Demonstrar A Evidência Do Cogito No Pensamento Cartesiano O Método Da Dúvida Hiperbólica artigos e trabalhos de pesquisa

  • O racionalismo cartesiano no contexto da teoria do conhecimento.

    O Racionalismo Cartesiano no contexto da Teoria do Conhecimento. Para entender a história... ISSN 2179-4111. Ano 2, Volume fev., Série 21/02, 2011, p.01-08. A despeito da discussão iniciada na antiguidade, durante a Idade Moderna, René Descartes revolucionou a maneira de pensar a construção do conhecimento, podendo ser considerado o pai da moderna Teoria do Conhecimento. A despeito de grande parte dos historiadores da filosofia considerar John Locke como o fundador da Teoria do Conhecimento...

    2446  Palavras | 10  Páginas

  • O Racionalismo Cartesiano

    O Racionalismo Cartesiano no contexto da Teoria do Conhecimento. A  despeito  da  discussão  iniciada  na  antiguidade,  durante  a  Idade  Moderna,  René  Descartes  revolucionou  a maneira  de  pensar  a  construção  do  conhecimento,  podendo  ser  considerado  o  pai  da  moderna  Teoria  do Conhecimento. Descartes e o Racionalismo. René  Descartes  (1596­1650)  nasceu  na  França,  em  uma  família  burguesa  enobrecida,  estudou  em  colégio jesuíta,  onde  aprendeu   autodisciplina ...

    2665  Palavras | 11  Páginas

  • O Racionalismo Cartesiano

    O Racionalismo Cartesiano no contexto da Teoria do Conhecimento. A  despeito  da  discussão  iniciada  na  antiguidade,  durante  a  Idade  Moderna,  René  Descartes  revolucionou  a maneira  de  pensar  a  construção  do  conhecimento,  podendo  ser  considerado  o  pai  da  moderna  Teoria  do Conhecimento. Descartes e o Racionalismo. René  Descartes  (1596­1650)  nasceu  na  França,  em  uma  família  burguesa  enobrecida,  estudou  em  colégio jesuíta,  onde  aprendeu   autodisciplina ...

    2665  Palavras | 11  Páginas

  • O Racionalismo Cartesiano

    O Racionalismo Cartesiano no contexto da Teoria do Conhecimento. A  despeito  da  discussão  iniciada  na  antiguidade,  durante  a  Idade  Moderna,  René  Descartes  revolucionou  a maneira  de  pensar  a  construção  do  conhecimento,  podendo  ser  considerado  o  pai  da  moderna  Teoria  do Conhecimento. Descartes e o Racionalismo. René  Descartes  (1596­1650)  nasceu  na  França,  em  uma  família  burguesa  enobrecida,  estudou  em  colégio jesuíta,  onde  aprendeu   autodisciplina ...

    2665  Palavras | 11  Páginas

  • a definição do cogito, a partir da reconstrução do raciocínio cartesiano exposto nas primeiras duas meditações.

    Três semanas estudando sobre o método cartesiano e suas variações e duvidas envolvendo os pensamentos de Descartes, vou falar agora sobre as relações entre cogito, método e as duvidas metódicas que pairam nos estudos e descobertas de Descartes. Descartes através do método cartesiano da inicio ao pensamento moderno, com isso unificando a física e a astronomia em conjunto com a matemática em suas investigações cientificas, visualizando a transformação do natural nele próprio, ou seja; em si mesmo...

    1217  Palavras | 5  Páginas

  • O cogito cartesiano e a ideia de deus

    TRABALHO SOBRE O COGITO CARTESIANO E A IDEIA DE DEUS Trabalho apresentado como requisito obrigatório para obtenção de créditos da Disciplina Introdução a Filosofia. SALVADOR – BAHIA MARÇO 2013 René Descartes foi um filósofo, físico e matemático francês que viveu na primeira metade do século XVII. Considerado um grande filósofo, Descartes propõe um método que tem por objetivo “conduzir bem a razão”. Sendo seu projeto duvidar de todo para chegar, através do método, a verdade. Na Primeira...

    753  Palavras | 4  Páginas

  • Reflexão sobre a dúvida como processo para o conhecimento no discurso do método de descartes

    REFLEXÃO SOBRE A DÚVIDA COMO PROCESSO PARA O CONHECIMENTO NO DISCURSO DO MÉTODO DE DESCARTES Jaciel Dias de Andrade jacieldias@folha.com.br Graduando do 4º período de filosofia, SDNSR Resumo O presente texto traz uma abordagem filosófica da dúvida como caminho para o conhecimento. O enfoque maior foi dado à dúvida no pensamento de Descartes, por ser ele o fundador da filosofia moderna, tendo a dúvida essencialmente como método. Assim, Descartes colocou tudo em dúvida, para através dela...

    5667  Palavras | 23  Páginas

  • René Descartes e a Questão do Método Filosófico

    Descartes e a questão do método Descartes fora educado na filosofia escolástica de seu tempo. Essa já se encontrava em decadência, em crise. Inaugurou nova época na filosofia, vindo a ser o pai da filosofia moderna. Na origem de seu pensamento está a questão do método. Descartes dedicou-se ao estudo da física, da matemática, da medicina e da filosofia. Sentiu-se atraído pelos métodos exatos e seguros dessas ciências, sobretudo da matemática. Quis encontrar um método igualmente seguro para a...

    1413  Palavras | 6  Páginas

  • A pesquisa científica moderna e a influência do pensamento de René Descartes sobre os seus métodos

    UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Departamento de Ciências Jurídicas A pesquisa científica moderna e a influência do pensamento de René Descartes sobre os seus métodos TAUBATÉ - SP 2013 A pesquisa científica moderna e a influência do pensamento de René Descartes sobre os seus métodos Trabalho entregue como requisito de nota parcial da Disciplina de Metodologia Científica e Pesquisa e Projeto de TCC...

    2698  Palavras | 11  Páginas

  • Descartes - da dúvida à certeza

    DESCARTES, DA DÚVIDA À CERTEZA1 ANA MARIA DE CARVALHO BEZERRA2 AYALA OLIVEIRA DO VALE SOUZA2 JORGE NATALÍCIO KOCH2 RESUMO No presente trabalho teremos como objeto de estudo a filosofia de René Descartes, em especial a sua pretensão de alcançar o conhecimento pleno do mundo usando apenas a razão, pretensão que se consolidou como a temática de todo o racionalismo moderno. Nesse sentido, procuraremos conciliar duas afirmações aparentemente contraditórias em sua obra; a de que podemos conhecer...

    2574  Palavras | 11  Páginas

  • Metodo Cartesiano

    O Método Cartesiano O método seria um instrumento, que bem manejado levaria o homem à verdade. Esse método consiste em aceitar apenas aquilo que é certo e irrefutável e consequentemente eliminar todo o conhecimento inseguro ou sujeito a controvérsias. O objetivo de Descartes era de abranger numa perspectiva de conjunto unitário e claro, todos os problemas propostos a investigação cientifica. O fundamento principal da filosofia cartesiana consiste na pesquisa da verdade, com relação a existência...

    1599  Palavras | 7  Páginas

  • O método cartesiano - Descartes

    racionalista, pensa a busca e apreensão da verdade amparando-se na razão. Disserte sobre esta assertiva e explique todo o processo metodológico que envolve a questão. II – Explique a problematização da hipótese da hipótese do Deus enganador e a afirmação do Cogito, na compreensão de Descartes. III – A ciência moderna, fundamentada no Experimento, toma a natureza como objeto de estudo e de intervenção, tendo por meta o controle. Exemplifique este procedimento da ciência através de reportagens atuais encontradas...

    2423  Palavras | 10  Páginas

  • O cogito e descartes

    também conhecido como Plano Cartesiano; Sugeriu a união entre os estudos da Álgebra e Geometria, criando assim a Geometria Analítica; e desenvolveu o Método Cartesiano, no qual defende que só se deve considerar algo como verdadeiramente existente, caso possa ser comprovada sua existência. Descartes morreu na cidade de Estocolmo, Suécia, em 11 de fevereiro de 1650. Também fez estudos nas áreas da Epistemologia e Metafísica. Descartes é considerado o pioneiro no pensamento filosófico moderno. Em...

    1278  Palavras | 6  Páginas

  • O metodo

    3ªRegra - Regra da síntese, composição ou regra da ordem e da dedução. «Conduzir os meus pensamentos, começando pelos objetos mais simples e mais fáceis de conhecer para subir pouco a pouco, gradualmente, até ao conhecimento dos mais compostos e admitindo mesmo uma certa ordem entre aqueles que não se prendem naturalmente uns aos outros» (Discurso). Na síntese partimos dos primeiros princípios intuitivamente apreendidos e das proposições mais simples, e procedemos à dedução de forma ordenada, assegurando...

    1637  Palavras | 7  Páginas

  • O Racionalismo Cartesiano

    O Racionalismo Cartesiano Itajaí, SC. A razão Como observamos no texto, para Aristóteles o homem é dotado de razão esta por sua vez denominada a faculdade de julgar. Em contrapartida, Descartes destaca que o homem é em sua essência, racional, atribuindo ainda adjetivos como a igualdade, bom senso e a citada razão. Veja: Para Aristóteles, o homem é animal político (zoon politikón). E a razão é a faculdade que todo homem possui de julgar. Para Descartes, ele é, essencialmente, um animal racional...

    830  Palavras | 4  Páginas

  • Descartes: Um pensamento fundador

    DESCARTES: UM PENSAMENTO FUNDADOR 1. A necessidade da fundamentação geral do conhecimento. Uma aposta na metafísica Reforça-se, com René Descartes (1596-1650), a definição clara de uma teoria do conhecimento, tornada central nos pensadores modernos, que se manteria como núcleo crítico do pensamento filosófico europeu até ao dealbar do século XXI. Mas os fundamentos desta teoria em Descartes não se podem dizer os mesmos na relação de Descartes com o futuro, nomeadamente com o criticismo...

    6704  Palavras | 27  Páginas

  • Metodo cartesiano

    ele se declara, no "Discurso sobre o Método", decepcionado com o ensino que lhe foi ministrado: a filosofia escolástica não conduz a nenhuma verdade indiscutível, "Não encontramos aí nenhuma coisa sobre a qual não se dispute". Só as matemáticas demonstram o que afirmam: "As matemáticas agradavam-me sobretudo por causa da certeza e da evidência de seus raciocínios". Mas as matemáticas são uma exceção, uma vez que ainda não se tentou aplicar seu rigoroso método a outros domínios. Eis por que o jovem...

    2949  Palavras | 12  Páginas

  • O contexto do surgimento do racionalismo cartesiano

    O contexto do surgimento do racionalismo cartesiano Descartes (1596–1650) viveu em um tempo de profunda crise da sociedade, tempo de transição entre uma tradição que sobrevivia e outra que estava surgindo, resultando em uma nova visão de mundo. As teorias científicas de Copérnico e Galileu revolucionaram a maneira de se considerar o mundo físico. A decadência do sistema feudal propiciou o surgimento de uma nova ordem econômica baseada no comércio livre e no individualismo. A Reforma de Lutero abalou...

    7899  Palavras | 32  Páginas

  • Solipsismo cartesiano

    O Cogito Cartesiano Descartes e seu tempo   O racionalismo no século XVII inaugura uma oposição ao ceticismo, atribuindo a razão humana a capacidade exclusiva de entender e estabelecer a verdade, em oposição ao empirismo,considerando a razão como independente da experiência sensível, pois a razão é A priori, Imutável e igual a todos os homens, sendo a única autoridade no domínio do conhecimento. Entender, portanto, o pensamento de Descartes é entender o sentido da modernidade, que ele bem caracteriza...

    1128  Palavras | 5  Páginas

  • Cógito

    ARTIGO CIENTÍFICO O CÓGITO E A VERDADE Autores: GUILHERME GRANDO (UNICURITIBA) JAIR UMPIERRES DE ALMEIDA (UNICURITIBA) RESUMO O objetivo principal deste trabalho foi analisar o Cógito, de Descartes e a forma como ele foi utilizado na busca de verdades absolutas. Para tal análise, foi delimitado através de pesquisa bibliográfica, o significado mais aproximado do conceito de verdade, procurando relacioná-lo com a essência do teorema cartesiano para provar a possibilidade de cognição de princípios...

    1032  Palavras | 5  Páginas

  • M Todo De Descartes Ou M Todo Cartesiano

    Método de Descartes ou método Cartesiano O método cartesiano, criado por René Descartes, consiste no Ceticismo Metodológico - duvida-se de cada ideia que pode ser duvidada. Ao contrário dos gregos antigos e dos escolásticos, que acreditavam que as coisas existem simplesmente porque precisam existir, ou porque assim deve ser, etc, Descartes institui a dúvida: só se pode dizer que existe aquilo que possa ser provado. O próprio Descartes consegue provar a existência do próprio eu (que duvida, portanto...

    640  Palavras | 3  Páginas

  • A duvida em descartes

    na questão do “Papel da Dúvida no Pensamento Cartesiano”, na qual Descartes utiliza da dúvida como instrumento da procura da verdade. Assim ele procura construir um sistema científico de bases e princípios firmes e indubitáveis que deve ser de tal modo evidente (claro e distinto) que não se possa duvidar. O principal método deste pensamento consiste na recusa do fundamento sensível do conhecimento. E uma vez verificado, que tudo sei pelos sentidos, o exercício da dúvida deverá começar pela recusa...

    1611  Palavras | 7  Páginas

  • Analise do cogito

    ANALISES DO CIGITO. O argumento do cogito é um dos mais famosos argumentos da tradição filosófica. A primeira conclusão é que não posso estar errado ao pensar que existo, o que parece ser válido um vez que o pensar pressupõe o existir. Não posso pensar sem existir; logo, se penso que existo, necessariamente existo. A segunda é que, se creio que existo, então sei que existo; trata-se portanto de um certeza que adquiro sobre minha existência. Entretanto, essa conclusão pode ser questionada, e não...

    2137  Palavras | 9  Páginas

  • Decartes e a filosofia do cogito

    era moderna. Com relação ao objetivo do método de Descartes, é importante entendermos, primeiramente que, conforme o próprio Descartes escreve em sua obra O Discurso do Método, a Razão é natural e comum a todos os homens, de modo que a possibilidade do equívoco, bem como a ocorrência do erro e da falsidade vêm na verdade do uso incorreto desta Razão, de sua má aplicação em nosso conhecimento, de sua errada utilização, portanto. Assim, o objetivo do método de Descartes consiste em encaminhar a Razão...

    2209  Palavras | 9  Páginas

  • O papel da dúvida na filosofia de Descartes

    O papel da dúvida na filosofia de Descartes Por: Ana Miranda, Luís Condeço, Paloma Alexandra Início do Projecto de Descartes e as suas características. Descartes inicia um projeto, cujo objectivo é encontrar uma verdade indubitável que, constituindo o primeiro princípio do sistema dos conhecimentos, lhe permita fabricar um conhecimento em bases firmes e de forma ordenada, pois só assim poderia responder ao problema da possibilidade do conhecimento, como podia ter a certeza absoluta da veracidade...

    1949  Palavras | 8  Páginas

  • itenerário cartesiano

    Itinerário Cartesiano A teoria do conhecimento pode ser abordada de várias maneiras, como o dogmatismo, o ceticismo e o criticismo. O ceticismo é a teoria que defende a impossibilidade de chegar a um conhecimento certo, ou seja, não temos certeza de nada, visto que para justificar uma crença utiliza-se outra crença, não existindo assim uma crença-base. Sendo este argumento chamado de argumento da regressão infinita, no qual não é possível conhecer, visto que o sujeito não tem capacidade para tal...

    923  Palavras | 4  Páginas

  • Discurso do método

    DISCURSO DO MÉTODO (René Descartes) De quantas partes se compõe o Discurso do Método? O discurso é dividido em seis partes: * Considerações sobre as ciências; * Regras do método cartesiano; * Regras de moral, segundo o método cartesiano; * Prova a existência de Deus e da alma humana; * A diferença de alma entre o homem e o animal; * Razões que o levaram a escrever. O que Descartes entende por "bom senso"? Descartes acreditava que a melhor coisa da vida no mundo...

    1039  Palavras | 5  Páginas

  • O discurso do método

    Esse trabalho, embora se refira a um livro específico, procura enfatizar o fundamento epistemológico do pensamento cartesiano, embora resenhe parte da obra em questão. A obra de Descartes, mais especificamente o seu Discurso do Método pode ser vista como uma sistemática reflexão sobre seu tempo através de uma tomada de posição específica frente a uma crise que, a partir de seu posicionamento, inaugurou uma nova epistemologia e uma nova maneira de olhar a realidade. É preciso assumir uma perspectiva...

    1477  Palavras | 6  Páginas

  • discurso sobre o metodo

    Discurso sobre o Método O Discurso sobre o método,  ou ainda Discurso sobre o método para bem conduzir a razão na busca da verdade dentro da ciência, é um tratado matemático e filosófico de René Descartes, publicado em Leiden, na Holanda, em 1637. Ele inicialmente apareceu junto a outros trabalhos de Descartes, Dioptrique, Météores e Géométrie. Constitui, ao lado de Meditações sobre filosofia primeira ,  Princípios de filosofia e Regras para a direção do espírito, , a base da epistemologia do...

    660  Palavras | 3  Páginas

  • Fichamento de citações da obra "Discurso do Método" de René Descartes - por Gabriel Silva Ribeiro

    Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Lorena Gabriel Silva Ribeiro Fichamento René Descartes Discurso do Método Fichamento para avaliação parcial da disciplina de História da Filosofia Moderna do 3º Período do Curso de Filosofia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo/ Unidade de Lorena. Lorena, 16 de abril de 2014 “(...) o poder de julgar de forma correta e discernir entre o verdadeiro e o falso, que é justamente o que é denominado bom senso...

    3006  Palavras | 13  Páginas

  • A questão da possibilidade do conhecimento

    fundacionista. Quais são as crenças básicas para o racionalismo e para o empirismo? As crenças básicas para o racionalismo são de carácter racional e para o empirismo são de carácter empírico. Por outras palavras, no racionalismo dá-se prioridade ao pensamento e à nossa capacidade de entendimento para obter as nossas crenças básicas, para daí iniciar a construção de todo o conhecimento; enquanto no empirismo confia-se nos sentidos e recorre-se à experiência, apesar de o conhecimento aqui ser mais limitado...

    2436  Palavras | 10  Páginas

  • A INFLUÊNCIA DO PENSAMENTO CARTESIANO NA CIÊNCIA MODERNA

    A INFLUÊNCIA DO PENSAMENTO CARTESIANO NA CIÊNCIA MODERNA INTRODUÇÃO Este trabalho tem por objetivo analisar a influência do pensamento Cartesiano na ciência. René Descartes nasceu em 1596, numa família nobre, estudou de 1604 a 1614 em um colégio jesuíta de La Flèche, nessa época, Descartes adquiriu o hábito de meditar no próprio leito, embora se mostrasse um excelente aluno, em seu livro, O Discurso Sobre o Método, René se declara decepcionado com o ensino que lhe foi ministrado (STIGAR, 2006)...

    1554  Palavras | 7  Páginas

  • APS Filosofia Matem tica F sica e o Pensamento Cientifico

    Práticas Supervisionadas” 1° semestre – 2015. “Filosofia, matemática, física e o pensamento cientifico. ” UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPUS CHACARA I ATIVIDADES PRATICAS SUPERVISIONADAS TRABALHO INTEGRADO “FILOSOFIA, MATEMATICA, FÍSICA E O PENSAMENTO CIENTIFICO”. São Paulo/SP Campus Chácara I 2015 Daniel Cerqueira Alves C499919 Relato sobre pensamento, vida, obra e influência de um físico, matemático e filosofo em sua época e nos tempos atuais, mostrando...

    12470  Palavras | 50  Páginas

  • duvida filosofica

      A dúvida filosófica não é uma dúvida banal, comum, porque ela se caracteriza por:  •Explicação racional  •Exercita a suspensão do juízo  •Favorece o exercício da inteligência para obter uma resposta clara e confiável.                Embora a Filosofia não tenha um método exclusivo de investigação, quem pretende filosofar deve seguir um principio ou regra básica: tudo o que se diz deve ser demonstrado, isto é, explicado por meio de uma argumentação que utilize apenas premissas válidas ou verdadeiras...

    2020  Palavras | 9  Páginas

  • Elaboração do pensamento filosofico

    1 Núcleo de Educação a Distância UVAONLINE Filosofia Unidade 2: A Elaboração do Pensamento Filosófico 2011 2 Núcleo de Educação a Distância Aviso importante Este material foi produzido com o objetivo de permitir que você realize consultas off-line ao conteúdo do curso virtual. No entanto, alertamos para o fato de que o curso deve ser feito no modo digital. O conteúdo foi desenvolvido prevendo a utilização dos recursos que a mídia eletrônica pode oferecer. Através do ambiente...

    3891  Palavras | 16  Páginas

  • O Cogito de Deus na Metafisica Cartesiana

    O Cogito de Deus na Metafisica Cartesiana René Descartes nasceu no ano de 1596 em La Haye, França. Ficou conhecido mundialmente como fundador da filosofia moderna e foi responsável pelo racionalismo continental, fazendo oposição ao empirismo. Seu pensamento foi revolucionário, dando origem ao movimento filosófico cartesianismo que faz referência ao método cartesiano. O método cartesiano é um instrumento que se utilizado da maneira certa levaria o homem a verdade, esse método consiste na busca...

    639  Palavras | 3  Páginas

  • Descartes- o cogito e a ideia de deus.

    ideia de Deus em Descartes sem falar antes do cogito, pois é a partir deste que todo o pensamento cartesiano se desenvolve. Deus e o cogito têm uma relação de dependência mútua num sentido existencial que se dá na atividade do próprio cogito. O objetivo de Descartes é encontrar o caminho seguro a ser percorrido por aqueles que desejam conhecer algo de firme e de constante nas ciências. Para se chegar ao cogito, Descartes se utilizou de um método, criado por ele mesmo, extremamente eficiente...

    1223  Palavras | 5  Páginas

  • Método cartesiano

    As quatro regras do método cartesiano A primeira consistia em nunca aceitar algo como verdadeiro sem conhecê-lo evidentemente como tal: isto é, evitar cuidadosamente a precipitação e a prevenção; não incluir nos meus juízos nada que não se apresentasse tão clara e distintamente à minha inteligência a ponto de excluir qualquer possibilidade de dúvida. A segunda era dividir o problema em tantas partes quantas fossem necessárias para melhor poder resolvê-lo. A terceira, conduzir por...

    3457  Palavras | 14  Páginas

  • Discurso do metodo

    RESUMO DO DISCURSO DO METODO Descartes propôs fazer uma ciência essencialmente pratica e não especulativa, queria disciplinar a ciência e isso seria possível com um bom método. Esse método seria universal, inspirado no rigor matemático e racionalista. Ele propôs que sempre devemos duvidar de tudo em todos os momentos. Era necessário distinguir o verdadeiro do falso. O método cartesiano põe em dúvida tanto o mundo das coisas sensíveis quanto o das inteligíveis, ou seja, duvidar de tudo, As coisas...

    568  Palavras | 3  Páginas

  • Método da dúvida

    Método da dúvidadúvida metódica é um instrumento metodológico com que o filósofo francês Descartes procurou chegar à prova da existência de verdades absolutas, logicamente necessárias e de reconhecimento universal, tal como exige a defesa do Dogmatismo por ele preconizada e defendida, na questão da possibilidade do conhecimento. Este método consistia da filtragem de todas as suas ideias, eliminando aquelas que não se afigurassem como verdadeiras e fossem dúbias, e apenas retendo as ideias que...

    919  Palavras | 4  Páginas

  • a duvida

    Dúvida (derivado do latim dubitare) é uma condição psicológica ou sentimento caracterizado pela ausência de convicção opondo-se à crença/fé e ao saber. Ela é a incerteza ou desconfiança em relação a uma ideia, um fato, uma ação, de uma asserção ou de uma decisão. Para que se estabeleça a dúvida em geral é necessária uma noção de realidade do fato em que existe a suspeita, e isto pode adiar a decisão de ações relevantes ao fato pois podem estar incorretas ou incompletas. Dúvida tende a ser totalmente racional e...

    2138  Palavras | 9  Páginas

  • O pensamento de Rene Descastes

    Pensamento O pensamento de Descartes é revolucionário para uma sociedade feudalista em que ele nasceu, onde a influência da Igreja ainda era muito forte e quando ainda não existia uma tradição de "produção de conhecimento". Aristóteles tinha deixado um legado intelectual que o clero se encarregava de disseminar. Foi um dos precursores do movimento, considerado o pai do racionalismo, e defendeu a tese de que a dúvida era o primeiro passo para se chegar ao conhecimento. Descartes viveu numa época...

    599  Palavras | 3  Páginas

  • o pensamento de descartes

     O Pensamento de Descartes O pensamento de Descartes é revolucionário para uma sociedade feudalista em que ele nasceu, onde a influência da Igreja ainda era muito forte e quando ainda não existia uma tradição de "produção de conhecimento".2 Aristóteles tinha deixado um legado intelectual que o clero se encarregava de disseminar. Foi um dos precursores do movimento, considerado o pai do racionalismo, e defendeu a tese de que a dúvida era o primeiro passo para se chegar ao conhecimento. Descartes...

    602  Palavras | 3  Páginas

  • Metodologia descatea

    UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Departamento de Ciências Jurídicas A DÚVIDA CARTESIANA- RENÉ DESCARTES TAUBATÉ - SP 2012 A DÚVIDA CARTESIANA- RENÉ DESCARTES Trabalho entregue como requisito de nota parcial da Disciplina de Metodologia Científica sob a orientação do Prof. Rodrigo dos Santos da Universidade de Taubaté SP. Universidade...

    2860  Palavras | 12  Páginas

  • metodo cartesiano

    Melissa Rocha Silvia Pamela Panobianco Método Cartesiano São Paulo 2015 Método CartesianoMétodo cartesiano criado por René Descartes consiste no Ceticismo Metodológico - duvida-se de cada ideia que pode ser duvidada. Descarte institui a dúvida: só se pode dizer que existe aquilo que possa ser provado. O próprio Descarte consegue provar a existência do próprio eu (que duvida, portanto, é sujeito de algo - cogito ergo sum: penso, logo existo), considerando o ato...

    1233  Palavras | 5  Páginas

  • Pensamento Contemporâneo

    construção do pensamento racional ocidental. A filosofia ocidental como um campo de conhecimento coeso, tendo como prioridade a busca de uma explicação dos fenômenos da natureza através da razão surge na Grécia Antiga, essa busca inaugura a investigação do princípio originário da totalidade do universo. Desta forma, a filosofia Antiga vem contribuído para a formação do pensamento ocidental, tendo sido a origem de todas as ciências. O Pensamento Mítico Em...

    2262  Palavras | 10  Páginas

  • Discurso de Método - Descartes - Resumo

    O pensamento cartesiano, típico do contexto histórico de formação da modernidade, caracteriza-se pela experiência da derrocada cultural da época. Marcado pela crise da modernidade, se configura como uma crítica à filosofia e à lógica tradicionais, bem como ao saber matemático e a busca de uma nova fundamentação do saber. De traços humanísticos, a modernidade é crítica na necessidade de seus fundamentos. Entre o ceticismo e o dogmatismo medievais, bem como a expansão do empirismo é um contexto paradoxal...

    2893  Palavras | 12  Páginas

  • Método Cartesiano

    mente. A mente, portanto, tem contato com o mundo externo apenas através de idéias, que são representações mentais dos objetos externos. A filosofia da época era dominada pelo método escolástico, que era inteiramente baseada em comparar e contrastar visões de autoridades reconhecidas e da Igreja. Rejeitando este método, Descartes estava determinado a não acreditar em nada que não tivesse fundamentos para provar que era realmente verdade. Ele acreditava que para chegar à verdade era necessário começar...

    1226  Palavras | 5  Páginas

  • Rene Descartes

    RENÉ DESCARTES E O PENSAMENTO CONTEMPORÂNEO Introdução Neste trabalho procuramos primeiramente compreender o esquema da pesquisa científica e apontar elementos que dêem credibilidade ao que escrevemos e consultamos em disposições bibliográficas impressas ou digitais. Nosso foco de pesquisa foi a obra e as principais ideias de René Descartes (1596-1650), que é considerado o “Pai da modernidade”, sobretudo pela inversão de valores que se encontram em seu pensamento, principalmente pela teoria...

    2515  Palavras | 11  Páginas

  • Resumo filosofia - conhecimento, descartes e david hume

    projeto cartesiano Racionalismo: consiste em acreditar nas ideias inatas e no raciocínio logico através da razão. É a doutrina que atribui à razão humana a capacidade exclusiva de conhecer e estabelecer a verdade, é então, o absolutismo da razão. O racionalismo opõe-se ao empirismo (doutrina que dá importância ao pensamento em função da experiência), colocando a Razão independente da experiência sensível, ou seja, rejeita qualquer intervenção de sentimentos. Segundo Descartes, demonstrar que o...

    4482  Palavras | 18  Páginas

  • Racionalismo cartesiano

    O Racionalismo Cartesiano 1. Definição No século XVII, o racionalismo pode ser definido como a doutrina que atribui à Razão humana a capacidade exclusiva de conhecer e de estabelecer a Verdade; considera a Razão como independente da experiência sensível (a prio-ri), posto ser ela inata, imutável e igual em todos os homens; contrariamente ao misticismo, rejeita toda e qualquer intervenção dos sentimentos e das emoções, pois, no domínio do conhecimento, a única autoridade é a da Razão...

    4866  Palavras | 20  Páginas

  • O discurso do método

    O discurso do método O Discurso do método ou ainda Discurso sobre o método para bem conduzir a razão na busca da verdade dentro da ciência, é um tratado matemático e filosófico de René Descartes, publicado em Leiden, na Holanda, em 1637. Constitui ao lado de Meditações sobre filosofia primeira , Princípios de filosofia e Regras para a direção do espírito, a base da epistemologia do filósofo, sistema que passou a ser conhecido como cartesianismo. O Discurso...

    873  Palavras | 4  Páginas

  • Trabalho Pensamento Filos Fico

    interessam por questões relativas ao conhecimento, entretanto, esses filósofos não colocaram em dúvida a capacidade humana de conhecer, e sim, explicam como conhecemos. Veremos neste resumo também, a crítica do conhecimento da Idade Moderna, com Descartes e como surgiram as indagações sobre o tema entre os gregos, desde os pré socráticos a Platão e Aristóteles, cujas teorias influenciaram de maneira vigorosa o pensamento medieval. Vamos começar falando da filosofia pré-socrática que distingue em período ...

    5362  Palavras | 22  Páginas

  • René descartes

    conhecimento da realidade constitui-se a partir de princípios ou ideias da razão. René Descartes: A dúvida metódica e o acesso à certeza Descartes, na noite de 10 para 11 de Novembro de 1619, teve sonhos que o levaram a duvidar do conhecimento e mesmo da existência da realidade. Para ultrapassar essa dúvida, inspirando-se na matemática e utilizando a dúvida como método, escreveu o Discurso do Método com o objectivo de encontrar um fundamento capaz de resistir aos argumentos do cepticismo. Ceticismo-...

    703  Palavras | 3  Páginas

  • O Discurso do método: para bem conduzir a própria razão e procurar a verdade nas ciências

     1- Ideia Central No Discurso do Método,  Descartes anuncia os quatro delineamentos característicos da filosofia moderna mencionados: autonomia da filosofia , orientação gnosiológica ( parte da filosofia que trata de todos os conhecimentos), interesse pelo método, e o antropocentrismo. A obra é um tratado filosófico na busca sobre a verdade, cujas causas devem ser procuradas pela reflexão e pela pesquisa, ou seja, por meio do raciocínio e de experiências que deem suporte a esse raciocínio...

    1247  Palavras | 5  Páginas

  • Descartes e a filosofia do cogito

    FESSC – Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina Curso: Psicologia Disciplina: Filosofia DESCARTES E A FILOSOFIA DO COGITO São José 06/06/2011 Filosofia do Cogito O argumento do Cogito é utilizado por Descartes em suas meditações na tentativa de fundamentar sua teoria do conhecimento. Uma lógica na filosofia é que não se aprende filosofia, e sim a pensar filosoficamente. Partindo deste pressuposto a conclusão de Descartes é inequívoca. Em poucas palavras é difícil "provar". ...

    690  Palavras | 3  Páginas

  • conhecimento e metodo cientifico

    Conhecimento Científico e Método Científico .O Conhecimento científico é claro, preciso e real, seus problemas são distintos, mas seus resultados são claros. Lida com ocorrências, com fatos, “lida com toda forma de existência que se manifesta de algum modo” (1). O conhecimento científico respeita os fatos ate certo ponto e sempre retornam a eles. É o conhecimento racional, exato e verificável da realidade. Sua origem está nos procedimentos de verificação baseados na metodologia científica. Podemos...

    3406  Palavras | 14  Páginas

  • Bacon e René Descartes

    obras, não das palavras 04 05 2. DESCARTES 07 2.1 Método de raciocinar corretamente 07 2.2 Dúvida hiperbólica: e se um gênio enganador... 2.3 As verdades evidentes são intuitivas 2.4 Quando os raciocínios são concatenados 2.5 Como demonstro a existência do meu corpo 2.6 Um modelo hidráulico do corpo humano 08 11 12 12 13 1. BACON 1.1 Estudar os erros para evitá-los A teoria dos ídolos de Francis Bacon seria o método que ele criou como forma de estudar os erros a fim...

    3264  Palavras | 14  Páginas

  • Fichamento: Discurso do Método

    Relatório de leitura: Discurso do Método René Descartes Introdução O Discurso do Método é um trabalho que procura destacar o método para alcançar o verdadeiro conhecimento e descobrir a verdade. Ele foi escrito por René Descartes em 1637, este tratado é uma de suas obras mais importantes, considerada uma das primeiras obras da filosofia moderna. Discurso do Método é uma introdução aos seus outros trabalhos a dióptricos, Meteoros e Geometria. O conteúdo deste trabalho é extenso e variado...

    1783  Palavras | 8  Páginas

  • Dualismo Cartesiano

    Dualismo cartesiano segundo René Descartes O Filósofo francês René Descartes (1596-1650), considerado “Pai do Racionalismo”, empreendeu significativa revolução na epistemologia que, nada mais é que o conjunto de conhecimentos que têm por objeto o conhecimento científico, visando a explicar os seus condicionamentos, sistematizar suas relações, esclarecer os seus vínculos, e avaliar os seus resultados e aplicações. A Filosofia busca o “discurso universal”, abandona o reino da doxa (opinião) para...

    881  Palavras | 4  Páginas

tracking img