O trabalho infantil inserido na sociedade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1206 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL

NOME

O TRABALHO INFANTIL INSERIDO NA SOCIEDADE

VIÇOSA
2012

NOME

O TRABALHO INFANTIL INSERIDO NA SOCIEDADE

Trabalho apresentado ao Curso (Pedagogia– Módulo IVI) da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para as disciplinas [ ].

Orientador: Prof. MariaÂngela Santini, Paulo
Aragão, Giane Al., e Sergio de Goes Barboza.


VIÇOSA
2012
O TRABALHO INFANTIL INSERIDO NA SOCIEDADE

O vídeo “Crianças Invisíveis Bilú e João” é um curta-metragem de Kátia Lund que compõe uma parte do filme CriançasInvisíveis ou All The Invisibile Children dos diretores Emir Kusturica, Spike Lee, Ridley Scott e John Woo, entre outros.
O curta tem em foco a situação de duas crianças Bilú representado pela atriz Vera Fernandes e João por Francisco Anawake que residem em São Paulo. Bilú e João vagam pelas ruas a procura de alguns reais para comprar tijolos, como uma espécie de troca econômica.
Essa situação évivenciada pelas duas crianças em um dia e uma noite, onde elas circulam pela cidade recolhendo alumínio e papelão por meio de pequenos transportes, trocando os objetos de valor, sendo que, em nenhuma hipótese pedir e roubar é dado como possibilidade para Bilú e João.
Os dois pequenos personagens demonstram, durante todo o curta, força de vontade, honestidade, esperança de algo melhor tendo com issodesde cedo mergulhar no mundo do trabalho, fazendo parte de uma pequena cadeia produtiva muito ampla nos tempos de hoje, sem estarem envolvidos no mundo das drogas, brigas, roubos ou guerras, sem estarem envolvidos na ilegalidade.
Alugam um carrinho para fazer o transporte, procura os materiais recicláveis pelas ruas que é o espaço de trabalho, retribui com gratidão as pessoas que demonstrasolidariedade com um simples gesto por eles como exemplo quando o garoto ganha uma laranja de um feirante e logo em seguida ele leva um comprador de laranjas esclarecendo que eram as melhores e mais baratas da feira agradecendo assim João ao feirando do seu jeito, do modo que leva seu cotidiano, sua vida.
No final do curta estão com o carrinho cheio de papelão e algumas latinhas. João e Bilú recebemapenas um real pelas latinhas segundo o comprador pelo motivo da queda do dólar, e já o papelão não recebem pelo peso de acordo com o da balança porque estava molhado por terem pego uma chuva no meio do caminho e por último é descontado o pneu da carrocinha por ter furado em seu trajeto. Enfim, acabam recendo uma mixaria de dinheiro.
O curta mencionado acima é o cotidiano de milhares de criançasatualmente, existindo, diversos “Bilú e João” que vivem em busca da sobrevivência por meio de alguns trocados ganhados no final do dia. Enfrentando os problemas vivenciados na sociedade para poder ter na maioria das vezes o pão de cada dia.
Essa situação-problema é refletida em muitas revistas, jornais, reportagens, entre outros meios de comunicação. De acordo com a pesquisa realizada, junto atrês monitores, uma coordenadora e vinte crianças e adolescentes participantes do PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) por Francisco Carlos Justino de Orlanda com o tema “Trabalho Infantil: O mundo real e vivido por crianças e adolescentes em Massapê-Ce” a exploração do trabalho infantil é uma das principais violações dos direitos da criança e do adolescente.
A pesquisa foi baseada emobservações, questionários, entrevistas semi-estruturadas e análise documental para a coleta de dados, tendo como resultado, a proposta educativa planejada e executiva de forma diversificada destacando a presença da família e a contribuição do PETI na vida dos participantes.
O PETI foi escolhido como objeto de estudo e para base do texto pela experiência de trabalho da associação nos...
tracking img