• Escola keynesiana
    fabricados na quantidade apropriada e nos menores preços possíveis. 1.2 – A QUEDA DO LIBERALISMO Segundo Eric Hobsbawm, “os sobreviventes do século XIX ficaram talvez mais chocados com o colapso dos valores e instituições da civilização liberal cujo progresso seu século tivera como certo, pelo menos nas...
    3153 Palavras 13 Páginas
  • Liberalismo e revoluções
    “reduzido a uma filosofia política, ele sem dúvida não teria mobilizado grandes batalhões; confundido com a defesa pura e simples de interesses, ele não teria suscitado adesões desinteressadas, que foram até o sacrifício supremo.”7 - Revoluções Pós-1815 Segundo Eric Hobsbawm, após a derrota final de...
    2582 Palavras 11 Páginas
  • 1875 – 1914: As transformações políticas e econômicas na Europa no livro “A Era dos Impérios” de Eric Hobsbawm.
    1 1875 – 1914: As transformações políticas e econômicas na Europa no livro “A Era dos Impérios” de Eric Hobsbawm.1 Bruno Mendes de Jesus2 Elizi Nete Rodrigues dos Santos3 Oneide Belém Ribeiro4 Ao analisar o livro a “Era dos Impérios” de Eric Hobsbawm, percebemos que ele é marcado pela...
    3739 Palavras 15 Páginas
  • HOBSBAWN, Eric J. A era dos impérios: 1875-1914. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. Capítulo 2.
    HOBSBAWN, Eric J. A era dos impérios: 1875-1914. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. Capítulo 2. Universidade Federal do Tocantins Curso de História História Contemporânea II Bruno Mendes de Jesus No capítulo 2 de “A era dos impérios”, Eric J. Hobsbawm vai destacar o cenário econômico...
    1503 Palavras 7 Páginas
  • Liberalismo, Democracia e Socialismo no Séc. XIX
    das “três ondas revolucionárias” de Eric Hobsbawm, e, historicizando o conceito multifacetado de liberalismo inferimos que, como vertente política e ideológica, ao decorrer do século XIX, o liberalismo tinha intenções revolucionárias, e de certa maneira foi revolucionário. Tendo em vista que...
    5830 Palavras 24 Páginas
  • historia
    , mesmo assim, um valete ou uma rainha”. Se descreve bem a queda do liberalismo, “entre as duas grandes guerras”, Hobsbawm deixa de perceber a “sua recuperação, sem mencionar a força de sua mutação”. “O neoliberalismo, cuja disseminação por todos os continentes nas últimas décadas fez dele talvez a...
    838 Palavras 4 Páginas
  • Nacionalismo - parte iii - hobsbawm
    , a partir de 1830 surge o nacionalismo e com ele as revoluções que ocilaram entre internacional e nacional, sendo que as revoluções não eram das massas. Referencias: Livro: A Era das Revoluções – Eric Hobsbawm http://pt.wikipedia.org/wiki/Restaura%C3%A7%C3%A3o_(Europa) http://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_Alian%C3%A7a http://viciadosnahistoria.wordpress.com/2012/05/16/eric-hobsbawn-as-revolucoes/...
    973 Palavras 4 Páginas
  • "Consolidação da Revolução Industrial, transformações socioeconômicas e a Crise de 1873-1896"
    Monopolista Capitalismo Monopolista Consolidação da Revolução Industrial, transformações socioeconômicas e a Crise de 1873-1896 2º subperíodo: grandes rivalidades entre os países Crise de 1873-1896: Encerramento da era do liberalismo econômico Eric Hobsbawm. “Cap. 2 – A Revolução...
    3881 Palavras 16 Páginas
  • Era dos extremos cap 3 e 4
    internacional, ”historiador amador”nas horas vagas,ser crítico e cidadão,recomendo a todos que leiam “Uma breve História do Século XX” ao menos uma vez. Não sabemos o que fazer para enfrentar o futuro, mas podemos aprender a não repetir o passado. A queda do Liberalismo-Eric J. Hobsbawm Hobsbawm vai...
    2010 Palavras 9 Páginas
  • CIDADANIA NO BRASIL
    compreender o que se passou naqueles dias sombrios da economia americana, repetidos no tempo quase 8 décadas depois. A Era dos Extremos, publicado pela primeira vez em 1994, pelo renomado historiador egípcio Eric John Ernest Hobsbawm (09/06/1917-01/10/2012) que explica a virulência da crise econômica de...
    3120 Palavras 13 Páginas
  • Século w
    QUESTÕES: 1. Segundo a visão de Eric Hobsbawm, a história do século XX pode ser analisada a partir de três momentos específicos. Identifique e caracterize cada um desses períodos. Segundo Hobsbawm, o século XX tem três fases bastante nítidas que são a Era da Catástrofe, A Era de Ouro e O...
    1284 Palavras 6 Páginas
  • 1º guerra mundial
    que o Estado era o único responsável pela guerra e todas as suas consequências (...)” HOBSBAWM, Eric J., Era dos extremos: o breve século XX: 1914 – 1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. a) Aponte qual foi o principal tratado assinado após a Primeira Guerra Mundial...
    1947 Palavras 8 Páginas
  • 1848
    despertar das nacionalidades — poloneses, dinamarqueses, alemães, italianos, tchecos, húngaros, croatas e romenos —, que exigiram dos impérios a concessão de suas autonomias. Segundo o historiador Eric Hobsbawm, a Primavera dos Povos foi a primeira revolução potencialmente global, tornando-se um...
    1401 Palavras 6 Páginas
  • Revolução Francesa - Hobsbawm
     HOBSBAWM, Eric J. A revolução Francesa. In.: A Era das Revoluções: 1789-1848. São Paulo: Paz e Terra, 2008. O período estudado por Hobsbawm, em que o autor o definiu como a Era das Revoluções, constituiu a maior transformação da história humana. A grande revolução de 1789-1848 foi o...
    890 Palavras 4 Páginas
  • O novo século
    Resenha do livro " O Novo Século" Por Lionel Messi - Ciência Política - Com a publicação de "A Era dos Extremos" (Cia. das Letras), Eric Hobsbawm parecia haver encerrado sua grande série histórica iniciada há mais de 30 anos. No primeiro volume, "A Era das Revoluções" (Paz e Terra), examinou...
    1052 Palavras 5 Páginas
  • Nações e nacionalismo
    Nações e Nacionalismo de Eric J. Hobsbawn The birth of the national ideal: Reflection of the Work of Nations and Nationalism Eric J. Hobsbawm Resumo: Reflexão da obra Nações e Nacionalismo de Eric J. Hobsbawn, enfatizando o nascimento do ideal nacional na civilização ocidental a...
    5889 Palavras 24 Páginas
  • A queda da bastilha
    uma forma de procurar justificar os autores escolhidos para a exposição do tema acima apresentado, sendo que Eric J. Hobsbawm oferece uma abordagem um tanto marxista e que preza muito as relações econômicas, enquanto Georges Lefebrve faz sua interpretação social da França da Revolução e fala de um...
    3263 Palavras 14 Páginas
  • A contemporaneidade e a mulher
    vividas no final do século XVIII foram o rastilho de uma sucessão de acontecimentos que mudaram a História da Europa e do Mundo de uma forma irrevogável. Como nos mostra Eric Hobsbawm ao longo dos trinta anos em que escreve a coletânea das quatro Eras (Revoluções, Capital, Império e Extremos), o mundo...
    7373 Palavras 30 Páginas
  • Economia brasileira
    conseqüências econômicas, políticas e sociais, a grande Depressão abalou convicções arraigadas em termos de política econômica. (...) o historiador Eric Hobsbawm afirmou: “A grande depressão destruiu o liberalismo econômico por meio século”².” “No Brasil, a Revolução de 1930 ocasionou a perda da hegemonia...
    1703 Palavras 7 Páginas
  • saber mais
    levou “à morte do campesinato”, conforme a previsão de Marx (cf. p. 285) e “quando o campo se esvazia, as cidades se enchem” (p. 288) e “quase tão dramático quanto o declínio e queda do campesinato, e muito mais universal, Revista de Educação HOBSBAWM, Eric. Era dos Extremos: o Breve Século...
    4462 Palavras 18 Páginas