O verdadeiro amor

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1710 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1

Sofia era uma mulher linda. Cada curva de seu corpo despertava nos homens o desejo. A beleza de seu rosto, de seu sorriso, de seus olhos podiam cativar a atenção de quem a olhasse de forma impressionante. Mas ela não usava o que tinha para o bem. Usava para seduzir e roubar dinheiro dos homens da forma que conseguisse, com suas danças em salões. Vários tipos de danças, para todos os gostos.Mas por trás daquela pessoa dissimulada, havia uma mãe. Por mais que uma mulher aja de forma errada, em seu coração, existe sempre o amor pelo filho. Ana, sua filha, tinha 11 anos. Sofia a amava muito e sempre queria o melhor para ela, mas em consequência de seus atos ilícitos, gastava muito tempo. E sua fama se espalhou por toda a cidade em que morava.
Quem cuidava da menina Ana, era sua tia, irmãde Sofia. Rosa era uma mulher temente a Deus e sempre aconselhava Sofia que nunca dava bola pois sempre pensou que poderia por si mesma conseguir o que quisesse.
Um dia, num salão próximo de casa, Sofia mais uma vez dançava e tentava enganar algum homem. Quando sua irmã pediu sua vizinha, Eliane que a chamase,
— Sofia - ela disse - Sua filha está em casa e não passa bem. Está fraca e doente.Sofia desculpou-se e saiu com sua vizinha. As duas foram ao encontro de Ana o mais rápido possível.
— Rosa, o que aconteceu? - Sofia perguntou à irmã quando entrou no quarto.
— O que aconteceu? Faz dias que sua filha está assim. Como sempre você não esta por peto anda nesta vida e não sabe o que esta acontecendo com sua família nem da sua filha você lembra você não esta vendo como ela esta? Eu jápedia ajuda a todos e nada...
— Você não pode falar nada tudo que tenho e pra minha filha tudo que faço e por ela não a deixo falta nada nesta casa, e gora o que vamos fazer? Chame o melhor médico. Eu tenho dinheiro e vou pagar.
— Não adianta. - Rosa retrucou. - Ninguém sabe o que a menina Ana tem. O seu dinheiro nada adianta agora existe momentos que o dinheiro nada vale e este e um domomentos. O nos basta ora para o nosso DEUS.
Sofia olhou para a filha na cama, de olhos fechados e, aproximando-se dela, suplicou:
— Minha filha, fale comigo, por favor...
Mas a menina Ana não respondeu.
— Vou passar a noite aqui ao lado dela e amanhã decidiremos o que fazer.
Rosa e a Eliane ficarão ao lado e Sofia na cama orando para que DEUS ajudar onde a menina Ana estava, sendo acariciada na suacabeça pela sua mãe . No início da madrugada ela adormeceu junto da sua filha. Logo que pegou no sono, sonhou com um anjo que veio até ela e falou
— Sofia, sou o Anjo do Senhor Deus e vim aqui para falar contigo que só há uma pessoa que pode te ajudar.
Sofia acordou assustada. O sonho parecia tão real que ela acordou Rosa Eliane.
— Escutem, eu sonhei uma coisa estranha...
— O que foi? - Elianeperguntou.
— Sonhei com um anjo que disse que era de Deus. Ele disse que só tem um homem que pode me ajudar.
Rosa sobressaltou-se dizendo:
— Só pode ser Ele!!
— Quem? - Sofia perguntou.
— É Jesus, o Nazareno, filho de Deus. - os olhos de Rosa brilhavam pós era uma resposta de Deus pra suas orações
— Onde eu o encontro?
— Ihh... É meio difícil! - Eliane retrucou. - Ele anda por todos os lugares pregandoem toda parte...
— Mas eu vou procurá-lo. - Sofia disse determinada. - Me diz por onde começar que eu procuro.
— Você??? Ihh... - Eliane soltou uma risada que deixou claro quem estava falando de verdade naquele instante. Não era ela . - Jesus faz milagres, ele é o Filho de Deus, como dizem. Mas você? Você é uma prostituta, ladra, todos sabem quem você é. Vai se aproximar dele como? você acha queuma pessoa como você que nem sabe o que e ora vai chegar perto ?
— Não importa! - Rosa interrompeu. - Eu já ouvi falar dos milagres que Ele fez e em nenhum momento ele perguntou os pecados que a pessoa curada tinhão como o da quele cego, ou da quela mulher do fluxo de sangue...
A esperança tomou conta de Sofia e seus olhos brilhavão como nunca tinha acontecido antes:
— Eu vou até Ele. Eu...
tracking img