Autores Que Falam Sobre Dificuldades Na Aprendizagem Trabalhos Escolares e Acadêmicos Prontos

  • Arte em quadrinhos

    Resenha: As Histórias em Quadrinhos Bom, foi uma grande dificuldade começar a fazer esse trabalho de resenha. Não pelo trabalho em si, mas sim do trabalho anterior ao real trabalho. Passei vários dias recolhendo informações, procurando livros relacionados ao meu objeto de estudo, coletando links...

      1307 Palavras | 6 Páginas  

  • Didática do ensino superior

    tutores, compensando problemas inerentes aos processos de ensino e aprendizagem nesta modalidade de ensino, como a distância física e as possíveis dificuldades – cognitivas e motivacionais, por exemplo – dos alunos. As dificuldades principais observadas em ordem decrescente pelos tutores são: Recursos...

      1741 Palavras | 7 Páginas  

  • Psicologia da educação

    DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM E ATRASOS MATURATIVOS Utiliza-se, nesta seção, a revisão de Romero¹ sobre as teorias que atribuem as dificuldades de aprendizagem a atrasos maturativos. Iniciando por situar tais abordagens no conjunto total de teorias sobre dificuldades de aprendizagem, o autor postula...

      1044 Palavras | 5 Páginas  

  • Fundamentos da LIBRAS

    haver problemas no que se refere ao conceito da escrita. Para Salles (2004) o processo não é muito diferente, pois aprendizes ouvintes apesar das dificuldades em determinados aspectos linguísticos, utilizam de estratégias para compreender a gramática portuguesa que permitem a produção de frases com o uso...

      1677 Palavras | 7 Páginas  

  • pedaggogia

    A teoria interacionista: Principais autores e conceitos: Lev Vygotsky. Visão pedagogica sobre a aprendizagem: A partir de suas pesquisas, Vygotsky constata que no cotidiano das crianças, elas observam o que ou outros dizem, porque dizem o que falam, porque falam, internalizando tudo o que é observado...

      1481 Palavras | 6 Páginas  

  • Alfabetização & linguística

    alfabetizada já é capaz de falar sua língua com precisão, pois com as próprias experiências de vida e de ouvir os outros ela já cria um conhecimento sobre a linguagem. Com 3 anos claramente ela já começa a se comunicar com outras crianças e com adultos, porem, nem sempre entende o que lhe é falado e nem...

      4185 Palavras | 17 Páginas  

  • Analise do livro - por que não ensinar gramática na escola

    escola em cumprir essa tarefa.O autor opõe-se as duas teorias que são contra essa obrigatoriedade de ensino de língua padrão. A primeira, considerando o aspecto político-social, que se baseia na imposição de valores sobre um grupo menos favorecidos, o que na visão do autor só tem a favorecer esse grupo...

      1455 Palavras | 6 Páginas  

  • Resenha do livro Porque não ensinar gramática na escola

    Em um primeiro momento acreditamos que o autor defende a ideia de que a escola deve ensinar gramática, porém no decorrer da leitura podemos perceber que sua intensao é totalmente oposta. O livro de Sírio Possenti tem o objetivo de ampliar a visão que temos sobre a língua, mostra quão desnecessário é o...

      4075 Palavras | 17 Páginas  

  • Pozzebon

    Contesto Geral: Estudar não é uma coisa fácil. A maneira que você escolhe para estudar pode e interfere no seu rendimento. Se anotar as duvidas e dificuldades irá ajudar bastante a facilitar seu estudo. O que é estudar: Estudar é a construção de conhecimento, receber entender uma informação que foi passada...

      928 Palavras | 4 Páginas  

  • NOVISSIMA GRAMATICA DA LINGUA PORTUGUESA

    os conceitos do autor em relação à Gramática de um modo geral, também é bastante evidente a sua preocupação com a linguagem que é abordada em sua obra. Domingos Paschoal Cegalla defende que a sua obra pretende ser uma gramática normativa da língua portuguesa do Brasil, conforme falam e escrevem as pessoas...

      2238 Palavras | 9 Páginas  

  • Educação Infantil

    sala de aula através de estágios onde um aluno apresentava dificuldade de decodificar símbolos, ler, escrever, soletrar, compreender um texto, reconhecer fonemas e exercer tarefas relacionadas a coordenação motora, pois a pouca informação sobre o assunto dificulta a percepção dos educadores, onde a falta...

      668 Palavras | 3 Páginas  

  • A alegria de ensinar

    Relatório sobre o livro “A alegria de ensinar” Autor: Ruben Alves Editora: ARS Poética Editora Ltda Resumo: O livro Alegria de Ensinar possui vários capítulos com textos que mostram o ponto de vista do autor Ruben Alves sobre a aprendizagem. O autor começa o livro dizendo que acredita no avesso...

      1107 Palavras | 5 Páginas  

  • Projeto

    Unicamp, Doutor pelo Departamento de Linguística da Universidade de Edimburgo, Escócia. Autor de trabalhos publicados na aera da Educação, também é pós-doutor na Universidade de Oxford. Esta obra foi escrita sobre tudo com a preocupação de todos os problemas técnicos relativo à fala e à escrita no processo...

      960 Palavras | 4 Páginas  

  • Como as pessoas aprendem cérebro, mente, experiência e escola

    desenvolvimento da ciência da aprendizagem, jonh D. Bransford, foi Professor de psicologia e educação e codiretor do centro de tecnologia de aprendizagem na Universidade de Vanderbilt. Primeiros trabalhos por Bransford e seus colegas na pesquisa de 1970 incluídos nas áreas de aprendizagem humana, a memória e a...

      966 Palavras | 4 Páginas  

  • Libras

    e deficiência. Um estigmatismo que, segundo o autor, contamina a educação desenvolvida para os surdos. A surdez é apontada pelo nosso autor como uma diferença a ser politicamente reconhecida, uma identidade. Todavia essa ideologia dominante, que o autor chama de “ouvitismo”, configura-se em um conjunto...

      929 Palavras | 4 Páginas  

  • A inclusão

    pelas limitações cognitivas, motoras e/ou sensorial e a capacidade de canalizar a atenção para estímulos significativos está diminuída devido à dificuldade de os seleccionar. A criança com multideficiência, tem necessidade de expressar sentimentos, partilhar, fazer pedidos, fazer escolhas e interagir...

      24152 Palavras | 97 Páginas  

  • SEMIN RIO EDUCAR OS NATIVOS DIGITAIS

    de que há um aumento nos relatos de jovens que alegam aprender parte do vocabulário que sabem em língua inglesa enquanto jogam. A reflexão teórica sobre as ações descritas pelos sujeitos, bem como observadas pela pesquisadora, fundamentou-se em princípios da perspectiva sócio-cultural proposta por Vygotsky...

      3775 Palavras | 16 Páginas  

  • Trabalho

    Carlos Cagliari Departamento de Linguística - Faculdade de Ciências e Letras – UNESP/Araraquara Unicamp/ Campinas Resumo: Neste trabalho, o autor afirma que os alunos têm uma experiência de anos como ouvintes e falantes de uma língua; portanto, sabem entender e falar, atendendo às necessidades...

      6965 Palavras | 28 Páginas  

  • A leitura

    DE 2005, NO MUNICÍPIO DE ARACAJU Semirames Matos Accioly Lins Santos[1] RESUMO O presente artigo foi desenvolvido através de uma pesquisa sobre a leitura, tendo o objetivo de investigar as razões pelas quais os professores do ensino fundamental em escolas públicas estão deixando de lado práticas...

      5791 Palavras | 24 Páginas  

  • Inteligencia emocional

    inteligência intelectual também possuímos uma inteligência emocional, tão ou mais importante quanto a primeira para o sucesso na escola e na vida. O autor realça a importância de educarmos as nossas emoções, reconhecermos as nossas angústias e medos e assim ficarmos aptos a lidar com as frustrações bem...

      2174 Palavras | 9 Páginas  

tracking img