• Atividades complementares
    Educação, o livro relata que não a certo ou errado no emprego da língua portuguesa, o problema é que para a autora do livro, Heloisa Ramos, quem fala errado pode ser vítima de preconceito lingüístico, mais como será a educação de nossos jovens se não aprenderem a se expressar corretamente? Como esses...
    1069 Palavras 5 Páginas
  • Resenha do livro Porque não ensinar gramática na escola
    combater o preconceito linguístico. Como existem vários grupos em nossa sociedade, a variedade dialetal também é muito grande. O que ocorre é que cada grupo acaba julgando a fala dos outros a partir da sua e assim acabam vendo a diferença como um erro, um defeito, logo concluem que os outros é...
    4075 Palavras 17 Páginas
  • Apostila Leitura e Produção de Textos
    evolução – “vive e evolui historicamente na comunicação verbal concreta, não no sistema linguístico abstrato das formas da língua, nem no psiquismo individual do falante” (Bakhtin, 1992:124). CONTINUANDO A CONVERSA Preconceito Linguístico Antes de partimos para a discussão do que seja...
    17828 Palavras 72 Páginas
  • Variação linguística e ensino de gramática
    dos tópicos que selecionamos para discussão neste texto – a língua como atividade social, as variedades linguísticas, a questão da norma, do valor social das formas variantes e do preconceito linguístico, e o ensino de gramática – damos uma rápida pincelada na situação do ensino gramatical de...
    9471 Palavras 38 Páginas
  • Sociolinguística
    preconceitos linguísticos, visto que, em geral, por toda a vida escolar, o estudante tem em mente que a única forma correta de se expressar é a norma culta. O ensino, até bem pouco tempo, dava-se quase que exclusivamente mediante “regras” de “padrões gramaticais”, enquanto que o trabalho reflexivo acerca...
    8800 Palavras 36 Páginas
  • Resumo do livro "Por que (não) ensinar Gramática na Escola", de Sírio Possenti
    errado. Relata também que no ensino do português nada será resolvido se não mudar a concepção de língua e de ensino de língua na escola. PRIMEIRA TESE: O PAPEL DA ESCOLA É ENSINAR LÍNGUA PADRÃO O autor adota, sem qualquer dúvida, que o objeto da escola é ensinar o português padrão, sendo um...
    2354 Palavras 10 Páginas
  • O desafio de ensinar libras em turmas comuns
    , com um intérprete que traduza todas as aulas para a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e o contraturno preenchido por atividades específicas para surdos. Problema resolvido? È só o início. Enquanto entidades do setor ainda denunciam a falta de estrutura para a implementação das regras, os...
    4393 Palavras 18 Páginas
  • fundamentos de metodologia da lingua portuguesa
    construção de significados da língua). 70 Tema 05 seções Preconceito Linguístico ões eç S Tema 05 Preconceito Linguístico Introdução ao Estudo da Disciplina Caro(a) aluno(a). Este Caderno de Atividades foi elaborado com base no livro Metodologia do Ensino de Língua...
    30316 Palavras 122 Páginas
  • Libras
    auditivo e fonoaudiológico a fim de tentar reproduzir a fala dos ouvintes. São infinitos exercícios de preparação do órgão fonador. Ações como estas são propostas por médicos e plenamente aceita pelas famílias, já que a promessa é que seu filho irá se transformar em um ouvinte. Além do treino...
    1726 Palavras 7 Páginas
  • Rdbm
    seja necessária a soletração a cada vez que se referir a elas. 3.2. Dicas de alongamento para mãos e punhos Os exercícios de alongamento para mãos e punhos são importantes para a realização dos sinais com maior desenvoltura. É recomendável realizá-los antes do início das atividades práticas. 22...
    3605 Palavras 15 Páginas
  • O momento atual do cenário comercial mundial com a participação da china
    ser trabalhado em sala; 2 – leitura ou audição do texto; 3 – discussão; 4 – explanação teórico/conceitual; e, por fim, 5 – uma atividade com intenção de pôr em uso os conhecimentos adquiridos e de auxiliar na sua fixação por parte dos alunos. O exercício era normalmente corrigido em sala, no quadro ou...
    3532 Palavras 15 Páginas
  • Manual da linguistica
    analisa as línguas sem preconceitos sociais, culturais e nacionalistas, normalmente ligados a uma visão leiga acerca do funcionamento das línguas. A lingüística considera, pois, que nenhuma língua é intrinsecamente melhor ou pior do que outra, uma vez que todo sistema lingüístico é capaz de...
    7546 Palavras 31 Páginas
  • Africa e brasil africano
    , bem como nas regiões ligadas a ela, tudo era resolvido, explicado e manipulado por forças sobrenaturais. Assim em todo exercício de poder das sociedades africanas a religião estava presente, era ela quem aplicava as normas obtendo um papel fundamental para sua existência. O terceiro capítulo, o...
    1969 Palavras 8 Páginas
  • Produção textual
    entre pessoas diferentes. Ao chegar no ambiente escolar Luisinho por ter uma fisionomia diferente dos demais alunos passou por varios preconceitos, os educadores da escola deve promover desafios sociais, culturais, atividades de programa curricular e ampliar o trabalho do professor. Em relação com...
    898 Palavras 4 Páginas
  • Conhecendo nosso País
     Sumário 1. Preconceito linguístico. 2. Educação no Brasil, no nordeste e no Rio Grande do Norte. 3. Discriminação etária. 4. Reciclagem de copos descartáveis. 5. Relatório final. 1. Preconceito linguístico...
    2163 Palavras 9 Páginas
  • Preconceito Linguístico
     PRECONCEITO LINGUÍSTICO “A língua portuguesa falada no Brasil apresenta uma unidade surpreendente” O livro de Marcos Bagno “Preconceito linguístico” apresenta oito mitos que compõem a mitologia do preconceito linguístico no Brasil. O primeiro mito “A língua portuguesa falada no Brasil...
    1552 Palavras 7 Páginas
  • Resenha do Livro Preconceito Linguistico
    a um indivíduo que todos os seus problemas estarão resolvidos. É de suma necessidade garantir o acesso á educação, saúde, bens culturais, lazer e habitação, ou seja, nada mais do que seus direitos básicos fundamentados na constituição. Capítulo II O círculo vicioso do preconceito linguístico O...
    2075 Palavras 9 Páginas
  • porque Não ensinar gramatica na escola
    , acabarmos convencidos de que nós também não sabemos falar, se falamos de forma um pouco diferente daqueles que são para nós os modelos de comportamento linguístico. O preconceito é mais grave e profundo no que se refere a variedades de uma mesma língua do que na comparação de uma língua com outras...
    25324 Palavras 102 Páginas
  • Relatório
    : .................................. PROFESSOR ORIENTADOR: Prof.ª Maria das Neves Pereira Órgão de Exercício: UFERSA/Angicos 2 IDENTIFICAÇÃO DA ATVIDADE/OBJETIVOS Este relatório de Leitura consta uma descrição sumária dos quatro capítulos da obra “O Preconceito Linguístico” de Marcos...
    1348 Palavras 6 Páginas
  • Por que não ensinar gramatica na escola
    não sabemos falar, se falamos de forma um pouco diferente daqueles que são para nós os modelos de comportamento linguístico. O preconceito é mais grave e profundo no que se refere a variedades de uma mesma língua do que na comparação de uma língua com outras. As razões são históricas, culturais e...
    23259 Palavras 94 Páginas