O uso do crack:um problema social restrito as metroles

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1743 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
o uso do crack:um problema social restrito ás metróles?













































INTRODUÇÃO

O uso do crack: um problema social restrito as metrópoles?


O crack é uma pedra devastadora que certamente quando atinge alguém é um problema, que prejudica toda sociedade e com ela trásmuito sofrimento aos familiares, assaltos agressões e todo tipo de violência..
É um grave problema de saúde pública em praticamente todos os países do mundo e em todas as suas regiões, está relacionados com comportamentos violentos e criminais.
O uso nocivo de substâncias foi por muito tempo tratado por meio de ações punidas ao invés de preventivas e terapêutica sendo adependência química considerada como falha moral.
Mas com progressivo desenvolvimento dos estudos científicos nas duas ultimas décadas a dependência passou a ser compreendida como um sério problema de saúde, que afeta o cérebro e o comportamento.
Os efeitos nocivos e prejudiciais causados pelo uso e dependência das drogas,(alcool, cocaína etc) muitas vezes irreparáveisdeixam
seqüelas em dependentes e suas famílias.
Diante desta realidade temos que mobilizar (família,
escola,igrejas,sociedade) ao lado de profissionais de diversas áreas , em campanha permanente para prevenção do uso de drogas e para tratamento do dependente químico.
O trabalho do assistente social é de fundamental importância na prevenção eorientação da sociedade.

















2. DESENVOLVIMENTO

Ao falar sobre drogas hoje, o país expressa uma das maiores preocupações.
  O medo é justificável a disseminação do comércio e do consumo do crack na sociedade é um fenômeno incontestável, atingindo tanto a população urbana quanto a rural ,indistintamente, envolvendo homens e mulheres, jovens,adultos, pobres e ricos
    O uso ilícito de drogas, principalmente o crack, nos últimos anos tem aumentado num ritmo alarmante e tem ultrapassado todas as fronteiras sociais, econômicas, políticas e nacionais. Esse aumento pode ser atribuído a vários fatores, dentre eles: a falta de informação sobre os perigos a longa e curto prazo do consumo abusivo das drogas ilícitas, assim como o caráterlimitado das ações preventivas.
A pouca efetividade nas estratégias governamentais, que garantam uma verdadeira intervenção na prevenção e no combate ao uso de drogas, faz com que “Cracolandias” surjam e se espalhem pela cidade de forma gritante e preocupante. Sabemos que para enfrentarmos a epidemia do crack, não bastam apenas operações militares mirabolantes. Há que se ter um processoque permita a saída destas pessoas – debilitadas e dependentes químicas – das ruas, de modo a possibilitar que elas tenham condições de acesso à rede de serviços de saúde, assistência social, moradia, trabalho e renda. Assim, o desafio maior é tirar o lugar que o crack ocupa hoje em nossas casas e em nossas famílias, além de cuidarmos de seus usuários com respeito e responsabilidade de forma reale efetiva.
A atuação do profissional é voltada para atender principalmente ás pessoas carentes em zona de risco, vulnerabilidade e outros, com o bjetivo de assegurar aceso universal aos direitos sociais, civis e políticos. O profissional lida com trabalhadores em empresas ou com desempregados e excluídos da sociedade, o público alvo do atendimento pode ser idoso, crianças,mulheres(gênero) famílias com problemas com drogas ou alcool e deficientes.
Quem se dedica ao serviço social é um eterno incomodado com a questão social do país.O profissional busca soluções que diminuam as desigualdades sociais.
Em 1808, o Brasil não existia como país integrado, fronteiras definidas e habitantes identificados como brasileiro. As vésperas da chegada da corte...
tracking img