O uso do crack: um problema social restrito às metrópoles?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1468 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sistema de Ensino Presencial Conectado
AO CURSO DE GRADUAÇÂO EM serviço social

marinalva dos santos pereira

O USO DO CRACK:
UM problema social restrito Às metrÓpoles?

Vitória da Conquista
2012

marinalva dos santos pereira

O USO DO CRACK:
UM problema social restrito Às metrÓpoles?

Trabalho de Serviço Social apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, comorequisito parcial para a obtenção de média bimestral na disciplina de Psicologia Geral.

Orientador: Prof. Lisnéia Rampazzo

Vitória da Conquista
2012

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO.................................................................................................... 4

DESENVOLVIMENTO........................................................................................ 5Desenvolvimento ................................................................................................ 6
Desenvolvimento ................................................................................................ 7

CONCLUSÃO..................................................................................................... 8REFERÊNCIAS.................................................................................................. 9

ANEXOS............................................................................................................ 10
Gráfico .............................................................................................................. 10
Tabela.............................................................................................................. 11

* INTRODUÇÃO
Diante da crescente problemática da drogadição na sociedade, em especial o uso do CRACK, que vem devastando o individuo (usuário), sua família trazendo serias consequências para o meio em que vive, considerado hoje com uma questão de saúde publica.

A sociedade percebe que já não é uma droga usada pelas camadas da população menos desprovidas masque atinge todas as classes sociais, independente da faixa etária situação econômica ou cultural.

Associando a juventude, pobre e sem escolarização o uso do crack vem cada vez mais assumindo maiores dimensões. O abalo da estrutura familiar e social a falta de informação na tratativa do uso dessas substâncias acarreta uma sequência de dificuldades. Perpassando entre as questões desegurança pública até a realidade da saúde pública.

A atuação do Serviço Social entra como uma das peças básicas no desenvolvimento de ações em favor do combate às drogas em suas diversas implicações dentro da nossa sociedade.



DESENVOLVIMENTO

Desde os tempos mais antigos as drogas já são conhecidas pelos homens se fazendo presente na história da civilização (ROCHA, 1991). O uso dessassubstâncias – que se caracterizam como drogas - aparecem em vários contextos seja pelo uso medicinal, religioso, místico, cultural ou até mesmo como meio na busca de algum tipo de prazer.

A dependência química é considerada doença pela OMS (Organização Mundial de Saúde), sendo consenso a predisposição genética a dependência e problemas psiquiátricos no caso do crack com mais relevância dado opoder de destruição física/emocional desta droga Mas igualmente se sabe que vários fatores podem se somar no caminho que leva às drogas, inclusive o ambiente familiar. Compartilhar responsabilidades e promover mudanças pode ser tão difícil como reconhecer que um familiar é dependente químico.


O aumento desproporcional e devastador do Crack tornam inevitável que se repense toda a estrutura dasociedade nos âmbitos biológicos, psicológicos e sociais. Pois, a nossa sociedade compreende tal droga como um problema de policia e não de saúde publica, problema este que atinge todas as classes sociais sem qualquer distinção de cor, credo, etnia, condição política ou econômica. O uso dessas substâncias com o passar do tempo foi ganhando dimensões e valores bem diferentes, sendo possível...
tracking img