Acolhimento Institucional Para Crianças E Adolescentes artigos e trabalhos de pesquisa

  • O ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL COMO MEIO EFICAZ DE REINSERÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, EM OBSERVÂNCIA AO DIREITO DE CONVIVÊNCIA FAMILIAR

    SEI FACULDADE DE ITAPIRANGA – FAI CURSO DE DIREITO HUMBERTO BEUTER O ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL COMO MEIO EFICAZ DE REINSERÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, EM OBSERVÂNCIA AO DIREITO DE CONVIVÊNCIA FAMILIAR Itapiranga, SC 2014 HUMBERTO BEUTER O ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL COMO MEIO EFICAZ DE REINSERÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, EM OBSERVÂNCIA AO DIREITO DE CONVIVÊNCIAFAMILIAR Projeto de Monografia Jurídica apresentado...

    5688  Palavras | 23  Páginas

  • Crianças em acolhimento institucional

    1. TEMA Crianças em acolhimento institucional 2. OBJETO DE ESTUDO As dificuldades enfrentadas pelos profissionais educadores noexercício da pratica profissional. 3. OBJETIVOS ESPECIFICOS 1- Identificar o que é medida de acolhimento institucional. 2- Verificar em quais situações são aplicadas medidas de acolhimento institucional. 3- Analisar de que forma é realizada a capacitação profissional dos educadores sócioeducativos. APRESENTAÇÃO Esta pesquisa tem por objetivo...

    1581  Palavras | 7  Páginas

  • O ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL COMO MEIO EFICAZ DE REINSERÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, EM OBSERVÂNCIA AO DIREITO DE CONVIVÊNCIA FAMILIAR

    SEI FACULDADE DE ITAPIRANGA – FAI CURSO DE DIREITO HUMBERTO BEUTER O ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL COMO MEIO EFICAZ DE REINSERÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, EM OBSERVÂNCIA AO DIREITO DE CONVIVÊNCIA FAMILIAR Itapiranga, SC 2014 HUMBERTO BEUTER O ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL COMO MEIO EFICAZ DE REINSERÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, EM OBSERVÂNCIA AO DIREITO DE CONVIVÊNCIAFAMILIAR Projeto de Monografia Jurídica apresentado...

    5688  Palavras | 23  Páginas

  • Redes sociais de atendimento: o atendimento as famílias de crianças em situação de acolhimento institucional e os desafios para a garantia do direito à convivência familiar e comunitária

    WLADILA CANDIDA PEREIRA REDES SOCIAIS DE ATENDIMENTO: O atendimento às famílias de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional e os desafios para a garantia do direito à convivência familiar e comunitária. SANTOS 2012 CLEIA SOUZA SANTOS acolhimento institucional e os desafios para a garantia do direito à convivência familiar e comunitária. Trabalho...

    10491  Palavras | 42  Páginas

  • Acolhimento Institucional

     PALESTRA : ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL Palestrante: Andréa Mismoto (promotora) Iniciou falando da familia, familia é a base da sociedade art.226. Compete a familia, juntamente com o Estado, a sociedade em geral e as comunidades, assegurar à criança e ao adolecente o exercício de seus direitos fundamentais art 227. E os jovens também art.19 eca . Convivência familiar - condição primária para o desenvolvimento da pessoa humana. Inícia-se o processo educativo. Colabora na formação da identidade...

    1600  Palavras | 7  Páginas

  • Acolhimento institucional de crianças e adolescentes em belo horizonte e a atuação do serviço social

    trabalho visa analisar o acolhimento institucional de crianças e adolescentes em situação de risco que foram retiradas do convívio familiar, e a atuação do Assistente Social nestas instituições. Pretende-se apresentar as ações desenvolvidas, e se estas seguem as deliberações do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA. O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA realizou em 2003 uma pesquisa referente á crianças e adolescentes que vivem em instituições de acolhimento no Brasil. Neste período...

    12967  Palavras | 52  Páginas

  • ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL

    FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO – FADISA SAULO FERREIRA ROCHA ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL: um estudo do atendimento institucional a crianças e adolescentes no Brasil exemplificado pela ACICLAR – Aninha Gomes da comarca de Turmalina/MG MONTES CLAROS/MG 2012 SAULO FERREIRA ROCHA ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL: um estudo do atendimento institucional a crianças e adolescentes no Brasil exemplificado pela ACICLAR – Aninha Gomes da comarca de Turmalina/MG Monografia apresentada à...

    16837  Palavras | 68  Páginas

  • PORTARIA JIJ ACOLHIMENTO

    INCLUSÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM PROGRAMA DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL NO ÂMBITO DA VARA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE DE PORTO VELHO/RO. O Doutor Dalmo Antônio de Castro Bezerra, MM. Juiz de Direito Titular da Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Porto velho, Estado de Rondônia, no uso de suas atribuições legais e, em especial, nos termos dos artigos 146, do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei n° 8.069 de 13 de julho de 1990), I - CONSIDERANDO que a criança e o adolescente são sujeitos...

    2389  Palavras | 10  Páginas

  • conselho tutelar e acolhimento institucional

    PESQUISA • Pode o Conselho Tutelar retirar criança ou adolescente do convívio familiar e colocá-lo em acolhimento institucional sem autorização judicial? O art. 136, inciso I do Estatuto da Criança e do adolescente indica as atribuições do Conselho Tutelar. Tal dispositivo pode fazer parecer que estaria o referido órgão autorizado a empregar a medida protetiva de acolhimento institucional em qualquer situação, quando na verdade sua aplicação é condicionada. Com a análise do disposto nos arts...

    772  Palavras | 4  Páginas

  • Acolhimento Institucional

    2. DESENVOLVIMENTO TEÓRICO 2.1. Orientações sobre acolhimento institucional de crianças e adolescentes O termo acolhimento institucional veio substituir o termo abrigo regida pela alteração feita pela Lei nº 12.010 de 3 de agosto de 2009, essa alteração ocorreu pela razão de que o termo abrigo nos remetia apenas ao espaço físico enquanto a denominação acolhimento se refere ao ato de proteção, que é o intuito das instituições. Segundo Goffman (1974, apud MACHADO, 2011) o termo instituição é...

    5458  Palavras | 22  Páginas

  • O ABRIGO E A CONSTRUÇÃO E DESCONSTRUÇÃO DE ESTIGMAS: desafio para profissionais que atuam no serviço de acolhimento institucional

    O ABRIGO E A CONSTRUÇÃO E DESCONSTRUÇÃO DE ESTIGMAS: desafio para profissionais que atuam no serviço de acolhimento institucional Hellen Patrícia Zaine1 Leiziane de Lima Romanholi2 Resumo:O presente trabalho tem por objetivo analisar a visão dos profissionais que atuam com crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional no município de Paranavaí, estado do Paraná sobre os desafios na realização do respectivo trabalho. A sistematização das informações possibilita maior efetividade...

    3969  Palavras | 16  Páginas

  • Direito da Criança e Adolescente

    Aula 5 – Direito da Criança e do Adolescente POLITICA DE ATENDIMENTO E PROCEDIMENTO DE APURAÇAO DE IRREGULARIDADES EM ENTIDADES DE ATENDIMENTO. Artigo 86 do ECA Essa politica é prevista no ECA a partir deste artigo onde ele vai estabelecer as linhas de acao as diretrizes. Conteudo programático Compreender a politica de atendimento, identificando e analisando os mecanismos legais para a garantia e o exercício de direitos as crianças e aos adolescentes. Conhecer as ações e as diretrizes dessa...

    3101  Palavras | 13  Páginas

  • entidade de acolhimento no ECA

    entidades de atendimento O nome roda se refere a um artefato de madeira fixado ao muro ou janela do hospital, no qual era depositada a criança, sendo que ao girar o artefato a criança era conduzida para dentro das dependências do mesmo, sem que a identidade de quem ali colocasse o bebê fosse revelada. As primeiras iniciativas de atendimento à criança abandonada no Brasil se deram, seguindo a tradição portuguesa, instalando-se a roda dos expostos nas Santas Casas de Misericórdia. Em princípio...

    2090  Palavras | 9  Páginas

  • Direito à convivência familiar e comunitária no acolhimento institucional de crianças e adolescentes

    DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA NO ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES HAMERSCHMIDT, Pâmela Universidade Estadual de Ponta Grossa Resumo O acolhimento em instituição é uma das medidas de proteção estabelecidas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), necessária quando a família em vez de ser um refúgio seguro se torna um lugar que coloca em risco a segurança física e emocional da criança e do adolescente. No entanto, é uma medida excepcional e provisória...

    2358  Palavras | 10  Páginas

  • Acolhimento institucional

    SEMESTRE: 2/2011 ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL SOCIEDADE ESPÍRITA DE RECUPERAÇÃO, TRABALHO E EDUCAÇÃO - LAR DAS CRIANÇAS SEARA DA ESPERANÇA - INTRODUÇÃO O presente relatório tem por finalidade a descrição de visita realizada na Sociedade Espírita de Recuperação, Trabalho e Educação – SERTE, com especial atenção ao Lar das Crianças Seara da Esperança, por tratar-se de medida de acolhimento institucional. Parágrafo único do Art. 101 do ECA – Estatuto da Criança e Adolescente em seu inciso 1º...

    6157  Palavras | 25  Páginas

  • Responsabilidade social e prioridade absoluta. uma análise do serviço de acolhimento institucional de crianças e adolescente do municipio de belo horizonte - mg.

    RESPONSABILIDADE SOCIAL E PRIORIDADE ABSOLUTA. UMA ANÁLISE DO SERVIÇO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTE DO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE - MG. Belo Horizonte 2011 Aline das Dores Caldeira Denise Andréia de Oliveira Avelino Edna Silva Souza da Luz ADOLESCENTE DO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE - MG. Área...

    8731  Palavras | 35  Páginas

  • Plano de Acolhimento

    DE ACOLHIMENTO 7 ETAPAS DA ELABORAÇÃO DO PLANO DE ACOLHIMENTO 9 DIAGNÓSTICO 9 MATRIZ DE PLANEJAMENTO 16 MATRIZ DE MONITORAMENTO 25 2 1. INTRODUÇÃO No ano de 2013, a partir da publicação das Resoluções nº 15 e 17 pela Comissão Intergestores Tripartite (CIT) e da aprovação das Resoluções nº 23 e 31 pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), deu-se início ao processo de expansão qualificada e reordenamento dos Serviços de Acolhimento para Crianças, Adolescentes...

    7785  Palavras | 32  Páginas

  • PAPEL DA PSICOLOGIA NAS POSSIBILIDADES DE REINSERÇÃO FAMILIAR PARA CRIANÇAS EM ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL

    FAMILIAR PARA CRIANÇAS EM ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL          OURINHOS-SP 2011 LUCIANA APARECIDA DE LIMA                O PAPEL DA PSICOLOGIA NAS POSSIBILIDADES DE REINSERÇÃO FAMILIAR PARA CRIANÇAS EM ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL             OURINHOS-SP 2011  LIMA, Luciana Aparecida de O papel da psicologia nas possibilidades de reinserção familiar para crianças em acolhimento institucional...

    25093  Palavras | 101  Páginas

  • Projeto Polítco da Unidade de Acolhimento

     SEMFAS UNIDADE DE ACOLHIMENTO CAÇULA BARRETO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ANO / 2013 “Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.”(Rubem Alves) I - Composição da Coordenação e Equipe de Elaboração 1 – Coordenação Geral Sandra Alves Angelo de Souza – Assistente Social. 2 – Equipe de elaboração: Anne Caroline de Jesus Santos – Assistente Social; Jamilande Alves da Silva Thaís Fonseca Menezes Oliveira...

    3097  Palavras | 13  Páginas

  • Política Social de atenção à criança, adolescente e idoso

    Tania KrügerBirk – 336135 Venati Izabel de Oliveira - 301151 ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS - ATPS POLÍTICA SOCIAL DE ATENÇÃO À CRIANÇA, ADOLESCENTE E IDOSO PROFESSORA EAD: Ma. Edilene Xavier Rocha Garcia SANTO ÂNGELO - RS 2013 1. INTRODUÇÃO Este relatório tem por objetivo conhecer a legislação que norteia o atendimento à criança e ao adolescente, fazendo uma reflexão crítica sobre o Estatuto. Primeiramente estudamos a ECA e refletimos sobre a aplicação ou não da lei, se ela é...

    1012  Palavras | 5  Páginas

  • Crianças e adolescentes em situação de risco social

    CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE RISCO SOCIAL SUMÁRIO INTRODUÇÃO.....................................................................................................4 2. JUSTIFICATIVA..............................................................................................5 3. OBJETIVO GERAL..........................................................................................6 3.1 Objetivos...

    1401  Palavras | 6  Páginas

  • O acolhimento familiar

    Abandono de crianças. Para resolver o problema, já foi estudados vários métodos, em diferentes escalas,não obstante, aqui apresentaremos o mais atual, o Acolhimento familiar. Escolhemos como tema deste trabalho A Nova Lei da Adoção – Acolhimento Familiar e os desafios da adaptação Infantil, pois é um assunto de grande importância para nossa área profissional e para a sociedade em geral. Temos como objetivo expor o ideal dessa nova Lei e colocar em destaque os efeitos causados por ela nas crianças e adolescentes...

    3447  Palavras | 14  Páginas

  • Crianças com hiv

    FACULDADE PAULISTA DE SERVIÇO SOCIAL Crianças Portadoras do Vírus HIV/AIDS que vivem em situação de acolhimento institucional SÃO PAULO 2012 CAMILA PEREIRA DA SILVA REBECA LEANDRO DUARTE SIDNEIA APARECIDA DA SILVA Crianças Portadoras do Vírus HIV/AIDS que vivem em situação de acolhimento institucional Trabalho apresentado à Disciplina de Pesquisa em Serviço Social I como exigência parcial...

    886  Palavras | 4  Páginas

  • ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL

    PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Acolhimento Institucional Acolhimento Institucional Sumário 1. 1. INTRODUÇÃO Objetiva-se com este trabalho mostrar como se deu a história da política da Criança e do Adolescente no Brasil e também mostrar a evolução da mesma, especificamente sobre o Acolhimento Institucional voltado a esse público. Houve enormes mobilizações de diversos profissionais, passando pela constituição de 1988...

    2991  Palavras | 12  Páginas

  • Acolhimento Brasleito

    O acolhimento é uma medida de proteção prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente para casos de violação ou ameaça dos direitos das crianças e adolescentes. Existem diferentes modalidades de serviços de acolhimento, que podem ser: abrigos institucionais, casas lares ou famílias acolhedoras. Os serviços devem oferecer um espaço no qual as crianças e os adolescentes se sintam protegidos e criem vínculos de confiança; um lugar de acolhimento e socialização, que favoreça o desenvolvimento da...

    781  Palavras | 4  Páginas

  • ACOLHIMENTO FAMILIAR TEXTO LIVRO 1

    ACOLHIMENTO FAMILIAR O QUE É ACOLHIMENTO FAMILIAR? É uma medida de proteção e defesa ao direito a convivência familiar e comunitária, enquanto mantém a criança em outro ambiente familiar, investe continuamente no trabalho com a família de origem. Esse tipo de atendimento requer articulação com o Conselho e com o Juizado da Infância e Juventude para sua viabilidade legal e acompanhamento em parceria com a equipe responsável pelo projeto. Algumas razões que motivam a criança e/ou adolescente irem...

    1610  Palavras | 7  Páginas

  • Acolhimento institucional (resumo)

    ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL DE CRIANÇAS E SUAS CONSEQUENCIAS O acolhimento institucional tem como medida de proteção voltada para crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade, e que por algum motivo, precise se afastar da convivência familiar. Os principais aspectos devem ser de forma excepcional e provisória e se a convivência familiar e comunitária foi viabilizada; se o abrigo caracterizou-se como um muro que protege ou um muro que separa; se houve relação entre o uso de drogas...

    806  Palavras | 4  Páginas

  • Criança e adolescente

    PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUCIONAL DENISE CARLA GOLDNER COELHO As Políticas de Atenção à Criança e ao Adolescente do Município de Serra: Desconstruindo Vilões e Mocinhos Vitória 2010 1 DENISE CARLA GOLDNER COELHO As Políticas de Atenção à Criança e ao Adolescente do Município de Serra: Desconstruindo Vilões e Mocinhos Dissertação apresentada à apreciação do Programa de Pós-graduação em Psicologia Institucional da Universidade Federal do Espírito Santo...

    28682  Palavras | 115  Páginas

  • O ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: PROCESSO DE ENFRENTAMENTO DA EXCLUSÃO OU REPRODUÇÃO DA SEGREGAÇÃO SOCIAL? Salvador

    DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE DELTA- UNIME SALVADOR CURSO DE SERVIÇO SOCIAL JOÉDILA MARIA GOMES DE ALMEIDA SANTANA O ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: PROCESSO DE ENFRENTAMENTO DA EXCLUSÃO OU REPRODUÇÃO DA SEGREGAÇÃO SOCIAL? Salvador 2012 JOÉDILA MARIA GOMES DE ALMEIDA SANTANA O ACOLHIMENTOINSTITUCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: PROCESSO DE ENFRENTAMENTO DA EXCLUSÃO OU REPRODUÇÃO DA SEGREGAÇÃO SOCIAL? Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à UNIME...

    41767  Palavras | 168  Páginas

  • O ACESSO ÀS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DAS CRIANÇAS ACOLHIDAS NAS INSTITUIÇÕES PROTETIVAS .

     ACADÊMICA: MÁRCIA M. QUEIROZ - RGA: 2011.0568.0169 O ACESSO ÀS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DAS CRIANÇAS ACOLHIDAS NAS INSTITUIÇÕES PROTETIVAS . Márcia Martins Queiroz RESUMO Esta pesquisa tem o propósito de conhecer e analisar as práticas pedagógicas destinadas às crianças em situação de acolhimento institucional. No trajeto metodológico será usado como instrumento a coleta de dados através das publicações de artigos científicos disponíveis no portal do SiELO, dados analisados sobre...

    3146  Palavras | 13  Páginas

  • Acolhimento institucional

    MUNIQUE ALVES GALLETTA NETO ACOLHIMENTO FAMILIAR X ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL Uma busca no passado, pelo direito à convivência familiar. Florianópolis/SC 2006 2 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E EXTENSÃO MUNIQUE ALVES GALLETTA NETO ACOLHIMENTO FAMILIAR X ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL Uma busca no passado, pelo direito à convivência familiar. Monografia apresentada ao curso de Especialização em Metodologia...

    22599  Palavras | 91  Páginas

  • Os direitos de Crianças e do Adolescente: Cuidados Alternativos

    direitos de Crianças e do Adolescente: Cuidados Alternativos Thuanny Mineira de Sousa Vitalino1 (FMF) thuanny_vitalino@hotmail.com Simone Moura Costa2 (FMF) simonecostamoura@yahoo.com.br Resumo Este artigo,apresenta uma breve pesquisa bibliográfica, sobre os direitos da criança e do adolescente, a violação dos seus direitos e os tipos de acolhimentos, que são institucional e comunitário, assim como os abrigos, sendo que estes são medidas de proteção social previstas pelo Estatuto da criança e do adolescente...

    3310  Palavras | 14  Páginas

  • INSTITUCIONALIZAÇÃO E REINTEGRAÇÃO FAMILIAR DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

    INSTITUCIONALIZAÇÃO E REINTEGRAÇÃO FAMILIAR DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Thais Barboza CALEZULATO1 Marcia Heloisa de OLIVEIRA2 RESUMO: No presente artigo será exposto a reintegração familiar de crianças e adolescentes institucionalizadas, sendo colocadas maneiras socialmente adequadas de preparação ao retorno a sua convivência familiar. Expõe aspectos abrangentes do desenvolvimento humano, que caracterizam a família e o abrigo, expondo a vulnerabilidade social da qual existem ameaças a integridade...

    3865  Palavras | 16  Páginas

  • Análise institucional

    ULBRA ANÁLISE INSTITUCIONAL Trabalho Acadêmico da disciplina de Estágio em Serviço Social I Professor(a) Orientador(a): Dr. Jairo Oliveira e Akemi Rebeschini Aluno(a): Dione do Socorro Rodrigues Gaia Costa Belo Horizonte-MG 2011 Breve Histórico da Instituição A associação “Projeto Vida” é uma organização beneficente, sem fins lucrativos, que destina acolher crianças e adolescentes de 0 a 12 anos com medida de proteção prevista pelo Estatuto da criança e do Adolescente (ECA), artigo...

    898  Palavras | 4  Páginas

  • Estatuto criança e adolescente

    SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 3 2 DESENVOLVIMENTO 4 3 CONCLUSÃO 7 4 REFERÊNCIAS 8 1 INTRODUÇÃO De acordo com o ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE regulamenta que os adolescente entre 12 e 18 anos de idade são passíveis de cometer ato infracional, compreendido também como transgressão das normas estabelecidas, não podendo caracterizar enquanto crime. Os adolescentes estão sujeitos as consequências dos seus atos infracionais cabendo aplicação de medidas sócio–educativas, cujo objetivo é a tentativa...

    1560  Palavras | 7  Páginas

  • Conanda acolhimento

    Conselho acional de Assistência Social ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA OS SERVIÇOS DE ACOLHIMENTO PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES Brasília, fevereiro de 2008 APRESENTAÇÃO O presente documento tem como finalidade subsidiar a regulamentação, pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA e pelo Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS, dos serviços de acolhimento para crianças e adolescentes. Sua formulação levou em consideração diversas discussões sobre essa temática...

    21389  Palavras | 86  Páginas

  • Adoção de crianças negras na casa da criança batuíra

    de Pesquisa Adoção de crianças negras na Casa da Criança Batuíra Autora: Renata Leal Orientadora: Profª. Drª. Ozanira Brasília - DF 2011 Pró-Reitoria de Graduação Curso de Serviço Social Projeto Brasília - DF 2011 Taguatinga, junho de 2011 Taguatinga, junho de 2011 Renata Leal de Andrade Adoção de crianças negras na Casa da Criança Batuíra Relatório de...

    1802  Palavras | 8  Páginas

  • Cartilha serviços de acolhimento

    DIREITOS HUMANOS O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE SERVIÇOS DE ACOLHIMENTO Sergipe 2012 BIBLOGRAFIA BRASIL, Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária. Disponível em: ____________, Estatuto da Criança e do Adolescente, Brasília 1993. Disponível em: ___________, Orientações Técnicas para os Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes, Brasília, Fevereiro de 2008: Disponível em: ___________,História...

    6528  Palavras | 27  Páginas

  • DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

    AULA 01: Introdução ao Estatuto da criança e adolescente (ECA) Como se vê, a disciplina “Direito da Criança e do Adolescente” é bastante ampla. Devido à sua relevância, este direito foi incluído, em caráter obrigatório, no currículo do ensino fundamental, pela lei 9.394/96, que acrescentou o parágrafo 5º ao artigo 32 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Ao longo da história, é possível observar que crianças e adolescentes não possuíam direitos, pois os pais eram detentores de poderes absolutos...

    8143  Palavras | 33  Páginas

  • EStatuto da criança e do adolescente

    mundo. Se isso é verdade para adolescentes que moram com suas famílias imagine aqueles que moram em abrigos.  Para estes, existe um desafio especial: a obrigatoriedade de se desligarem da instituição ao completar 18 anos. É que o “abrigo” ou “acolhimento institucional”, como passou a ser chamada no ano passado, é uma medida protetiva prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente e que não deve valer para os maiores de 18. Assim, é muito importante que esses adolescentes tenham autonomia e independência...

    506  Palavras | 3  Páginas

  • Familia acolhedora: uma alternativa de proteção para crianças e adolescentes um enfrentamento do serviço social

    CEP 77.700-000 - Fone/Fax: (63) 3464-1289 | Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão – COPPEX Curso de Pós-graduação em Gestão de Projetos Sociais e Captação de Recursos FAMILIA ACOLHEDORA: UMA ALTERNATIVA DE PROTEÇÃO PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES UM ENFRENTAMENTO DO SERVIÇO SOCIAL Deborah Corina Noleto Padilha Estevam Luciana Rodrigues Machado Castro Maria do Carmo Leite Gomes Luiz Gustavo Santana, Esp. Guaraí/TO 2011 | FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DE...

    4439  Palavras | 18  Páginas

  • O ACOLHIMENTO FAMILIAR COMO MODALIDADE DE GARANTIA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

    CENTRO SOCIOECONÔMICO DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL ALIENE BARZOTTI KOHLRAUSCH O ACOLHIMENTO FAMILIAR COMO MODALIDADE DE GARANTIA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA FLORIANÓPOLIS 2012 ALIENE BARZOTTI KOHLRAUSCH O ACOLHIMENTO FAMILIAR COMO MODALIDADE DE GARANTIA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Serviço Social...

    26098  Palavras | 105  Páginas

  • Estatuto da criança e do adolescente

    ECA 19/02 1. Evolução no tratamento jurídico conferido à criança e ao adolescente Quatro fases marcaram o tratamento jurídico à criança e ao adolescente: 1ª: fase de absoluto desprezo ou indiferença = sem normas relacionadas à criança e ao adolescente. 2ª: fase de imputação criminal = através do código de menores, a lei visava principalmente a punição pela prática de algum ilícito penal 3ª: fase tutelar, ou seja, de integração do menor em um ambiente sócio familiar, mas visando, principalmente...

    4121  Palavras | 17  Páginas

  • Políticas Públicas para Crianças e Adolescentes: Abrigo, Espaços e Papéis.

    Públicas para Crianças e Adolescentes: Abrigo, Espaços e Papéis. Aluna: Júlia Pio Serpa de Medeiros Niterói, 2014. Referências Bibliográficas: Carinhanha, Joana Iabrudi, & Penna, Lucia Helena Garcia. (2012). Violência vivenciada pelas adolescentes acolhidas em instituição de abrigamento. Texto & Contexto - Enfermagem, 21(1), 68-76. Moré, Carmen Leontina Ojeda Ocampo, & Sperancetta, Andressa. (2010). Práticas de pais sociais em instituições de acolhimento de crianças e adolescentes...

    1602  Palavras | 7  Páginas

  • Acolhimento Institucional

    ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: O desenvolvimento da proteção social na rede de alta complexidade e as estratégias de atendimento. Por: Elaine Antunes Passos Resumo: O atendimento a crianças e adolescentes em situação de risco social sob a metodologia interdisciplinar representa um diferencial na estratégia de condução da proteção social na rede de alta complexidade no Município de Macaé, interior do Estado do Rio de Janeiro, onde vem sendo implementado desde 2010. O texto...

    4518  Palavras | 19  Páginas

  • Diagnóstico Institucional

    UNIDERP- UNIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL ACADEMICA: DIAGNÓSTICO INSTITUCIONAL CIDADE I – IDENTIFICAÇÃO DO CAMPO Nome da Organização: Endereço completo: Telefone: E-mail: II- IDENFIFICAÇÃO DO SUPERVISOR DE CAMPO Nome do Supervisor: Endereço: Fone para contato E-mail: ...

    836  Palavras | 4  Páginas

  • ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

    conhecer de pedidos de guarda e tutela; (http://pt.slideshare.net) 2. O Estatuto da Criança e do Adolescente superou a doutrina da situação irregular ao se basear em outro principio. Qual principio é este? Explique-o. Quando se trata das crianças e dos adolescentes o nosso sistema jurídico pode ser analisado em duas fases distintas: a primeira que denominamos de situação irregular, no qual a criança e adolescente só eram percebidos quando estavam em situação irregular, ou seja, não estavam inseridos...

    1891  Palavras | 8  Páginas

  • As possibilidads de intervenção do assistente social no atendimento à criança e adolescente

    assistência e acolhimento à criança e ao adolescente. Como é planejada a ação de atendimento em relação a cada usuário da referida Casa de Proteção, as limitações para exercício da profissão nesta instituição e através dos dados colhidos, identificar o projeto mais viável a ser executado na mesma com eficácia, para garantir os direitos das crianças e adolescentes nessa área de atuação do profissional de Assistência Social. 2 A ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL NO ATENDIMENTO A CRIANÇAS E ADOLESCENTES No ano...

    884  Palavras | 4  Páginas

  • Estatuto da Criança e do Adolescente

    conferido às crianças e adolescentes: Artigos da CF relacionados ao ECA Princípios que regem o ECA: Definição da criança e adolescente: Diferença no tratamento conferido às crianças e adolescentes; Família substituta Ato infracional Autorização para viajar 17/02/14 ORIGEM DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS: Origem dos Direitos Fundamentais - Art. 3º e 5º do ECA: Os Direitos Fundamentais garantidos pela CF/88 a qualquer cidadão, também são garantidos à criança e ao adolescente através do art...

    2559  Palavras | 11  Páginas

  • Acolhimento familiar

    ACOLHIMENTO FAMILIAR: CARACTERIZAÇÃO DE UM PROGRAMA Resumo O acolhimento e cuidado das crianças e adolescentes que vivenciavam situações de abandono ou orfandade tornaram-seuma questão pública, preocupante para a sociedade civil brasileira a partir do século XIX, por ocasião do incremento dos mecanismos de acolhimento já existentes, como os asilos, ou orfanatos para menores em situação de vulnerabilidade social e da chamada “roda dos expostos”, instituições implantadas nas Santas...

    921  Palavras | 4  Páginas

  • Política municipal em defesa da criança e adolescente no município de londrina

    ..................................... 4 3 CONCLUSÃO 7 REFERÊNCIAS 8 INTRODUÇÃO O trabalho visa fazer uma analise da Politica Municipal de Assistência de Londrina atualizada em 2010 com os direitos da Politica da Criança e Adolescente no Município de Londrina. A Política Municipal de Assistência Social em Londrina tem sido desenvolvida de modo a assegurar os preceitos constitucionais e legais que regem esta política pública nacionalmente e, ainda, ampliar o...

    1389  Palavras | 6  Páginas

  • Estatuto da criança e adolescente

    praticada pelo adolescente. - A conduta típica praticada por menor de 12 anos é chamada de indiferente penal. - Art. 103, ECA: Considera-se ato infracional a conduta descrita como crime ou contravenção penal. - Art. 228, CF: São penalmente inimputáveis os menores de dezoito anos, sujeitos às normas da legislação especial. Sujeito Ativo - Adolescente: pessoa de 12 até 18 anos. - Se a pessoa cometer o fato no dia do seu 18º aniversário, já é considerada adulta, não sendo mais adolescente. - Recebe...

    10613  Palavras | 43  Páginas

  • direito crianca e adolescente

    violadora das normas que definem os crimes quando praticados por criança ou adolescente.    Princípio da Legalidade: ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;   Ato Infracional: típico, antijurídico e culpável.    Obs: Adota-se um princípio de tipicidade remetida (ao direito penal comum);   Não pode o adolescente ser punido onde não o seria o adulto. A criança e o adolescente podem vir a cometerem crime, mas não preenchem o requisito da culpabilidade...

    2850  Palavras | 12  Páginas

  • AS CAUSAS QUE LEVAM A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, NA CASA ABRIGO ROGACIONISTA, NO BAIRRO DA ÁGUA BRANCA SÃO PAULO

    NOVE DE JULHO - UNINOVE AS CAUSAS QUE LEVAM A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, NA CASA ABRIGO ROGACIONISTA, NO BAIRRO DA ÁGUA BRANCA SÃO PAULO ELAINE APARECIDA DA SILVA SANTOS SÃO PAULO 2013 ELAINE APARECIDA DA SILVA SANTOS AS CAUSAS QUE LEVAM A ISTITUCIONALIZAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, NA CASA ABRIGO ROGACIONISTA, NO BAIRRO DA ÁGUA BRANCA SÃO PAULO. Trabalho de...

    25666  Palavras | 103  Páginas

  • Crianças e adolescentes institucionalizadas: um relato de experiência

    CRIANÇAS E ADOLESCENTES INSTITUCIONALIZADAS: Um relato de experiência RESUMO O presente trabalho tem por objetivo discorrer sobre as políticas de proteção às crianças e aos adolescentes na realidade de Instituição de Acolhimento. Tendo em vista a importância dos componentes que as envolvem assim como a de aluna/o estagiária/o. Para tanto, entender a realidade das Instituições de Acolhimento, só se é possível, através do entendimento de seu contexto histórico, sua raízes. Na realidade atual...

    3012  Palavras | 13  Páginas

  • artigos 24 ao 52 do Estatuto da criança e adolescente

    disciplina Do Estatuto da Criança e do Adolescente, o qual foi elaborado a partir de leitura e interpretação do manual do MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ Centro de Apoio Operacional das Promotorias da Criança e do Adolescente, e ainda a pesquisa se fundou em trabalhos publicados na internet, a interpretação dos artigos ocorreu de forma singela e de entendimento próprio embora se utilizasse algumas citações. De acordo com a Lei 8.069/90, Estatuto da Criança e do Adolescente, a qual é regida pela...

    12059  Palavras | 49  Páginas

  • Acolhimento Familiar

    PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Janete Aparecida Giorgetti Valente O Acolhimento Familiar como Garantia do Direito à Convivência Familiar e Comunitária MESTRADO EM SERVIÇO SOCIAL SÃO PAULO 2008 1 Convivência Familiar e Comunitária MESTRADO EM SERVIÇO SOCIAL Dissertação apresentada à Banca Examinadora como exigência parcial para obtenção...

    58021  Palavras | 233  Páginas

  • Estatuto Da Crian A E Do Adolescente

    Estatuto da Criança e do Adolescente Estatuto da Criança e do Adolescente — ECA — é um conjunto de normas do ordenamento jurídico brasileiro que tem como objetivo a proteção integral da criança e doadolescente, aplicando medidas e expedindo encaminhamentos para o juiz. É o marco legal e regulatório dos direitos humanos de crianças e adolescentes. Origem O ECA foi instituído pela Lei 8.069 no dia 13 de julho de 1990.1 Ela regulamenta os direitos das crianças e dos adolescentes inspirada pelas diretrizes...

    1271  Palavras | 6  Páginas

  • Análise institucional

    TOCANTINS ANÁLISE INSTITUCIONAL GURUPI-TO SETEMBRO - 2012 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS ESTAGIÁRIAS 1. NOME: Carla Fernanda Quaresma Mota LOGIN: 47701 2. NOME: Constância Ribeiro de Freitas Pereira LOGIN: 37365 3. NOME: Denise de Sousa Reis Zanellati LOGIN: 149394 ANÁLISE INSTITUCIONAL GURUPI-TO SETEMBRO - 2012 Análise Institucional 1 – Dados de identificação 1.1 – Nome da Instituição Casa de Passagem Criança Cidadã 1.2 – Endereço:...

    3114  Palavras | 13  Páginas

  • A proteção à criança e ao adolescente: as políticas de proteção integral

    NICOLE FURTADO DUARTE A proteção à Criança e ao Adolescente: As políticas de proteção integral à criança e ao adolescente com base na Lei nº 8.069/90 com fundamento no artigo 227 da Constituição Federal. Bacharelado em Direito FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SÃO BERNARDO DO CAMPO 2013 NICOLE FURTADO DUARTE A proteção à Criança e ao Adolescente: As políticas de proteção integral à criança e ao adolescente com base na Lei nº 8.069/90 com fundamento no artigo 227...

    16786  Palavras | 68  Páginas

tracking img