O uso do crack: um problema social restrito às metrópoles?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2548 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]












Olá! Boa noite.
Cometi um erro ao enviar o trabalho anterior e peço que desconsidere o referido, mantendo este ultimo com valido.

Att,

Evandro Zene









































































SUMÁRIOINTRODUÇÃO............................................................................................................ 1 DESENVOLVIMENTO................................................................................................. 2
2.1 – Qual a representação social do uso do crack em nossa sociedade, ou seja,
como a população compreende esse problema?.........................................................5
2.2 – Considerando a drogadição umadas expressões da questão social e sendo a
questão social objeto de trabalho do Serviço Social, como o trabalho do Assistente
Social pode contribuir para o atendimento á população, buscando articular as causas
e / ou razões desse fenômeno a partir de uma leitura crítica da realidade social....... 5
2.3 – Historicamente como ocorreu a relação urbanização x população? Há exclusão
nos diferentesmomentos de expansão urbana no Brasil. Em 1808 com a chegada
da família real: 1903/4 com as reformas de Pereira Passos. O Mesmo ocorre em São
Paulo?..........................................................................................................................6
2.4 – Quais as consequências emocionais/afetivas do dependente químico e
familiares? Qual o papel da família no processo deestruturação emocional/afetiva do
dependente químico?...................................................................................................7
3 CONCLUSÃO............................................................................................................9
REFERÊNCIAS..........................................................................................................11INTRODUÇÃO

Em seu trabalho “ÜBER COCA” de 1885 (BYCH, 1989), Freud traz o seguinte relato sobre a história da cocaína, à época, sendo estudada por ele como promissor tratamento da depressão, do nervosismo, da dependência de morfina, do alcoolismo, das doenças digestivas e mesmo da asma: “A planta coca, Erythroxylon coca, é um arbusto amplamente cultivada na América do Sul, emparticular no Peru e na Bolívia.
Ao conquista o Peru, os espanhóis, descobriram que a planta coca era cultivada e tida em alta consideração naquele país, estando intimamente ligada aos costumes religiosos do povo.
Os espanhóis não acreditavam nos efeitos maravilhosos da planta, que desconfiavam ser obra do demônio, principalmente pelo papel que desempenhava no ritual religioso, chegando a proibir oseu uso sob a alegação de que era pagã e pecaminosa.
A mais antiga recomendação da coca consta do ensaio do Dr.Monardes em 1569, que louva o efeito prodigioso da planta no combate à fome e à fadiga. Após a morte de Niemann em 1862, Lossen retomou seus trabalhos e apresentou a fórmula química da cocaína: C17H21NO4. Na Alemanha em 1867, T. Clemens propôs seu uso terapêutico e em 1883, TheodorAschembrndt, médico militar, introduziu secretamente a cocaína nas manobras de treinamento para ser consumida pelos soldados, com bons resultados. Em 1884, começou-se a estudar o efeito anestésico da cocaína, o qual foi atribuído ao oftalmologista Carl Koller. Neste período houve importante aumento no valor comercial da cocaína, e seu uso terapêutico se ampliou e diversificou. Paralelamente, oentusiasmo inicial de Freud com a cocaína desapareceu após o fracasso terapêutico no tratamento da dependência de morfina de seu amigo Dr.Ernst von Fleischl-Marxow, que após a sua utilização apresentou um quadro delirante paranoide e não mais citou a substância em seus trabalhos (LEITE, 1999).
Em 1885, um farmacêutico da Geórgia estabeleceu a fórmula da Coca Cola, que chamou na época de “Vinho...
tracking img