Na Idade Média O Paradigma Predominante Era O Escolástico Aristotélico Tomista Isto Significa Que artigos e trabalhos de pesquisa

  • Paradigma e Revolução Cinetífica

    FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DISCIPLINA: ELABORAÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO FICHAMENTO DO TEXTOPARADIGMA E REVOLUÇÃO CIENTÍFICA” E RESUMO TO TEXTO “A CIÊNCIA E MÉTODO CIENTÍFICO. WILTON IZAÍAS DE JESUS FILHO 1020600 MARÇO/2015 FORTALEZA, CE   WILTON IZAÍAS DE JESUS FILHO FICHAMENTO DO TEXTO “PARADIGMA E REVOLUÇÃO CIENTÍFICA” E RESUMO TO TEXTO “A CIÊNCIA E MÉTODO CIENTÍFICO. Trabalho apresentado como requisito parcial de avaliação na disciplina...

    1585  Palavras | 7  Páginas

  • A formação do homem de fé - idade média

    Idade Média: A Formação do Homem de Fé. 5. Idade Média: A Formação do Homem de Fé. Os parâmetros da educação na idade média se fundam na concepção do homem como criatura divina, de passagem pela Terra e que deve cuidar, em primeiro lugar, da salvação da alma e da vida eterna. Tendo em vista as possíveis contradições entre fé e razão, recomenda-se respeitar sempre o princípio da autoridade, que exige humildade para consultar os grandes sábios e intérpretes, autorizados pela igreja, sobre...

    1018  Palavras | 5  Páginas

  • IDADE MÉDIA: A FORMAÇÃO DO HOMEM DE FÉ

    A Educação na Idade Média é uma síntese da fundamentação da Educação Medieval, onde a religião surge como elemento singular, que, exposto à racionalidade, acentua a preocupação apologética, ou seja, a defesa incontestável da fé cristã. Divide-se a educação na Idade Média basicamente em duas tendências que aqui estão especificadas: a educação Patrística e a Escolástica, representadas respectivamente e principalmente por Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino. Com a queda do Império Romano (séc...

    947  Palavras | 4  Páginas

  • Filosofia na idade média

    filosofia na idade média É COMUM SE OUVIR FALAR EM TREVAS E BARBÁRIE QUANDO ALGUÉM SE REFERE À IDADE MÉDIA, POR VEZES COM UMA EXPRESSÃO DE ESCÁRNIO E DESPREZO. AO CONTRÁRIO DO QUE DIZ ESTE PRECONCEITO HERDADO DOS ILUMINISTAS, TANTO A FILOSOFIA QUANTO A CIÊNCIA MODERNA DEVEM MUITO À IDADE MÉDIA E À SUA MONUMENTAL ESCOLÁSTICA. A pré-Escolástica Ao final do século 5, o que restava dos escombros do Império Romano era uma multidão dispersa de povos bárbaros e alguns fragmentos da cultura clássica...

    1086  Palavras | 5  Páginas

  • Metodologia Cientifica

    análise, sendo que esta é possível de ser realizada independentemente dos aspectos sociais. RESPOSTA: Tal teoria defende que as explicações sociais são imprescindíveis para se pensar em ciência. 3- Na Idade Média, o paradigma predominante era o escolástico aristotélico-tomista. Isto significa que: A vertente deísta ganhava cada vez mais espaço. A razão se sobrepunha a fé. A fé e a razão se subordinavam aos dogmas cristãos. Razão e fé eram vistas como complementares. O ateísmo...

    618  Palavras | 3  Páginas

  • O MÉTODO SOCRÁTICO; O IDEALISMO ARISTOTÉLICO E AS CORRESPONDENTES INFLUÊNCIAS NAS PEDAGOGIAS POSTERIORES:

    desenvolvimento espiritual do homem: “disposição inata, hábito e ensino”. Com isso, acredita que o homem pode tornar-se a criatura mais nobre, como pode tornar-se a pior de todas, que aprendemos fazendo, que nos tornamos justos agindo justamente. Na idade media houve duas correntes educacionais que inspiraram a forma de educar o povo deste período, a Patrística que consistia na elaboração doutrinal das verdades de fé do Cristianismo e na sua defesa contra os ataques dos "pagãos" e contra as heresias e...

    2617  Palavras | 11  Páginas

  • A escolástica pós-tomista

    O Século XIII: O Triunfo de Aristóteles A atividade filosófica da escolástica pré-tomista foi essencialmente lógico-dialética e, logo, formal. Esta atividade formal, intensa e penetrante, esperava um conteúdo adequado, racional, filosófico. E tal conteúdo lhe foi proporcionado pela descoberta do sistema aristotélico integral, que representa o ápice do pensamento helênico. O mundo latino-cristão, escolástico, depois de conhecido Aristóteles através da cultura árabe, apaixonou-se pela filosofia aristotélica...

    2689  Palavras | 11  Páginas

  • Filosofia na idade media

    Aline Fernanda Ferreira Nunes A FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA Santa Luzia 2013 Aline Fernanda Ferreira Nunes A FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA Santa Luzia 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO ................................................................................................. 04 1. A PRÉ-ESCOLÁSTICA...............................................................

    1889  Palavras | 8  Páginas

  • 645254

    Universidade de Paris no reinado de Luís IX da França morrendo, com 49 anos, na Abadia de Fossanova. Sua Filosofia Seu maior mérito foi a síntese do cristianismo com a visão aristotélica do mundo, introduzindo o aristotelismo, sendo redescoberto na Idade Média, na escolástica anterior, compaginou um e outro, de forma a obter uma sólida base filosófica para a teologia e retificando o materialismo de Aristóteles. Em suas duas "Summae", sistematizou o conhecimento teológico e filosófico de sua época: são...

    6781  Palavras | 28  Páginas

  • webs

    resposta Tal teoria defende que as explicações sociais são imprescindíveis para se pensar em ciência. Para esta vertente, o campo da ciência se restringe a investigação. 3/5Na Idade Média, o paradigma predominante era o escolástico aristotélico-tomista. Isto significa que: Sua resposta está correta. Na Idade Média, o grande poder da Igreja pode ser comprovado, dentre outros fatores, pelo fato de os dogmas cristãos interferirem demasiadamente nas estruturas e organizações sociais. Razão e...

    1216  Palavras | 5  Páginas

  • 04 Idade M dia II

    Prof. Ricardo Feijó O largo período que vai da queda do Império Romano, entre os séculos V e VI (o último imperador romano morre em 476), ao final do século XV, época do início das grandes navegações, delimita o que se conhece como Idade Média. É vantajoso estudar-se o período dividindo-o em duas épocas. A primeira preside às mudanças radicais no estilo de vida europeu com o desaparecimento de cidades e a acentuada ruralização.  Muitas das práticas romanas são esquecidas e a Europa entra...

    4993  Palavras | 20  Páginas

  • Idade media

    METODOLOGIA IDADE MÉDIA A Educação mediada pela fé. Curso: PEDAGOGIA 21n Profº: Anderson Integrantes: Emanuelle J. Lins Gisele Boaventura Josilene Camargo Juliane Carvalho Liliane Mota DEDICATÓRIA: Dedicamos este trabalho ao Prof. Mestre Anderson que nos tem auxiliado com toda a paciência...

    2945  Palavras | 12  Páginas

  • Idade media

    A Idade Média foi um período de mudanças radicais na civilização ocidental. Uma era de transição na ECONOMIA ( com o capitalismo nascente rompendo as formas feudais), com a CULTURA ( com o brilho do renascimento), e na RELIGIÃO ( Com a contestação da Reforma Protestante). Nesta época o homem revolucionou os mapas geográficos conquistando novos continentes. Cresceu o mundo e com ele as fronteiras da mente humana. O estado Moderno A centralização do poder político Durante a Idade Média, o poder...

    9308  Palavras | 38  Páginas

  • metodologia cientifica

    defende que o campo social e o da ciência devem caminhar juntos e que a ciência é algo maior do que a mera investigação de algo. Na Idade Média, o paradigma predominante era o escolástico aristotélico-tomista. A fé e a razão se subordinavam aos dogmas cristãos Ptolomeu criou o modelo geocêntrico, o qual foi defendido pela Igreja Católica durante toda a Idade Média. O racionalismo defendia o modelo heliocêntrico, criado por Copérnico. A pesquisa pode ser classificada de duas maneiras: com base: ...

    1168  Palavras | 5  Páginas

  • Teoria do conhecimento na antiguidade e na idade media

    Teoria do conhecimento na Idade Média Aquilo que a verdade descobrir não pode contrariar aos livros sagrados, quer do Antigo quer do Novo Testamento. (Santo Agostinho) 1. A patrística No período de decadência do Império Romano, quando o cristianismo ,se expande, surge a partir do século II a filosofia dos Pa¬dres da Igreja, conhecida também como patrística. No esforço de converter os pagãos, combater as heresias e justificar a fé, desen¬volvem a apologética, elaborando textos de defesa do cristianismo...

    958  Palavras | 4  Páginas

  • TRABALHO NP1 EAD

    com clareza, para que possibilite a verificação, a avaliação e o julgamento intersubjetivo da comunidade científica. FICHAMENTO DO TEXTOPARADIGMA E REVOLUÇÃO CIENTÍFICA” TEIXEIRA, Elizabeth. As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005. p.94-104. “Uma Ciência encontra-se numa fase de normalidade. Seu paradigma, seus conceitos e suas leis explicam todos os fatos e fenômenos (1). De repente, surge algo que é novo, diferente do já conhecido e os conceitos...

    1794  Palavras | 8  Páginas

  • Idade média

    Idade Média: Mentalidades, Sensibilidades e Atitudes As Mentalidades, sensibilidades e atitudes do homem medieval tinham, com toda a certeza, um único sentimento motor, a insegurança. Essa insegurança se refletia tanto sobre o campo moral, quanto no material. A insegurança material se dava através da dificuldade de conseguir se manter, alimentar, aquecer, etc..., porém a insegurança moral se dava pelos dogmas pessimistas que eram colocados pela Igreja. Ao homem jamais era, segundo o clero, garantida...

    2580  Palavras | 11  Páginas

  • O pensamento jurídico filosófico na idade antiga e sua influência na idade média

    JURÍDICO-FILOSÓFICO NA IDADE ANTIGA E SUA INFLUÊNCIA NA IDADE MÉDIA CELSO NATALINO FORTI JUNIOR Monografia apresentada à Universidade Metodista de Piracicaba para a aprovação no Curso de Graduação em Direito (Área de concentração: Filosofia do Direito). Orientador: Prof. Dr. Everaldo Tadeu Quilici Gonzalez. PIRACICABA 2.004 2 UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA FACULDADE DE DIREITO O PENSAMENTO JURÍDICO-FILOSÓFICO NA IDADE ANTIGA E SUA INFLUÊNCIA NA IDADE MÉDIA CELSO NATALINO FORTI...

    15016  Palavras | 61  Páginas

  • Ideologia na idade media

    1. Concepção de natureza na Idade Média A concepção ideológica da Idade Média associava-se diretamente aos postulados teológicos que surgiram inicialmente com Santo Agostinho (354-430), que, a partir dos princípios estóicos, gnósticos, maniqueus e neoplatônicos, criou a fundamentação da fé cristã. Mais tarde, no século XIII, Tomás de Aquino (1225-1323) completaria essa jornada filosófica ao associar os postulados aristotélicos à concepção cristã de realidade. Por isso, a lógica do que era natureza...

    3191  Palavras | 13  Páginas

  • Dicionario Ilustrativo Historia da Psicologia

    centro do universo, mas sim o homem. O termo tem duas aplicações principais. Por um lado, trata-se de um lugar comum na historiografia qualificar como antropocêntrica a cultura renascentista e moderna, em contraposição ao suposto teocentrismo da Idade Média. A transição da cultura medieval à moderna é frequentemente vista como a passagem de uma perspectiva filosófica e cultura centrada em Deus a uma outra, centrada no homem – ainda que esse modelo tenha sido reiteradamente questionado por numerosos...

    3196  Palavras | 13  Páginas

  • Segunda resenha de Romulo

    suprema ou ato puro (actus Purus) , como o chamava, move todas as coisas ao ser amado por todas as coisas” e que “a realidade toda deseja se unir à forma suprema, para se livrar das formas inferiores em que vive, na escravidão da matéria”. Esse Deus aristotélico entrou na igreja cristã e exerceu enorme influência principalmente na formulação da teologia medieval. Este ultimo elemento examinaremos com mais pormenores no próximo tópico, onde estaremos apresentando o pensamento da escolástica.     A aliança...

    3344  Palavras | 14  Páginas

  • Idade Média

    Filosofia: Alta Idade Média e Baixa Idade Média Idade Média A Idade média teve início com a Queda do Império Romano do Ocidente e terminou durante a transição para a Idade Moderna, perdurando do século V ao XV. Frequentemente dividida em Alta e Baixa Idade Média, recebeu esse nome por ser o período intermediário da divisão clássica da História ocidental: Antiguidade, Idade Média e Idade Moderna. A expressão Idade das Trevas para se referir à Idade Média foi muito utilizada no passado. Alguns...

    2251  Palavras | 10  Páginas

  • Economia Medieval

    conhecimento acerca do nosso principal objetivo de pesquisa para este trabalho acadêmico, Economia Medieval. A Economia em si, é uma das áreas das ciências humanas, subdividida em sua parte exata, e em sua parte social. O período analisado, Idade Média, consistiu na junção destas duas subdivisões. Na primeira quando estudamos e reconhecemos o desenvolvimento da Economia advindo das transformações econômicas, como o crescimento do setor agrícola que permitiu a abertura para pensamentos prol-econômicos...

    6001  Palavras | 25  Páginas

  • Escolastica

    morais de toda a Cristandade. Por assim dizer, responsável pela unidade de toda a Europa, que comungava da mesma fé. Esta linha vai do começo do século IX até ao fim do século XVI, ou seja, até ao fim da Idade Média. Este pensamento cristão deve o seu nome às artes ensinadas na altura pelos escolásticos nas escolas medievais. Estas artes podiam ser divididas em Trivium (educação) (gramática, retórica e dialéctica) ou Quadrivium (aritmética, geometria, astronomia e música). A escolástica resulta essencialmente...

    5997  Palavras | 24  Páginas

  • Idade M Dia Patr Stica E Escol Stica

     Idade Média: Patrística e Escolástica 23/05 Fernanda Liba , Nº 05 Matéria: Filosofia Professora: Lilian Sumário Introdução Desenvolvimento Conclusão Bibliografia Introdução Este trabalho trata da educação no período medieval (sécs. V a XV), onde esta foi marcada pela tentativa de conciliar a razão e a fé. Com a queda do Império Romano (séc. V), deu-se a formação de inúmeros reinos bárbaros cujo os chefes pouco a pouco foram sendo convertidos ao cristianismo...

    1429  Palavras | 6  Páginas

  • etica

    comentários. Agradeço especialmente à minha família que esteve sempre ao meu lado me apoiando. Resumo Esta monografia analisa a relação entre a ética e a economia. É apresentado um resumo histórico das principais correntes éticas da Antigüidade até a Idade Moderna. Cada abordagem filosófica possui uma concepção distinta de homem e de princípios morais e éticos. As correntes éticas apresentam algumas contribuições no campo das decisões econômicas. Também são estudadas as teorias morais e econômicas...

    16784  Palavras | 68  Páginas

  • correntes filosoficas

    universal) ordena todas as coisas: tudo surge a partir dele e de acordo com ele, graças a ele o mundo é um kosmos (termo grego que significa "harmonia"). Com base nas ideias dos cínicos, o estoicismo enfatizava a paz de espírito, conquistada através de uma vida plena de virtude, de acordo com as leis da natureza. O estoicismo floresceu como a filosofia predominante no mundo greco-romano até o advento do cristianismo. 1.2. Zenão de Cítio Foi um filósofo da Grécia Antiga. Nasceu na ilha de Chipre...

    2481  Palavras | 10  Páginas

  • Ética periodo médio

    “ PARA UM PENSADOR DA IDADE MÉDIA, O ESTADO ESTÁ PARA A IGREJA COMO A FILOSOFIA PARA A TEOLOGIA E A NATUREZA PARA A GRAÇA”. Filosofia medieval corresponde ao longo período histórico que vai do final do helenismo (século IV-V) até o Renascimento e o inicio do pensamento moderno (final do século XV e século XVI), aproximadamente dez séculos, portanto. Na verdade, contudo, a maior parte da produção filosófica da Idade Média, o que realmente conhecemos como “ Filosofia Medieval”...

    3363  Palavras | 14  Páginas

  • Filosofia Medieval

    princípios morais, políticos e jurídicos da sociedade medieval. Como não poderia deixar de ser, a grande questão discutida pelos intelectuais da Idade Média era a relação entre razão e fé, entre filosofia e teologia. Destacaremos aqui duas tendências filosóficas: a patrística e a escolástica. • Patristica A filosofia medieval: razão e fé A Idade Média compreende mil anos de história (do séc. V ao XV). Após a queda do Império Romano, formaram-se os novos reinos bárbaros. Lentamente foi introduzida...

    2346  Palavras | 10  Páginas

  • Pensamento Moderno

    "ser" e "dever ser" são a mesma coisa, o "dever ser" coincide com o "ser". É evidente que a passagem da concepção dualista (clássica) à concepção teísta (cristã) é um desenvolvimento lógico, que se manifesta especulativamente no desenvolvimento tomista de Aristóteles. Pelo contrário, a passagem da concepção tradicional, teísta, à concepção moderna, imanentista, representa teoricamente uma ruptura. O pensamento moderno, todavia, especialmente o pensamento da Renascença, tem seu precedente lógico...

    2595  Palavras | 11  Páginas

  • Filosofia

    minha resposta é filosófica, pois a resposta correta seria dizer que a influência é nula, beleza? Se eu estivesse em uma prova diria que simplesmente não houve influência pois o clero confiscou toda a produção literária e artística da humanidade na Idade Média. Fonte(s): Sim, Sócrates e Platão poderiam ser considerados precursores do cristianismo quando já pregavam valores que Jesus reforçou. Exemplos: DEUS Para Sócrates, Deus é uma inteligência onipresente, onisciente, onipotente, absolutamente...

    4467  Palavras | 18  Páginas

  • Fundamentos Sociofilosóficos da Educação na Antiguidade, na Idade Média, no Renascimento e na Idade Moderna

    EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UPE - VIRTUAL CURSO: LICENCIATURA EM LETRAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS SOCIO-FILOSOFICOS DA EDUCAÇÃO PROFESSOR: ROBERTO JOSÉ DA SILVA Fundamentos Sociofilosóficos da Educação na Antiguidade, na Idade Média, no Renascimento e na Idade Moderna TERESA CAROLINA SOUZA DO NASCIMENTO DE LACERDA NILMA MARIA MACEDO . Cabrobó/PE 2014.2 O Período Pré-socrático, em que o interesse filosófico é voltado para o mundo da natureza, é o primeiro...

    1117  Palavras | 5  Páginas

  • Sociologia

    Justiniano (527-565), último imperador Oriente-Ocidente. João Filopono (ou de Alexandria) (6-o. séc.). Isidoro de Sevilha (c.560-636). Mahomé (571-632). Beda, o Venerável (673-735). João Damasceno (c.675-749). Alcuino de York (c. 735-804), escolástico. Shankara (ou Shamkara) (c. 8-o séc. d.C.), do vedanta. Rabano Mauro (776-856). Al-Kindi. Abu Yusuf ibn Ishaq... (c.796-873). João Scoto Erígena (c. 800-870). Fócio (820-891), platônico. Radberto Pascasius (século 9-o). Abu Ishap Ibn Al-Harawi...

    2374  Palavras | 10  Páginas

  • A educação na idade média

    A EDUCAÇÃO NA IDADE MÉDIA Cátia Regina de Oliveira Schneider 1 INTRODUÇÃO (...) educação no período medieval (sécs. V a XV), (...) onde esta foi marcada pela tentativa de conciliar a razão e a fé. Com a queda do Império Romano (séc. V), deu-se a formação de inúmeros reinos bárbaros cujo os chefes pouco a pouco foram sendo convertidos ao cristianismo, surgindo assim uma soberana influência da Igreja na educação do mundo ocidental. O predomínio da temática religiosa, da defesa...

    618  Palavras | 3  Páginas

  • Jusnaturalismo

    Fonte do Direito Natural................................................................................................................. 6 Doutrina Tomista............................................................................................................................ 6 Importantes Contribuições da Cultura Jusnaturalista Escolástica-Tomista para a História do Direito no Brasil.................................................................................................................

    1741  Palavras | 7  Páginas

  • AEDUCACAONAIDADEMEDIA

    A EDUCAÇÃO NA IDADE MÉDIA Cátia Regina de Oliveira Schneider Prof. Marcos Neotti Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI Licenciatura em História (HID0771) – História da Educação 21/08/07 RESUMO A Educação na Idade Média é uma síntese da fundamentação da Educação Medieval, onde a religião surge como elemento singular, que, exposto à racionalidade, acentua a preocupação apologética, ou seja, a defesa incontestável da fé cristã. Divide-se a educação na Idade Média basicamente em duas...

    1091  Palavras | 5  Páginas

  • O DIREITO NATURAL MODERNO E O ILUMINISMO

    (Grócio e Locke). O mercado como sistema social e a liberdade das trocas importa a obrigatoriedade das promessas. Nesta linha vão jusnaturalistas e novos civilistas (Pufendorf, Domar, Pothier). 2 O PARADIGMA JUSNATURALISTA O jusnaturalismo moderno difere da tradição clássica, aristotélica-tomista. Estamos no início da modernidade assistindo a uma reafirmação do sujeito e da razão individuais. Não é por acaso que a arte do retrato volta a ser particularmente importante. O ambiente do jusnaturalismo...

    6803  Palavras | 28  Páginas

  • Filosofia Medieval

    Pedagogia. Especialista em Educação a distância. Cursando pós-graduação em metodologia do ensino de história e geografia pelo Centro Universitário Barão de Mauá, Ribeirão Preto,São Paulo, Brasil. Orientadora:Cleide Augusto. A concepção do termo Idade Média estabelece uma relação entre a antiguidade Clássica e o Renascimento e para alguns Iluministas do século XVIII, como Voltaire, Gibson e outros, é considerada como um intervalo cronológico, vazio em cultura, arte e ciência. Realmente a Filosofia...

    7418  Palavras | 30  Páginas

  • Filosofia medieval

    se divide tradicionalmente a história da filosofia, o helenismo vai da morte de Aristóteles (322 a.C.) ao fechamento das escolas pagãs de filosofia no Império do Oriente pelo imperador Justiniano (525 d.C.). Nessa época, houve uma tendência predominante ao ecletismo e muitos filósofos sofreram a influência de diferentes escolas. O principal centro de cultura do helenismo foi Alexandria no Egito. O período do helenismo é marcado na filosofia pelo desenvolvimento das escolas vinculadas a uma...

    3248  Palavras | 13  Páginas

  • A ciência medieval

    A temática religiosa predomina na preocupação apologética, isto é, na defesa da fé cristã e no trabalho de conversão dos não-cristãos. A máxima predominante é “Crer para compreender, e compreender para crer”. A filosofia, embora se distinguindo da teologia, é instrumento desta, é serva da teologia. Apesar do risco de simplificação, dividimos a Idade Média em duas tendências fundamentais: a filosofia patrística e a escolástica. A filosofia patrística A filosofia patrística inicia-se ainda no período...

    1963  Palavras | 8  Páginas

  • O mundo de sofia

    Paulo disseminou sua filosofia e as revelações bíblicas, formando, em pouco tempo, comunidades cristãs por toda a Europa. Tais comunidades viriam a se disseminar e desenvolver o poderio da Igreja Católica, nos tempos de regressão ao feudalismo na Idade Média. Em parte esta forma econômica foi a responsável pela manutenção da estrutura católica, e se desenvolveu graças a desertificação das grandes metrópoles antigas, como Roma. Dessa forma a economia até então existente deu lugar à camponesa, regredindo...

    9170  Palavras | 37  Páginas

  • Idade M dia e o Desenvolvimento da Filosofia do Direito em Santo Agostinho S o Tom s de Aquino e Guilherme de Ockham

    Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Centro de Ciências Jurídicas e Políticas Direito Idade Média e o Desenvolvimento da Filosofia do Direito em Santo Agostinho, São Tomás de Aquino e Guilherme de Ockham Lucas Bastos Vieira Pedro Henrique Calazans de Araujo Rodrigo Figueiredo da Silva Rio de Janeiro 2014 Lucas Bastos Vieira Pedro Henrique Calazans de Araujo Rodrigo Figueiredo da Silva Idade Média e o Desenvolvimento da Filosofia do Direito em Santo Agostinho, São Tomás de Aquino e Guilherme...

    4660  Palavras | 19  Páginas

  • Direito a imagem

    Escolástica O Tomismo 1 - O Período da Escolástica A invasão dos bárbaros, no séc. V, destruiu no Ocidente a civilização romana e iniciou a Idade Média. Os bárbaros, que irromperam de todos os lados, provocaram novas condições políticas e sociais adversas à conservação e ao desenvolvimento da cultura intelectual. Por isso, os quatro primeiros séculos da Idade Média são obscuros, um período de estagnação intelectual em que não houve filosofia propriamente dita, mas houve a preocupação de salvar os restos...

    4876  Palavras | 20  Páginas

  • Dicionário da idade media

    DICIONÁRIO DA IDADE MÉDIA http://groups-beta.google.com/group/digitalsource Um mapa do mundo conhecido, tendo por centro a cidade de Jerusalém, de um saltério inglês do início do século XIII (British Library, Londres). DICIONÁRIO DA IDADE MÉDIA O rganizado por HENRY R. LOYN Professor Emérito de História Medieval, Universidade de Londres Com 250 ilustrações Tradução: ÁLVARO CABRAL Licenciado em Ciências Históricas e Filosóficas, Faculdade de Letras da Universidade...

    244759  Palavras | 980  Páginas

  • educação na idade média

    EDUCAÇÃO NA IDADE MÉDIA PATRÍSTICA – SANTOA AGOSTINHO ECÓLASTICA – SÃO TOMAZ DE AQUINO Resumo O trabalho aqui apresentado trata-se da educação na idade média, mas precisamente a patrística e a escolástica, as duas principais escolas deste período. Durante essa época as ciências ficaram um pouco estagnadas, tanto que ficou conhecido como idade das trevas pelo que diziam ser a era da ignorância e do medo. Porém é visto que apesar de haver toda essa dominação do saber pela igreja, sabemos...

    1734  Palavras | 7  Páginas

  • trabalho de metodologia cientifica

    enquanto mera análise dos processos cognitivos e quesitos metodológicos, porque atrelada à ideia de progresso científico como foco, questiona também sua tipologia, e ainda em que nível se encontra, o progresso da humanidade. Os temas ciência, pesquisa, paradigma, ciência normal e outros tantos têm também sido requisitados com alguma constância pelos pesquisadores em ciências administrativas. Daí o interesse em pesquisar o assunto em pauta.        O binômio: progresso da ciência X progresso do homem...

    5248  Palavras | 21  Páginas

  • alta idade media

    paz, inserindo-os em seu contexto histórico próprio e no conjunto de suas principais formulações teóricas. Pretendemos que esta breve apresentação introdutória possa servir como recurso para os interessados em ler a obra do Paduano. Durante a Idade Média a teocracia pontifícia gerou polêmicas discussões na Europa. Gradativamente, o poder dos papas alcançara um status de plenitude (plenitudo potestatis), posto acima de todos os demais poderes em sociedade, tanto o poder dos clérigos como o poder...

    3661  Palavras | 15  Páginas

  • Teorias de filósofos da idade média

    “Teorias de Filósofos da Idade Média”     Avicena (980 – 1037). Discípulo árabe de “Aristóteles” e do neoplatonismo cujos trabalhos despertaram interesse por Aristóteles na Europa do séc.XIII.   Santo Anselmo (1033 – 1109). Agostiniano e realista italiano famoso por sua prova da existência de “Deus”.   Abelardo (1079 – 1142). Teólogo e filósofo francês cujo nominalismo antagonizou a Igreja.   *Averróis (1126 98). Grande filósofo da Espanha islâmica e principal comentador de Aristóteles...

    546  Palavras | 3  Páginas

  • Educação na idade média

    Cristianismo se desenvolverá intelectualmente e institucionalmente até alcançar o apogeu com a escolástica e o surgimento das primeiras Universidades. As sucessivas invasões bárbaras comprometeram significativamente a educação no período medieval (Idade Média). Sua restauração só foi possível após a queda do Império do Ocidente e o controle político de Carlos Magno em 800 d.C. Com o domínio do Cristianismo, a educação tomou novos rumos e a instrução da doutrina da Igreja e a prática do culto substituíram...

    2102  Palavras | 9  Páginas

  • A evolução da Ciência

    amanhã. Modelos de sucesso em poucos anos tornam-se ultrapassados. Empresas líderes perdem posição em tempos cada vez mais curtos.    Os paradigmas fornecem modelos e padrões para explicar e compreender uma realidade por um determinado tempo. Muitas vezes, estes acabam sofrendo mudanças em consequências deste mundo turbulento. O surgimento de um novo paradigma ocorre quando se observa que um fato não corresponde mais às expectativas pré-determinadas e isto acaba gerando uma crise que traz como aspectos...

    5526  Palavras | 23  Páginas

  • educação na idade antiga, media e contemporânea

    Na idade media houve duas correntes educacionais que inspiraram a forma de educar o povo deste período, a Patrística que consistia na elaboração doutrinal das verdades de fé do Cristianismo e na sua defesa contra os ataques dos “pagãos” e contra as heresias e a Escolástica que surgiu da necessidade de responder às exigências da fé, essas duas correntes educacionais filosoficas são duas formas da igreja manipular da forma como quisesse seu poder dentro da sociedade, porém não devemos deixar de mostrar...

    1499  Palavras | 6  Páginas

  • 00001458585

    O PENSAMENTO FILOSÓFICO E TEOLÓGICO DE SANTO TOMÁS DE AQUINO EM SEU IMPACTO EDUCACIONAL E PEDAGÓGICO Gustavo Araújo Batista 1 Resumo: Santo Tomás de Aquino (1224/5-1274) é o mais elevado pensador escolástico. Sua filosofia e sua teologia influenciaram pensadores tanto de orientação cristã como de orientação não-cristã. Refletindo sobre as convergências e as divergências entre a razão e a fé, ele considera que a filosofia e a teologia têm, portanto, semelhanças e diferenças, uma vez...

    13393  Palavras | 54  Páginas

  • Filosofia medieval

    *FILOSOFIA MEDIEVAL*  A Idade Média compreende o período que vai da queda do Império Romano, no século V até a tomada de Constantinopla pelos turcos no século XV. Nessa época a Igreja Católica surge como força espiritual e política. A cultura era dominada pela igreja, a igreja monopolizava a cultura medieval.  A Idade Média foi dividida em ALTA e BAIXA, e a Filosofia foi dividida em PATRÍSTICA  e ESCOLÁSTICA  PATRÍSTICA E ESCOLÁSTICA                                        PATRÍSTICA ...

    1087  Palavras | 5  Páginas

  • Idade media

    Idade Media Chamamos de Idade Média, o longo período de quase mil anos, que começou no ano 476, quando o Império Romano do Ocidente caiu nas mãos dos povos bárbaros, e se estendeu até perto das Grandes Navegações, em 1453, quando Constantinopla foi tomada pelos turcos otomanos. Chama-se Média porque foi um período intermediário entre a Idade Antiga e a Idade Moderna.[1] Os humanistas, por volta de 1500, denominaram a Idade Média de "Idade das Trevas", considerando que a grande cultura greco-romana havia...

    8854  Palavras | 36  Páginas

  • A educaçao na idade media

    A EDUCAÇÃO NA IDADE MÉDIA Prof. Giancarlo Moser Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI Pedagogia/Educação a Distância (Ped 3811)-História da Educação 21/08/07 RESUMO A Idade Média foi uma época marcada por transformações religiosas e educacionais, na Alta Idade Média quem mandava eram os feudos, pois apenas um só comando respeitado por todos e esse respeitava a Igreja; na Baixa Idade Média começou as mudanças aonde os povos vieram a se libertar dos senhores feudais...

    1603  Palavras | 7  Páginas

  • Tomás de Aquino

    toda a Cristandade. Por assim dizer, responsável pela unidade de toda a Europa, que comungava da mesma fé. Essa linha vai do começo do século IX até ao fim do século XVI, ou seja, até ao fim da Idade Média. Esse pensamento cristão deve o seu nome às artes ensinadas na altura pelos académicos (escolásticos) nas escolas medievais. Essas artes podiam ser divididas em Trivium (gramática, retórica e dialéctica) e Quadrivium (aritmética, geometria, astronomia e música). A escolástica resulta essencialmente...

    1600  Palavras | 7  Páginas

  • Filosofia moderna

    "ser" e "dever ser" são a mesma coisa, o "dever ser" coincide com o "ser". É evidente que a passagem da concepção dualista (clássica) à concepção teísta (cristã) é um desenvolvimento lógico, que se manifesta especulativamente no desenvolvimento tomista de Aristóteles. Pelo contrário, a passagem da concepção tradicional, teísta, à concepção moderna, imanentista, representa teoricamente uma ruptura. O pensamento moderno, todavia, especialmente o pensamento da Renascença, tem seu precedente lógico...

    992  Palavras | 4  Páginas

  • Sao tomas de aquino e a ideia medieval de estado

    pautada na crença da harmonia parcial obtida entre fé e razão. 3° fase: compreendida entre o século XIV ate o século XVI, período tido como o da decadência da escolástica, pois havia diferenças entre Fe e razão. A questão dos universais: O método escolástico privilegiava o estudo da linguagem para depois passar para o exame das coisas. Os universais, ou seja, as idéias gerais é exatamente a relação entre as coisas e seus conceitos, tanto lingüísticos, gnosiológicos e teológicos. A partir disso surgiram...

    2166  Palavras | 9  Páginas

  • São Tomás de Aquino

    pensamento aristotélico, de outro. Isso não significa que deixe de albergar outras propostas em seu interior, representando até certo ponto uma grande síntese do pensamento filosófico até o século XIII... (Bittar; Almeida, 2000, p. 196)1 Aline Alves dos Santos Ana Paula de A. F. Reis Dian Geise M. Rodrigues Eden Franklin R. Filho Glissan Silveira Aragão2 RESUMO: A importância desse tema se dá pela revolução histórica que esse filósofo causou na linha de pensamento filosófico-teológico na Idade Média...

    3352  Palavras | 14  Páginas

  • Os Planetas E Os Continentes K

    28 ••,KlaasWoortmann Para a física medieval, não só o mundo existia para uso do homem, mas era também plenamente inteligível pelos sentidos e com relação aos usos humanos desse mundo. As categorias básicas desse pensamento, de inspiração aristotélico-tomista, eram as de substância, essência, matéria, forma, quantidade e qualidade. Tais categorias foram, no pensamento moderno, substituídas por tempo, espaço, massa, energia, etc,, enquanto a quantidade ganha preeminência sobre a qualidade (Burtt...

    14157  Palavras | 57  Páginas

tracking img