O trabalho profissional: instrumentação para a intervenção i política setorial: idoso

[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL

LOURDES ALVES RIBEIRO

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR
O TRABALHO PROFISSIONAL: INSTRUMENTAÇÃO PARA A INTERVENÇÃO I
Política Setorial: IDOSO

Campos dos Goytacazes
2011

LOURDES ALVES RIBEIRO

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR
O trabalho profissional: instrumentação para a intervenção I
Política Setorial: IDOSOTrabalho apresentado ao Curso (Serviço Social) da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para as disciplinas: Direito e Legislação Social, Trabalho Profissional I, Políticas Sociais II e Planejamento Social.

Profs. Edna Braun, Jossan Batistuti, Eduardo Zabon e Sirlei Fontes de Jesus.

Campos dos Goytacazes

2011

1 - INTRODUÇÃOCompreender as políticas sociais é fundamental para o profissional de serviço social, seu contexto histórico, suas influências e mudanças na realidade social.
A Política Social está inserida no cenário político das lutas de classes, de reivindicações de trabalhadores, é dirigida prioritariamente à classe trabalhadora, mas não de forma exclusiva.
Determinadaspolíticas sociais setoriais contribuem nesse processo, como por exemplo, a política social setorial voltada para o idoso.
Esse trabalho pretende analisar e refletir sobre essa política, suas conquistas, avanços e desafios diante das constantes mudanças históricas, econômicas e sociais ao longo do tempo.
A análise será relacionada com o serviço social e a atuação profissional doassistente social com as políticas sociais, o trabalho desse profissional no processo de intervenção na realidade, suas ações e planejamentos como forma de intervir satisfatoriamente na luta dos direitos sociais adquiridos legalmente pelos idosos.

2 – DESENVOLVIMENTO

É essencial entender as Políticas Sociais como sendo um processo e resultado de lutas e relações conflituosas entre oEstado e a sociedade que reivindicou direitos de proteção social, direitos coletivos.
O Estado capitalista é desigual em sua estrutura e não permitiu oportunidade e divisão de riquezas em igualdade. Foram criadas então as Políticas Sociais, para atender a uma camada da população que não participa do processo produtivo.
No conjunto de sua funcionalidade ao modo capitalista deprodução da vida social, as políticas sociais são apresentadas como ajuda, como preocupação do Estado com as desigualdades sociais.
O estado tem uma função central na gestão e controle da classe trabalhadora. Compete ao estado garantir as condições necessárias para a manutenção do sistema.
Podemos concluir que a política social é dirigida, prioritariamente, à classe trabalhadora,ainda que não exclusivamente. Prioritariamente porque ela objetiva a gestão e o controle da classe trabalhadora, na medida em que determinadas políticas sociais setoriais contribuem diretamente para a formação de fundos públicos de investimentos de acesso direto dos capitalistas individuais. Podemos considerar que diferentes grupos sociais têm acesso à política social, no atendimento à saúde,educação, programas habitacionais, etc.
Políticas públicas com vistas à integração social dos idosos também podem ser entendidas como parte de um programa de promoção de um envelhecimento saudável e ativo.
Para iniciar nossa análise sobre a política setorial do idoso podemos considerar que a questão do envelhecimento da população brasileira apresenta diversas dimensões edificuldades. No Brasil, como em outros países em desenvolvimento, a questão do envelhecimento populacional soma-se a uma ampla lista de questões sociais não-resolvidas, tais como a pobreza e a exclusão de parte da população, e aos elevados níveis de desigualdade vigentes na sociedade.
Apesar de o envelhecimento populacional ser amplamente reconhecido como uma das principais conquistas...
tracking img