• estudante
    , tecer relações entre o teor das Cartas e os enfoques particulares de dois segmentos distintos daquele contexto: de um lado, os arquitetos volta­dos à ação de conservação do patrimônio arquitetônico e urbano; de outro, os setores engajados com o Movimento Moderno. Seria pertinente reconhecer uma disputa...
    6252 Palavras 26 Páginas
  • ReleituraCartadeAtenas_20140428190033 (1)
    , tecer relações entre o teor das Cartas e os enfoques particulares de dois segmentos distintos daquele contexto: de um lado, os arquitetos voltados à ação de conservação do patrimônio arquitetônico e urbano; de outro, os setores engajados com o Movimento Moderno. Seria pertinente reconhecer uma disputa...
    6047 Palavras 25 Páginas
  • cultura regional específica e crítica na arquitetura contemporânea
    CULTURA REGIONAL ESPECÍFICA E CRÍTICA NA ARQUITETURA CONTEMPORÂNEA 1. SOBRE O AUTOR Kate Nesbitt é arquiteta praticante e reside em Charlottesville, Virgínia, Estados Unidos. Graduou pela Universidade da Virgínia em planejamento urbano e obteve o mestrado em arquitetura na...
    4264 Palavras 18 Páginas
  • Segsg
    ambientes bonitos, diversificados, com menos automóveis e etc. Porém, há um certo perigo nesse cenário, em que muitas comunidades já podem estar totalmente contaminadas pelo individualismo. A ARQUITETURA DA FRAUDE A arquitetura é uma arte ou um serviço? É o que indaga a autora, Diane Ghirardo. Seus...
    2510 Palavras 11 Páginas
  • Centro Cultural
    contexto global, sua localização em cidades-marca, cujo projeto arquitetônico é concebido por arquitetos de renome internacional, ou seja, “o objeto-marca na cidade-marca”. Palavras-chave: centro cultural; cultura; arquitetura; cidade-marca; cidade espetáculo; espetacularização. 2 – INTRODUÇÃO O...
    6362 Palavras 26 Páginas
  • Uma nova agenda para a arquitetura
    acordo com a crítica Diane Ghirardo a arquitetura deve ser um serviço comprometido com a esfera sociopolítica. Uma consequência do que a autora denomina como abdicação de responsabilidade é o estreitamento da esfera da arquitetura para uma moda superficial. A arquitetura da fraude Como profissão e...
    45682 Palavras 183 Páginas
  • carta de atenas
    considerado isoladamente, mas associado ao conjunto do qual faz parte. O arquiteto contemporâneo é chamado a posicionar-se como intérprete dos projetos que a sociedade do seu tempo formula e deseja. As noções de memória e patrimônio, articuladas entre si, afirmam-se como conceitos que emanam...
    9814 Palavras 40 Páginas
  • Zaha hadid e a desconstrução
    , como homem/mulher. Para ele, “a arquitetura visa controlar os setores de comunicação e transporte da sociedade, assim como a economia. A desconstrução faz parte da crítica pós-moderna; seu objetivo é acabar com o projeto de dominação da arquitetura moderna”2. Ainda, segundo o filósofo Mugerauer, este...
    2281 Palavras 10 Páginas
  • Fichamento Introdução Kate Nesbit, Uma Nova Agenda para a Arquitetura
    arquitetura. Faz parte da crítica pós-moderna e tem como objetivo acabar com o projeto de dominação da arquitetura moderna. A desconstrução revela e desmonta conceitos a fim de verificar partes da história da disciplina que podem ter sido ocultadas ou excluídas, e assim formar sua identidade. QUARTO...
    6227 Palavras 25 Páginas
  • Fichamento : introdução "uma nova agenda para a arquitetura"
    funcionar sem causar danos". (pág. 68) O novo urbanismo americano: os códigos do desenho Uma das manifestações teóricas recentes erroneamente associadas ao contextualismo é a dos "neotradicionalistas", […]. Esses teóricos urbanos pós-modernos preconizam que os arquitetos devem resistir ao...
    5047 Palavras 21 Páginas
  • Do arquiteto para ele mesmo: a casa de iporanga de arthur casas
    e Cidade Jardim: lugares de extrema alienação da sociedade em relação à cidade e à realidade da grande maioria da população de São Paulo. Denuncia assim, uma problemática inerente ao arquiteto contemporâneo, como menciona a professora Diane Ghirardo: “Os arquitetos, por sua vez, escolhem o caminho...
    2362 Palavras 10 Páginas
  • Aldo Rossi
    projeto, por sua vez o projeto prolonga na história seus critérios e seus instrumentos. Isto significa que o projeto propõe uma operação histórico-crítica de novo tipo, uma história da arquitetura redigida com os instrumentos expressivos do arquiteto e não somente com...
    15248 Palavras 61 Páginas
  • Atenas
    de Atenas, principalmente a de 1933, é a preocupação que se tem em relação a arquitetura em um período de grande crescimento urbano. Há ai dois seguimentos diferentes a serem levados em conta: os arquitetos voltados designadamente à ação de conservação do patrimônio arquitetônico e urbano e os...
    1528 Palavras 7 Páginas
  • carta de antenas 1993
    confiança dos arquitetos da época, fazendo com que eles procurassem novas tecnologias além de confrontar as necessidades da população. De acordo com Diane Ghirardo , em meados da década de 1930, a doutrina do Movimento Moderno é reinterpretada como classicismo monumental, especialmente com o patrocínio...
    510 Palavras 3 Páginas
  • Significados do urbanismo
    , já havia uma clara distinção entre as atribuições de quem projeto (o arquiteto), quem constrói (o engenheiro), e quem planeja (arquitetos, paisagistas, advogados, engenheiros) .” (FELDMAN, 2005) Agache define urbanismo em um tempo anterior ao de sua própria atuação profissional, na realização de...
    9110 Palavras 37 Páginas
  • Resumo carta de antenas
    No que diz respeito à Carta de Atenas, principalmente a de 1933, é a preocupação que se tem em relação a arquitetura em um período de grande crescimento urbano. Há ai dois seguimentos diferentes a serem levados em conta: os arquitetos voltados designadamente à ação de conservação do patrimônio...
    444 Palavras 2 Páginas
  • arq_00
    , Silvio. Pós-modernismo. Repensando a arquitetura. Rio de Janeiro: UAPÊ, 2004. FRAMPTON, K. História crítica da arquitetura moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1997. GHIRARDO, Diane. Arquitetura Contemporânea. Uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2002. HARVEY, David. A condição pós...
    3389 Palavras 14 Páginas
  • ARQUITETURA MEDELLIN
    ://blogpontodeonibus.wordpress.com/2013/03/25/brt-faz-medellin-ser-a-cidade-mais-inovadora-do-mundo-em-2012/ segunda-feira, 12 de março de 2012 Porque fomos a Medellín e Bogotá Antônio Augusto Veríssimo Arquiteto Urbanista, MsC em Planejamento Urbano e Regional.  Coordenador...
    20310 Palavras 82 Páginas
  • Carta de Atenas
    arquitetos da época, fazendo com que estes buscassem e procurassem novas tecnologias além de confrontar as necessidades da população em geral. Diane Ghirardo observa que, em meados da década de 1930, a doutrina do Movimento Moderno é reinterpretada como classicismo monumental, especialmente com o...
    519 Palavras 3 Páginas
  • Conforto ambiental
    arquitetura, desenho urbano e planejamento em suas várias escalas. Experiências de projeto: pesquisa, prática e ensino O objetivo deste tópico é discutir o andamento e os avanços recentes das questões de conforto e energia, dentro do campo maior que é a sustentabilidade, na pesquisa, na prática de...
    18029 Palavras 73 Páginas