O Que É Poder Despótico artigos e trabalhos de pesquisa

  • Fichamento - Montesquieu Sociedade e Poder

    Fichamento Montesquieu: sociedade e poder J. A. Guilhon Albuquerque A obra de Montesquieu constitui uma conjunção paradoxal entre o novo e o tradicional. O autor mostra que Montesquieu é visto em algumas disciplinas como o pai da sociologia: ora como inspirador do determinismo geográfico, e quase sempre como aquele que desenvolveu na ciência política a teoria dos três poderes, que permanece ainda hoje. Sua preocupação central foi a de compreender as razões da decadência das monarquias...

    12760  Palavras | 52  Páginas

  • Resenha do texto "Sociedade e poder" de Montesquieu

    estudando a origem e a manutenção das leis a partir das diferentes relações entre os seres entre si e com as coisas do mundo. Descobriu os diversos governos que podem se originar delas e foi o primeiro que demonstrou coerentemente a repartição dos poderes para um bom governo. Não quis idealizar a sociedade perfeita, mas estudá-la através de suas estruturas, ou seja, do homem e seus direitos naturais. Estes são as leis inerentes a todos os seres, inclusive o homem, antes da existência de uma sociedade...

    2481  Palavras | 10  Páginas

  • Traços da invenção da política entre gregos e romanos que os fizeram romper com o poder despótico

    Os gregos e romanos inventaram a politica pois se desfizeram do poder despótico,ou seja ,impediram que a concentração dos poderes e das autoridades ficassem na mão de uma só pessoa, por exemplo um rei. Separaram a autoridade privada e a pública,impedindo que um chefe de família fosse também um chefe da sociedade.Para isso na Grécia os postos de governo eram preenchidos por eleições entre os cidadãos,de modo a impedir que o poder fosse somente hereditário;já em Roma os postos de decisão ficaram sempre...

    502  Palavras | 3  Páginas

  • Politica e poder

    estreitamente ligada ao poder. O poder político é o poder do homem sobre outro homem, descartados outros exercícios de poder, sobre a natureza ou os animais, por exemplo. Poder que tem sido tradicionalmente definido como ""consistente nos meios adequados à obtenção de qualquer vantagem"" (Hobbes ) ou, como ""conjunto dos meios que permitem alcançar os efeitos desejados"" (Russell ).Formas e origens do poder São várias as formas de exercícios de poder de um indivíduo sobre outro; o poder político é apenas...

    1089  Palavras | 5  Páginas

  • politica e poder

    Política e poder[editar] A política, como forma de atividade ou de práxis humana, está estreitamente ligada ao poder. O poder político é o poder do homem sobre outro homem, descartados outros exercícios de poder, sobre a natureza ou os animais, por exemplo. Poder que tem sido tradicionalmente definido como "consistente nos meios adequados à obtenção de qualquer vantagem" (Hobbes) ou, como "conjunto dos meios que permitem alcançar os efeitos desejados" (Russell). Formas e origens do poder[editar] ...

    1816  Palavras | 8  Páginas

  • poder e o estado

    O poder e o estado. Por tradição, o Estado é definido como portador do summa potetestas; e a sua análise se resolve predominantemente no estudo das diversas competências que concernem ao soberano. Não há teoria política que não parta de alguma maneira, direta ou indiretamente, de uma definição de "poder" e de uma análise desse fenômeno. Tem-se um exemplo em Poder e sociedade de Lasswell e Kaplan, que afirmam ser o processo político a "formação, distribuição e exercício do poder". Do latim, potere...

    3071  Palavras | 13  Páginas

  • Resumo: Poder

    DEBATEDOR 1 O PODER Conceitos de Poder Poder é a capacidade de realizar algo. A palavra tem origem no latim arcaico, potis esse, contraída em posse e daí, potere. Poder, então, é possibilidade, é potência, potencialidade para a realização de algo. O poder não é ação, é potência. O poder é, também, a força a serviço de uma idéia, como define Burdeau. Em sua obra Método de la Ciencia Política, assim se expressa este publicista: "O poder é uma força a serviço de uma idéia”. Trata-se de uma...

    3594  Palavras | 15  Páginas

  • Divisão de poderes (montesquieu/locke)

    “A clássica teoria da divisão dos poderes” MONTESQUIEU. O Espírito das Leis. São Paulo: Martins Fontes. 2000. Leitura do Livro Primeiro “Das Leis em Geral,” pp. 11-18 e dos Capítulos I a VI do Livro Décimo Primeiro “Das Leis que formam a liberdade política em sua relação com a Constituição” pp. 165-177 LOCKE. John. Segundo Tratado Sobre o Governo Civil. 2ª edição. Petrópolis: Vozes. 1994. Leitura do Capítulo XII “Dos poderes legislativo, executivo e federativo da comunidade civil.”pp. 170-172. ...

    549  Palavras | 3  Páginas

  • Divisão de poderes

    A DIVISÃO DE PODERES: DE MONTESQUIEU AOS NOSSOS DIAS THE DIVISION OF POWERS: MONTESQUIEUOFOURDAYS RESUMO O presente artigo tem como enfoque analisar a teoria da separação dos poderes desenvolvida pelo teórico Montesquieu e suas contribuições para as Constituições, enfatizando o papel das funções Legislativa, Executiva e Judiciária desde o contexto da antiguidade aos dias atuais. Na divisão de poderes, busca-se a proteção da liberdade, e a eficácia do poder, pois cada órgão estatal especializa-se...

    669  Palavras | 3  Páginas

  • Politica, Poder e Estado

    injusta que está posta, é insustentável. Poder, política e o Estado O que conhecemos como “Estado moderno” surgiu com a desintegração da sociedade medieval e das relações sociais e políticas entre os senhores feudais os servos e o poder centralizado na estrutura da Igreja (poder espiritual) a partir da concepção universalista da república christiana.  Assim a primeira característica do Estado moderno é o que Max Weber definiu como a centralização do poder, ou o que ele chamou de “monopólio da...

    4208  Palavras | 17  Páginas

  • O poder - Apresentação do Monstro

    Apresentação do monstro Eleandra Correa da SilvaO que é poder? Gérard Lebrun O Monstro = Leviatã = O Poder Conceitos para a vislumbrar o monstro: Potência = É a capacidade de dispor de recursos que podem provocar um efeito esperado a qualquer momento, ou seja, é a capacidade de exercer algo, que nunca se chega ao ato. Força = É a canalização da potência, É aquilo que faz com que a potência se realize, se torne poder. Os meios utilizados para que o ato seja possível. Exemplo: Ter capacidade...

    1085  Palavras | 5  Páginas

  • O Poder da Inteligencia Emocional

     O PODER DA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL Índice Introdução 3 PARTE I: O PODER DA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL 7 Capítulo 1 – Liderança Primal 7 Capítulo 2 – Liderança Ressonante 10 Capítulo 3 – A Neuroanatomia da Liderança 14 Capítulo 4 – O Repertório da Liderança 17 Capítulo 5 – Os Estilos Dissonantes 20 Aplique com cuidado 20 PARTE II: COMO FAZER LÍDERES 23 Capítulo 6 – Tornando-se um líder ressonante 23 As cinco descobertas 26 Capítulo 7 – A motivação para mudar 29 Capítulo...

    15850  Palavras | 64  Páginas

  • Fichamento: O poder e o poder político como problemas

    Diurno Noturno Referências Bibliográficas Capítulo 3 O poder e o poder político como problemas “Relações de poder supõe assimetrias na posse de meios e nas estratégias para o seu exercício, e o território é tanto um meio como um condição de possibilidade de algumas destas estratégias” (Pág. 95). “Como desdobramento destas condições, será tratada a centralidade territorial do poder como fundamento da institucionalização da coerção legítima no Estado moderno. Serão...

    5919  Palavras | 24  Páginas

  • Conceito de Poder Pabline

    LAGOAS 2014 CONCEITO DE PODER E SUA ASSOCIAÇÃO À PERSPECTIVA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS PREVISTOS NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Trabalho da disciplina Ciência Política/ Ciência Política: Estado e Sociedade/ Formação Política Contemporânea do curso de Direito da Unidade Acadêmica de Ensino de Direito – UEDI, UNIFEMM – Centro Universitário de Sete Lagoas, Fundação Educacional Monsenhor Messias. SETE LAGOAS 2014 CONCEITO DE PODER E SUA ASSOCIAÇÃO À PERSPECTIVA...

    2804  Palavras | 12  Páginas

  • A questão do poder nas sociedades primitivas

    Resumo: A questão do poder nas sociedades primitivas O desenvolvimento ocorrido nas duas últimas décadas marcou uma mudança no paradigma das sociedades primitivas. O que acabou por livrá-las se não a seu destino (o desaparecimento), ao menos do exílio, afastamento que as condenava, devido a um pensamento tradicional exotista ocidental. A convicção de que as sociedades europeias que eram consideradas superiores deu lugar a um relativismo cultural que renunciando à afirmação imperialista de uma...

    1081  Palavras | 5  Páginas

  • O poder e o estado

    de seu tempo. Vamos ver o que pensavam sobre esses temas. Karl Marx. Tendo escrito sobre as questões que envolvem o Estado num período em que o capitalismo ainda estava em formação, Marx não formulou uma teoria especifica sobre o Estado e o poder. Num primeiro momento, ele se aproximou da concepção anarquista, definindo o Estado como uma entidade abstrata, em contradição com a sociedade. Seria uma comunidade ilusória, que procuraria economicamente a sociedade. No livro...

    1146  Palavras | 5  Páginas

  • Fichamento: Leviatã ou matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e civil.

    matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e civil. São Paulo: Abril Cultural, 1983. P. 103 – 154. Assuntos abordados no texto 1. Das causas, geração e definição de um Estado. 2. Dos direitos dos soberanos por instituição 3. Das diversas espécies de governo por instituição, e da sucessão do poder soberano 4. Do domínio paterno e despótico 5. Da liberdade dos súditos 6. Dos sistemas sujeitos, políticos e privados 7. Dos ministros públicos do poder soberano 8. Da...

    853  Palavras | 4  Páginas

  • Troca e Poder

    Troca e poder: filosofia da chefia indígena O poder político nas sociedades primitivas estava divido entre duas acepções, opostas, porém complementares, segundo a etnologia. A primeira defende que as sociedades primitivas não possuem organização política, com a falta de um órgão claro que tivesse a incumbência dessa tarefa. Há uma verdadeira estagnação dessas sociedades, as quais passavam por uma fase pré-política ou anárquica. A segunda idéia advoga de maneira oposta, uma vez que conduz as...

    1497  Palavras | 6  Páginas

  • Fichamento de leviatã ou matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA CENTRO DE CIENCIAS SOCIAIS, SAÚDE E TECNOLOGIA – CCSST CURSO DE PEDAGOGIA AMANDA BARRETO MILHOMEM LEVIATÃ OU MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Imperatriz 2012 AMANDA BARRETO MILHOMEM LEVIATÃ OU MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Resenha apresentada ao Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia – CCSST, Curso de Pedagogia, na disciplina de Sociologia da Educação II, no segundo período...

    6369  Palavras | 26  Páginas

  • Politica, poder e dominação. ciencia politica

    Econômicas Disciplina: Ciência Política - Código: GRI 005 Prof Pedro Barbosa Política, Poder e Dominação Uberlândia, 1º de fevereiro de 2013 1 1. Apresentação Cumprindo parte do currículo da disciplina: Ciência Política - Código: GRI 005, ministrada pela Prof Pedro Barbosa, coube a este aluno, em substituição à prova a ser ministrada no mês de fevereiro de 2013, a elaboração do presente texto Política, Poder e Dominação, constante da Unidade I do programa da citada disciplina. O objetivo da...

    5145  Palavras | 21  Páginas

  • Deus e os seres humanos em busca do poder

    Deuses e seres humanos em busca do poder A busca do poder é presenciada desde a mitologia grega, a qual partia de uma disputa de poderes entre os deuses. Um exemplo foi o episódio ocorrido entre Zeus, que condenou Prometeu a ficar preso a um rochedo eternamente, sendo comido por águias. Tudo isso porque ele ousou dar ao ser humano um poder que pertencia aos deuses: o poder do fogo, tornando os humanos iguais aos deuses, pois os humanos dominavam a natureza através desse artifício. ...

    1201  Palavras | 5  Páginas

  • Fichamento - os três poderes

    Fichamento: MAX, Weber. Três tipos puros de poder legítimo. Tradutor: Artur Morão. Legitimidade do poder; razões de legitimidade. O texto mostra que o poder é encontrar obediência a uma determinada ordem, podendo ser condicionada por uma situação de interesses, por um hábito ou por uma tendência especifica. No caso dos governantes, o poder se dá por razões jurídicas e o abalo desta fé legitimadora costuma ter consequências. Nessas razões de legitimidade, apenas três correspondem a uma forma...

    1356  Palavras | 6  Páginas

  • relacoes de poder

    Artigos RELAÇÕES DE PODER: ALGUMAS REFLEXÕES TEÓRICAS Alessandro Batistella RESUMO: No presente ensaio pretendemos tecer algumas reflexões acerca do poder e das relações de poder, desde as tipologias clássica e moderna – que esforçavam-se em explicar o poder por meio de um conceito universal, em que esses poderes assumem formas institucionalizadas e sempre subordinadas ao poder supremo, o político – até as decisivas contribuições de Michel Foucault e Pierre Bourdieu, que evidenciaram que...

    3675  Palavras | 15  Páginas

  • A importância da separação dos poderes para a preservação da liberdade em Montesquieu e nos Federalistas

    A IMPORTÂNCIA DA SEPARAÇÃO DOS PODERES PARA A PRESERVAÇÃO DA LIBERDADE EM MONTESQUIEU E NOS FEDERALISTAS GABRIELA LAUTON FREIRE “Mas afinal, o que é o próprio governo senão o maior de todos os reflexos da natureza humana? Se os homens fossem anjos, não seria necessário haver governos" (...). Os Artigos Federalistas, James Madison Resumo: O artigo tem o interesse em debater a teoria da separação dos poderes na versão de Montesquieu e “O Federalista”, mostrando os pontos...

    3481  Palavras | 14  Páginas

  • GEOPOLITICA CONCEITO E RELAÇÕES ENTRE SOCIEDADE ESPAÇO E PODER

    GEOPOLITICA, REGIONALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: RELAÇÕES ENTRE SOCIEDADE ESPAÇO E PODER CONCEITOS BÁSICOS Geografia Política ´´X`` Geopolitica ´´X Globalização OS TERMOS TÊM RAÍZ NO GEO (DA GEOGRAFIA) = ENFASE NAS RELAÇÕES HOMEM/NATUREZA. ESTUDA A VISÃO ”ESPACIAL” DE OCUPAÇÃO DO ESPAÇO. POLÍTICA (NA DEFINIÇÃO DE JOHANES ALHUSIUS) = A POLÍTICA É A ARTE POR MEIO DA QUAL OS HOMENS SE ASSOCIAM COM O OBJETIVO DE INSTAURAR, CULTIVAR E CONSERVAR A VIDA SOCIAL. ...

    1714  Palavras | 7  Páginas

  • componentes do poder

     JOSÉ RUITA BARROS MAIA JÚNIOR ESTUDO SOBRE OS COMPONENTES DO PODER (FORÇA, AUTORIDADE E INFLUÊNCIA). Trabalho apresentado ao curso de Administração da Faculdade de Educação São Francisco, como parte do requisito para obtenção de nota em Psicologia Organizacional. Orientador: Profª Iranilde Pedreiras-MA ...

    1558  Palavras | 7  Páginas

  • Poder, Politico e Estado Dentro da Sociologia

    Nº: 19 Professora: Claudia Disciplina: Sociologia Serie: 3º “A” Tema: Poder, Politico e Estado Dentro da Sociologia Poder, política e estado. Como surgiu o Estado Moderno? O Estado Moderno surgiu da desintegração do mundo feudal e das relações políticas até então dominantes na Europa. A centralização e a concentração desses poderes e instituições caracterizam o Estado Moderno, que assumiu diferentes formas até hoje. O Estado Liberal O...

    1190  Palavras | 5  Páginas

  • PODER DO CIDADÃO E SUAS TEORIAS

    jornais, nos deparamos com as Seguintes frases: “MP pede cassação de prefeito por abuso de poder”, ou ainda, nos deparamos com frases folclóricas como do ex-governador de Minas Gerais, Benedito Valadares, “Poder é nomear e demitir; prender e soltar”. Segundo Norberto Bobbio (1986, s.p.), a Ciência Política tem como objeto de estudo os fenômenos políticos, particularmente as questões relativas ao poder, procurando examinar criteriosamente os fatos, atendo-se não só à descrição como também...

    1755  Palavras | 8  Páginas

  • O Poder segundo Aristótoles

    O poder segundo Aristóteles Pioneiro em várias áreas do conhecimento, opensador grego não ficou apenas filosofando sobre qualseria a forma ideal de governo: pesquisou muito até acharo regime que, na prática, funcionava melhor Muita gente tem tanta aversão a política que, ao ler essa palavra, vai pular correndo para a próxima matéria. Atualmente, essa atividade está tão comprometida por seus profissionais que não há como não dar um pouco de razão a quem sofre dessa alergia. Como tantas outras palavras...

    1378  Palavras | 6  Páginas

  • 3 poderes

    separação de poderes Declínio Feudal: -Ressurgimento das cidades; -Surgimento da burguesia; -Necessidade de um poder centralizado; Criação do Estado absolutista: -O poder estava nas mãos do rei; -Justificação pela soberania (poder supremo); -Direito divino dos reis; -Possibilitou o crescimento da burguesia; -Praticas protecionista; -Intervenções na economia; Declínio do Estado Absolutista: -Privilégios feudais; -Nobreza mantida pela burguesia; -Questionamentos ao poder absoluto do...

    2776  Palavras | 12  Páginas

  • Poder nas Organizações

    TEMA: PODER NAS ORGANIZAÇÕES SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO ................................................................................................... 4 2. CONCEITO DE PODER........................................................................................5 3.COMPONENTES DO PODER...............................................................................5 5. PODER NAS ORGANIZAÇÕES...

    3086  Palavras | 13  Páginas

  • A questão do poder nas sociedades primitivas

    A Questão do Poder nas Sociedades Primitivas Pierre Clastres Duas décadas de transformação e a questão da etnologia passa a ser vista por outro prisma que não aquele onde se acreditava existirem civilizações como a européia, absolutamente superiores às demais o que passa a ser contestado com olhar do relativismo cultural que deixa clara a “coexistência” das diferenças sócio-culturais, deixando de lado a comparação valorativa destas. A questão do relativismo cultural trouxe a ideia de que as sociedades...

    4836  Palavras | 20  Páginas

  • arquitetura poder e opressão

    Arquitetura, Poder e Opressão Monografia apresentada como exigência para obtenção do grau de Tecnologia em Linguagem de Decoração e Estilo da Uniban - Anhanguera - ABC. Orientador: Professor Marcos São Bernardo do Campo 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 3 2 O BARROCO FRANCES A SERVIÇO DO PODER 5 3 UM BREVE CONCEITO DE PODER 8 4 BARROCO DA ITÁLIA A FRANÇA 10 REFERÊNCIAS 11 1 INTRODUÇÃO Esse trabalho em si aprofunda-se na relação entre poder e opressão...

    2704  Palavras | 11  Páginas

  • Poder estatal

    ® BuscaLegis.ccj.ufsc.br Funções e finalidades do poder estatal Mário Trajano da Silva Júnior * ÍNDICE 1. FINALIDADES DO PODER ESTATAL 1.1 Manutenção da segurança 1.2 Justiça: Alcance da pacificação dos conflitos sociais e ideal máximo do Direito 1.3 Instituição de um estado de bem estar social 2. INTERDEPENDÊNCIA E COMPLEMENTARIDADE OPERACIONAIS DAS FUNÇÕES DESTADO. DAS ESTRUTURAS 3. FUNÇÕES DO ESTADO 3.1 Funções Jurídicas 3.1.1 Função Legislativa 3.1.2 Função Executiva ...

    2661  Palavras | 11  Páginas

  • A QUETAO DO PODER NA SOCIEDADE PRIMITIVA

    A QUESTAO DO PODER NAS SOCIEDADES PRIMITIVAS As sociedades primitivas foram reconhecidas depois que surge o relativismo cultural que contrapõe o darwinismo social, que justificava o imperialismo europeu, a ideia de sobrevivência dos mais aptos. O relativismo cultural propõe um estudo mais serio das instituições politica- jurídica das culturas primitivos sendo entes individuais e únicas, imbuídas de qualidades singulares que as tornam insusceptíveis de comparação valorativa. Sociedades...

    2702  Palavras | 11  Páginas

  • as tres formas de poder max weber

    O texto a seguir é uma leitura da obra de Weber sobre as formas de legitimação do poder. O texto de que parto é intitulado “Os Três Tipos de Dominação Legítima” e se encontra na obra Economia e Sociedade; Buscaremos no decorrer do texto esclarecer as ideias do autor, segundo a nossa compreensão, trazendo exemplos históricos, sociológicos e literários que demonstrem a observação "empírica" dos conceitos apresentados, tipos ideais que são. Cabe, porém, ao início uma breve ressalva sobre a sociologia...

    3316  Palavras | 14  Páginas

  • Resumo de montesquieu sociedade e poder

    estruturar e delimitar os seus poderes políticos; trata das formas de Estado e de governo, do sistema de governo, do modo de aquisição, exercício e perda do poder político e dos principais postulados da ordem econômica e social; estabelece os limites de atuação do Estado, ao assegurar respeito aos direitos individuais. CONCEPÇÕES: - Ferdinand Lassalle (destaca o sentido sociológico das Constituições) – considera a constituição uma soma de fatores reais de poder, não passando a escrita de uma...

    11013  Palavras | 45  Páginas

  • Separação de Poderes

    separação de poderes Declínio Feudal: -Ressurgimento das cidades; -Surgimento da burguesia; -Necessidade de um poder centralizado; Criação do Estado absolutista: -O poder estava nas mãos do rei; -Justificação pela soberania (poder supremo); -Direito divino dos reis; -Possibilitou o crescimento da burguesia; -Praticas protecionista; -Intervenções na economia; Declínio do Estado Absolutista: -Privilégios feudais; -Nobreza mantida pela burguesia; -Questionamentos ao poder absoluto do...

    3596  Palavras | 15  Páginas

  • "O que é poder" gérard lebrun

    ...............10 O QUE É PODER Gérard Lebrun Introdução O livro trata de uma discussão do papel do Estado sobre os cidadãos. Ao organizarem-se em sociedades, os homens necessitam de um soberano que detenha, de modo complacente, todo o poder em suas mãos, para que, em troca, tenham sua segurança e proteção garantidas. Mas, mesmo que os próprios cidadãos sejam os atribuidores do poder nas mãos de um único homem, eles temem que tal poder lhes seja prejudicial, sendo adotado de...

    4320  Palavras | 18  Páginas

  • 3 PODERES 20151

    B 3 PODERES AMANDA MAIA BARROS- 7060007509 FRANCIELE SABRINA RODRIGUES - 6814014162 LILIANE ROSA MACHADO - 6662400227 MÉLANY BICUDO ALMEIDA - 6657406034 NAYARA LINDSAY ABRANTES BASTOS - 6645307490 SOROCABA – SP 2015 1. INTRODUÇÃO Os três poderes do Estado foram sistematizados através da Teoria da Tripartição dos Poderes, de Montesquieu, porém, desde a antiguidade, havia abordagens nesse sentido, ou seja, o Estado exercendo suas funções através do Poder Executivo...

    3872  Palavras | 16  Páginas

  • O poder do estado

    O PODER DO ESTADO OBJETIVOS GERAIS Apresentar as teorias da organização dos estados modernos, discutindo suas formas práticas de gestão. 1) A CONCEPÇÃO LIBERAL DO ESTADO OBJETIVO Explorar os conceitos de Estado Mínimo e de Estado de Direito, com base no pensamento de Norberto Bobbio. Surgida na Europa no início do século XVIII, a doutrina liberal teve como pressupostos a discussão em torno da liberdade e da igualdade. Já o Liberalismo do século XX preocupou-se mais em teorizar a...

    4206  Palavras | 17  Páginas

  • os tres poderes de dominação legitima

    Os três tipos de dominação legítima de Max Weber Assuntos: Legitimidade do Direito Max Weber Sociólogos do Direito Sociologia Introdução O texto a seguir é uma leitura da obra de Weber sobre as formas de legitimação do poder. O texto de que parto é intitulado “Os Três Tipos de Dominação Legítima” e se encontra na obra Economia e Sociedade; Buscaremos no decorrer do texto esclarecer as ideias do autor, segundo a nossa compreensão, trazendo exemplos históricos, sociológicos e literários que...

    3928  Palavras | 16  Páginas

  • O Texto A Seguir Uma Leitura Da Obra De Weber Sobre As Formas De Legitima O Do Poder

    O texto a seguir é uma leitura da obra de Weber sobre as formas de legitimação do poder. O texto de que parto é intitulado “Os Três Tipos de Dominação Legítima”[1] e se encontra na obra Economia e Sociedade; Buscaremos no decorrer do texto esclarecer as ideias do autor, segundo a nossa compreensão, trazendo exemplos históricos, sociológicos e literários que demonstrem a observação "empírica" dos conceitos apresentados, tipos ideais que são. Cabe, porém, ao início uma breve ressalva sobre a sociologia...

    4018  Palavras | 17  Páginas

  • FICHAMENTO

    servia a um rei através de leis positivas; o republicano, regido na mão de varias pessoas guiadas pela virtude; e o despótico, onde o autoritarismo de um líder podia comprometer os direitos humanos através da política do medo. Montesquieu formulou os princípios básico para que governos tirânicos fossem evitados. Para isso, defendeu a separação da máquina política em três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. A teoria de Montesquieu teve grande impacto no iluminismo europeu e serviude molde...

    4602  Palavras | 19  Páginas

  • despotismo na visão de montesquieu

    pessoa, sem lei e sem regra, tudo conduz, por sua vontade e por seus caprichos. nos estados despóticos, onde não existem leis fundamentais, também não há deposito de leis. Vem daí que, nesses países, a religião comumente tenha tanta força. É que ela constitui uma espécie de deposito e de permanência. E, se não é religião, o que aí se venera são os costumes, em vez das leis. Da natureza do poder despótico resulta que o único homem que o exerce faça-o igualmente exercer por um só homem. Um homem,...

    515  Palavras | 3  Páginas

  • despotismo na visão de montesquieu

    pessoa, sem lei e sem regra, tudo conduz, por sua vontade e por seus caprichos. nos estados despóticos, onde não existem leis fundamentais, também não há deposito de leis. Vem daí que, nesses países, a religião comumente tenha tanta força. É que ela constitui uma espécie de deposito e de permanência. E, se não é religião, o que aí se venera são os costumes, em vez das leis. Da natureza do poder despótico resulta que o único homem que o exerce faça-o igualmente exercer por um só homem. Um homem,...

    515  Palavras | 3  Páginas

  • despotismo na visão de montesquieu

    pessoa, sem lei e sem regra, tudo conduz, por sua vontade e por seus caprichos. nos estados despóticos, onde não existem leis fundamentais, também não há deposito de leis. Vem daí que, nesses países, a religião comumente tenha tanta força. É que ela constitui uma espécie de deposito e de permanência. E, se não é religião, o que aí se venera são os costumes, em vez das leis. Da natureza do poder despótico resulta que o único homem que o exerce faça-o igualmente exercer por um só homem. Um homem,...

    515  Palavras | 3  Páginas

  • despotismo na visão de montesquieu

    pessoa, sem lei e sem regra, tudo conduz, por sua vontade e por seus caprichos. nos estados despóticos, onde não existem leis fundamentais, também não há deposito de leis. Vem daí que, nesses países, a religião comumente tenha tanta força. É que ela constitui uma espécie de deposito e de permanência. E, se não é religião, o que aí se venera são os costumes, em vez das leis. Da natureza do poder despótico resulta que o único homem que o exerce faça-o igualmente exercer por um só homem. Um homem,...

    515  Palavras | 3  Páginas

  • despotismo na visão de montesquieu

    pessoa, sem lei e sem regra, tudo conduz, por sua vontade e por seus caprichos. nos estados despóticos, onde não existem leis fundamentais, também não há deposito de leis. Vem daí que, nesses países, a religião comumente tenha tanta força. É que ela constitui uma espécie de deposito e de permanência. E, se não é religião, o que aí se venera são os costumes, em vez das leis. Da natureza do poder despótico resulta que o único homem que o exerce faça-o igualmente exercer por um só homem. Um homem,...

    515  Palavras | 3  Páginas

  • despotismo na visão de montesquieu

    pessoa, sem lei e sem regra, tudo conduz, por sua vontade e por seus caprichos. nos estados despóticos, onde não existem leis fundamentais, também não há deposito de leis. Vem daí que, nesses países, a religião comumente tenha tanta força. É que ela constitui uma espécie de deposito e de permanência. E, se não é religião, o que aí se venera são os costumes, em vez das leis. Da natureza do poder despótico resulta que o único homem que o exerce faça-o igualmente exercer por um só homem. Um homem,...

    515  Palavras | 3  Páginas

  • Ceará no final do século xix, início do século xx: estruturas de poder e religiosidade

    Ceará no final do século XIX, início do século XX: Estruturas de poder e religiosidade No apagar das luzes do século XIX, o Ceará se encontrava vivendo em uma dicotomia social, econômica e religiosa, que em alguns de seus paroxismos deixou marcas profundas em nossa história, que até os dias de ainda geram conseqüências. Na capital, o alvorecer do novo século prenunciava, para muitos, um período de esclarecimento, progresso e avanços em várias áreas, dentro da mais pura óptica do otimismo positivista...

    3651  Palavras | 15  Páginas

  • Introdução ao direito

    mesquinharias dos particulares. CAPÍTULO IX Como as leis são relativas a seu princípio na monarquia Sendo a honra o princípio deste governo, as leis devem relacionar-se com ela. É preciso que a tornem hereditária, não para ser o limite entre o poder do príncipe e a fraqueza do povo, mas a ligação entre os dois. É preciso que elas trabalhem para sustentar a Nobreza. CAPÍTULO X Da presteza da execução na monarquia O governo monárquico possui uma grande vantagem sobre o republicano: como...

    1549  Palavras | 7  Páginas

  • Resumo O Espirito das Leis - Montesquieu

    Comercial). Existem três espécies de Governo: Republicano, Monárquico e o Despótico. Governo Republicano é aquele onde o povo em seu todo, ou parte dele, tem poder soberano; o Monárquico onde só um governa, mas por leis fixas e estabelecidas; no Despótico, um só governa, sem lei e sem regra, tudo segue suas vontades e seus caprichos. Quando, na República o povo em seu todo tem o poder soberano, é uma Democracia. Quando o poder soberano está nas mãos de uma parte do povo (geralmente nobres) chama-se...

    3768  Palavras | 16  Páginas

  • TGE Semina Rio 10

    estão no poder) façam com esse espírito se mantenha ,e assim que coloquem “ponham cada cidadão pobre em boa situação, para poder trabalhar como os outros; e cada cidadão rico em situação tão medíocre, que tenha necessidade de seu trabalho para conservar ou para adquirir.” CAPÍTULO VIII - COMO AS LEIS DEVEM RELACIONAR-SE COM O PRINCÍPIO DO GOVERNO NA ARISTOCRACIA Para Montesquieu, em uma sociedade aristocrática,onde já,por uma constituição do Estado é desigual,resguarda-se aos detentores do poder mascarar...

    1604  Palavras | 7  Páginas

  • resenha

    obra tornou-se fonte das doutrinas constitucionais liberais, que consagrou a separação dos poderes legislativo, executivo e judiciário. BIOGRAFIA Charles – Louis de Secondat, senhor de La Bréde ou barão de Montesquieu (castelo de La Bréde, próximo a Bordéus, 18 de janeiro de 1689 – Paris, 10 de fevereiro de 1755), foi um político, filósofo e escritor francês. Ficou famoso pela Teoria da Separação dos Poderes, atualmente consagrada em muitas das modernas constituições internacionais. Aristocrata...

    2929  Palavras | 12  Páginas

  • Poder judiciário comarca de monte formoso vara da fazenda pública municipal

    PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE MONTE FORMOSO VARA DA FAZENDA PÚBLICA MUNICIPAL Processo Nº 201300000000000000 Requerentes. I.P.O e outros Requerido: Prefeitura Municipal de Monte Formoso S E N T E N Ç A Vistos etc. I.P.O, por si e representando suas filhas A. e M., já qualificadas nos autos, ajuizaram ação de indenização contra a Prefeitura Municipal de Monte Formoso, sob o fundamento de que a requerida é responsável pela conduta de seu servidor público...

    3483  Palavras | 14  Páginas

  • Fichamento - locke - segundo tratado sobre o governo

    paz. No décimo primeiro capítulo de sua obra, o autor argumenta sobre o poder legislativo e sua extensão. Ele afirma que o poder legislativo só possui algum valor ao ser consentido por seus representantes, que foram escolhidos pelo povo e que estes só devem obedecer a esse poder supremo e mais nenhum. Esse poder legislativo não pode ser mais do que foi consentido e seu objetivo é a preservação de direito de seus súditos. O poder que está no comando deve obedecer às leis vigentes, não podendo governar...

    856  Palavras | 4  Páginas

  • leis em geral

    de um só ou mesmo nas mãos de muitos. Se muitos pensaram que estabelecendo o poder paterno entre as pessoas, o governo seria de uma só pessoa, isso conforme a própria natureza. Mas o exemplo do direito paterno não prova nada. Pois, se o poder do pai tem relação com o governo de um só, após a morte do pai, o poder dos irmãos ou, após a morte dos irmãos, o poder dos primos irmãos tem relação com o poder de vários. O poder político inclui necessariamente a união de várias famílias. LIVRO SEGUNDO...

    4050  Palavras | 17  Páginas

  • Resumo - o espírito das leis

    da natureza do governo Há três espécies de governo: o Republicano, o Monárquico e o Despótico. Para descobrir sua natureza, basta a ideia que deles têm os homens menos instruídos. Suponho três definições: primeiro, que o governo republicano é aquele em que o corpo do povo, ou somente parte do povo, tem o poder soberano; o monárquico, aquele em que um só governa, mas por leis fixas e estabelecidas; o despótico, sem lei e sem regras, onde tudo é determinado por seus caprichos. Na natureza do governo...

    1464  Palavras | 6  Páginas

  • Resenha do capítulo XX Leviatã

    Hobbes, Thomás. Capítulo XX Do domínio paterno e despótico. In: Leviatã OU MATÉRIA, FORMA E PODER DE UMA REPÚBLICA ECLESIÁSTICA E CIVIL. Martins Fontes, 2003 No capítulo XX “Do domínio paterno e despótico” [170] logo de início em seu texto Hobbes faz a distinção entre dois tipos de Repúblicas, são estas: A República de instituição neste modelo o poder do soberano é instituído pelo pacto celebrado entre os homens, nesta forma de governo o poder é transferido ao soberano que pode ser representado...

    894  Palavras | 4  Páginas

tracking img