O uso do crack : um problema restrito a metrópoles?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3268 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]






















































































SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3
2 DESENVOLVIMENTO 4
3 CONCLUSÃO 11
REFERÊNCIAS 12


INTRODUÇÃO




Estamos vivendo um grave problema de saúde pública em todo o mundo, e isso se deve ao comportamentoagressivo do ser humano em relação ao meio que vive. A atitude de violências no seio familiar, nas escolas, no trânsito, deve se ao uso abusivo de substâncias que modificam o caráter do indivíduo fazendo com que ele tenha reações diferentes no seu dia-a-dia. A maior preocupação da sociedade hoje é o uso e o comércio do crack, e é realmente preocupante pois a propagação desta droga tem sidoincontrolável e sem barreiras, atingindo assim não só a população urbana como também a rural e sem fazer diferença racial, social e alcançando até aqueles mais indefesos que são as crianças.

A população tem vivido apreensiva, e deixar de sair de casa não resolve o problema, pois, o crack tem invadido os lares e é dentro deles mesmos que as famílias tem se deparado com situações absurdas,como roubo, prisão domiciliar e até mesmo morte.
Sabemos que para controlar essa situação não precisamos somente de operação policial e sim de dar uma maior atenção a essas pessoas que estão cativas por essa situação.

Neste trabalho abordaremos pontos essenciais para uma melhor compreensão do imensurável problema social que tem devastado a população jovem desestruturandoassim o futuro do nosso país.



DESENVOLVIMENTO

A sociedade ver o crack como um problema de polícia, pois a mesma tem sido vítima das reações dessa droga. Porém o problema maior não está especialmente no crack e sim na formação do jovem que escolhe usá-lo. Por isso não basta à repressão policial e sim buscar entender a razão de tantos adeptos deste.
ParaWinnicott (1989, Rampazzo Lisnéia, 2009, p.44), a saúde da família e da sociedade deriva da saúde emocional do indivíduo.
A sociedade tem passado por momentos de grandes conflitos emocionais que acabam gerando medo, insegurança e pânico ao tentar sobreviver a cada dia sem ser mais uma vítima do efeito devastador do crack, que também vitimou esses jovens, pois um dia eles também foramabordados, convencidos ou até mesmo pressionados a experimentar algo que iria lhe trazer solução para um momento de conflito interno que eles também estavam passando e não pode ser resolvido por não saber lhe dar com a situação, que por muitas vezes é algo que lhe foi imputado inconscientemente ainda quando criança e só veio a se manifestar na juventude.
A falta de segurança nessesmomentos de conflitos acaba gerando certos transtornos emocionais, como que um vázio, ou até mesmo a incapacidade de resolver seus próprios conflitos, gerando assim uma busca insaciável por algo que preencha, satisfaça essa instabilidade emocional e acabam dependentes de algo tão cruel.
"Uma das causas atuais da violência é a dificuldade das pessoas em lidar com as próprias emoções",afirma Maria Isabel da Silva Leme, doutora pelo Instituto de Psicologia da USP, em psicologia escolar e do desenvolvimento humano.
De maneira particular cada jovem tem suas razões para está nessa situação, a sua história de vida, ou seja, a sua formação psíquica conta muito para esse desfecho.
A sociedade é formada por famílias e cada uma tem as suas características, suaidentidade, e o que se constrói dentro dela é fundamental para a formação psíquica de cada indivíduo. Todas têm seus problemas e cada expressa ou reage de forma diferente, mas o modo que se enfrentam esses momentos são muito importante para a formação do caráter, gerando segurança, confiança a ponto de não se perder o diálogo, o respeito pelo outro procurando entender as diferenças e o ponto de...
tracking img