DE INCÊNDIO

    possibilidade de falência estrutural de um elemento. Edifícios de concreto armado, pelo processo construtivo são monolíticos, o atrito existente entre os elementos isostáticos e seus apoios pode oferecer uma resistência a deslocamentos e despertar esforços de reação, como em estruturas hiperestáticas. Essas estruturas, tais como pórticos de muitos andares, transferem cargas por meio de mecanismos alternativos de esforços, como por exemplo, pelas ações de membrana em um elemento sujeito à flexão simples...

    928  Palavras | 4  Páginas

  • SISTEMAS ESTRUTURAIS - PRÓTIPOS

    FACULDADES INTEGRADAS APARÍCIO CARVALHO – FIMCA Curso de Arquitetura e Urbanismo ANÁLISE DE ESTRUTURAS: PÓTICOS OU QUADROS ISOSTÁTICOS Profª.: Lívia Maria Palácio Ribeiro INTROUDÇÃO 2Ç 3 4 5 IMAGENS Partenon (em grego – Παρθενων) foi um templo erigido para a deusa grega Atena, construído no século V a.C 6 INTROUDÇÃO 2Ç 3 4 Terceiro terminal de passageiros em Guarulhos 5 6 INTROUDÇÃO 2Ç 3 4 IMAGENS Palácio Tiradentes – Belo...

    1000  Palavras | 4  Páginas

  • Reação de apoio

    Tipos de Pórticos Isostáticos Planos Pórtico bi-apoiado | Este tipo de pórtico está sustentado por dois apoios, sendo um deles um apoio fixo e o outro um apoio móvel. Com estes dois apoios o pórtico apresentará 3 (três) reações de apoio (RA, RD e HD) que são as três incógnitas a serem encontradas. Estas três incógnitas podem ser encontradas através da aplicação das três equações da estática, ou seja, H = 0, V = 0 e M = 0. | | Pórtico engastado e livre | Este tipo de pórtico está sustentado...

    1474  Palavras | 6  Páginas

  • AULA 1 M TODO DOS DESLOCAMENTOS

    CINEMATICAMENTE DETERMINADAS, ISTO É, DE CONFIGURAÇÕES DEFORMADAS CONHECIDAS, CONFORME ILUSTRA A FIGURA;  ESSA FIGURA MOSTRA A CONFIGURAÇÃO DEFORMADA DE UM PÓRTICO PLANO FORMADA PELA SUPERPOSIÇÃO DE CONFIGURAÇÕES DEFORMADAS ELEMENTARES, CADA UMA ASSOCIADA A UM DETERMINADO EFEITO QUE É ISOLADO; Figura 1 - Configuração deformada de um pórtico plano.  3 – MÉTODO DOS DESLOCAMENTOS 3.2 – DESLOCABILIDADES E SISTEMA HIPERGEOMÉTRICO DA ESTRUTURA 3 – MÉTODO DOS DESLOCAMENTOS 3.2 – DESLOCABILIDADES E...

    878  Palavras | 4  Páginas

  • Lista 4 TE.1

    Diagrama de momento torsor: 4 kN.m 0.0 - 8 kN.m - + 0.0 4 kN.m 0.0 Equilíbrio dos nós: 4 kN.m 4 kN.m 4 kN.m 8 kN.m 10 kN.m 8 kN.m 8 kN.m 2 kN.m 8 kN.m 4 kN.m 4 kN.m 4 kN.m 4) Traçar para o pórtico isostático dado abaixo os diagramas de esforço cortante (DQ) e momento fletor (DM) mostrando todos os valores necessários ao entendimento dos resultados. A seguir, usando o Princípio dos Trabalhos Virtuais Complementar (PTVC), calcular o deslocamento...

    1916  Palavras | 8  Páginas

  • trablho trablho

    Itajubá Fundação de Ensino e Pesquisa de Itajubá Engenharia de Civil Teoria das Estruturas II – Aula 4 Esforços Solicitantes – Pórticos Eraldo Cruz dos Santos eraldocs69@oi.com.br TÓPICOS DA APRESENTAÇÃO  REVISÃO;  VIGAS ISOSTÁTICAS;  Princípio da superposição de esforços;  PÓRTICOS PLANOS;  Tipos de pórticos;  Cálculo de solicitações em pórticos;  EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO;  REVISÃO. Eraldo Cruz dos Santos 28/02/2013 2 REVISÃO Assuntos da Aula  Revisão; ...

    1928  Palavras | 8  Páginas

  • Estruturas de nós fixos e estruturas de nós moveis

    elementos contraventados. As sub-estruturas de contraventamento podem ser de nós fixos ou de nós moveis, de acordo com as definições de 15.4.2. 15.4.4 Elementos isolados São considerados elementos isolados os seguintes: a) os elementos estruturais isostáticos; b) os elementos contraventados; c) os elementos das estruturas de contraventamento de nós fixos; d) os elementos das subestruturas de contraventamento de nós moveis desde que, aos esforços nas extremidades, obtidos numa análise de 1a ordem,...

    1171  Palavras | 5  Páginas

  • Trabalho de Mecanica Geral

    de Ciências Tecnológicas e Exatas Mecânica Geral Bruno Alceu Souto Ícaro DeÂngelis Lopes João Victor Barreto Netto Thiago Moisés da Silva Análise Estrutural aplicada a um pórtico Uberaba 2015 Bruno Alceu Souto Ícaro DeÂngelis Lopes João Victor Barreto Netto Thiago Moisés da Silva Análise Estrutural aplicada a um pórtico Relatório apresentado para a disciplina Mecânica Geral como requisito parcial de avaliação do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Prof...

    2226  Palavras | 9  Páginas

  • resumo de pontes

    sucessivos. PONTES EM PÓRTICO O uso de pórtico nas pontes é muito comum devido a sua rigidez à flexão, em sua extremidade a viga é engastada diminuído o momento e favorecendo a distribuição dos momentos fletores. Sistemas Estruturais Pórticos tri articulados, isostáticos, é o que não estão portando sujeitos a esforços de coação proveniente da variação de temperatura e retração, as ligações podem ser de concreto ou articulação elástica de concreto. Pórticos tri articulados com pilar...

    8427  Palavras | 34  Páginas

  • Teoria das estruturas

    carregamento em planos diferentes (bi-dimensional) 3ª espaciais (3 dimensões) Exemplo de estrutura com carga no mesmo plano: VIGA SIMPLES (ISOSTÁTICA) VIGA CONTÍNUA (HIPERESTÁTICA) PÓRTICO SIMPLES (ISOSTÁTICO) PÓRTICO MÚLTIPLO (HIPERÉSTATICO) ARCO BI-ROTULADO TRELIÇA – TESOURA SIMPLES (ISOSTÁTICA) TRELIÇA COMPOSTA (HIPERESTÁTICA) Exemplo de estruturas com cargas em planos diferentes: ...

    1096  Palavras | 5  Páginas

  • ISOSTATICA

    Revisão: 0 Data: 07/2013 Apostila de Isostática Viga biapoiada Viga Gerber Pórtico biapoiado Treliça Modelo espacial de uma estrutura de rampa Perspectiva ____________________________________________________________________________________ Prof.: Rogério de Carvalho Paes de Andrade e-mail: rogeriocpa@gmail.com Curso de análise estrutural Estruturas isostáticas Prof.: Rogério de C. P. de Andrade e-mail: rogeriocpa@gmail.com Sumário Introdução __________...

    5601  Palavras | 23  Páginas

  • Vigas geber

    .......................... 2.3 Pórticos ........................................................................................................ 2.3.1 Estruturas Aporticadas .......................................................................... 2.3.2 Pórtico Simples ..................................................................................... 2.3.3 Pórtico com Articulação e Tirante ........................................................ 2.3.4 Pórticos Compostos ........................

    4086  Palavras | 17  Páginas

  • escadas

    públicos ⇒ 4,00 a 5,00 kN/m2. Pág. 44 6.4 Dimensionamento e Detalhamento Para o dimensionamento deve-se escolher o modelo estrutural que melhor reflita o comportamento da escada. Geralmente trabalha-se com modelos simples como pórticos planos isostáticos ou hiperestáticos. Escolhido o modelo estrutural determina-se os esforços solicitantes através do esboço dos diagramas de momentos fletores, esforços cortantes e esforço normal. Para os valores máximos dos esforços verifica-se a seção...

    901  Palavras | 4  Páginas

  • Termos de carga

    de eixos globais da estrutura e de eixos locais das barras. Para cada tipo de estrutura são caracterizados os tipos de esforços internos e as direções dos seus deslocamentos e rotações. A Figura 2.1 mostra um exemplo de um quadro ou pórtico plano. Um quadro plano é um modelo estrutural plano de uma estrutura tridimensional. Este modelo pode corresponder a uma “fatia” da estrutura, ou pode representar uma simplificação para o comportamento tridimensional. Estruturas deste...

    11246  Palavras | 45  Páginas

  • Associatividade

    argamassa armada, madeira, aço, alumínio, barro, etc.); - identificar os elementos estruturais existentes em cada projeto analisado (lajes, vigas, pilares, tirantes, etc.); - definir seus sistemas de apoios (vinculações) e o seu gênero e grau (se isostático ou hiperestático); - definir o sistema de carregamento de cada elemento identificado (o carregamento deve ser diversificado para cada elemento estudado para não se tornar repetitivo), ou seja: carga concentrada, carga distribuída, momento aplicado...

    701  Palavras | 3  Páginas

  • oloco

    cabos; h – espessura da laje; ! – vão entre apoios na direção transversal à faixa. Figura 4.9: Largura para a distribuição de cabos nas faixas dos pilares A ≤ a + 3,5h Vale ressaltar que quando se calcula os esforços na laje pelo processo do pórtico equivalente, em geral adota-se a largura da faixa dos pilares como 25% ! , sendo ! dado de acordo com a Figura 4.9, conforme indica a NB-1 [21]. Ver mais detalhes no item 5.3.4 desse texto. Quando existe a necessidade de fazer um desvio em planta...

    28314  Palavras | 114  Páginas

  • Apostila completa e formul rio AN LISE ESTRUTURAL 2

    possível efetuar a análise bidimensional de partes da estrutura tridimensional, conforme é exibido na Figura 1.1-cde. Na Figura 1.1-c o pavimento de um andar da edificação é representado por vigas, caracterizando uma grelha. As Figura 1.1-de exibem pórticos planos extraídos do modelo tridimensional e analisados isoladamente. Este tipo de análise pode ser vantajoso para um dimensionamento mais simplificado, mas com resultados de grande utilidade para o projeto estrutural. (b) (c) (a) (d) (e) Figura...

    60896  Palavras | 244  Páginas

  • doc import eng

    PRÁTICOS DE ESTRUTURAS HIPERESTÁTICAS Pórticos A)EXEMPLOS DE PÓRTICOS EM PONTES - Pontes em Pórtico (não há aparelho de apoio entre viga e pilar, vigas e pilares formam um único sólido) Esquema estático: considera as vigas junto com os pilares formando um pórtico: PÓRTICO Considera esses apoios como apoio fixo ou engaste dependendo da rigidez do solo onde o pórtico está apoiado A) EXEMPLOS DE PÓRTICOS EM PONTES - Pontes em Pórtico (não há aparelho de apoio entre viga e pilar...

    3498  Palavras | 14  Páginas

  • Estrutura de concreto protendido

    cabos; h – espessura da laje; ! – vão entre apoios na direção transversal à faixa. Figura 4.9: Largura para a distribuição de cabos nas faixas dos pilares A ≤ a + 3,5h Vale ressaltar que quando se calcula os esforços na laje pelo processo do pórtico equivalente, em geral adota-se a largura da faixa dos pilares como 25% ! , sendo ! dado de acordo com a Figura 4.9, conforme indica a NB-1 [21]. Ver mais detalhes no item 5.3.4 desse texto. Quando existe a necessidade de fazer um desvio em planta...

    30221  Palavras | 121  Páginas

  • Impermeabilidade

    isoladamente. Desta forma, admite-se a laje como, simplesmente, apoiada nas vigas (elementos V1, V2, V3 e V4). Os conjuntos de vigas e pilares (elementos P1, P2, P3 e P4) formam, nos planos que os contêm, os denominados quadros rígidos ou pórticos. Um processo aproximado consiste em supor as vigas, simplesmente, apoiadas nos pilares, ficando estes solicitados à compressão simples. Nas figuras apresentadas a seguir, é mostrada uma das formas possíveis de repartição dos carregamentos...

    2221  Palavras | 9  Páginas

  • Apostila Teoria Das Estruturas 1

    ............................................................................ 44 6.7.3. Representação dos Apoios: .............................................................................................. 45 6.7.4. Representação de sistemas isostáticos: ........................................................................... 47 6.8. REAÇÕES DE APOIO ........................................................................................................................ 47 6.8.1. Sequência para...

    21852  Palavras | 88  Páginas

  • Analise estrutural

    arco, a solução mais indicada é a de arcos treliçados apenas com diagonais e sem montantes. Do ponto de vista do comportamento estrutural os arcos podem ser bi-articulados ou tri-articulados. Apesar de ser mais fácil de dimensioná-los, pois são isostáticos, os tri-articulados são menos usados que os bi-articulados. Isso se deve a maior dificuldade de se executar a articulação central. As barras que compõem os arcos treliçados são U de chapa dobrada, calandrados, para os banzos, e cantoneiras de chapas...

    3381  Palavras | 14  Páginas

  • Mecanica

    2. Verificação da Estabilidade - Pórticos Nos pórticos, deve ser feita a verificação da estabilidade, para cada barra, dos seguintes esforços: Força Normal (N), Força Cortante (V) e Momento Fletor (M). Ou seja, para que um pórtico seja estável, todas as barras devem ser estáveis em relação aos três esforços (Normal, Cisalhamneto, Flexão). * A flexão verifica-se pela inequação: | Sendo: f max = Mmax . ysup ou inf / ILN | Onde: : tensão de flexão admissível do material do qual a...

    11690  Palavras | 47  Páginas

  • ENGENHARIA CIVIL - DEFINIÇÃO E HISTÓRIA

    Grelhas 42 43 5.1.3.1 - Comportamento estrutural 5.1.4 – Pilares 45 47 5.1.4.1 - Comportamento estrutural de pilares 5.1.5 – Pórticos 48 51 5.1.5.1 – Pórticos simples de alma cheia 52 5.1.5.2 - Pórtico com cobertura em arco 53 5.1.5.3 - Pórtico com tirantes 5.1.5.4 - Consideração da rigidez das ligações na análise estrutural de pórticos 53 5.1.5.5 - Relevância econômica 54 5.1.6 - Arcos 54 54 5.1.6.1 - Classificação dos arcos 55 5.1.6.2 - Vantagens...

    20948  Palavras | 84  Páginas

  • Isostática

    Grelhas 42 43 5.1.3.1 - Comportamento estrutural 5.1.4 – Pilares 45 47 5.1.4.1 - Comportamento estrutural de pilares 5.1.5 – Pórticos 48 51 5.1.5.1 – Pórticos simples de alma cheia 52 5.1.5.2 - Pórtico com cobertura em arco 53 5.1.5.3 - Pórtico com tirantes 5.1.5.4 - Consideração da rigidez das ligações na análise estrutural de pórticos 53 5.1.5.5 - Relevância econômica 54 5.1.6 - Arcos 54 54 5.1.6.1 - Classificação dos arcos 55 5.1.6.2 - Vantagens...

    20948  Palavras | 84  Páginas

  • Apostila análise ii

    .....................................................................................................46 Exemplo 2 - Pórtico com tirante ................................................................................................50 Exemplo 3 - Quadro bi-apoiado.................................................................................................55 Exemplo 4 - Pórtico bi-engastado..............................................................................................63 Exemplo...

    44260  Palavras | 178  Páginas

  • Apostila de Teoria das Estruturas 2

    a carga unitária deve ser um momento unitário concentrado;  No caso de vigas e pórticos planos, sem a presença de tirantes, podemos considerar apenas os momentos fletores, pois os efeitos devido a esforços normais são insignificantes*, e não há momentos torçores atuando na estrutura. Se a estrutura possuir tirantes, então os esforços normais nos tirantes devem ser considerados;  No caso de grelhas e pórticos espaciais, podemos considerar apenas os momentos fletores e torçores, pois os efeitos...

    15995  Palavras | 64  Páginas

  • CRITERIO DE RUPTURA EM MATERIAIS DUCTEIS

    por exemplo, são os pilares treliçados, geralmente mais leves que os correspondentes em alma cheia. 3.1.5 Pórticos Os Pórticos são estruturas formadas por barras, formando quadros entre si. Existem quatro tipos fundamentais de quadros isostáticos planos, que associados entre si formam os chamados quadros compostos. Os elementos pré-fabricados de concreto com sistema estrutural de pórticos são altamente aplicáveis por apresentar boa funcionalidade e competitividade econômica. 4. Elementos estruturais...

    2378  Palavras | 10  Páginas

  • Estruturas de concreto

    uma primeira análise pode ser feita uma separação entre o sistema estrutural e as seções transversais, as quais são vistas no capítulo seguinte. Os sistemas estruturais normalmente empregados nas pontes de concreto são: • pontes em viga • pontes em pórtico • pontes em arco • pontes estaiadas Chama-se a atenção para o fato de que, nesta relação não estão incluídas as pontes pênseis, que constaram da relação apresentada no Capítulo 1 - INTRODUÇÃO. Este tipo estrutural não é apropriado para as pontes de...

    1373  Palavras | 6  Páginas

  • Sistemas Estruturais

    sistemas de cabos, pilares, vigas isostática, cascas, membranas, lajes, pórticos. O trabalho especificará sobre vínculo de primeiro e segundo grau, formas funiculares e flecha de um sistema estrutural de cabos de aço, o esforço ideal quando na utilização de cabos, a diferença que caracterizam os sistemas de cabos e arcos, flambagem e compressão de pilares, definição, tipos e funcionamento de cascas, membranas, lajes e pórticos. SISTEMA DE ARCOS O que define primeiramente um arco é sua forma...

    4869  Palavras | 20  Páginas

  • Nota De Aula Teoria Das Estruturas I 2015 1

    4 𝑐𝑜𝑠𝛼 = = 0,8 5 𝑠𝑒𝑛𝛼 = ↑ ∑ 𝑉 = 0  48 − 𝐹2 𝑠𝑒𝑛𝛼 = 0 48 − 𝐹2 ∙ 0,6 = 0 𝑭𝟏 = 𝟖𝟎 𝒌𝑵 → ∑ 𝐻 = 0  𝐹1 + 𝐹2 𝑐𝑜𝑠𝛼 − 192 = 0 𝐹1 + 80 ∙ 0,8 + 192 = 0 𝑭𝟐 = 𝟏𝟐𝟖 𝒌𝑵 Página53 9. PÓRTICOS ISOSTÁTICOS 9.1. Definição dos eixos e posicionamento das fibras. Para um Pórtico é muito importante ter definido a direção e o sentido dos seus eixos. Mais ainda, tomando como referencial estes mesmos eixos, pode-se determinar o posicionamento de suas fibras principais. Elas serão chamadas...

    8864  Palavras | 36  Páginas

  • metodo das forças

     1/4 1/4 Diagrama de Momentos Fletores M = M0 + M1·X1 + M2·X2 M (kNm) 162 – Métodos Básicos da Análise de Estruturas – Luiz Fernando Martha Exemplo 02 Considere as duas estruturas mostradas abaixo. A da esquerda é um quadro isostático e a da direita é um quadro hiperestático. Os dois quadros sofrem a mesma solicitação: uma força horizontal de 50 kN aplicada no apoio da direita e um recalque desse mesmo apoio de 6 mm para baixo. Todas as barras têm um material com módulo de...

    8573  Palavras | 35  Páginas

  • Cálculo estrutural

    Este livro está direcionado para a análise de estruturas reticuladas estaticamente indeterminadas, isto é, para a análise de estruturas hiperestáticas. Isso inclui as treliças (estrutura com todas as barras articuladas em suas extremidades), os pórticos ou quadros (planos e espaciais) e as grelhas (estruturas planas com cargas fora do plano). Nele são tratados principalmente os métodos clássicos da análise de estruturas hiperestáticas: o Método das Forças e o Método dos Deslocamentos. Nesse contexto...

    40429  Palavras | 162  Páginas

  • Cross

    8. PROCESSO DE CROSS O Processo de Cross, ou Método da Distribuição de Momentos (White et al. 1976), é um método relativamente simples para o cálculo de momentos fletores em vigas contínuas, pórticos planos, grelhas e até em pórticos espaciais. Este processo é baseado no Método dos Deslocamentos e só se aplica para estruturas sem deslocabilidades externas (do tipo translação), isto é, ele só se aplica a estruturas com barras inextensíveis e que só tenham deslocabilidades do tipo rotação. Apesar...

    6402  Palavras | 26  Páginas

  • Dimensionamento Galpão

    arcos treliçados apenas com diagonais e sem montantes. Arcos treliçados Para qualquer vão Do ponto de vista do comportamento estrutural os arcos podem ser bi-articulados ou tri-articulados. Apesar de ser mais fácil de dimensioná-los, pois são isostáticos, os tri-articulados são menos usados que os bi-articulados. Isso se deve a maior dificuldade de se executar a articulação central. As barras que compõem os arcos treliçados são U de chapa dobrada, calandrados, para os banzos, e cantoneiras de chapas...

    5378  Palavras | 22  Páginas

  • Pontes em arco

    extremidade rotulada, apresentando menores deslocamentos quando sob a ação do carregamento. Por serem mais rígidos, adaptam-se menos às variações de carregamento ao longo da vida da estrutura, surgindo assim esforços solicitantes mais elevados que nos pórticos rotulados. Os arcos hiperestáticos por dependerem de uma condição adicional de compatibilidade das deformações, além das equações de equilíbrio, sofrem alterações significativas nos esforços quando há recalques de apoios ou variações de temperatura...

    2077  Palavras | 9  Páginas

  • Mecanica

    ....................... 2.3 Pórticos ........................................................................................................ 2.3.1 Estruturas Aporticadas .......................................................................... 2.3.2 Pórtico Simples ..................................................................................... 2.3.3 Pórtico com Articulação e Tirante ........................................................ 2.3.4 Pórticos Compostos ......................

    9021  Palavras | 37  Páginas

  • TIPOS DE SISTEMAS ESTRUTURAIS UTILIZADOS EM PONTES

    adicionais neste tipo de estrutura. 2.2.1.4. Vigas Gerber A viga Gerber, cujo esquema estático está apresentado na Figura 13 pode ser entendida como derivada da viga contínua, na qual são colocadas articulações de tal forma a tornar o esquema isostático, e como consequência disto, não receberá esforços adicionais devidos aos recalques diferenciais dos apoios. Figura 13 – Esquema estático de ponte em viga Gerber. Se as articulações forem dispostas nos pontos de momento nulo do diagrama...

    4595  Palavras | 19  Páginas

  • Lajes lisas protendidas - Métodos de dimensionamento à flexão

    disposição dos pilares. Tais modelos correspondem aos Métodos dos Pórticos Equivalentes que, para cada Norma, tem características específicas. É também comum, neste tipo de dimensionamento, a aplicação de procedimentos numéricos, como o Método dos Elementos Finitos, para obtenção ou conferencia dos esforços na laje. Os resultados demonstram que para estruturas que possuem regularidade na geometria e na disposição dos pilares, o Método dos Pórticos Equivalentes conduz a respostas próximas às obtidas com a...

    19254  Palavras | 78  Páginas

tracking img