Planta Baixa De Uma Fábria De Confecção artigos e trabalhos de pesquisa

  • Planta baixa

    técnico–emprego de escalas. Rio de Janeiro,1999. _____________.NBR10126–Cotagem em desenho técnico. Rio de Janeiro, 1987. Introdução Planta Baixa Plantas baixas são cortes feitos em cada pavimento através de planos horizontais imaginários situados em uma altura entre a verga da porta e o peitoril da janela 1,50 m Introdução Planta Baixa A porção da edificação acima do plano de corte é eliminada e representa-se o que um observador imaginário posicionado a uma distância...

    550  Palavras | 3  Páginas

  • AULAS 06 A 10 PLANTAS CORTES E FACHADAS

    AULAS DE 06 A 10 PLANTAS (SITUAÇÃO, LOCAÇÃO E COBERTA) PLANTA BAIXA CORTES FACHADAS CURSO TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES DISCIPLINA DESENHO ARQUITETÔNICO I PROFª BÁRBARA CARDOSO TENÓRIO 27/09/2013 A 22/11/2013 PLANTAS (SITUAÇÃO, LOCAÇÃO E COBERTA) DISCIPLINA DESENHO ARQUITETÔNICO I DISCIPLINA DESENHO ARQUITETÔNICO I DISCIPLINA DESENHO ARQUITETÔNICO I DISCIPLINA DESENHO ARQUITETÔNICO I PLANTA BAIXA DISCIPLINA DESENHO ARQUITETÔNICO I PLANO DE CORTE QUE A 1,50M DE ALTURA DO PISO DISCIPLINA DESENHO...

    778  Palavras | 4  Páginas

  • cuidados com plantas no verão

    com as plantas no verão No verão, as regas e adubações devem ser mais frequentes, principalmente para as plantas que ficam expostas ao sol. Em algumas regiões mais áridas, é necessário regá-las duas vezes por dia, sempre pela manhã e no fim da tarde. “A taxa de evapotranspiração das plantas (perda de água do solo por evaporação e a perda de água da planta por transpiração) é menor à noite, logo a absorção da água é mais efetiva. Nesse horário a temperatura também tende a estar mais baixa e o desperdício...

    717  Palavras | 3  Páginas

  • GESTÃO INDUSTRIAL DE CONFECÇÃO DE MODA DA EMPRESA D’ROUSE

    GESTÃO INDUSTRIAL DE CONFECÇÃO DE MODA DA EMPRESA D’ROUSE Acadêmico (a): Jéssica Patrícia Welter RESUMO Este estudo foi realizado com a proposta de apresentar as atividades desenvolvidas durante a visita técnica realizada na empresa D’Rouse, apresentam-se algumas considerações com relação à empresa, dentre elas, dificuldades encontradas durante a prática profissional, descrição da produção fabril, juntamente com um plano de sugestão de melhorias para a empresa. Nele também se apresentam...

    2981  Palavras | 12  Páginas

  • Desenho Cad Planta Baixa

    AutoCAD. Aplicando-os na confecção de uma planta baixa. Configurações: A primeira providência a ser tomada quando iniciamos uma representação gráfica é determinar e configurar o arquivo do AutoCad. Dentre as configurações necessárias encontram-se: determinar e editar as camadas (layer), cota e texto, para tal, se faz necessário ter uma ideia prévia da escala em que o desenho será plotado (impresso). As configurações que devem ser adotadas na representação da planta baixa estão contidas no arquivo...

    3295  Palavras | 14  Páginas

  • Planta baixa de uma uan

    PLANTA BAIXA DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO: UMA ABORDAGEM PRÁTICA EM TRÊS MODALIDADES: COMERCIAL, INDUSTRIAL E INSTITUCIONAL Lucas José Costa Mascarenhas 1; Karina Zanoti Fonseca 2; Gizane Ribeiro de Santana 3 karinaufrb@yahoo.com.br 1 Nutricionista pela UFRB Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Santo Antônio de Jesus, Bahia – Brasil 2 Nutricionista, atua na área de docência em alimentação coletiva. Linhas de pesquisa: gestão de alimentos e substâncias bioativas. 3 Nutricionista...

    2680  Palavras | 11  Páginas

  • A confecção e utilização de maquete

    1 A CONFECÇÃO E UTILIZAÇÃO DE MAQUETE Profª. Maria Angélica Bizari Cavicchioli – Dep. de Geografia/UFAM Profª. Mircia Ribeiro Fortes – Dep. de Geografia/UFAM A maquete é uma das formas de representação do espaço geográfico, ou seja, permite a representação da realidade através de construções simplificadas e reduzidas. Além disso, na construção da maquete, compreendem-se conceitos cartográficos necessários à leitura e de uma representação: simbologia cartográfica, proporção, orientação e localização...

    847  Palavras | 4  Páginas

  • Projeto plantas

    pelo Decreto Municipal n.º 1267/2000, por meio da Resolução n.º 326/2007-CEE/MT, DOE de19/10/98. Reconhecido através da portaria n.º 219/2007-CEE/MT DOE 10/07/2007. Travessa Executiva N.º42 – Centro – fone: (66) 3553 – 1797 Ciclo de vida das plantas e suas utilidades FABIANA TOSTA DE MORAES JURUENA/MT 2011 SUMARIO Introdução. Justificativa…………………………………………………………………………. Objetivos: Geral....................................................................................................

    4095  Palavras | 17  Páginas

  • Plano de negocios Confeccão e Loja de Roupas

    Plano de Investimentos 10.Comentários Finais 11.Bibliografia Utilizada 12.Anexo1 13.Anexo Sumário Executivo Introdução Esse Plano de Negócio tem por finalidade a análise de viabilidade mercadológica e econômica financeira para a abertura da Confecção WM na cidade de Borda da Mata. A cidade não conta com muitos atrativos turísticos, porém é conhecida pelos seus pijamas e a maioria dos visitantes que desejam ir ao circuito Turístico das malhas passam por aqui, um ótimo exemplo são as lojas de...

    3462  Palavras | 14  Páginas

  • Plantas ornamentais

    NTRODUÇÃO As plantas ornamentais são plantas que são cultivadas geralmente por sua beleza, peculiaridade ou excentricidade elas são utilizadas desde muito tempo por suas características atraentes, flores e perfume DESENVOLVIMENTO Planta ornamental é toda planta cultivada por sua beleza. São muito usadas na arquitetura de interiores e no paisagismo de espaços externos. Há indícios que desde os primórdios da humanidade, algumas espécies como o lírio branco (Lilium candidum) eram cultivados...

    1318  Palavras | 6  Páginas

  • Plantas

    de água. São os Brejos mais úmidos, os Agrestes que compõe uma área importante de transição e os Curimataús, Cariris e a Caatinga que desenham uma área mais seca. Cada árvore se adapta a uma região ou mais. Observe na tabela a ocorrência das plantas nas zonas ambientais do Polo da Borborema. Árvore Moldura ambiental Angico Agreste, Cariri, Curimataú, Caatinga Aroeira Cariri, Curimataú Baraúna Cariri, Curimataú Barriguda Agreste, Cariri, Curimataú Camunzé Brejo...

    6578  Palavras | 27  Páginas

  • Plantas Medicinais

    DISCIPLINA: Química I QUALIDADE DAS PLANTAS MEDICINAIS ACADÊMICOS: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx GURUPI-TO SETEMBRO DE 2014 INTRODUÇÃO Os fitoterápicos têm sido usados desde épocas antigas como medicina para o tratamento de uma ampla gama de doenças. As plantas medicinais desempenharam um papel chave na saúde do mundo. As pesquisas de mercado indicam que todas as classes socioeconômicas no Brasil usam plantas medicinais devido às preferências culturais, ao...

    2297  Palavras | 10  Páginas

  • As Plantas - Ornamentais, Tóxicas e Medicinais

    As plantas As plantas são indispensáveis na nossa vida e na terra, isto porque elas libertam oxigénio, o que permite a respiração da maior parte dos seres vivos. Além disso, protegem os solos contra a erosão, ou seja, contra o desgaste provocado pelas chuvas ou excesso de sol. Servem de matéria-prima para a construção de mobiliário, papel, medicamentos, tintas, vernizes, perfumes, alimentação de pessoas e animais. Ou seja, as plantas tem um papel significativo em nossas vidas. Existem grandes...

    2339  Palavras | 10  Páginas

  • Reuso de retalhos de chapas derivadas de madeira da indústria moveleira para a confecção de chapas prensadas

    FACULDADE SENAI DE TECNOLOGIA AMBIENTAL ANTONIO ANTUNES JUNIOR REUSO DE RETALHOS DE CHAPAS DERIVADAS DE MADEIRA DA INDÚSTRIA MOVELEIRA PARA A CONFECÇÃO DE CHAPAS PRENSADAS SÃO BERNARDO DO CAMPO 2007 Antonio Antunes Junior Reuso de retalhos de chapas derivadas de madeira para a confecção de chapas prensadas. Estudo de caso na escola SENAI “Almirante Tamandaré” e empresas da região de São Bernardo do Campo e Diadema. Monografia apresentada à Faculdade SENAI de Tecnologia Ambiental...

    11276  Palavras | 46  Páginas

  • Construção de disciplina específica sobre saberes tradicionais: plantas medicinais, plano piloto para escolas indígenas.

    biodiversidade do planeta e associado à sua rica diversidade étnica e cultural detém um valioso conhecimento tradicional passado de geração a geração, entre os quais, destaca-se o vasto acervo de conhecimentos sobre manejo e uso de plantas medicinais (BRASIL, 2006). O uso de plantas medicinais faz parte da cultura tradicional do povo brasileiro, principalmente na região norte devido à sua utilização na cura e no tratamento de doenças. Na região amazônica, quando há uma pessoa doente na família...

    2206  Palavras | 9  Páginas

  • Implantação de Leiaute Celular em Indústria de Confecção

    após seis anos, mudar para outro endereço, onde funcionaria apenas a empresa Florbella. Sendo assim, hoje a Florbella está localizada na Rua Apodi, 490 – Tirol, Natal/RN. A empresa encontra-se na categoria de microempresa, atuando no ramo de confecção, voltada exclusivamente para o público feminino, focando em mulheres das classes B e B+. Atualmente os produtos são comercializados através de coleções que se dividem em: preview de verão(primavera); verão; alto verão; preview de inverno (outono)...

    14424  Palavras | 58  Páginas

  • Plantas do cerrado

    contra o verme-gigante-dos-rins, que é muito frequente e geralmente fatal no lobo. Os frutos são utilizados na alimentação de populações tradicionais para o preparo de doces, geleias. Seu uso medicinal é amplamente difundido no bioma Cerrado. É planta amiga dos criadores de gado. Apesar de ser considerada uma espécie daninha para lavouras e pastagens, suas folhas e frutos são apreciados pelo gado, podendo ser uma ótima alternativa como pastagem nativa durante a época seca, uma vez que as folhas...

    5026  Palavras | 21  Páginas

  • CONFECÇÃO DE GEOTÊXTEIS A PARTIR DE DIFERENTES FIBRAS NATURAIS DE OCORRÊNCIA NAS COMUNIDADES RIBEIRINHAS O BAIXO SÃO FRANCISCO

    CONFECÇÃO DE GEOTÊXTEIS A PARTIR DE DIFERENTES FIBRAS NATURAIS DE OCORRÊNCIA NAS COMUNIDADES RIBEIRINHAS O BAIXO SÃO FRANCISCO J. B. LINO; F. S. R. HOLANDA; C. dos SANTOS; M. M. MOURA; J. D. S. CASTRO Universidade Federal de Sergipe, Campus Prof. José Aloísio de Campos, Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze – CEP 49100-000, São Cristóvão, Brasil, janissonlino@gmail.com, fholanda@infonet.com.br, catiafjav@hotmail.com, marksmoura@yahoo.com.br, deverton_jd@hotmail.com (79) 2105-6600. ...

    2881  Palavras | 12  Páginas

  • Plantas ornamentais

    1 PLANTAS ORNAMENTAIS  É toda planta cultivada por sua beleza.  Distinguem-se pelo florescimento, pela forma ou colorido das folhas e pela forma e aspecto geral da planta. Preenchem os espaços livres e adaptam-se a recipientes de enfeite, estabelecendo no mundo moderno o contato mínimo possível do homem com a natureza.  1.1 TIPOS a) f) b) Arbustos g) Herbáceas c) Aquáticas h) Orquídeas d) Cactos /Suculentas i) Palmeiras e) 1.2 Arbóreas ...

    5986  Palavras | 24  Páginas

  • QUALIDADE NUTRICIONAL DAS PLANTAS FORRAGEIRAS

     QUALIDADE NUTRICIONAL DAS PLANTAS FORRAGEIRAS Amadeu Bona Filho Marcos Weber do Canto As pastagens se constituem na principal fonte alimentar para os ruminantes sendo que, na maioria das vezes, representam a única dieta em muitos sistemas de produção de bovinos de corte, constituindo-se na forma mais econômica de produção de carne, embora muitas vezes deixando a desejar em termos de produtividade em função do baixo valor nutritivo...

    10266  Palavras | 42  Páginas

  • Guia de Normalização p/ empresa Confecção

    GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO GUIA DE NORMALIZAÇÃO PARA CONFECÇÃO FICHA CATALOGRÁFICA Documento elaborado no âmbito do Convênio ABNT/SEBRAE destinado às micro e pequenas empresas. A849n Associação Brasileira de Normas Técnicas Normalização: Caminho da qualidade na confecção [recurso eletrônico] / Associação Brasileira de Normas Técnicas, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. – Rio de Janeiro: ABNT; SEBRAE, 2012. 66 p.: il.color. Modo de acesso: http://portalmpe.abnt.org...

    17817  Palavras | 72  Páginas

  • Cegueira e Baixa Visão

    Macena. CEGUEIRA E BAIXA VISÃO BRASÍLIA/DF 2013 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO CEGUEIRA E BAIXA VISÃO Trabalho desenvolvido na disciplina de O Educando com Necessidades Especiais no curso de Pedagogia da Universidade de Brasília como parte da avaliação referente ao 2º semestre. Orientadora: Professora Amaralina BRASÍLIA/DF 2013 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO 2- CEGUEIRA E BAIXA VISÃO 2.1- Conceitos ...

    7261  Palavras | 30  Páginas

  • Catálogo de plantas ornamentais

    stratiotes Sinonímia: Pistia crispata, Pistia minor Nome Popular: Alface-d'água, erva-de-santa-luzia Família: Araceae Divisão: Angiospermae Origem: América Tropical Ciclo de Vida: Perene Descrições gerais Planta aquática muito rústica e pouco exigente. Muitas vezes torna-se até uma planta daninha, devido à sua rápida multiplicação. No paisagismo é utilizada em aquários, fontes, lagos e espelhos d'água. Suas folhas são verdes-claras, com uma textura aveludada, muito ornamentais. Aprecia o calor...

    10182  Palavras | 41  Páginas

  • Plantas frutiferas

    JOSÉ CLAUDIO VENTURINE CARACTERIZAÇÃO DE PLANTAS FRUTÍFERAS NATIVAS E EXÓTICAS DO SETOR DE FRUTICULTURA DA UFLA Monografia de estágio supervisionado apresentada ao Departamento de Agricultura da Universidade Federal de Lavras como parte das exigências para conclusão do curso de Agronomia, para a obtenção do título de “Engenheiro Agrônomo". Orientador Prof. Dr. José Darlan Ramos ...

    10032  Palavras | 41  Páginas

  • Monografia irrigador de plantas

    raízes da planta. Muito indicada na produção de mudas a Irrigação por aspersão consiste na dispersão de água sobre a cultura, utilizando-se em conjunto motobombas, tubulação, aspersores e acessórios. A tecnologia da irrigação por gotejamento envolve diretamente a urgente necessidade de conservar e proteger o ambiente, ao permitir que o agricultor distribua de maneira uniforme a água e os elementos nutritivos à zona das raízes em quantidades precisas para atender as necessidades das plantas. Isso...

    4285  Palavras | 18  Páginas

  • Plantas

    PLANTAS AVASCULARES - BRIÓFITAS 1- Caracterize briófitas São plantas pequenas e delicadas, sem vasos condutores de seiva, que vivem, em geral, em ambientes úmidos e sombreados, como barrancos e troncos de árvores no interior das matas. 2- Qual a principal diferença entre o ciclo de vida alternante das briófitas e o das demais plantas? O gametófito (fase haplóide) é a geração mais desenvolvida e persistente do ciclo de vida. O esporófito das briófitas (geração diplóide) tem tamanho reduzido...

    4662  Palavras | 19  Páginas

  • Reconhecimento e uso de plantas medicinais entre os idosos de francisco beltrão-pr

    Unipar Redondo UNIVERSIDADE PARANAENSE – UNIPAR UNIDADE-CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MARCELO DA SILVA reconhecimento E USO de plantas MEDICINAIS ENTRE OS IDOSOS DE FRANCISCO BELTRÃO-PR FRANCISCO BELTRÃO (2010) MARCELO DA SILVA reconhecimento E USO de plantas MEDICINAIS ENTRE OS IDOSOS DE FRANCISCO BELTRÃO-PR Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Ciências Biológicas Universidade Paranaense – UNIPAR – Unidade-campus Francisco Beltrão...

    7631  Palavras | 31  Páginas

  • planta tropicais

    Algumas espécies de plantas reunidas por famílias e suas propriedades George Duarte Ribeiro Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Rondônia Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Algumas espécies de plantas reunidas por famílias e suas propriedades George Duarte Ribeiro Embrapa Rondônia Porto Velho - Rondônia Fevereiro/2010 Embrapa Rondônia BR 364 km 5,5, Caixa Postal 406, CEP 76815-800, Porto Velho, RO Telefones: (69) 3901-2510, 3225-9387, Fax:...

    60326  Palavras | 242  Páginas

  • Plantas

    antes de serem construídos, sendo exibidos apenas pelas plantas. Mas quando o assunto é casa, podemos projetar do jeitinho que queremos, ou até mesmo achar modelos prontos de plantas de casas, para definir antes de iniciar o projeto, como vai ser a arquitetura da construção. Mais abaixo você encontra alguns projetos de casas grátis, pronto pra baixar e imprimir. Existem serviços gratuitos para o desenvolvimento de projetos de casa e plantas na internet e até mesmo de decoração dos ambientes da casa...

    107531  Palavras | 431  Páginas

  • ESTUDO E DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA INTELIGENTE DE CONTROLE DE UMA PLANTA PILOTO

    i PAULO HENRIQUE TOLEDO DE OLIVEIRA E SOUZA ESTUDO E DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA INTELIGENTE DE CONTROLE DE UMA PLANTA PILOTO Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo Curso de Engenharia Elétrica com ênfase em Sistemas de Energia e Automação ORIENTADOR: Prof. Dr. Dennis Brandão São Carlos 2007 ii AGRADECIMENTOS Agradeço a minha família pelo apoio durante o todo curso, aos amigos com os quais estive ...

    6894  Palavras | 28  Páginas

  • Apostila Rel O Entre Gua E Planta

    RELAÇÕES SOLO-ÁGUA-PLANTA EM AMBIENTES NATURAIS E AGRÍCOLAS DO NORDESTE BRASILEIRO PROMOÇÃO Universidade Federal Rural de Pernambuco PARTE I Claudivan Feitosa de Lacerda Engenheiro Agrônomo/UFC MS, Solos e Nutrição de Plantas/UFC DS, Fisiologia Vegetal/UFV Professor Adjunto Departamento de Engenharia Agrícola Centro de Ciências Agrárias Universidade Federal do Ceará Recife – Pernambuco Dezembro de 2007 CONTEÚDO UNIDADE PÁGINA UNIDADE 1 - A ÁGUA E O SEU CICLO NO SISTEMA SOLOPLANTA-ATMOSFERA...

    27678  Palavras | 111  Páginas

  • Produção de plantas duplo-haplóides deTrigo e Cevada

    COSTAMILAN RELATÓRIO DE ESTÁGIO PRODUÇÃO DE PLANTAS DUPLO-HAPLOIDES DE TRIGO E DE CEVADA Relatório de Estágio Curricular Supervisionado, apresentado ao IFC Campus Sombrio, como requisito obrigatório para obtenção do título de Técnico Agrícola com Habilitação em Agropecuária. Orientador: Prof. Airton Luiz Bortoluzzi Santa Rosa do Sul (SC), 2012 AMANDA COSTAMILAN RELATÓRIO DE ESTÁGIO: Produção de plantas Duplo-haploides de trigo e de cevada Esta produção técnico...

    4727  Palavras | 19  Páginas

  • Microrganismos Endofílicos em plantas amazônicas

    Atividade antimicrobiana de fungos endofíticos isolados de plantas tóxicas da amazônia: Palicourea longiflora (aubl.) rich e Strychnos cogens bentham. Antonia Queiroz Lima de SOUZA1, Afonso Duarte Leão de SOUZA2, Spartaco ASTOLFI FILHO2, Maria Lúcia BELÉM PINHEIRO2, Maria Inez de Moura SARQUIS3, José Odair PEREIRA2. RESUMO Das plantas tóxicas da Amazônia Palicourea longiflora e Strychnos cogens foram isolados 571 fungos endofíticos e 74 bactérias endofíticas. Palicourea longiflora (Rubiaceae)...

    6881  Palavras | 28  Páginas

  • plantas vasculares flores e frutos:angiospermas

    heterotróficos. Suas células possuem parede celular, mas não de celulose, ou seja, diferente das células vegetais. A parede celular dos fungos é de quitina. Exemplos: leveduras, o mofo e os cogumelos. Reino das plantas ou dos vegetais (ou reino Plantae ou Metaphyta) - Engloba todas as plantas. Esses seres são formados por células eucariontes. São pluricelulares, autotróficos (fazem seu próprio alimento, pois fazem fotossíntese) e possuem tecidos especializados. Suas células caracterizam-se também por...

    5624  Palavras | 23  Páginas

  • Cronoánalise: Estudo de Caso em uma Indústria de Confecção

    Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia de Produção Cronoanálise: Estudo de Caso em uma Indústria de Confecção Vinícius Abreu Teles dos Reis TCC-EP-95-2011 Maringá - Paraná Brasil ii Universidade Estadual de Vinícius Abreu Teles dos Reis TCC-EP-95-2011 Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito de avaliação...

    11393  Palavras | 46  Páginas

  • Empresa de confecção

    LOPES TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÉCNICO TÊXTIL EM MALHARIA E CONFECÇÃO VERSÁTIL CONFECÇÕES ARARANGUÁ, JULHO DE 2011 JOYCE DA ROSA FERRAZ HUBER MARIA GORETE LOPES TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÉCNICO TÊXTIL EM MALHARIA E CONFECÇÃO Trabalho de conclusão de curso apresentado à Disciplina de projeto de Confecção, como parte dos requisitos para obtenção do título de Técnico Têxtil em Malharia e Confecção. Orientadora: Profª. Esp. Ana Cristina Ferreira Geraldo ARARANGUÁ...

    15817  Palavras | 64  Páginas

  • Manual de Propagacao de Plantas

    Manual de Propagação de Plantas INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE ESCOLA SUPERIOR CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS Manual de Propagação de Plantas Elaborado por: ______________________ Beira, Dezembro 2011 Por: Eng.__________________________________ 1 Manual de Propagação de Plantas PLANO TEMÁTICO OBJECTIVO Objectivo geral:  Analisar, avaliar, orientar e fiscalizar os processos de propagação de plantas preservando o ambiente e promovendo a sustentabilidade...

    21253  Palavras | 86  Páginas

  • Plantas q curam

    1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 PLANTAS QUE CURAM HUGO CARAVACA 3 PLANTAS QUE CURAM HUGO CARAVACA     PREFÁCIO   Desde os tempos mais remotos, as plantas sempre estiveram presentes na vida do homem. A utilização dos vegetais com fins terapêuticos é anterior ao desenvolvimento da ciência. Cada povo possui sua própria listagem de ervas medicinais, geralmente plantas comuns no território em que habitam, cujas aplicações são transmitidas através de gerações. Nas...

    13080  Palavras | 53  Páginas

  • O uso de plantas medicinais

    UNIVERSIDADE DA REGIÃO DA CAMPANHA MILENA TAVARES LEMES PLANTAS MEDICINAIS – MEDICINA ALTERNATIVA E O SUA UTILIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE SANTANA DO LIVRAMENTO – RS. Santana do Livramento 2010 MILENA TAVARES LEMES PLANTAS MEDICINAIS – MEDICINA ALTERNATIVA E O SUA UTILIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE SANTANA DO LIVRAMENTO –RS. Monografia em Ciências Biológicas Para obtenção do Título de Licenciatura em Ciências Biológicas Universidade da Região da Campanha ...

    9701  Palavras | 39  Páginas

  • O uso do camalote, Eichhornia crassipes (Mart.) Solms, Pontederiaceae, para confecção de artesanato no Distrito de Albuquerque, Corumbá, MS, Brasil

    crassipes (Mart.) Solms, Pontederiaceae, para confecção de artesanato no Distrito de Albuquerque, Corumbá, MS, Brasil1 Ieda Maria Bortolotto2,4 e Germano Guarim Neto3 Recebido em 16/12/2003. Aceito em 24/09/2004 RESUMO – (O uso do camalote, Eichhornia crassipes (Mart.) Solms, Pontederiaceae, para confecção de artesanato no Distrito de Albuquerque, Corumbá, MS, Brasil). Eichhornia crassipes (Mart.) Solms, conhecida localmente como camalote, é uma planta aquática nativa da América do Sul, abundante...

    4421  Palavras | 18  Páginas

  • Plantas medicinais

    gengibre-dourada, mangarataia. HABITAT Espécie tropical alóctone, originária da Índia e da ilha de Java onde ocorre em campinas de montanha, e introduzida há alguns séculos no Brasil, crescendo subespontaneamente em áreas aluviais e ruderais. FITOLOGIA Planta herbácea, rizomatosa, de vegetação anual e rizomas perenes. Cresce cerca de 1,30m. As folhas são grandes, 30 a 40cm de comprimento por 15 a 20cm de largura, glabras, com pecíolo tão comprido quanto o limbo. São oblongo-lanceoladas, reunidas na base...

    128001  Palavras | 513  Páginas

  • Subsídios à transformação genética de plantas de catasetum pileatum (orchidaceae) por meio de tecidos meristemáticos radiculares e caulinares

    Cintia Tiemi Shigihara Subsídios à transformação genética de plantas de Catasetum pileatum (Orchidaceae) por meio de tecidos meristemáticos radiculares e caulinares São Paulo 2008 meristemáticos radiculares e caulinares Dissertação apresentada ao Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, para a obtenção de Título de Mestre em Ciências...

    32885  Palavras | 132  Páginas

  • Confecção de jogos para o ensino de Botânica

    OFICINAS 1 – Dados de identificação 1.1 – Título da oficina: Confecção de jogos para o ensino de Botânica 1.2 – Ministrante: Bárbara Alves de Sousa 1.3 – Público-alvo: Professores do ensino fundamental e médio da rede pública 1.4 – Vagas: 30 2 – Plano da oficina 2.1 – Introdução: A botânica é considerada como uma das áreas que apresenta maior dificuldade para assimilação de conceitos, procedimentos e atitudes no ensino básico. Tais problemas ocorrem devido à ausência de...

    680  Palavras | 3  Páginas

  • LEVANTAMENTO DE ESPÉCIES DE PLANTAS MEDICINAIS NATIVAS DA REGIÃO COLETADAS NO SÍTIO TARUMÃ

    LEVANTAMENTO DE ESPÉCIES DE PLANTAS MEDICINAIS NATIVAS DA REGIÃO COLETADAS NO SÍTIO TARUMÃ RISING OF SPECIES OF NATIVE MEDICINAL PLANTS OF THE AREA COLLECTED AT THE RANCH TARUMÃ MIRIAN JOICE DE ANDRADE PATRÍCIA DE ALMEIDA FREITAS Acadêmicas do Curso de Ciências Biológicas da UNIVAS – Universidade do Vale do Sapucaí Pouso Alegre – MG – 2010 Professor Orientador: Ms. Emanuel Eustáquio de Almeida RESUMO: As instituições têm investido em pesquisa para a obtenção de...

    3087  Palavras | 13  Páginas

  • Energia

    TÉCNICO TÊXTIL EM MALHARIA E CONFECÇÃO PLANTA BAIXA Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. fsantana@cefetsc.edu.br 3526-0833 8407-9946 1 Aula 1 – Componentes de uma PBA • Apresentação da turma • Introdução à PBA • Objetivo de PBA para TMC – Como convencer alguém a “comprar” seu projeto? • Buscar emprego ou empreender? – Cooperativa • Conduta do aluno durante o curso – Você contrataria/ faria sociedade com seu colega? • Integração de PBA com o curso • Cronograma • Material...

    777  Palavras | 4  Páginas

  • biodiversidade e as plantas

    Projeto:biodiversidade e as plantas JUSTIFICATIVA No intenso processo de urbanização, cada vez mais nos afastamos do contato com a Natureza. As plantas são a base de toda a biodiversidade devido a sua importante função de produtora, mas costumam ser menos reconhecidas como seres vivos entre as crianças . Compreendendo todo o espaço escolar como meio de interação e construção contínua de conhecimento, este projeto visa promover o estudo das plantas existentes em nossa biodiversidade...

    1675  Palavras | 7  Páginas

  • O Poder De Cura De Plantas E Ervas Medicinais

    http://naturaervas.loja2.com.br O uso de plantas medicinais pelo homem, para alívio de seus males, remonta desde a Grécia e Roma antiga. Apesar de o homem abandonar gradativamente o campo, perdendo contato direto com as plantas nativas e desaprendendo sua importância e propriedades, atualmente 68% da população mundial ainda utiliza plantas medicinais para o tratamento de diversas enfermidades. As doenças resultam do desequilíbrio entre o homem e o ambiente. As plantas medicinais podem conter princípios...

    36458  Palavras | 146  Páginas

  • Plantas medicinais

    ESCOLA MUNICIPAL DONA AMÉLIA GARCIA CUNHA SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. PLANTAS MEDICINAIS Público Alvo:- Alunos dos 5º V: 6º A,B,D,V;7º D; 8º D,V;9º A,B anos; famílias dos alunos; professores e administrativos da escola. Escola Municipal Dona Amélia Garcia Cunha Avenida Ema, Q.46 – Setor Oeste, Centro Chapadão...

    3288  Palavras | 14  Páginas

  • Arquitetura

    Sistemas de projeção. 1.1. Cônico (central). 1.2. Cilíndrico (paralelo). 1.2.1. Oblíqua. 1.2.2. Ortogonal. 2. Vistas Ortográficas. 2.1. Superior, inferior, frontal, posterior, lateral direita e esquerda. 3. Vistas Ortográficas seccionadas. 3.1. Planta, corte, fachada e implantação. 4. Desenho de objetos; de elementos do espaço construído; do edifício e da paisagem. 4.1. Observação e percepção do espaço. Orientação de como ver, observar e perceber os objetos. 4.2. Exploração dos materiais de...

    1211  Palavras | 5  Páginas

  • Plantas de interesse florestal do pantanal e cerrado.

    AQUIDAUANA CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL PROFª Dr.ª LILIAM HAYD PLANTAS DE INTERESSE FLORESTAL NO PANTANAL E CERRADO Carla Martins Brito Jacson Falcão Serra Jéssica Silva de Souza Kássia Mirelly Cardoso de Gouveia Kenedy Pereira Ávalo Lidiane Leon Michele da Silva Aquidauana-MS Maio de 2012 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL UNIDADE DE ENSINO DE AQUIDAUANA CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL PROFª Dr.ª LILIAM HAYD PLANTAS DE INTERESSE FLORESTAL NO PANTANAL E CERRADO Trabalho avaliativos ...

    5152  Palavras | 21  Páginas

  • relatório ambiental

    RELATÓRIO AMBIENTAL INTRODUÇÃO A análise do um terreno, seu relevo e os impactos ambientais causados na construção da casa foram fundamentais para a confecção do projeto. Com o passar dos anos a área estudada foi bastante modificada e hoje, ano de 2013, a amplificação para moradias é visível não só no condomínio onde se encontra o lote escolhido , bem como nas proximidades, um exemplo seria o bairro “Jardins Mangueiral”. Na Figura 1 podemos ver o local do “Jardins Mangueiral” antes da construção...

    526  Palavras | 3  Páginas

  • Plantas têxtil e suas fontes de renda

    Artesanato de Fibras Vegetais Herança dos índios e africanos, a arte do trançado incorporou-se à cultura artesanal. O artesanato em fibras vegetais (e plantas têxteis), representado pelos trançados e trabalhos de cestaria, constitui-se numa das mais expressivas categorias (ao lado da cerâmica e dos trabalhos em madeira), do artesanato típico, que na sua origem, se destinava a atender fins utilitários e a permitir manifestações de caráter cultural, lúdico e religioso do cotidiano. Os objetos característicos...

    1675  Palavras | 7  Páginas

  • Sustentabilidade para baixa renda

    ANÁLISE ECONÔMICA DA SUSTENTABILIDADE EM HABITAÇÃO UNIFAMILIAR DE BAIXA RENDA BRASÍLIA 2010 CARLOS VICENTE FERREIRA RAMOS DE OLIVEIRA DEYVIDI DE LIMA ALVES ELISANDRO LACERDA RAMOS WILANI N. DA SILVA JUNIOR ANÁLISE ECONÔMICA DA SUSTENTABILIDADE EM HABITACÃO UNIFAMILIAR DE BAIXA RENDA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado...

    17134  Palavras | 69  Páginas

  • planta baixa

    5 – PLANTA BAIXA Prof Msc. Marcus André Siqueira Campos Aula 5 Planta baixa 1 PLANTA BAIXAPLANTA DO PAVIMENTO (PLANTA BAIXA): é o corte horizontal feito acima do piso, a distância variável, a fim de mostrar no desenho, todos os componentes do pavimento, como paredes, vãos de portas e janelas, equipamentos fixos e móveis (opcionais), de modo a dar uma perfeita compreensão das divisões, circulação, iluminação e ventilação do Aula 5 – PLANTA BAIXA 2 PLANTA BAIXA Aula...

    618  Palavras | 3  Páginas

  • Planta baixa

    E BETINA CAMPOS O DESENHO TÉCNICO ARQUITETÔNICO representação da planta baixa CASCAVEL, 2006 Os elementos do desenho arquitetônico são vistas ortográficas formadas a partir de projeções ortogonais, ou seja, sistemas em que as linhas projetantes são paralelas entre si e perpendiculares ao plano projetante. DESENHO I – O DESENHO ARQUTETÔNICO APOSTILA PARTE II 1 2 PLANTA BAIXA DESENHO I – A PLANTA BAIXA APOSTILA PARTE II DESENHO I – O DESENHO ARQUTETÔNICO APOSTILA...

    2053  Palavras | 9  Páginas

  • Tcc de redes

    Fachada do prédio .................................................................. 8 Apêndice B – Planta baixa do pavimento térreo ......................................... 9 Apêndice C – Planta baixa dos pavimentos superiores ........................... 10 Redes de Computadores I – Projeto Final 3 Introdução Olá a todos. Este documento contém as diretrizes básicas referentes à confecção do projeto final de nossa disciplina, Redes de Computadores I. Esta iniciativa iniciou-se a partir da...

    1331  Palavras | 6  Páginas

  • Planta baixa

    ESTUDO DA PLANTA BAIXA Fevereiro- 2014 DEFINIÇÃO DE PLANTA BAIXA É a vista seccionada, olhando-se de cima para baixo, depois de se cortar a Edificação, segundo um Plano de Secção Horizontal com altura de 1.50m , e deixada de lado a parte superior. Descarta a parte Superior. Projeção horizontal, Projeta-se os detalhes no piso. FINALIDADE DA PLANTA BAIXA Ela serve como referência para todos os outros elementos de um projeto. 1-Quais são esses elementos de um projeto. 2-Serve...

    1210  Palavras | 5  Páginas

  • DESENHO DE CONSTRU O CIVIL 02

    os Desenhos Técnicos. 1. Paredes: (ou Alvenarias) • Representações em Planta Baixa: Linha grossa ou média. (Canetas com pena 06 ou 04) • Representações em Cortes: Linha grossa ou média as paredes que forem cortadas (Canetas com pena 04 ou 06), as paredes de vista: linha fina. (Caneta com pena 02) • As paredes Externas geralmente variam entre 20 e 25cm de largura, devido aos vários tipos de usos de elementos usados para confecção de Alvenarias. • As paredes internas geralmente têm uma largura final...

    1178  Palavras | 5  Páginas

  • PLANTA BAIXA

    DESENHO PROJETIVO Professora: Ludmila Alcântara Borges 1 PLANTA BAIXA A planta baixa consiste na visualização superior de uma construção, supondo que a mesma foi cortado por um plano de corte horizontal paralelo ao piso situado a 1,60 metros de altura e retirando a parte superior. 2 PLANTA BAIXA 3 Através da planta baixa, podemos visualizar os seguintes componentes: •disposição, denominação e dimensões dos compartimentos (comprimento e larguras); •localização de aberturas (portas, janelas...

    1837  Palavras | 8  Páginas

  • Conhecendo Plantas

    III JUSTIFICATIVA Este projeto pauta-se na necessidade em criar condições, mecanismos e atividades que permitam aos alunos da Educação Infantil ver com outros olhos a natureza, as árvores e as plantas que estão ao seu redor, inclusive no próprio ambiente escolar, visto que, a maioria dos educandos não preserva o meio ambiente por não se sentir tocado, instigado ou curioso, apenas se apropria dos frutos que as árvores produzem, sobe nas árvores ou as utiliza devido à sombra. De acordo...

    1161  Palavras | 5  Páginas

tracking img