Aula Prática De Cocção De Cereais artigos e trabalhos de pesquisa

  • Relatorio Cereais

    INTRODUÇÃO Cereais são alimentos de origem vegetal, constituídos de grãos e largamente consumidos pelos povos do mundo todo. O nome cereal deriva de Ceres, a deusa grega da agricultura e da colheita. Os principais cereais cultivados são: arroz, trigo, milho, aveia, centeio, cevada e triticale. O arroz (principal cereal consumida na população brasileira). Os cereais são excelentes fontes de carboidrato e energia, contendo também proteína e vitaminas. Os integrais além desses nutrientes, são ricos...

    1554  Palavras | 7  Páginas

  • Relatório de aula prática leguminosas

    MARTINS-B9295A-0 MARLENI PEQUENA DE SOUSA-B90FJB-1 REGINA PEREIRA DE MATOS-B89295-1 REGINA SOUSA CAÇÃO- T143JF-8 CEREAIS BRASÍLIA-DF ABRIL DE 2014 UNIP-UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE ALESSANDRA ROSA MARTINS-B9295A-0 MARLENI PEQUENA DE SOUSA-B90FJB-1 REGINA PEREIRA DE MATOS-B89295-1 REGINA SOUSA CAÇÃO-T143JF-8 HORTALIÇAS Relatório de aula prática de Hortaliças realizado no dia /03/2014, apresentado como parte da avaliação da disciplina Técnica Dietética do...

    924  Palavras | 4  Páginas

  • Técnica dietética - Cereais

    TÉCNICA DIETÉTICA I Aula Prática 7 - CereaisVolta Redonda 2014 FUNDAÇÃO OSWALDO ARANHA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDACURSO DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO – 4º Período RELATÓRIO DE TÉCNICA DIETÉTICA I Aula Prática 7 - CereaisAlunas: Prof. Volta Redonda 2014 INTRODUÇÃO Cereais são alimentos de origem vegetal, constituídos de grãos e largamente consumidos pelos povos do mundo todo. O nome cereal deriva de Ceres, a deusa...

    1394  Palavras | 6  Páginas

  • Técnica e Dietética - Cereais

    Claudia Angélica Oliveira da Silva RA: B8868F-1 Paula de Oliveira Silva RA: B768AF-4 CEREAIS Profª. Me. Luciana Nunes Mosca Fiorelli Araçatuba 2014 Alex Menques RA: B2048D-1 Beatriz Delamura Gomes RA: B62JIH-6 Claudia Angélica Oliveira da Silva RA: B8868F-1 Paula de Oliveira Silva RA: B768AF-4 CEREAIS Profª. Me. Luciana Nunes Mosca Fiorelli Araçatuba ...

    897  Palavras | 4  Páginas

  • RELAT RIO 4 Cereais

    Relatório da Aula Prática Cereais Data: 21/07/2015 Turma: Terça ANDREA KAROLINE RAMOS CAMPOS INEIDA GEORGINA MOREIRA FERNANDES JULIANNE DO NASCIMENTO SALES MARIANA HOLANDA CORDEIRO FORTALEZA JULHO/ 2015 Objetivos A aula prática de cereais foi realizada com os seguintes objetivos: Experimento 1 –Métodos de cocção do arroz Avaliar os diferentes métodos de cocção de diferentes tipos de arroz, quanto ao seu rendimento, tempo de cocção e maciez. Experimento...

    1817  Palavras | 8  Páginas

  • Relatório - Aula prática técnica dietética/Arroz

      UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE NUTRIÇÃO AULA PRÁTICA - CEREAIS BRASÍLIA ABRIL / 2014 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Cereais são grãos que provêm das gramíneas, cujas sementes dão em espiga. Citamos alguns: arroz, trigo, cevada, centeio, aveia, milho, sorgo, quinoa. São alimentos usados deste as mais remotas eras de civilização humana...

    1491  Palavras | 6  Páginas

  • tecnica e dietetica de cereais e leguminosas

    Professora: Rafaella Maria Monteiro Sampaio AULA PRÁTICA 3: Cereais e Leguminosas EXPERIMENTO 1: MÉTODOS DE COCÇÃO DE CEREAIS Objetivos: - Avaliar diferentes métodos de cocção de diferentes tipos de cereais e massas, quanto ao seu rendimento, tempo de cocção, maciez e sabor. - Determinar o Fator de cocção (FC) das preparações. - Exercitar elaboração de ficha Técnica de Preparo. - Avaliar o efeito do uso de micro-ondas na cocção de cereais. - Dimensionar, porções, per capitas e medidas...

    2615  Palavras | 11  Páginas

  • AnexoCorreioMensagem 665955 Aulas Praticas Instrucoes Gerais

    UNIVERSIDADE POTIGUAR - UnP CAMPUS MOSSORÓ/RN CURSO DE NUTRIÇÃO DISCIPLINA TÉCNICA DIETÉTICA E GASTRONOMIA PROFESSORA: KALIANE CUNHA I PARTE: DISTRIBUIÇÃO DAS RECEITAS POR GRUPOS  20 e 21/03/2014 - AULA PRÁTICA 1: Utensílios de cozinha e mesa formal. Carnes, óleos e gorduras. Tipos de calor. Frango ensopado + Mise in place – GRUPO: 1; 5; 9 Estrogonofe de carne – GRUPO: 2; 6; 10 3MA Isca de peixe + Frituras – Determinação do tempo de fumaça – GRUPO: 3; 7; 11 Batata dourada + Mesa formal – GRUPO:...

    3054  Palavras | 13  Páginas

  • Prática panificação

    TECNOLOGIA DE CEREAIS, MOAGEM E PANIFICAÇÃO CURSO: ENGENHARIA DE ALIMENTOS AULA PRÁTICA 5: ARROZ BRANCO POLIDO, PARBOILIZADO E INTEGRAL 1 - INTRODUÇÃO O arroz está entre os mais importantes cereais cultivados e tem grande importância social. Entre os países em desenvolvimento, o arroz é a principal fonte de energia e proteína, seguido pelo trigo e pelo milho. O arroz é considerado o alimento mais importante do globo, devido ao grande número de pessoas que dele faz uso. No Brasil, juntamente...

    748  Palavras | 3  Páginas

  • RELATORIO DA AULA PRATICA DE CEREAIS

    CEARÁ – UECE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – CCS CURSO DE NUTRIÇÃO DISCIPLINA DE TÉCNICA DIETÉTICA I PROFESSORAS: THELMA LEÃO E CECÍLIA OLIVEIRA RELATÓRIO DA AULA PRÁTICA DE CEREAIS DAYSEMARA VIANA DE OLIVEIRA MARIANE MARTINS MOREIRA SARAH PINHEIRO DE ARAÚJO LEITE THAYNAN DOS SANTOS DIAS FORTALEZA, JUNHO/2015. INTRODUÇÃO A etapa de cocção dos grãos de arroz refolgado começa com a dextrinização dos grãos por meio da mistura dos grãos ao óleo vegetal previamente aquecido e mexendo constantemente...

    2059  Palavras | 9  Páginas

  • Aula pr tica

    I Cereais e leguminosas OBJETIVOS DA AULA:  Conhecer os diferentes tipos de cereais e leguminosas;  Verificar o rendimento, confrontando com a literatura;  Calcular os fatores de cocção, assim como o peso de alguns alimentos confrontando com os valores descritos na literatura;  Conhecer algumas aplicações dietéticas. CONCEITOS IMPORTANTES: CEREAIS 1. DEFINIÇÃO: Cereais são alimentos de origem vegetal, constituídos de grãos e largamente consumidos pelos povos do mundo todo. O nome cereal deriva...

    8744  Palavras | 35  Páginas

  • HORTALIÇAS PREPARADAS POR DIFERENTES TÉCNICAS DE COCÇÃO

    RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA CARUARU 2013 HORTALIÇAS PREPARADAS POR DIFERENTES TÉCNICAS DE COCÇÃO INTRODUÇÃO As hortaliças, componentes essenciais de uma dieta saudável, são habitualmente consumidas pós-cocção. A escolha da forma de preparo adequada deve ponderar a preservação de nutrientes e os atributos sensoriais do alimento. Depois de operações preliminares de pré-preparo, alguns alimentos estão prontos para serem submetidos a processos de cocção, que conferem...

    1048  Palavras | 5  Páginas

  • aula tec frutas e hortaliças práticas

    CURSO TECNOLOGIA EM ALIMENTOS UNIDADE CURRICULAR – TECNOLOGIA DE PRODUTOS AÇUCARADOS PROJETO DE AULA PRÁTICA I 1. IDENTIFICAÇÃO CARGA HORÁRIA: 3 h/semana (período diurno e noturno) TEMÁTICA: Fabricação de Geléias DATAS: 16 e 17/03 PROFESSOR: Taís Carolina F. de Toledo 2. DESENVOLVIMENTO METODOLÓGICO 2.2 FORMULAÇÃO Ingredientes Polpa de fruta 50% Sacarose 50% Água 20% Xarope de glicose 20% Pectina 0,6%(açúcar) Ácido cítrico 0,2%(açúcar) 2.2 PROCEDIMENTOS ...

    1644  Palavras | 7  Páginas

  • Cereais

    ........14 REFERÊNCIAS..........................................................................................................15 INTRODUÇÃO Cereais são alimentos de origem vegetal, constituídos de grãos e largamente consumidos pelos povos do mundo todo. O nome cereal deriva de Ceres, a deusa grega da agricultura e da colheita. (PHILIPPI, 2003) Os cereais são muito consumidos por fazerem parte do habito alimentar de diversos povos; pela facilidade de cultura, conservação, transporte e rendimento;...

    3128  Palavras | 13  Páginas

  • prática

    Faculdade Estácio de Sergipe Curso de Nutrição Disciplina: Técnica Dietética AULA PRÁTICA DE TÉCNICA DIETÉTICA OVOS e LEITE 1. INTRODUÇÃO Ovos Uma espuma está formada por bolhas de gás "aprisionadas" em um líquido, sendo o líquido a fase continua e as bolhas de gás a fase dispersa. Em espumas comestíveis o gás geralmente é o ar e a fase líquida preferencialmente uma fase aquosa. Nos alimentos, a espuma se forma por batido ou montado de um líquido. A formação da espuma com clara...

    2279  Palavras | 10  Páginas

  • EEA - RELATORIO CEREAIS

    EXPERIMENTAL DOS ALIMENTOS Grupo 1ª - Aula Prática 7: Cereais Goiânia 2010 1 INTRODUÇÃO Cereais são as sementes ou grãos comestíveis das gramíneas. Nos grãos de cereais podemos encontrar nutrientes como carboidratos, proteínas, sais minerais, vitaminas, gorduras, enzimas dentre outras substâncias. Nos integrais, além desses nutrientes, são encontradas grandes concentrações de fibras. A quantidade de nutrientes dos cereais varia com o tipo e a espécie do grão...

    869  Palavras | 4  Páginas

  • Cocção arroz

    Rua: Cristóvão Colombo, 2265 - Jd. Nazareth CEP: 15054-000 - FONE (017) 32212250 - FAX (017) 32212299 - S. J. Rio Preto, SP. Avaliação da Qualidade de Cocção de Arroz Docente: Célia Maria Landi Franco Discentes: Murilo Couto de Oliveira Rafael Silveira Correa Yuri Pessoa Lemos Departamento de Engenharia e Tecnologia de Alimentos IBILCE – UNESP Março/2012 Sumário 1. Introdução 3 2. Revisão Literária 4 2.1 O...

    4808  Palavras | 20  Páginas

  • CEREAIS E TUBERCULOS

    UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIENCIAS APLICADAS – LIMEIRA RELATÓRIO DISCIPLINA NT402– TÉCNICA DIETÉTICA CEREAIS E TUBÉRCULOS Turma A – Grupo 2 AMANDA BERNARDINI PIACENTINI RA 154546 ANA PAULA MORELLI RA 154643 ISABELLA ZANON PASSOS RA 155812 JULIA ROLAND RA 158067 THALITA DOMINGUES MARINS CARDOSO RA 159994 LIMEIRA, SP 2015 PERGUNTAS 1) Qual é o efeito de...

    2048  Palavras | 9  Páginas

  • RELAT TIO CEREAIS

    COCÇÃO DE CEREAIS Teresina- PI, novembro 2014 Andresa Maria Cavalcante de Araújo Bruna Moura de Carvalho Daniela Sousa Silva Elinayara Pereira da Silva COCÇÃO DE ARROZ (CALOR ÚMIDO) Teresina- PI, novembro 2014 1. INTRODUÇÃO Cereais são alimentos de origem vegetal constituídos de grãos e largamente consumidos pelos povos do mundo todo devido a sua facilidade de manutenção e conservação, pelo seu baixo custo e seu valor nutritivo. Os principais tipos de cereais cultivados...

    906  Palavras | 4  Páginas

  • COCÇÃO DE HORTALIÇAS E TUBÉRCULOS

    Nutrição TÉCNICA DIETÉTICA E CULINÁRIA Tema da aula: COCÇÃO DE HORTALIÇAS E TUBÉRCULOS Preparações elaboradas: Escondidinho de carne e abóbora Purê de batata baroa BOX nº 05 1 Introdução A tonalidade dos alimentos é determinada pela presença de pigmentos, através de transformações químicas ou modificações que se desenvolvem nos alimentos, principalmente durante o processo de cocção. Pigmentos são compostos químicos responsáveis pelas cores das...

    955  Palavras | 4  Páginas

  • 5 Aulas Planejamento Card pio 2009 1

    muitas vezes não consegue comer todos os alimentos oferecidos. Lembre-se de que, antes de decidir o menu e o cardápio, precisamos determinar o tipo de estabelecimento, pois cada um tem um estilo e clientela-alvo. 2º Aula PLANEJAMENTO DE CARDÁPIO O cozinheiro fala com o dono do restaurante que precisa de batata e filé de peixe ele responde: não tenho tempo para ver isto agora. Que aspectos negativos existem nesta...

    6522  Palavras | 27  Páginas

  • Relatório de cereais e leguminosas

    CCS CURSO DE NUTRIÇÃO cereais e leguminosas BRENDA MARIA COLAÇO PEREIRA BRUNO DE SOUSA ALMEIDA MAYANE PEREIRA SILVEIRA MÔNICA MAIA DA SILVA FORTALEZA, fevereiro/ 2015. SUMÁRIO INTRODUÇÃO 2 OBJETIVOS 5 MÉTODOS DE COCÇÃO DE ARROZ 5 COCÇÃO DE FEIJÃO EM PANELA DE PRESSÃO 5 GELATINIZAÇÃO DE AMIDO 5 TESTE PARA GLÚTEN 5 MATERIAIS E METODOLOGIA 6 A. MÉTODOS DE COCÇÃO DE ARROZ 6 Material: 6 Metodologia: 6 B. MÉTODOS DE COCÇÃO DE FEIJÃO EM PANELA DE PRESSÃO 8 ...

    7432  Palavras | 30  Páginas

  • Proesso de cocção de peixes

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ECONOMIA DOMÉSTICA CURSO DE ECONOMIA DOMÉSTICA AULA PRÁTICA – PESCADO: SALMÃO Fortaleza 2013 ALINE DO LIVRAMENTO DOS SANTOS NAYARA VIEIRA SOARES VANESSA ALVES VIEIRA AULA PRÁTICA – PESCADO: SALMÃO Relatório apresentado ao curso de graduação em Economia Doméstica do Departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal do Ceará, como parte dos requisitos para aprovação na disciplina de Técnicas de...

    6493  Palavras | 26  Páginas

  • cereais

     1 OBJETIVOS Comparar o rendimento e o tempo de cocção de cereais em grão; Confeccionar diferentes preparações culinárias salgadas e doces a base de arroz; Confeccionar massa alimentícia fresca. 2 COCÇÃO DE CEREAIS (CALOR ÚMIDO) 2.1 ARROZ Ingredientes Quantidade Arroz branco 100g Arroz parboilizado 100g Arroz integral 100g Sal 2% Técnica de Preparo Pese todos os ingredientes; Coloque para cozinhar em 2,5 vezes o volume de água fervente e o sal; Leve ao fogo...

    2404  Palavras | 10  Páginas

  • Relatório cereais técnica dietética

    sopa Faca Caneca Panelas (pequena, média e grande) Prato Balança digital de precisão Liquidificador Peneira Pano de prato Ingredientes: Arroz branco tipo 1 Arroz Selvagem Arroz preto Cebola Alho Soja Sal Açúcar Utilizou-se na pratica de Cereais 100 gramas de arroz normal, branco, 400 ml de agua, 100 gramas de arroz preto e 400 ml, 100 gramas de arroz selvagem, 400 ml de água inicialmente e quando já estava quase seco adiciono-se mais 150 ml de água pois houve a necessidade por ser...

    725  Palavras | 3  Páginas

  • Fator de cocção

    ANÁLISE E ELABORAÇÃO DOS FATORES DE CORREÇÃO E COCÇÃO DE ALIMENTOS ANUÁRIO DA PRODUÇÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DISCENTE Vol. 13, N. 16, Ano 2010 Raianne Motoshima Barros Paloma Popov C. Garcia Simone Gonçalves Almeida Curso: Nutrição FACULDADE ANHANGUERA DE BRASÍLIA Trabalho apresentado no 10º Congresso Nacional de Iniciação Científica – CONIC. Apresentado também no Evento Interno do PIC, da Faculdade Anhanguera de Brasília, ficando em segundo lugar na classificação geral ...

    3946  Palavras | 16  Páginas

  • Apostila de aulas pratica Tecnologia de Alimentos

    Escola de Nutrição Departamento de Tecnologia dos Alimentos (DTA) APOSTILA PARA AS AULAS PRÁTICAS DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS Profa. Dra. Valéria Caselato 2012 NORMAS PARA LABORATÓRIO 1. No laboratório é obrigatório o uso de avental e touca (ou rede) nos cabelos. 2. O aluno deverá trazer a apostila de aulas práticas todas às aulas. 3. As práticas serão explicadas no início de cada aula, no laboratório. O aluno que, após as explicações, perguntar o que é para ser feito...

    21347  Palavras | 86  Páginas

  • AULA PLANEJAMENTO E PROJETOS DE SERVI OS DE ALIMENTA O 1

    nutricionais Amostras de alimentos prontos, Geladeira cozinha central 0 a 4ºC Cozinha vegetais e alimentos para utilização do dia. Validade médias de alguns produtos Tipos de alimentos – Estoque Seco Validade Produtos de mercearia (enlatados, cereais, etc.) 3 dias Temperatura - Tempo máximo de armazenamento Congelamento (Validade) 0º a –5ºC 10 dias -5 a –10ºC 20 dias -10 a –18ºC 30 dias Menor que –18ºC 90 dias PRÉ- HIGIENIZAÇÃO DE HORTIFRUTIS Prolongamento da área de recepção -...

    2437  Palavras | 10  Páginas

  • Manual de boas praticas

    Manual de Boas Práticas de Fabricação [pic] Empresa: CASA DA BISA NARDINI ALIMENTOS LTDA-ME 1 OBJETIVO Estabelecer procedimentos de Boas Práticas para fornecimento de marmitas e marmitex, a fim de garantir as condições higiênico-sanitárias do alimento preparado. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO Este procedimento aplica-se aos setores de produção e fornecimento de marmitas e marmitex e áreas internas e externas da empresa. Área interna da empresa. - Armazenamento...

    6837  Palavras | 28  Páginas

  • Cocçao

    É o tratamento do alimento pelo calor, o ato de preparar alimentos através da ação do fogo. O domínio dos métodos de cocção e a escolha adequada são essenciais para o sucesso na cozinha. Diferentes técnicas produzem diferentes resultados conforme o tipo de alimento. Ex: carne cozida e carne assada. 1. Manter ou melhorar o valor nutricional. Ex: licopeno. 2. Melhorar a digestibilidade. Ex: proteína. 3. Melhorar a palatabilidade. Mudança de cor, sabor ou textura. 4. Segurança alimentar. 5....

    3638  Palavras | 15  Páginas

  • plano de aula

    Hipoglicídica Modificações da Dieta Normal conteúdo de resíduos Pouco resíduo Frutas e verduras cozidas em forma de purê Com resíduos brandos Tecido conjuntivo abrandado pela cocção mas sem subdivisão Cereais parcialmente triturados, hortaliças cozidas Rica em resíduos Estimula o transito intestinal Cereais integrais, frutas cruas e se possível com casca, hortaliças cruas (vegetais folhosos). Modificações da Dieta Normal • Alimentos com alto teor de purinas • Caldo e extrato de...

    1063  Palavras | 5  Páginas

  • Aula Pr Tica 6 7 8 9 10 11 Teoria

    AULA PRÁTICA 6 -TEORIA O CASSOULET O cassoulet é um preparo típico da gastronômica francesa das regiões de LanguedocRoussillon, e de Midi-Pirenéus em especial das cidades de Carcassonne, Castelnaudary e Toulouse. Existem diversas formas de se fazer este preparo, no entanto ele se resume basicamente em feijão branco cozido e carnes, principalmente o confit d'oie (confit de ganso), confit de canard (confit de pato), salsichas, linguiça, carne de porco, e até carne de perdiz ou cordeiro dependendo...

    6905  Palavras | 28  Páginas

  • Aula prática de carnes

    RELATÓRIO DA AULA PRÁTICA SOBRE CARNES Relatório e aula prática realizados pelos alunos: Antônio Sabino, Janaína Sandrelly, Naira Caline, Nathália Silva, Thaynná do Carmo e Wilziane Patrícia . Turma TI 408. Profª: Bruna Alves. Recife, 2014 Introdução A aula realizada no dia 28/05/2014, pela professora Bruna Alves, da disciplina de Técnica Dietética, foi um momento onde ocorreu a possibilidade de observar a variação de texturas, qualidades, manuseio, tipos de cocção, etc. Tivemos...

    702  Palavras | 3  Páginas

  • cocção de grão-de-bico

     INSTITUTO FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS SÃO RAIMUNDO NONATO DISCIPLINA: GASTROTECNIA AULA PRÁTICA: LEGUMINOSAS SABINO SILVA SANTOS SÃO RAIMUNDO NONATO – PI 2013 SABINO SILVA SANTOS AULA PRÁTICA: LEGUMINOSSAS PROFESORA: MSc. ADENILMA FARIAS TÉCNICO EM LABORÁTÓRIO: ZANELLI RUSSELEY SÃO RAIMUNDO NONATO – PI 2013 1. INTRODUÇÃO As leguminosas são grãos contidos em vagens ricas em tecido...

    901  Palavras | 4  Páginas

  • Aula 2 T Cnica Diet Tica

    simples prática culinária”. CAMARGO e BOTELHO (2005) OBJETIVO DO PREPARO DOS ALIMENTOS Aumentar a absorção dos nutrientes; Melhorar as características sensoriais dos alimentos; Digestibilidade dos alimentos; Agradável palatabilidade; Aproveitamento dos alimentos que não podem ser consumidos em seu estado natural. TÉCNICAS DE PREPARO DE ALIMENTOS Para que o alimento possa ser consumido e utilizado pelo organismo - devem sofrer várias modificações, entre elas: Pré-preparo União Cocção Preparo...

    1914  Palavras | 8  Páginas

  • Manual de Boas práticas

    MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DOS MANIPULADORES DE ALIMENTOS FUNDAMENTADO NO MÉTODO APPCC ANÁLISE DE PERIGOS EM PONTOS CRÍTICOS DE CONTROLE Patrocínio: Elaboração: Fabíola Hodge Nutricionista - CRN 11325 - 3a Região ÍNDICE 01 – INTRODUÇÃO ..................................................................................................... 03 02 – OBJETIVO GERAL .............................................................................................. 04 03 – HIGIENE DO MANIPULADOR...

    30966  Palavras | 124  Páginas

  • FATOR DE CORREÇÃO E COCÇÃO

    Aula Prática 3 Fator de correção e indicador de conversão Introdução Um dos índices utilizados para acompanhamento do desperdiço de alimento é o fator de correção (FC), também conhecido como indicador de parte comestível ou fator de perde. Ele é um índice imprescindível para definir a quantidade de alimento a ser comparada, considerando o que será perdido ao longo da preparação, da limpeza e da subdivisão. O fator de correção permite comparar preços de...

    747  Palavras | 3  Páginas

  • Técnicas de Coccao

    TÉCNICAS DE COCÇÃO EM ALIMENTOS A cocção pode ser definida como o aumento de temperatura dos alimentos com duração suficiente para ocasionar alterações irreversíveis (COENDERS, 1996). As técnicas de cocção em alimentos podem ser classificação segundo o meio de transferência de calor em: Cocção em meio não aquoso – calor seco Cocção em meio gorduroso Cocção em meio aquoso – calor úmido Cocção mista – calor misto Cocção especial 1. COCÇÃO EM MEIO NÃO AQUOSO – CALOR SECO Sob esta denominação...

    5188  Palavras | 21  Páginas

  • PRATICA DE PESOS E MEDIDAS

     TÉCNICO EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA TÉCNICA DIETÉTICA RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PESOS E MEDIDAS Elaine Lopes Cândido Goddoi Francielle Castro Alves Costa Heloisa Alves de Lima Nágila Rocha Oliveira Romilda Souza Ximenes Ribeiro Simone Silveira de Oliveira Talita Roxanne Pessotti 2014 Elaine Lopes Cândido Goddoi Francielle Castro Alves Costa Heloisa Alves de Lima Nágila Rocha Oliveira Romilda Souza Ximenes Ribeiro Simone Silveira de Oliveira Talita Roxanne...

    794  Palavras | 4  Páginas

  • nutrição aula 6

    1 AULA 06 www.editorasanar.com.br Olá Nutris Concurseiras! Bem vindo ao melhor Curso de Nutrição para Concursos do Brasil! É muito gratificante para nós, saber que nossos livros e cursos estão se disseminando de forma muito rápida por todo o país. Graças a você, estamos conseguindo esse feito! 2 Mas, sem muitas conversas, vamos logo ao que interessa! Neste Ebook-Aula, preparamos algo inovador. Abordamos o assunto Biodisponibilidade de Nutrientes com: 1. Questões comentadas alternativa...

    4140  Palavras | 17  Páginas

  • Relatório de técnica dietética

    RA: B022BH-6 JULIANA CONDRO RA: A97FBI-5 LEIDIANA RAFAELA RA: B07883-9 OLÍVIA P. MORAIS RA: A9426A-0 TATIANE SANTANA RA: A973702 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: Comparar ao diversos tipos de cereais e fatores que interferem na sua cocção. Identificar o rendimento e o tempo de cocção das leguminosas em diferentes procedimentos. SÃO PAULO 2012 UNIVERSIDADE PAULISTA ALESSANDRA REGINA RA:...

    2740  Palavras | 11  Páginas

  • Métodos de cocção de ovos

    independentemente de se usar o ovo inteiro, ou apenas suas partes (clara ou gema). (ARAÚJO et al, 2009) Alguns métodos de cocção e preparações a base de ovos foram utilizadas na aula prática em laboratório de técnica e dietética, e os consequentes resultados e a discussão em relação a essa pratica podem ser vistos no trabalho a seguir. OBJETIVOS Os objetivos da prática foram determinar o efeito da estocagem e idade na qualidade dos ovos, descrever fatores que afetam a qualidade de preparações...

    3453  Palavras | 14  Páginas

  • Centro Universit Rio Uninovafapi

    Vasconcelos MÉTODOS DE COCÇÃO, PER CAPITAS E PORÇÕES DOS ALIMENTOS Teresina, março 2015 Andressa Santos Bianca Magalhães Giulia Caroline Raphaele Teixeira Victor Sales MÉTODOS DE COCÇÃO, PER CAPITAS E PORÇÕES DOS ALIMENTOS Teresina, março 2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS 1 2 MATERIAL E MÉTODO 2 3 RESULTADOS 3 4 DISCUSSÃO 4 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS 5 6 REFERÊNCIAS 6 1. INTRODUÇÃO Cereais são grãos que provêm das gramíneas...

    762  Palavras | 4  Páginas

  • senhor

    Composição de alimentos • Total de créditos: 4 • Carga horária: 88 horas – Teoria: 44 horas – Prática: 44 horas  Laboratório PLANO DE ENSINO • EMENTA DA DISCIPLINA: – Unid. 1  Laboratório dietético – Unid. 2  Seleção e preparo de alimentos: • • • • • • • • • • • Condimentos Caldos, sopas e molhos Infusos e bebidas Carnes e vísceras Aves e pescados Leite e derivados Ovos Cereais e leguminosas Hortaliças e frutas Gordura e açúcares Ficha técnica de preparação – Unid...

    1524  Palavras | 7  Páginas

  • RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA AVES E PESCAD0S

    RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA AVES E PESCAD0S ROSÂNGELA DUARTE VOLTA REDONDA 2014 INTRODUÇÃO Aves Refere-se a aves domésticas ou de caça, utilizadas na alimentação. Os tipos mais comuns de aves são frango, peru, pato, marreco, ganso, faisão, galinha d’angola, codorna, perdiz, pombo e chester. O frango é o mais comum das aves. (http://www.sonutricao) Cortes Peito: carne branca, macia e seca. Coxa, sobrecoxa e asa: partes escuras...

    1675  Palavras | 7  Páginas

  • técnica dietética

    CEREAIS 2013 SUMÁRIO 1. Introdução 3 2. Desenvolvimento 4 2.2. Materiais e métodos 4 2.3. Resultados e discussão 5 3. Conclusão 7 Referências bibliográficas 8 Apêndices 9 1. INTRODUÇÃO Para que se mantenha uma alimentação balanceada, uma das estratégias é seguir o modelo da pirâmide alimentar na elaboração da dieta, onde na base dessa pirâmide encontram-se os cereais, que são a fonte de energia primária e mais importante para o corpo humano. Os...

    1382  Palavras | 6  Páginas

  • T Cnica Dietetica E Higiene Dos Alimentos Turma 180 2015 Final

    dos grupos alimentares. 3 OBJETIVOS Auxiliar o aluno a desenvolver as seguintes competências: Proporcionar ao aluno um estudo teórico em sala de aula e prático em laboratório de Técnica Dietética; Aplicar conhecimento sobre a composição, propriedades e transformações dos alimentos e seu aproveitamento; Conhecer e aplicar as diversas técnicas de cocção dos alimentos, visando sua utilização na alimentação humana; Conhecer os diferentes grupos de alimentos e sua adequada utilização; Oportunizar ao...

    1694  Palavras | 7  Páginas

  • Cereais com glúten: Mocinhos ou vilões de uma dieta equilibrada

    CEREAIS COM GLÚTEN: MOCINHOS OU VILÕES EM UMA DIETA EQUILIBRADA Luzia Oliveira da Silva* Mayra Goreth de Oliveira Veiga Loureiro** RESUMO Este presente artigo vem para entender o que está por traz do principal cereal da economia. E que proteína está causando dor de cabeça na maioria das pessoas que consomem o trigo na qual pode levar até a morte: O glúten. E tendo como enfoque, a doença celíaca, que é o resultado de quem possui alergia do glúten e que cada vez mais vem atingindo a...

    2465  Palavras | 10  Páginas

  • Manual de Boas Praticas

    Sanitária de São Paulo De acordo com a legislação citada, foram seguidas as seguintes referências técnicas oficiais: SBCTA “ Manual de Boas Práticas De Fabricação para Indústria de Alimentos “ FAO Normas Técnicas “ Codex Alimentarius “ WHO “ HACCP - Hazard Analysis Critical Control Point Sistem “ ABERC “ Manual de Práticas de Elaboração e Serviço de Refeições para Coletividade “ Bibliografia adicional: SILVA JÚNIOR, Eneo Alves da - Manual de...

    6052  Palavras | 25  Páginas

  • Cereias

     UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA – UFBA ESCOLA DE NUTRIÇÃO NUT 152 – TÉCNICA DIETÉTICA I RELATÓRIO DA AULA PRÁTICA: CEREAIS Salvador 2014 RELATÓRIO DA AULA PRÁTICA: CEREAIS Relatório realizado pelas alunas do curso de Nutrição, terceiro semestre – 2014.1, referente à aula prática de Técnica Dietética. Orientadora: Profa. Celeste Viana. Salvador 2014 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO ............................

    3853  Palavras | 16  Páginas

  • Aula pratica

    INSTITUTO FEDERAL FLUMINENSE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS TECNOLOGIA DE FRUTAS E HORTALIÇAS AULA PRÁTICA: GELEIA DE MARACUJÁ ALINE APARECIDA DEGLI ESPOSTI AGUIAR JÉSSICA ALMEIDA DE SIQUEIRA BOM JESUS DO ITABAOANA/RJ INTRODUÇÃO A Legislação Brasileira de Alimentos define as geleias de frutas como “produto obtido pela cocção de frutas inteiras ou em pedaços, polpas ou sucos de frutas, com açúcar e água, e concentrado até a consistência...

    649  Palavras | 3  Páginas

  • Tecnica e Dietetica

    cardápios e capacitar o pessoal selecionado para o trabalho.  Econômico: Consiste em escolher as técnicas a serem empregadas no preparo de alimentos, considerando os custos e os recursos humanos materiais e financeiros disponíveis. OBJETIVOS DAS AULAS NO LABORATÓRIO         Conhecimento dos alimentos in natura e industrializados (aspecto, forma, tipo) a serem utilizados nas diferentes preparações. Utilização correta dos materiais, utensílios e equipamentos do laboratório. Sistematização...

    3045  Palavras | 13  Páginas

  • questoes tecnica e dietetica

    líquido? Cite exemplos. 13. Quais os métodos utilizados para unir os alimentos? 14. Como se divide os processos básicos de cocção? 15. Cite as técnicas de calor úmido, calor seco e calor misto e em que elas se baseiam. 16. Qual a influência da cocção sobre os carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais? CONTEÚDO: Cereais 17. Qual a definição de cereais? 18. O que é o amido? Como ele é composto? 19. Quais as suas principais funções dentro dos alimentos? 20. O que são os amidos...

    592  Palavras | 3  Páginas

  • Técnica dietética

    OBEDECER AOS SEGUINTES CRITÉRIOS: CAPA: Nome da Instituição TÍTULO: Relatório de Técnica Dietética PROFESSORARESPONSÁVEL: Vanina Sperendio e Renata Fernandes COMPONENTES DO GRUPO: colocar nome e RA 4. ÍNDICE: Frutas Hortaliças Cereais Leguminosas Leite e Derivados Ovos Óleos e Gorduras Bebidas e Infusões Carnes 5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS FRUTAS O grupo deverá descrever: A conclusão do grupo para cada preparação realizada, no que diz respeito:...

    2635  Palavras | 11  Páginas

  • T cnica Diet tica

    de Ciências da Saúde - ICS Curso de Nutrição Aula Prática 3 - Técnica Dietética Cereais e Amido Andressa Gomes de Sousa C388FB-A Camila Medeiros dos Santos C0670J-9 Carolina Costa de Freitas Oliveira B591293 Carolina de Oliveira Solci C15AAA-7 Caroline Aparecida de Paula T31996-0 Caroline Pavret dos Santos C150HF-5 Danielle Paiva Dias C35CBA-6 Ruberlan Miranda Souza C37GFB-0 São José dos Campos 2015 São José dos Campos 2015 Sumário Cereais 1. Tema..........................................

    1861  Palavras | 8  Páginas

  • absorçao de agua

    2005). Diante do exposto, o desenvolvimento deste relatório teve como objetivo determinar o índice de absorção de água(IAA), utilizando como amostra o amido de milho e caracterizando-o quanto a esse método empregado. 2 METODOLOGIA A aula prática foi apresentada no Laboratório de Bromatologia e Bioquímica dos Alimentos da Universidade Federal do Piauí. Para a realização da mesma, foi utilizado como materiais: centrífuga, balança analítica, agitador mecânico, béqueres e amido de milho comercial...

    1085  Palavras | 5  Páginas

  • Discuss O Lab

    dispõe de cadeiras, equipamento áudio visual e de estrutura adequada para obter concentração, esta é usada apenas para ministrar conteúdo teórico, sendo oferecido um protocolo para uso nas aulas práticas. O laboratório, não se dispõe de um espaço suficiente para a realização das tarefas previstas de pré-preparo, cocção, demonstração e avaliação sensorial, por todos os grupos formados na disciplina de Técnica Dietética 1, mesmo contanto com 3 centros de preparo, a quantidade de grupos é superior, tendo...

    729  Palavras | 3  Páginas

  • Manual de boas praticas

    documentos citados ao Departamento. 3. Introdução Boas Práticas de Manipulação Boas práticas são procedimentos adotados por serviços de alimentação, a fim de garantir a qualidade higiênico-sanitária e a conformidade dos alimentos, instituídos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) do Ministério da Saúde, órgão competente fiscalizador das atividades realizadas nos estabelecimentos. A eficácia e efetividade desta prática devem ser avaliadas por meio da inspeção e da investigação...

    7931  Palavras | 32  Páginas

  • LEGUMINOSAS E Cereais

    LEGUMINOSAS E CEREAIS LEGUMINOSAS DEFINIÇAO São grãos contidos em vagens, ricos em tecido fibroso, sendo que algumas espécies podem ser consumidas verdes, como a ervilha e o feijão (vagem). O grão apresenta-se em uma envoltura celulósica que representa de 2 a 5% do mesmo e contém 50% de amido no seu interior e 23% de proteínas de baixo valor biológico. Seus principais representantes são: VALOR NUTRITIVO Além de serem bastante ricas em nutrientes, as leguminosas têm importante papel na...

    2714  Palavras | 11  Páginas

  • AULA 01 INGREDIENTES PARA A ALIMENTA O ANIMAL PROF

    CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA Faculdade de Ciências da Saúde Medicina Veterinária Disciplina: Bromatologia e Nutrição animal Prof. Glauco Dente Gurtler Aula Prática 1 – Ingredientes para Alimentação Animal MILHO O milho é o principal componente da dieta animal: participa com mais de 60% do volume utilizado na alimentação animal de bovinos, aves e suínos. O milho assegura a parte energética das rações. Combinados com outros ingredientes, o milho permite ajustar a formulação de rações específicas...

    3122  Palavras | 13  Páginas

tracking img