Filosofia Explique Por Que Segundo Espinosa Determinismo E Liberdade Nao Sao Conceitos Que Se Excluem artigos e trabalhos de pesquisa

  • trabalho de filosofia

    Capítulo 2 – Entre o Bem e o Mal 1- O que significa dizer “a não indiferença é a essência do valer”? Nada pior do que a indiferença, logo o contrário dela, ou seja a não-indiferença, ou o amor, o carinho, a atenção, a solidariedade, o companheirismo, a cumplicidade. #1. O que significa dizer “a não indiferença é a essência do valer”? 2. Explique esta afirmação: O ser humano, diferentemente do animal, é capaz de produzir interdições. 3. Porque não é contraditório afirmar que a moral autêntica supõe a aceitação...

    656  Palavras | 3  Páginas

  • Questoes Filosofia

    ___________________________________________________________________________________ 4- O egocentrismo infantil é um elemento construtivo de determinada fase do desenvolvimento intelectual, afetivo e moral da criança. O que dizer dos adultos que não perderam esse traço? __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________...

    807  Palavras | 4  Páginas

  • trabalho de filosofia cap 19 livri filosofando

    Questões Explique com suas palavras o que Merleau-Ponty que dizer com as seguintes frases? a) "Nascer é ao mesmo tempo nescer do mundo e nascer no mundo". Liberdade não é algo que ganhamos, é algo que adquirimos através das nossas ações no mundo. Não temos escolha em optar por nascer, nós apenas aceitamos isso. Sempre seremos escravos de nossas responsabilidades, nossa liberdade tem um limite,e esse limite quem impõem é o mundo. b) "Nunca há determinismo e nunca há escolha absoluta, nunca sou...

    1142  Palavras | 5  Páginas

  • filosofia

    UNIDADE 4 Ética Navegar é preciso Navegar é preciso, viver não é preciso. Pompeu, general romano, século I a.C. Capítulo 18 Ninguém nasce moral, 222 Capítulo 19 Podemos ser livres?, 234 Capítulo 20 Teorias éticas, 247 PESSOA, Fernando. Obra poética. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1999. p. 15. Observe essas duas citações: a frase de Pompeu e o texto de Fernando Pessoa — na verdade, um fragmento solto em seus guardados. Embora pareça que o general e o poeta digam o mesmo, um exame mais atento...

    31968  Palavras | 128  Páginas

  • Determinismo

    Introdução Segundo a concepção determinista, o mundo, os acontecimentos e até o comportamento humano são regidos por leis necessárias e imutáveis, que escapam ao controle dos homens, de modo que a liberdade é impossível. Nesta pesquisa vamos nos aprofundar nesse assunto, estudando temas relevantes, como por exemplo: os tipos de determinismos, pré-determinismo, pós-determinismo e co-determinismo, opiniões e Determinismo vs. Liberdade. “Percebam que todo efeito tem somente uma única causa possível...

    2890  Palavras | 12  Páginas

  • Filosofia moral

    FILOSOFIA MORAL Valores - O homem age no mundo de acordo com valores, ele evolui as suas ações a partir de valores. Os valores em primeiro momento são herdados, ao nascer o mundo cultural já estabelece modos de comportamento, e conforme é atendido ou transgredido os padrões, os comportamentos são avaliados como bons ou maus. A moral - é o conjunto de normas que orientam o comportamento humano tendo como base os valores próprios a uma dada comunidade. De modo simplificado o sujeito moral é aquele...

    5013  Palavras | 21  Páginas

  • LIBERDADE E DETERMINISMO SOB TENSÃO: ESPINOSA E SARTRE

    LIBERDADE E DETERMINISMO SOB TENSÃO: ESPINOSA E SARTRE A vontade não pode ser chamada causa livre, mas unicamente necessária. (Espinosa) Você é livre, escolha, quero dizer, invente[2]. (Sartre) A questão da liberdade da vontade ou livre arbítrio é um tópico fundamental na história da filosofia, representando um ponto de tensão entre inúmeras teses contrárias. Tal embate entre diferentes doutrinas e filosofias envolve, primordialmente, a questão da essência humana – dada ou não de antemão –, bem...

    2573  Palavras | 11  Páginas

  • Filosofia

    Unidade I Descobrindo a filosofia CAPÍTULO 1 A experiência filosófica CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS Como é o pensar filosófico? A Filosofia de vida Para que serve a Filosofia? Informação, conhecimento e sabedoria É possível definir Filosofia? Um filósofo Para não concluir... Reconhecer a importância e a utilidade da Filosofia. Entender como se dá o processo de filosofar. Apresentar Sócrates e sua importância para a Filosofia. Leitura compartilhada...

    7314  Palavras | 30  Páginas

  • Liberdade, decisão e ação

    EUCARÍSTICO ENGENHARIA ELÉTRICA LIBERDADE: VONTADE, DECISÃO E AÇÃO Belo Horizonte 16/10/2014 LIBERDADE: VONTADE, DECISÃO E AÇÃO - Determinismo e liberdade A discussão acerca do determinismo e da liberdade no que concerne às ações humanas além de histórica é tema fundamental para a compreensão das escolhas e das ações do homem. O determinismo conceitua-se como a impossibilidade de se optar livremente por...

    1235  Palavras | 5  Páginas

  • Filosofia

    Filosofia Escola: Bernardo Vieira Data: 19 de Maio de 2015 Aluno: Ricardo José Professora: Arizete Série: 3ºH Atividade 1) Como a felicidade de relaciona com a liberdade? R: A felicidade, na verdade, é a liberdade. A felicidade se dá pelo fato da ideia de escolha, do que se opõe à necessidade e contingência. Quando se tem liberdade para escolher, se tem a felicidade. 2) Por que a necessidade e a contingência não excluem a liberdade? Ilustre sua resposta com um exemplo. R:...

    500  Palavras | 2  Páginas

  • Filosofia

    Rodrigues da Costa, s/n - Bairro São Pedro - Belo Jardim / PE – CEP:55165-000PABX: 81 3726-1355 / R. 208-209 / E-mail: eaf_cgrh@agronet-pe.gov.br Filosofia Aluna: Richelane Ferreira Vagner Pereira Professor: Eugenio pacelle Turma: 3°B Assunto: Ética Data:18/06/13 Análise e entendimento 1°- Embora, sejam usadas muitas vezes como sinônimos, que significados específicos possuem as palavras moral e ética? R: Moral são nossos conceitos, tudo aquilo que julgamos ser...

    1544  Palavras | 7  Páginas

  • fundamentos da filosofia

    representacionista. 3 – quais são os pólos tradicionalmente identificados no processo do conhecimento? Explique cada um deles e sua relação. 4 – Confronte o idealismo com o realismo. CONVERSA FILOSÓFICA 1 – Qual doutrina faz mais sentido para você, a realista ou a idealista? Por quê? Reflita sobre essa questão. Depois reúna-se com colegas e procure argumentar a favor de sua posição. ANÁLISE E ENTENDIMENTO 5 – Ao nascermos, nossa mente é como um papel em branco. Explique essa afirmação, quem a formulou...

    2630  Palavras | 11  Páginas

  • Trabalho de Filosofia sobre a Ética de Spinoza

    Trabalho de Filosofia sobre a Ética de Spinoza Aluno: Álvaro Aparecido Alves Augsten Matrícula: 2012035765 Questão 1 – Defina “substância” segundo Espinosa e explique, com suas palavras, por que a partir dessa definição apenas Deus pode ser considerado uma substância. Segundo o filósofo Espinosa, a definição de substância está ligada a algo infinito e de infinitos atributos, do qual só pode ser concebida por ela mesma. Pela definição 3, da primeira parte (Deus), temos: “Por substância compreendo...

    1624  Palavras | 7  Páginas

  • Liberdade, determinismo e moral

    Pg. 02 2. Determinismo Pg. 03 3. Liberdade Pg. 04 4. Transformações da Moral Pg. 05 5. Escolhas Morais Pg. 06 6. Dialética: Liberdade e Determinismo Pg. 07 7. Considerações Finais ...

    1555  Palavras | 7  Páginas

  • liberdade na filosofia

    Liberdade na filosofia 1: Introdução O conceito de liberdade: Liberdade significa o direito de agir segundo o seu livre arbítrio (religiosamente), de acordo com a própria vontade, é a sensação de estar livre e não depender de ninguém. Liberdade é também um conjunto de ideias liberais e dos direitos de cada cidadão. O conceito de liberdade segundo a Filosofia: Liberdade é classificada pela filosofia, como a independência do ser humano, o poder de ter autonomia e espontaneidade. A liberdade...

    1126  Palavras | 5  Páginas

  • Filosofia

    cotidiano? 5. Enumere os principais sentidos da palavra natureza. 6. Enumere os principais sentidos da palavra cultura na Antiguidade. 7. Por que, na Antiguidade, cultura e natureza não se opunham? 8. Explique a distinção kantiana entre reino da necessidade e reino da liberdade. 9. Explique a negação interna 10. Explique o que significa o surgimento da consciência ou do “para si” no que respeita ao surgimento da cultura. 11. O que é cultura para Marx? A experiência do sagrado e a instituição da...

    2315  Palavras | 10  Páginas

  • determinismo

     DETERMINISMO Trabalho de Filosofia DETERMINISMO Determinismo é a doutrina que afirma serem todos os acontecimentos, inclusive vontades e escolhas humanas, causados por acontecimentos anteriores, ou seja, o homem é fruto direto do meio, logo, destituído de liberdade total de decidir e de influir nos fenômenos em que toma parte, existe liberdade, mas esta liberdade condicionada a natureza do evento em um determinado instante. O indivíduo faz exatamente aquilo que...

    2380  Palavras | 10  Páginas

  • A liberdade

    A liberdade A liberdade como problema 1.Explique a oposição entre necessidade e liberdade. Por que a necessidade ou fatalidade parece excluir a liberdade? R: Necessidade significa que não há lugar para a liberdade, porque o curso das coisas e de nossas vidas já está fixado, sem que nele possamos intervir. Liberdade significa a ausência de oposição. Necessidade ou fatalidade significa que não há lugar para a liberdade por isso ela acaba excluindo a liberdade pelo falo da necessidade já ter fixado...

    2820  Palavras | 12  Páginas

  • DETERMINISMO E LIBERTARISMO

    DETERMINISMO E LIBERTARISMO Sumário Introdução Conteúdo Conclusão Bibliografia INTRODUÇÃO Bem… Pode-se entender liberdade de muitas maneiras, dependendo do tempo e do lugar em que o sujeito está inserido. Mas desde a antiguidade a liberdade tem um significado muito especial: “A palavra liberdade, conforme a etimologia grega, eleutheria, significava liberdade de movimento. Tratava-se apenas de uma possibilidade do corpo para se movimentar sem qualquer restrição externa...

    1183  Palavras | 5  Páginas

  • Essencial para o exame de filosofia

    67)] A rede conceptual da ação Determinismo e liberdade na ação humana A REDE CONCEPTUAL DA AÇÃO • Acontecimento é tudo o que acontece, é um sinónimo de evento. • Nem tudo o que é realizado por seres humanos é ação (por exemplo, atos involuntários e funções vitais). A Ação é um acontecimento levado a cabo por um ser humano de modo intencional, voluntário e consciente. • Agente é aquele que pratica a ação, o sujeito da ação. DETERMINISMO E LIBERDADE NA AÇÃO HUMANA O problema é saber...

    6585  Palavras | 27  Páginas

  • Trabalho de filosofia

    DISCIPLINA: Filosofia e Ética PROFESSORA: Norma Mendes O MUNDO DA PRÁTICA * A existência ética * A filosofia moral * A liberdade Resumo referente aos capítulos 5, 6 e 7 da unidade 8, do livro Convite à Filosofia de Marilena Chauí. Texto resumido a pedido da professora Norma Mendes, como trabalho em equipe para 2ª unidade. Salvador Novembro/2012 CHAUÍ, Marilena, Convite à Filosofia. 6. Ed. São Paulo: Ática, 2007. P. 305-340. A existência da Ética Fala sobre o senso moral e a...

    3855  Palavras | 16  Páginas

  • Hobbes e Espinosa - Parte 1

    1- O que é liberdade para Hobbes? Como ela se relaciona com os direitos do soberano? Para definirmos o que é liberdade para Hobbes temos que analisar primeiramente o Estado de Natureza, no qual todos os homens têm direito a todas as coisas, e não há impedimentos externos para as suas vontades. Em consequência disso temos um estado de guerra de todos contra todos e não há paz, e reina o medo e a insegurança . Para conseguir um estado de paz (onde não haja guerra de todos contra todos) há a passagem...

    656  Palavras | 3  Páginas

  • Concepções Sobre a Liberdade

     CONCEPÇÕES SOBRE LIBERDADE A primeira grande teoria filosófica da liberdade é exposta por Aristóteles em sua obra Ética a Nicômaco e, com variantes, permanece através dos séculos, chegando até o século XX. Nessa concepção, a liberdade se opõe ao que é condicionado externamente (necessidade) e ao que acontece sem escolha deliberada, isto é, a contingência. Diz Aristóteles que é livre aquele que tem em si mesmo o princípio para agir ou não agir, isto é, aquele que é causa interna de sua...

    15678  Palavras | 63  Páginas

  • Dicionario de filosofia

    DICIONÁRIO DE FILOSOFIA JOSÉ FERRATER MORA DICIONÁRIO DE FILOSOFIA TEXTO PREPARADO POR EDUARDO GARC A BELSUNCE E EZEQUIEL OLASO TRADUZIDO DO ESPANHOL POR ANTÓNIO JOSÉ MASSANO E MANUEL PALMEIRIM PUBLICAÇÕES DOM QUIXOTE LISBOA 1978 ALGUNS DADOS SOBRE JOSÉ FERRATER MORA: -- José Ferrater Mora nasceu em 1912, em Barcelona. Estudou na sua cidade natal, indo viver depois, sucessivamente, para Cuba, (1931-1934), Chile (1941-1947), e Estados Unidos, onde ainda reside. Foi professor de filosofia na Universidade...

    128385  Palavras | 514  Páginas

  • Sujeito e Liberdade

    Sujeito e Liberdade na Filosofia Moderna Alemã Projeto PROCAD PUCRS - UFC “Sujeito e Liberdade na Filosofia Moderna Alemã” CAPES - Brasil Konrad Utz, Agemir Bavaresco e Paulo Roberto Konzen (Organizadores) Evangraf Porto Alegre 2012 © Evangraf, 2012 CAPA Rodrigo Valls – Paulo Roberto Konzen REVISÃO DE TEXTO Autores EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Paulo Roberto Konzen Editora Evangraf Rua Waldomiro Schapke 77 - Partenon 91530-390 - Porto Alegre, RS Fone: (51) 3336.2466 Site: www...

    193970  Palavras | 776  Páginas

  • Filosofia

    Resumo de Filosofia 10ºano Sumário: • O determinismo e a noção de causalidade; • Compatibilismo e o libertismo; • As condicionantes da ação humana; • Valores e experiências valorativas; • Valores – Natureza e características; • Definição de valor; • Os Diferentes critérios valorativos; A partir da ciência moderna, o mundo começou a ser entendido à luz das relações causa – efeito: para qualquer acontecimento existe uma causa de tal...

    3208  Palavras | 13  Páginas

  • Ética, Filosofia Moral e Liberdade

    Trabalho apresentado como Requisito de avaliação e aproveitamento Da disciplina Filosofia orientada pelo Professor Paulo Gama BRAGANÇA – PA 2014 SUMARIO I – INTRODUÇÃO II – ÉTICA 2.1.1 – A EXISTENCIA ÉTICA 2.1.2 – SENSO MORAL E CONSIENCIA MORAL ...

    6986  Palavras | 28  Páginas

  • RESUMO Chaui Filosofia Moral E Liberdade 5 E 6

    Psicologia MANUELA GIL PARIZOTTO RESUMO MARILENA CHAUI – A FILOSOFIA MORAL E A LIBERDADE. Trabalho apresentado como requisito como parte da avaliação do 1º bimestre da disciplina de Ética Profissional e Bioética do Curso de Psicologia da Faculdade Metropolitana de Maringá. Profa Eliane da Costa Lima 2014 Maringá – PR 1 A FILOSOFIA MORAL Neste capítulo a autora traz a discussão da ética e da filosofia moral, através de diversos conceitos já descrevidos do assunto. O primeiro deles é de Sócrates...

    3072  Palavras | 13  Páginas

  • Coleção os pensadores Espinosa

    Os Pensadores Espinosa http://groups.google.com/group/digitalsource CIP - Brasil. Catalogação - na - Publicação Câmara Brasileira do Livro, SP S742p 3ªed. Spinoza, Benedictus de, 1632-1677. Pensamentos metafísicos; Tratado da correção do intelecto; Ética; Tratado político; Correspondência / Baruch de Espinosa; seleção de textos de Marilena de Souza Chauí ; traduções de Marilena de Souza Chauí... [et al.]. — 3. ed. — São Paulo; Abril Cultural, 1983. (Os pensadores) Inclui vida...

    231663  Palavras | 927  Páginas

  • Libertarismo vs Determinismo

    entende a liberdade como a possibilidade do indivíduo de decidir e agir conforme sua própria vontade. Ser livre é, pois, o mesmo que agir voluntariamente, sendo esta vontade determinada pelo próprio agente exclusivamente. Ou seja, diante de uma situação qualquer, posso agir de uma maneira ou de outra,dependendo apenas de minha decisão. Isto também e conhecido como autodeterminação, pois o próprio sujeito que age é causa de sua ação. Um dos primeiros a formular essa noção de liberdade foi Aristóteles...

    1189  Palavras | 5  Páginas

  • 01 Trabalho Segundo Bimestre E E F M F Primeiro Ano

     Instruções para realização do trabalho: O trabalho deve ser feito no caderno, individualmente. Devem ser feitos todos os exercícios (Cada exercício deixado em branco corresponde a um ponto perdido).  Devem constar perguntas e respostas (não importa se impressas ou manuscritas). As respostas às questões abertas devem ser adequadamente desenvolvidas e originais. Lembre-se sempre que o que importa aqui é a justificativa das respostas. Leia os textos e os enunciados com bastante atenção. O trabalho...

    5017  Palavras | 21  Páginas

  • ENTRE O BEM E O MAL

    + capitulo 17: entre o bem e o mal. 1. o que significa dizer que a nao indiferença e a essencia do valer O que é ser indiferente? É ser comum, qualquer, igual a todos. Quando é citado o "não", todos esses conceitos são invertidos. Reescrevendo, com o mesmo sentido, temos: "A diferença é a essência do valer". Significa que "O valer a pena" é marcado pela diferença. Ex: Para valer a pena, mostre o seu diferencial. 2. explique esta afirmaçao o ser humano diferentemente do animal é capaz de produzir...

    1255  Palavras | 6  Páginas

  • Determinismo

    se pode definir a filosofia? R – Por esta comparação, a filosofia é um discurso que pensa a realidade a partir de hipóteses e ocorrências ou lógicas internas aos próprios argumentos, sem necessariamente referir-se à informações baseadas em levantamentos empíricos, ou seja na experiência de grande número de pessoas. 02 – Como era considerada a filosofia na Antiguidade grega? R – Era considerada como o conjunto de todos os conhecimentos, físicos r metafísicos. 03 – Explique por que para Santo...

    1166  Palavras | 5  Páginas

  • correcao atividades de filosofia

    Correção das atividades de Filosofia - 1º bimestre Correção das atividades de Filosofia – Capítulo 2 – A consciência mítica – 1º Ano – 1º bimestre Questões da Leitura complementar 1. Clastres e Adorno se referem a ritos de iniciação: nas tribos, a passagem da infância para a vida adulta, e hoje, de alguém que é novato em uma atividade, como em um trabalho ou um curso universitário. 2. Adorno refere-se aos trotes de calouros como rituais de iniciação, só que aqui eles assumem características...

    3288  Palavras | 14  Páginas

  • correcao atividades de filosofia

    Correção das atividades de Filosofia - 1º bimestre Correção das atividades de Filosofia – Capítulo 2 – A consciência mítica – 1º Ano – 1º bimestre Questões da Leitura complementar 1. Clastres e Adorno se referem a ritos de iniciação: nas tribos, a passagem da infância para a vida adulta, e hoje, de alguém que é novato em uma atividade, como em um trabalho ou um curso universitário. 2. Adorno refere-se aos trotes de calouros como rituais de iniciação, só que aqui eles assumem características...

    3288  Palavras | 14  Páginas

  • correcao atividades de filosofia

    Correção das atividades de Filosofia - 1º bimestre Correção das atividades de Filosofia – Capítulo 2 – A consciência mítica – 1º Ano – 1º bimestre Questões da Leitura complementar 1. Clastres e Adorno se referem a ritos de iniciação: nas tribos, a passagem da infância para a vida adulta, e hoje, de alguém que é novato em uma atividade, como em um trabalho ou um curso universitário. 2. Adorno refere-se aos trotes de calouros como rituais de iniciação, só que aqui eles assumem características...

    3288  Palavras | 14  Páginas

  • correcao atividades de filosofia

    Correção das atividades de Filosofia - 1º bimestre Correção das atividades de Filosofia – Capítulo 2 – A consciência mítica – 1º Ano – 1º bimestre Questões da Leitura complementar 1. Clastres e Adorno se referem a ritos de iniciação: nas tribos, a passagem da infância para a vida adulta, e hoje, de alguém que é novato em uma atividade, como em um trabalho ou um curso universitário. 2. Adorno refere-se aos trotes de calouros como rituais de iniciação, só que aqui eles assumem características...

    3288  Palavras | 14  Páginas

  • As filosofias politicas

    Disciplina: Ética das Relações Internacionais – 2008/1 Profª. Carmelita Brito de Freitas Felício TRABALHO DE PESQUISA SOBRE A FILOSOFIA MORAL* Responder as seguintes questões: 1. Por que a Filosofia moral ou a ética se inicia com Sócrates e por que este filósofo incomodou tanto os atenienses? 2. Apresente a distinção feita por Aristóteles entre práxis e técnica. Explique qual é o campo das ações éticas. Por que sua concepção exclui o necessário e contingente do campo ético e afirma a importância...

    681  Palavras | 3  Páginas

  • Liberdade

    LIBERDADE Sumário INTRODUÇÃO...............................................................................................................3 1 A LIBERDADE COMO UM PROBLEMA...............................................................4 2 A LIBERDADE COMO QUESTÃO FILOSÓFICA................................................5 3 TRÊS GRANDES CONCEPÇÕES FILOSÓFICAS DA LIBERDADE.................7 ...

    3021  Palavras | 13  Páginas

  • Mapas Conceituais Filosofia Capitulo 19

    Podemos ser livres? Capítulo 19 A LIBERDADE É UMA DAS MAIORES QUESTÕES FILOSÓFICAS No mundo antigo a consciência trágica (Ésquilo, Sófocles, Eurípedes) pretendia responder fundamentalmente a questão: o homem é livre ou vítima do destino? DESDE A FILOSOFIA GREGA ENFATIZOU-SE A LIBERDADE HUMANA ABSOLUTA: TEMOS A ESCOLHA DE AGIR DE UM MODO OU DE OUTRO Ser livre é decidir e agir como se quer, sem determinação causal Sócrates _> imprime uma orientação racionalista à ética Virtudes dependem do conhecimento:...

    624  Palavras | 3  Páginas

  • A liberdade

    A LIBERDADE Quando nos referimos à liberdade no sentido mais comum, uma pessoa é livre quando ela pensa e age por si própria, não é constrangida a fazer o que não deseja nem é escrava ou prisioneira. No capítulo a “A Liberdade”, é exposto algumas concepções de filósofos que fizeram uma indagação radical a respeito do que é liberdade ética, se somos ou não sujeitos livres ou se apenas temos a ilusão da liberdade. No item um “Destino e determinismo” traz o mito das Moiras que diz que nosso ato depende...

    891  Palavras | 4  Páginas

  • Questionario Filosofia

    FILOSOFIA: Questionário Brasília 2013 1- Distingue os conceitos de liberdade e o conceito de autonomia A distinção entre elas é que a autonomia surge na medida em que o ser humano tem liberdade para cumprir suas vontades e escolhas na sociedade. 2- Explique os conceitos de liberdade e autonomia Na filosofia a liberdade é classificada pelo direito de ir e vir, ou seja, a independência do ser humano. O poder de ter a autonomia na filosofia é definido...

    2142  Palavras | 9  Páginas

  • filosofia aristoteles

    definidas pelo cris­tianismo, descobrimos que, embora as virtudes aristotéli­cas não sejam afastadas, deixam de ser as mais relevantes. Observamos, assim, o aparecimento de virtudes novas, concernentes à relação do crente com Deus (virtudes teolo­gais), à posição da justiça e da prudência como virtudes particulares (virtudes que, para Aristóteles, não eram parti­culares, pois a justiça é o resultado da virtude e não uma das virtudes, e a prudência é a condição de todas as virtu­des), à substituição...

    6416  Palavras | 26  Páginas

  • filosofia

    1- Faça um fichamento destacando, em cada momento histórico, a visão predominante a respeito da relação corpo-alma. R = Pág. 1: A partir do final do segundo milênio, estamos passando por uma mudança de paradigmas, por uma mutação histórica de modelo que começou com a industrialização e urbanização e culmina na atual era da informação e do consumo. Essas transformações se fazem sentir de maneira profunda no modo de vida da sociedade tradicional, cujos valores arraigados demoram muito tempo para...

    2131  Palavras | 9  Páginas

  • Concepção da liberdade como possibilidade objetiva

    Física |Filosofia | |Módulo: Filosofia e Bioética |Professora | |Nome: |ATIVIDADE II – abril de 2013 | |CONCEPÇÃO DA LIBERDADE COMO POSSIBILIDADE OBJETIVA ...

    761  Palavras | 4  Páginas

  • quetões de filosofia parte 1

    1-O que é filosofia? 2- diferencie mito de filosofia. 3- qual a diferença da filosofia socrática para a dos sofistas? 4- Quais os dois mundo conceituados por Platão, descreva-os. 5- Qual o significado da alegoria da caverna em relação ao conhecimento? 6- Explique a teoria aristotélica do ato e potência. 7- Como Aristóteles dividiu o mundo físico? 8- Segundo Aristóteles como podemos conhecer? E segundo Platão? 9- Como o saber pode ser alcançado segundo as ciências da natureza cujo expoente...

    627  Palavras | 3  Páginas

  • A liberdade como questao filosofica

    A liberdade como questão filosófica (parte I) De Aristóteles à Rousseau Segundo a definição encontrada no Aurélio, "liberdade é a faculdade de cada um se decidir ou agir segundo sua própria determinação". A partir daí, parece-me relevante investigar se "determinar-se a fazer algo" pressupõe, já em si mesmo, ter as condições para tanto, isto é, não estar-se sujeito nem a obstáculos insuperáveis, nem a coações ou repressões de qualquer ordem. Creio ser necessário examinar se é possível aos homens...

    3196  Palavras | 13  Páginas

  • Reflexões antropológicas nos pensamentos de karl marx, adam smith e augusto comte acerca da liberdade ou do determinismo na ação humana

    UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO Curso de Filosofia Alexandre de Matos Pinto REFLEXÕES ANTROPOLÓGICAS NOS PENSAMENTOS DE KARL MARX, ADAM SMITH E AUGUSTO COMTE ACERCA DA LIBERDADE OU DO DETERMINISMO NA AÇÃO HUMANA São Paulo 2012 Alexandre de Matos Pinto REFLEXÕES ANTROPOLÓGICAS NOS PENSAMENTOS DE KARL MARX, ADAM SMITH E AUGUSTO COMTE ACERCA DA LIBERDADE OU DO DETERMINISMO NA AÇÃO HUMANA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Filosofia do Centro Universitário São Camilo, orientado...

    20797  Palavras | 84  Páginas

  • Filosofia

    1 – O que se entende por liberdade humana? Explique. Quando nos referimos ao conceito de liberdade, podemos fazê-lo a partir de diversas perspectivas. No sentido mais comum, uma pessoa livre é aquela que pensa e age por si própria, não é constrangida a fazer o que não deseja nem é escrava ou prisioneira. Mas podemos considerar liberdade em outros sentidos mais amplos, por exemplo, no âmbito da política, da economia, das leis, da sociedade, etc. Embora esses campos possuam suas características...

    2134  Palavras | 9  Páginas

  • Cp ng1 dr1 liberdade

    Introdução Página 3 1. O que é a liberdade Página 4 2. Responsabilidade Página 5 3. Determinismo, indeterminismo e libertismo Página 6 4. Deveres e direitos Página 8 5. O exercício da liberdade Página 10 6. Bem individual e bem comum Página 11 Conclusão Página 12 Bibliografia Página 13 Introdução Este trabalho, realizado na Área de Cidadania e Profissionalidade, Núcleo Gerador 1 (Direitos e deveres), é referente ao DR 1 – Liberdade e responsabilidade pessoal. Tentarei...

    2386  Palavras | 10  Páginas

  • Filosofia

    ações que realizamos baseados em preceitos que dizem respeito a nós mesmos. Ou seja, são frutos da educação, orientação, que recebemos da família, do ambiente onde vivemos. E já a jurídica são normas resultantes do Direito, da aplicação de leis, feitas com o intuito de regular a vida na sociedade. As normas jurídicas não precisam de adesão interna, bastando apenas que sejam cumpridas. Independente de aceita-las ou não, deve-se obedecê-las sob o risco da punição da autoridade. Por exemplo: no Brasil...

    1246  Palavras | 5  Páginas

  • Estudo Dirigido de Filosofia

    o indivíduo não tem que agir como os outros. Adestramento é fazer com que um indivíduo pense e se comporte como os outros seres. 4. O que é consciência reflexiva? A consciência reflexiva é uma qualidade da mente, considerando abranger qualificações tais como subjetividade, auto-consciência, sentiência, sapiência, e a capacidade de perceber a relação entre si e um ambiente. 5. Qual a relação entre consciência reflexiva e liberdade? A relação entre consciência e liberdade: consciência...

    1052  Palavras | 5  Páginas

  • FILOSOFIA ENTRELINHAS, CAPITULO 28,29

     CAPÍTULO 28 Pág. 292 O que é, então, a liberdade humana enquanto o homem é uma parte constituída pelo todo e que age no interior do todo? São duas as respostas a essa questão: (dada pelos estóicos e por Hegel e dada por Espinosa) RESPOSTAS Para os estóicos, o homem livre é aquele cuja ra­zão conhece a necessidade natural e a necessidade de sua própria natureza e tem força para guiar e diri­gir a vontade para que esta exerça um poder absoluto...

    1445  Palavras | 6  Páginas

  • Resumo a liberdade

    entendermos o conceito filosófico de liberdade, como ele se dá e como é visto pelos pensadores e no cotidiano atual é necessário entender alguns conceitos, tais como: Necessidade é o termo empregado para referir-se ao todo da realidade, existente em si e por si, que age sem nós e nos insere em sua rede de causas e efeitos, condições e consequências. Fatalidade é o termo usado quando pensamos em forças transcendentes superiores às nossas e que nos governam, quer queiramos ou não. Determinismo é o termo...

    1449  Palavras | 6  Páginas

  • filosofia

    experiência sensorial é uma fonte permanente de erros? 3) O que é mais importante: a razão ou a experiência sensorial?   René Descartes (1596 – 1650) “Encontrei-me tão perdido entre tantas dúvidas e erros que me parecia uqe, ao procurar me instriur, não alcançara outro proveito  que o de ter descoberto cada vez mais a minha ignorância”  Vida - René Descartes (latinizado Cartesius) nasceu em La Haye em 1596. - Licenciou-se e, direito pela Universidade de Poiters. - De 1618 a 1620 se arrolou em vários...

    2711  Palavras | 11  Páginas

  • Resumo Filosofia CAP 8,9e19

    : Filosofia Capitulo 8 Aprenda a Morrer A morte, desconhecida, pode ser um objeto de aprendizagem. Porém não se trata de sempre pensar na morte e sim o modo de aceita-la vendo os valores da vida pela qual vivemos, muitas pessoas apenas avaliam a forma de vivem em situações de limites e outros pensam como uma aniquilaria ao admitir que não há nada após a vida. A morte é um enigma que nos assombra desde sempre, pois não sabemos que é apenas...

    1766  Palavras | 8  Páginas

  • Exercícios de Filosofia

    Capitulo 26 1- Explique o que é senso moral. Dê alguns exemplos. R: É a maneira como avaliamos nossa situação e a de nossos semelhantes segundo ideias como as de justiça e injustiça. Exemplos: Sentimentos de remorso, culpa e vergonha são os que exprimem nosso senso moral. 2- Explique o que é consciência moral. Dê alguns exemplos. R: É a exigência que, sem sermos obrigados por outros, decidamos o que fazer, que justifiquemos para nós mesmos e para os outros as razões de nossas decisões e que...

    2434  Palavras | 10  Páginas

  • Filosofia

    A EXISTÊNCIA ÉTICA1 1. Que é o senso moral? Dê alguns exemplos. Senso moral é a maneira como avaliamos nossa situação e a de nossos semelhantes, nosso comportamento, a conduta e a ação de outras pessoas segundo idéias como as de justiça e injustiça, certo e errado, de mérito e grandeza de alma. São exemplos de senso moral a indignação que sentimos diante de pessoas que passa fome, o nosso sentimento de vergonha, remorso, culpa diante das coisas que julgamos ter feito errado, quando ficamos contentes...

    5514  Palavras | 23  Páginas

  • Ética em Espinosa

     Baruch de Espinosa (1632 – 1677) Nasceu em Amsterdã na Holanda em 1632, em uma família judia de origem portuguesa. Criado dentro do judaísmo, Espinosa estudou a Bíblia sagrada e o Talmude, que são os ensinamentos judaicos. Em 1656 foi excomungado de sua sinagoga, acusado de heresias. Devido a sua saúde frágil, Espinosa faleceu em 1677. É considerado um pensador da linha racionalista, dentro da chamada filosofia moderna. Sua principal obra é “Ética”. Substância O que é substância...

    571  Palavras | 3  Páginas

  • Ética em Espinosa

     Baruch de Espinosa (1632 – 1677) Nasceu em Amsterdã na Holanda em 1632, em uma família judia de origem portuguesa. Criado dentro do judaísmo, Espinosa estudou a Bíblia sagrada e o Talmude, que são os ensinamentos judaicos. Em 1656 foi excomungado de sua sinagoga, acusado de heresias. Devido a sua saúde frágil, Espinosa faleceu em 1677. É considerado um pensador da linha racionalista, dentro da chamada filosofia moderna. Sua principal obra é “Ética”. Substância O que é substância...

    571  Palavras | 3  Páginas

tracking img