A Lei De Speenhamland Da Inglaterra De 1795 artigos e trabalhos de pesquisa

  • Lei dos Pobres

    LEI DOS POBRES (POOR LAWS) Orientadora: Josilene Gomes de Souza Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes – 2013 LEI DOS POBRES INTRODUÇÃO No final do Reinado da Rainha Elizabeth, cria-se a Lei dos Pobres ou Poor Law, com objetivo de recriar uma nova “ordem” para combater o desvio moral, e criar um cenário voltado para o “atendimento filantrópico” pautando-se na tentativa de diminuição da pobreza e incentivo moral, ético e econômico da população. Esta lei tem inicio...

    2725  Palavras | 11  Páginas

  • Polany a gran transformacao

    Industrial do século XVIII, trouxe progresso no sentido dos instrumentos de produção, mas uma desarticulação terrível na vida das pessoas comuns. ³Tentaremos desenredar os fatores que determinam as formas dessa desarticulação que teve a sua pior fase na Inglaterra há cerca de um século.´ (p.51) Essa desarticulação, mostra que a ideologia liberal falhou terrivelmente, o que faz com que não seja ³preciso entrar em minúcias para compreender que um processo de mudança não-dirigida, cujo ritmo é considerado muito...

    4323  Palavras | 18  Páginas

  • Politica social

    começava a reivindicar de forma tímida os seus direitos. Segundo Behring e Boschetti (2010), algumas legislações com características assistenciais foram estabelecidas no decorrer dos anos como: O Estatuto dos Trabalhadores de 1349, Speenhamland Act de 1795, a Nova Lei dos Pobres de 1834, dentre outras,“seu caráter era punitivo e repressivo e não protetor” (PEREIRA apud, BEHRING E BOSCHETTI, 2010: 48). Os critérios para acesso eram fortemente restritivos e seletivos e poucos...

    801  Palavras | 4  Páginas

  • Resenha de a grande transformação - karl polanyi

    Karl Polanyi, em “A Grande Transformação”, nos mostra como um progresso econômico extremamente acelerado pode ter um custo social elevadíssimo. O alvo de sua análise é a Inglaterra do século XVIII, berço da Revolução Industrial. Tal evento, denominado “moinho satânico” pelo autor, desarticulou a tal ponto a sociedade que a população comum teve que conviver com as mais insalubres e precárias condições de vida, cada vez mais se degradando e desumanizando. Um exemplo era a grande quantidade de horas...

    926  Palavras | 4  Páginas

  • Resenha do Polanyi

    economia, muito pelo contrário, precisa ter o seu ritmo controlado pela ação política para que os danos causados em seu início sejam diminuídos. Para exemplificar essa afirmação, ele usa o caso do cercamento de terras que eram de posse comum, na Inglaterra dos Tudors, em meio ao processo de expansão do gado lanígero. Com a crescente demanda de artigos feitos de lã para a exportação, a classe nobre do país começou a literalmente se apropriar e cercar de terras que eram voltadas para agricultura para...

    4411  Palavras | 18  Páginas

  • Ascensão e queda da economia no mercado

    ECONOMIA DE MERCADO Introdução – O Moinho Satânico (Parte II) No auge da Revolução Industrial, na Inglaterra ocorreu um progresso inesperado nos instrumentos de produção, o qual se fez acompanhar de uma catastrófica desarticulação nas vidas dos cidadãos. Na segunda parte do livro, o autor tenta explicar os fatores que determinam as formas dessa desarticulação, que teve a sua pior fase na Inglaterra há cerca de um século, conhecimento como “moinho satânico”. HABITAT VERSUS PROGRESSO O liberalismo...

    2967  Palavras | 12  Páginas

  • Fichamento dos capítulos 03 ao 10 do livro “ a grande transformação: as origens da nossa época.” de karl polanyi.

    os acontecimentos sociais a partir de um ponto de vista econômico.”[p.52]. “Os cercamentos foram chamados, de uma forma adequada, de revolução dos ricos contra os pobres. Os senhores e os nobres estavam perturbando a ordem social, destruindo as leis e os costumes tradicionais, às vezes pela violência, às vezes por pressão e intimidação[...] Naquela ocasião os cercamentos se destinavam mais ao cultivo da terra do que às pastagens. A onda da Guerra Civil acabou por submergir definitivamente a política...

    5470  Palavras | 22  Páginas

  • políticas sociais

    origem com o conceito de Renda Mínima e que surgiu na Grã Bretanha em 1795 na forma de um abono salarial, no seio de uma sociedade capitalista em formação, onde o mercado de trabalho livre ainda era incipiente. A Lei Speenhamland [1] foi implantada na Grã Bretanha a partir dessas políticas sociais e determinou mudanças nas formas de proteção social que eram adotadas na Inglaterra desde 1536, até então (Lei dos Pobres) [2]. Essa lei reconhecia o direito de todos os homens receberem um mínimo social...

    3001  Palavras | 13  Páginas

  • serviço social

    Acompanhamento ao atendimento social ,atualização no CadÚnico (cadastro Único). e cartão do idoso. Reflexão, análise e fundamentação teórica Segundo Polanny, (2000) Na Inglaterra em 1795, pouco antes da revolução industrial, ocorreu o primeiro programa de transferência de renda a lei Speenhamland, que garantia um abono baseado no preço do pão em complemento aos baixos salários ou sua ausência. Cada vez mais os usuários tem procurado o centro de referência da assistência social...

    578  Palavras | 3  Páginas

  • a nação como novidade:da revolução ao liberalismo

    PAUL MANTOUX A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SÉCULO XVIII Estudo sobre os primórdios da grande indústria moderna na Inglaterra CAPÍTULO III A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E A CLASSE OPERÁRIA Esse capitulo do livro de Paul Mantoux trata questões não só relacionadas ao aparecimento do maquinismo nas fabricas, como também sobre o que estava do lado dela e em volta dela. Iniciando uma abordagem sobre a questão do pensamento do proletário em relação às maquinas, que as viam como serias concorrentes capazes...

    3922  Palavras | 16  Páginas

  • fichamento

    frequentemente citadas como lesgilações seminais são as leis inglesas que se desenvolveram no período que antecedeu a Revolução Industrial (Polanyi, 2000; Castel, 1998)”: (p.47-48) Estatuto dos Trabalhadores, de 1349. Estatuto dos Artesãos (Artífices), de 1563. Leis dos pobres elisabetanas, que se sucederam entre 1531 e 1601. Lei de Domicílio (Settlement Act), de 1662. Speenhamland Act, de 1795. Lei Revisora das Leis dos Pobres, ou Nova Lei dos Pobres(Poor Law Amendment Act), de 1834. (p.48) ...

    3158  Palavras | 13  Páginas

  • Introdução ao direito

    informações necessárias e respostas a dúvidas que surgem no cotidiano, tanto ao público em geral, quanto aos profissionais de RH e afins. Esperamos contribuir também com os profissionais que militam na área trabalhista, acompanhando a edição de novas Leis, mediante respectivas e pertinentes análises e comentários, bem como o desenvolvimento de temas atuais, de maneira a proporcionar contato com as tendências e transformações da legislação trabalhista, oferecendo alternativa compatível à exigüidade de...

    1673  Palavras | 7  Páginas

  • TODAS_QUESTOES_09_09_2015

    opinião de Pereira (2008), as chamadas “Lei dos pobres” decorreram da constatação de que a caridade cristã não dava conta dos desafios advindos da substituição da ordem feudal para a capitalista. Explique a relação feita pela autora. Segundo a autora a caridade não poderia conter as possíveis desordens desse período de transição seguido de generalizada miséria, desabrigo e epidemias. A escassez de trabalhadores poderia implicar aumento de salários, por isso a leis surgem como forma de controle social...

    6628  Palavras | 27  Páginas

  • O MOVIMENTO OPERÁRIO NOS TEMPOS DO MANIFESTO COMUNISTA

    consigo os primórdios da organização. Em 1724, os operários chapeleiros de Paris declararam greve por causa da redução injustificada de seus salários. Criaram, para financiar essa ação, um "caixa de greve". Os primórdios do movimento operário, na Inglaterra, por sua vez, vincularam-se ao movimento democrático radical, por direitos políticos iguais para todos. Filho de um rico comerciante, John Wilkes começou sua carreira política atacando desde seu jornal, o North Briton, o Rei Jorge III, transformando-se...

    11918  Palavras | 48  Páginas

  • Revolução Industrial na Inglaterra

    Revolução foi um divisor de aguas na histórias mudando o estilo de vida cotidiano da época, a renda em média da população começaram a ter um crescimento sustentado sem precedentes históricos e formando uma nova classe social: O proletariado. Foi na Inglaterra foi o pais que se destacou nas mudanças, pois possuía grandes reservas de carvão mineral em um subsolo, ou seja, a principal fonte de energia para alimentar as máquinas e as locomotivas a vapor. Além da fonte de energia, os ingleses tinham grandes...

    1349  Palavras | 6  Páginas

  • administração

    la declinación de la economia de mercado. Pág 42- A) Econ. de Mercado Origem inglesa Livre comercio Padrão ouro Estas instituições A foram destruídas nos anos 20. Deve-se buscar os fatores de sua derrocada na Revolução Industrial da Inglaterra. Parte “A” O moinho satânico 2ª Parte: Ascema t declinación de la Econ. de mercado cercamento de áreas em VK P/ las ovelhas – lã! Homem pobre – Casa; Homem rico: crescimento econômico; Pág 46 mudanças: ritmo e direção – embora o último seja...

    3075  Palavras | 13  Páginas

  • A grande transformação(karl polany)

    demais instituições sociais, até se tornar uma esfera autônoma, “autoregulável”, que pretende dominar o resto da sociedade pela transformação do trabalho. da terra e do dinheiro em mercadoria. Polanyi baseia as suas conclusões em um estudo da Inglaterra na época da Revolução Industrial, contrastando-a com sociedades "primitioas" e "arcaicas li, em uma análise comparativa que enfatiza o caráter singular e destrutiuo da moderna economia de mercado. Integrando contribuições da História, da Antropologia...

    125834  Palavras | 504  Páginas

  • Trajetória do serviço social

    de responder aos seus interesses, uma vez que o capital se desenvolvia e criava demandas para a assistência social especializada. Contudo o movimento começou principalmente na Inglaterra, após o fim do feudalismo onde os pobres eram considerados ameaça direta à ordem social, um exemplo é a Lei dos Pobres criada na Inglaterra como um plano de assistência do Estado, mas que estava inteiramente à serviço da classe dominante. O capitalismo já na sua fase mercantil, no século XVI, começa a subordinar...

    4244  Palavras | 17  Páginas

  • Política Social

    a vender sua força de trabalho. Como exemplo para elucidar as consideradas protoformas sociais daquela época, na Inglaterra antes da Revolução Industrial, algumas leis que foram implementadas: Estatuto dos Trabalhadores (1349), Estatuto dos Artesãos Artífices (1563), Lei dos pobres elisabetanas (sucederam entre 1531 e 1601), Lei de Domicílio (1662), Speenhamland Act (1795) e a Nova Lei dos Pobres (1834) Para Behring e Boschetti, as políticas sociais funcionam como respostas às formas multifacetadas...

    2227  Palavras | 9  Páginas

  • Politicas públicas das artes

    a valer em todo o território nacional; Sistema tributário, ou seja, sistema de impostos regulares e obrigatórios para manter o governo e a administração pública; Idioma oficial: um mesmo idioma falado em todo território do estado, que transmitia as leis, ordens e tradições da nação , além de valorizar seus costumes e cultura. O estado moderno também é conhecido como estado absolutista,  porque o poder estava concentrado nas mãos de poucos (reis e ministros) que se aproveitavam das limitações dos...

    4614  Palavras | 19  Páginas

  • Polainy

    em 1944, foi meu então orientador de doutorado, Otávio Velho, cujo pioneirismo e ousadia intelectuais são bastante conhecidos. Sou muito grata a ele por ter me apresentado a um autor que “antropologiza” a economia, que contesta a visão de que as leis do mercado são “férreas” e, portanto, superiores a qualquer vontade de mudança. A primeira edição brasileira é de 1980. Depois de esgotada essa edição, o livro ficou fora das prateleiras por 20 anos. A segunda edição só saiu em 2000 pela mesma editora...

    6255  Palavras | 26  Páginas

  • RESUMO DO 2º E 3º CAPÍTULO DO LIVRO POLÍTICA SOCIAL: FUNDAMENTOS E HISTÓRIA

    surgem as Legislações Seminais, leis inglesas que estavam longe de ter caráter protetor, pois possuíam caráter punitivo e repressor. O princípio estruturador dessas leis era obrigar o exercício do trabalho a todos que apresentassem condições de trabalhar, e as ações assistenciais previstas tinha o propósito de manter esses trabalhadores servindo mais tempo ao capital, além de que o sustento da família deveria advim unicamente do que era ganho nas fabricas. Essas leis se restringiam somente para alguns...

    1939  Palavras | 8  Páginas

  • Surgimento da politica social

    filantrópicas e de caridade privada com legislações que antecederam a revolução industrial. PROTOFORMAS DA POLITICA SOCIAL •ESTATUTO DOS TRABA LHADORES,1349 •ESTATUTO DOS ARTESOES,1563 •LEI DOS POBRES ELISABETANAS,(1531 E 1601) •LEI DE DOMICILIO(1662) •SPEENHAMLAND ACT(1795) •LEI REVISORA DAS LEIS DOS POBRES OU NOVA LEI DOS POBRES(1834) OBJETIVOS COMUNS QUE ANTECEDERAM A REVOLUÇAO INDUSTRIAL •ESTABELECER O IMPERATIVO DO TRABALHO •OBRIGAR O PO BRE A ACEITAR QUALQUER TRABALHO •REGULAR A REMUNERAÇÃO...

    500  Palavras | 2  Páginas

  • voce

    em 1944, foi meu então orientador de doutorado, Otávio Velho, cujo pioneirismo e ousadia intelectuais são bastante conhecidos. Sou muito grata a ele por ter me apresentado a um autor que “antropologiza” a economia, que contesta a visão de que as leis do mercado são “férreas” e, portanto, superiores a qualquer vontade de mudança. A primeira edição brasileira é de 1980. Depois de esgotada essa edição, o livro ficou fora das prateleiras por 20 anos. A segunda edição só saiu em 2000 pela mesma editora...

    6255  Palavras | 26  Páginas

  • Que papel deve/deveria ter o estado frente aos desafios migratórios em nível global?

    mercado livre de trabalho. Soma-se a isso o “Act of Settlement” de 1662 que regulamentava a servidão paroquial e teve suas regras abrandadas em 1795, proporcionando, assim, a migração da força de trabalho (POLANYI, 2000). Mas, talvez a lei mais intrigante dessa época seja a “Speenhamland Law” ou “sistema de abono”, de 1795. Durante a vigência dessa lei, mesmo indivíduos empregados recebiam assistência se o salário fosse menor do que a renda familiar mínima estabelecida, com base em uma tabela...

    6376  Palavras | 26  Páginas

  • rev,Indus

    comunismo, que se achava agora ligado aos seus movimentos sociais - o espectro do Manifesto Comunista -, abriram caminho pelo continente. O próprio nome de revolução industrial reflete seu impacto relativamente tardio sobre a Europa. A coisa existia na Inglaterra antes do termo. Os socialistas ingleses e franceses - eles próprios um grupo sem antecessores - só o inventaram por volta da década de 1820, provavelmente por analogia com a revolução política na França. Ainda assim, seria de bom alvitre considerá-la...

    3824  Palavras | 16  Páginas

  • Fichamento de Politica Social I

    políticas sociais. As mais citadas como legislações seminais são as leis inglesas que se desenvolveram no período que antecedeu a Revolução Industrial (Polanyi, 2000; Castel, 1998): Estatuto dos Trabalhadores, de 1349; Estatuto dos Artesãos (Artífices) de 1563; Leis dos pobres elisabetanas, que sucederam entre 1531 e 1601; Lei de Domicílio (Settlement Act), de 1662; Speenhamland Act, de 1795; Lei Revisora das Leis dos Pobres, ou Nova Lei dos Pobres (Poor Law Amendment Act), de 1834.” (p. 47-48) “Essas...

    854  Palavras | 4  Páginas

  • Fichamento

    e frequentemente citadas como seminais são as leis inglesas que se desenvolveram no período que antecedeu a Revolução Industrial (Polanyi,2000;Castel,1998): * Estatuto dos trabalhadores, de 1349 . * Estatuto dos Artesãos (Artífices), de 1563. * Lei dos pobres elisabetanas, que se sucedaram entre 1531 e 1601. * Lei de Domicílio (Settlement Act), de 1662. * Speenhamland Act, de 1795. * Lei Revisora das leis dos pobres, ou Nova lei dos pobres (Poor Law Amenment Act), de 1834. ...

    2291  Palavras | 10  Páginas

  • Inglaterra: origens, welfare state e politica social

    INGLATERRA: ORIGENS, WELFARE STATE E POLÍTICA SOCIAL. Amanda Cardoso da Silva* Danusa Arielly Cunha e Sousa* Dinara Maria Soares de Sousa* Érica Mourato Gomes* Érica Suenne Leite Alcântara* Roberta Silva Lira* RESUMO O presente trabalho é a busca de uma analise mais aprofundada de como se deu o processo de emergência e desenvolvimento do Welfare State na Inglaterra, além de situar geográfica e historicamente o país e caracterizar o sistema de proteção social de acordo com...

    3494  Palavras | 14  Páginas

  • Trabalho economia

    outubro de 1886, foi publicado em 1994. Em seu ano de lançamento não obteve tanta repercussão, porém a partir do século XX se tornou um dos livros mais importantes e clássicos sobre o capitalismo. O livro relata o surgimento do mercado livre na Inglaterra no século XX e a forma com que a economia se desencaixou do resto da vida social e política. Polanyi apresenta uma tese onde critica o capitalismo industrial inglês construído no século XIX, e faz uma analise das consequências desumanas do sistema...

    4496  Palavras | 18  Páginas

  • trajetória da política social

    Trajetória da política social: das velhas leis dos pobres ao Welfare State Quando o Welfare State se firmou, em meados do século XX, como instituição responsável pelo atendimento das necessidades da sociedade, que haviam se agravado pelo desenvolvimento capitalista, então a política social institucionalizou-se civicamente. Duas forças conjuntas em expansão, desde a segunda metade do século XVIII : a Revolução Industrial e as mobilizações sociais, deram impulso a política social. Havendo...

    1590  Palavras | 7  Páginas

  • RESUMO CRÍTICO SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS,POLÍTICAS SOCIAIS E POLÍTICAS DE SAÚDE:

    *LEIS DOS POBRES ELISABETANAS,QUE SE SUCEDERAM ENTRE 1531 E 1601. *LEI DE DOMICÍLIO (SETTLEMENT ACT),DE 1662. *SPEENHAMLAND ACT,DE 1795. *LEI REVISORA DAS LEIS DOS POBRES,OU NOVA LEI DOS POBRES (POOR LAW AMENDMEN ACT),DE 1834. ESTAS LEGISLAÇÕES ESTABELECIAM UM “CÓDIGO COERCETIVO DO TRABALHO”,E SEU CARÁTER ERA PUNITÍVO E REPRESSIVO E NÃO PROTETOR. AS LEGISLAÇÕES PROMULUGADAS ATÉ 1795,A LEI DE DOMÍCILIO DE 1662 E A SPEENHAMLAND ACT DE 1795.TINHAM...

    2178  Palavras | 9  Páginas

  • Questão social, políticas sociais e a profissionalização do serviço social

    protoformas de políticas sociais. Principais legislações assistenciais no período pré-capitalista no periodo que antecedeu a Revolução Industrial na Inglaterra • Estatuto dos trabalhadores, 1349; • Estatuto dos artesãos, 1563; • Lei dos pobres elisabetanas, entre 1531 e 1601; • Lei de domicílio, 1662; • Speenhamland act, 1795; • Lei revisora das Leis dos pobres, 1834. O principal advento da sociedade do mercado foi a “descoberta” do trabalho livre como produtor de valor troca, como mercadoria...

    3460  Palavras | 14  Páginas

  • Açao Social junto à Criança, Adolescente e Terceira Idade

     A Lei Revisora da Lei dos Pobres, de 1834 pressupunha uma compreensão de que o socorro oferecido aos pobres: Resposta Selecionada: c.  deveria ser retribuído com o trabalho Respostas: a.  era um direito dos mais pobres b.  era um dever do Estado c.  deveria ser retribuído com o trabalho d.  era uma incumbência que caberia apenas aos mais ricos e.  era uma responsabilidade da Igreja Feedback da resposta: Está correta a afirmativa c posto que no período em questão entendia-se que o socorro...

    1461  Palavras | 6  Páginas

  • Resenha sobre os capítulos 3, 4, 5, 6 e 7 do livro “A grande Transformação: as origens da nossa época” de Karl Polanyi [1944]

    “submersa” nas relações sociais do homem, e não nos seus interesses pessoais. Então, questionase: o que assegurava, portanto, a ordem na produção e distribuição de bens? Segundo o autor os princípios da reciprocidade e da redistribuição, basicamente, “leis sociais” que regiam as populações, garantiam tal ordem. Eles tinham em comum a inexistência da ideia de lucro, assegurada pelos princípios de comportamento. Cita-se, ainda, um terceiro princípio de comportamento: o da domesticidade. Ele seria, nada ...

    617  Palavras | 3  Páginas

  • Brasil: revoltas anti-coloniais

    Turma Aluno SÃO LEOPOLDO 2012 Cap. 26 – Brasil: Revoltas Anti-Coloniais 1. Qual foi o primeiro país a instalar fabricas com máquinas a vapor? Foi a Inglaterra no final do século XVIII. 2. Explique porque a revolução industrial começou na Inglaterra? Porque a burguesia inglesa havia enriquecido um bocado e com tanto capital disponível podia investir nas fábricas que nasciam. 3. Qual o nome dado a fase em que a burguesia esteve...

    841  Palavras | 4  Páginas

  • Resenha Karl Polanyi

    são essenciais para a economia de mercado. O sétimo capítulo fala da lei de Speenhamland, que vigorou na Inglaterra na época mais ativa da Revolução Industrial. Ela dava benefícios como o abono salarial à população, porém não deu certo, pois impedia a formação de um mercado competitivo. Com a queda da lei concluiu-se que o abono salarial “só podia ser inerente falho”, já que trazia prejuízo a todos. A partir da Speenhamland, podemos estudar o surgimento da civilização do século XIX, com a extrema...

    542  Palavras | 3  Páginas

  • politicas Sociais

    surgem as Legislações Seminais, que possuíam um caráter punitivo e repressor. O papel dessas leis era obrigar o exercício do trabalho a todos que apresentassem condições de trabalhar, e as ações assistenciais que se dividiam entre pobres merecedores e não merecedores, estavam baseadas no dever moral e cristão de ajuda,ou seja não estava ligada a uma perspectiva de direitos. A lei de Speenhamland de 1795 tinha um caráter menos repressor se diferenciando das anteriores, colocava o pagamento de um...

    824  Palavras | 4  Páginas

  • FICHAMENTO PARA A DISCIPLINA DE SOCIOLOGIA - Trajetória da política social: das velhas leis dos pobres ao Welfare State

    FICHAMENTO PARA A DISCIPLINA DE SOCIOLOGIA - Trajetória da política social: das velhas leis dos pobres ao Welfare State INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA ALUNO: ALEX BERNARDO DE OLIVEIRA, TGP 2°/2014 “...A política social só ganhou densidade institucional e dimensão cívica quando Welfare state que, para muitos, começou a ser formada na Europa, no último terço do século XIX, se firmou em meados do século XX como a instituição diretamente responsável pelo atendimento de necessidades sociais agravadas...

    1574  Palavras | 7  Páginas

  • Trajetória da política social: das velhas leis dos pobres ao Wefare State

    Universidade Federal da Paraíba Trajetória da política social: das velhas leis dos pobres ao Wefare State No fim do século XIX, início do século XX, com o avento do capitalismo, o principal objetivo da classe burguesa era a acumulação de riquezas e por outro lado, a classe trabalhadora passou a ser ainda mais explorada.A política social ganhou mais vizibilidade por causa da luta da classe operária para a melhoria da sua condição de trabalho e de vida. Inaugurada nos anos de 1880, na Alemanha...

    1152  Palavras | 5  Páginas

  • rumo a construçaõ de uma moralidade

    dos Estados- nação na Europa ocidental do final do século XIX (Pierson,1991). As mais exaltadas e frequentemente citadas como legislações seminais são as leis inglesas que se desenvolveram no período que antecedeu a revolução industrial. Segundo Polanyi(2000) e Castel(1998), as legislações promulgadas até 1795 tinham como função principal manter a ordem de castas e impedir a livre circulação da força do trabalho que teria contribuído para retardar a constituição do livre mercado...

    870  Palavras | 4  Páginas

  • rev industrial

    Priestley, a máquina a vapor de Watt? Arthur Young, Viagens na Inglaterra e no País de Gales ' Desta vala imunda a maior corrente da indústria humana flui para fertilizar o mundo todo. Deste esgoto imundo jorra ouro puro. Aqui a humanidade atinge o seu mais completo desenvolvimento e sua maior brutalidade, aqui a civilização faz milagres e o homem civilizado torna-se quase um selvagem. Comecemos com a revolução industrial, isto é, com a Inglaterra. Este, à primeira vista, é um ponto de partida caprichoso...

    11448  Palavras | 46  Páginas

  • Da Revolução industrial ao movimento operario

    tardio sobre a Europa. A coisa existiu na Inglaterra antes do termo (os ingleses, e franceses, só o inventaram por volta da década de 1820). Na década de 1780, e pela primeira vez na história da humanidade, foram retirados os grilhões do poder produtivo das sociedades humanas, que daí em diante se tornaram capazes da multiplicação rápida, constante, e ilimitada, de homens, mercadorias e serviços. O debate em torno às causas deu destaque à sua gênese na Inglaterra. A Revolução Industrial britânica foi...

    25723  Palavras | 103  Páginas

  • Construção da Sociedade Moderna

    sociedade verdadeiramente humana deve ser um dia uma sociedade sem exploração e opressão, e esta possibilidade está dada já agora, na sociedade presente. É por isso que precisamos compreendê-la o mais satisfatoriamente possível. A luta de classes, como lei da história, deve favorecer a construção do futuro desejado, já contido no presente odioso e iníquo. A transformação de uma forma a outra, de um modo de produção a outro, se dá pelos conflitos abertos por causa da luta entre a classe dominada e a...

    5949  Palavras | 24  Páginas

  • Historia 8º - a revolução industrial

    entre cerca de 1730 e 1850, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção, alastrando no decurso do século XIX ao continente europeu, América do Norte e Japão. Na Idade Média a actividade produtiva era artesanal e manual, no máximo com o emprego de algumas máquinas simples., mas depois da revolução tudo mudou, com a evolução em termos de regime de produção as sociedades agrícolas, tornaram-se sociedades industriais. O pioneirismo Inglês Foi a Inglaterra o país que saiu na frente no...

    656  Palavras | 3  Páginas

  • Processo de Intenção de Ruptura

    às leis inglesas que foram: Estatutos dos artesões; Lei dos pobres; Lei de domicilio; Lei revisora da lei dos pobres. O objetivo dessas leis era obrigar o exercício do trabalho a todos e induzir o trabalhador a se manter por meio do seu trabalho, tendo auxílios mínimos como alimentação, apenas aos selecionados através de uma atividade que eram obrigados a realizar para justificar a assistência recebida. Os trabalhadores considerados pobres merecedores recebiam o auxílio. Em 1795 com a lei Speenhamland...

    2888  Palavras | 12  Páginas

  • capitalismo

    do capitalismo. Em 1795 era instituída a lei de Speenhamland, onde ela estabelecia o pagamento de um abono financeiro de valor irrisório, para complementar o salário, dando garantias assistenciais para trabalhadores que recebiam salários abaixo do estipulado e para desempregados, mas em contra partida exigia a fixação do trabalhador sem deixar que ele saísse a procura de um novo emprego em outro lugar, era proibida a mobilidade geográfica de mão de obra. Com isso, essa lei garantia as necessidades...

    1477  Palavras | 6  Páginas

  • Revolução industrial inglesa

    Revolução industrial inglesa Nome: Vinicius Dante Poleti nº: 37 série: 2ºD Introdução A Revolução Industrial teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção. Enquanto na Idade Média o artesanato era a forma de produzir mais utilizada, na Idade Moderna tudo mudou. A burguesia industrial, ávida por maiores lucros, menores custos e produção acelerada, buscou alternativas para melhorar a produção de mercadorias. Também podemos...

    887  Palavras | 4  Páginas

  • Linha do tempo sobre a Política Social

    desenvolvimento destas, principalmente após a tomada da responsabilidade social pelo Estado e a aproximação desta com o conceito de cidadania abarca a garantia de direitos civis, políticos e sociais a toda população. Num percurso histórico que aborda desde as Leis dos Pobres às políticas de cunho neoliberal e as tendências contemporâneas, o presente texto, resume numa perspectiva crítica, a linha do tempo das políticas sociais no mundo ocidental. As regulamentações que antecederam o período industrial tinham...

    2669  Palavras | 11  Páginas

  • A GRANDE TRANSFORMAÇÃO (Karl Polanyi) resumo

    instrumentos de produção) na vida das pessoas comuns. Inicia se propondo a desenredar quais os fatores do que determinaram tal desarticulação catástrofe. [...Que “moinho satânico” foi esse que triturou os homens, transformando-os em massa?] (pg 51). A Inglaterra, através dos “senhores”, quando promoveu os cercamentos, causaram devastações e ameaça de despovoamento. [A terra cercada valia duas a três vezes a não cercada, nos lugares onde se continuou a cultivar a terra, não diminuiu o emprego e o suprimento...

    1429  Palavras | 6  Páginas

  • a revolução industrial inglesa

    inglesa (séculos XVII e XIX) A Revolução Industrial Inglesa teve início em consequência de uma série de fatores econômicos, sociais e políticos que ocorreram no pais, na segunda metade do século XVIII. Causas da Revolução Industrial Inglesa A Inglaterra era um país unificado com uma situação política relativamente estável, livre de tarifas alfandegárias e com sistema de seguro e infra estrutura bancária bem estabelecidos. No século XVIII tornou-se uma potência econômica internacional dominante...

    897  Palavras | 4  Páginas

  • Introdução ao direito do trabalho

    informações necessárias e respostas a dúvidas que surgem no cotidiano, tanto ao público em geral, quanto aos profissionais de RH e afins. Esperamos contribuir também com os profissionais que militam na área trabalhista, acompanhando a edição de novas Leis, mediante respectivas e pertinentes análises e comentários, bem como o desenvolvimento de temas atuais, de maneira a proporcionar contato com as tendências e transformações da legislação trabalhista, oferecendo alternativa compatível à exigüidade de...

    8834  Palavras | 36  Páginas

  • A CONSTRUÇAO HISTORICA DA PARTICIPAÇAO POLITICA NO BRASIL

    Marshall. De acordo com o autor, os direitos civis são caracterizados como aqueles que dizem respeito a “liberdades individuais, liberdade de opinião, pensamento, culto, direito à propriedade e ao acesso à justiça, o direito à igualdade perante a lei e a realizar contratos”. Já os direitos políticos são aqueles que permitem “participar do processo político, votar e ser votado e filiar-se a organizações partidárias”. Já em relação aos direitos sociais, o autor afirma que: “ao longo do século...

    2221  Palavras | 9  Páginas

  • A Grande Transformação

    s poder ser compreendida, para ele, quando se esclarecer como a idia desse sistema surgiu e foi posta em prtica. Para isso, remete-se ao que considera o bero desta instituio, qual seja, a Inglaterra do sc. XVIII. 2. Sociedade e Mercado na Inglaterra O complexo de transformao ocorridas no sc. XVIII na Inglaterra provocou, segundo o autor, uma catastrfica desarticulao na vida social inglesa, s comparvel provocada pelo fechamento dos campos, sculos antes. Os primeiros elementos causadores dessas mudanas...

    5236  Palavras | 21  Páginas

  • Ação Social Junto à Criança Adolescente e Terceira Idade_Unidade I 1

    ............................. 79 5.1 Periodização histórica das ações em Assistência Social e a regulamentação da Assistência Social como política pública...................................................................................... 79 6 A Lei Orgânica da Assistência Social e as condições necessárias à efetivação da Assistência Social como política social no Brasil.............................101 7 O Sistema Único da Assistência Social e a Política Nacional de Assistência Social............

    28476  Palavras | 114  Páginas

  • Ficha de leitura: Política Social

    “nova” questão social, as novas coberturas da política social, utilizando-se da desregulamentação da consciência coletiva, demonstrando os limites da sua metodologia e sua visão conservadora, como por exemplo, assinalar a desigualdade social como uma lei natural e inalterável. A influência do idealismo – tem como princípio o sujeito e sua sobreposição ao objeto. Ao interpretar a sociedade o papel do sujeito configura a realidade como conseqüência do pensamento, não levando em consideração as condições...

    2404  Palavras | 10  Páginas

  • O Orçamento participativo

    como as conseqüências inevitáveis do respeito às leis do mercado. Tal era já a finalidade das poor laws aplicadas na Inglaterra no início do século 19, de que a decisão de Speenhamland, em 1795 tinha sido a prefiguração: elas asseguravam a todo habitante de um município rural um mínimo de subsistência indexado sobre o preço do pão. Exatamente como as fórmulas de "mínimo social" imaginadas hoje por liberais (voltaremos a isso), a decisão de Speenhamland acompanhava a eliminação das proteções sociais...

    11215  Palavras | 45  Páginas

  • UMA ANÁLISE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA NO BRASIL

    Europa, no século XVI, especificamente na Inglaterra, que em 1516 havia pena de morte para conter a criminalidade. Porém como esta pena não surtia efeito, Thomas More, sugeriu que fosse instituída uma renda à população ao invés de penas cruéis. Para More seria melhor ofertar a todos uma maneira de sobreviver, de modo que nenhum cidadão se submeteria a se tornar primeiro um ladrão e depois um cadáver. Na própria Inglaterra, em 1795, foi criada a Lei Speenhamland, que assegurava ao pobre uma renda mínima...

    5320  Palavras | 22  Páginas

  • Revolu O Industrial Ingles Oo9

    acelerada, buscou alternativas para melhorar a produção de mercadorias. Também o crescimento populacional, trouxe maior demanda de produtos e mercadorias. Pioneirismo Inglês  A Inglaterra foi país que iniciou o processo de Revolução Industrial do século XVIII. Este fato pode ser explicado por diversos fatores. A Inglaterra possuía grandes reservas de carvão mineral em seu subsolo, ou seja, a principal fonte de energia para movimentar as máquinas e as locomotivas à vapor ...

    1607  Palavras | 7  Páginas

  • Inglaterra

    Inglaterra Tradição do Chá Inglês Origem do Chá Apesar de ser mais conhecida como uma bebida inglesa, a história do chá começa na China por volta de 2700 AC. Segundo a lenda, o imperador chinês Chen Nung descobriu a bebida por acidente, depois que folhas de da plata Camellia sinensis caíram em seu bule. O chá foi levado da China para o Japão por monges Budistas, e trazido para a Europa por missionários portugueses em 1500. A partir daí não demorou muito para o desenvolvimento de rota comercial...

    1318  Palavras | 6  Páginas

tracking img