O surgimento da filosofia na grécia

Pedagogia

Resumo



Anápolis/2012
MARCONDES, Danilo. O surgimento da filosofia na Grécia. Rio de janeiro: Jorge Zahar, 2010, p. 19 -29.

O autor do texto explica que a filosofia se caracteriza por sua história. Esta ideia é de consenso entre os historiadores da filosofia, tendo como primeiro filósofo Tales de Mileto. O autor explica ainda, que o pensamento filosófico-científico nascena cultura grega por volta do séc. VI a.C. e que é importante entender o que é ciência. Mas isso não significa que anteriormente não houvesse outras formas de pensamento na cultura grega. Ele explica que o pensamento mítico antecede ao pensamento filosófico-científico, e que o primeiro se caracteriza pela forma como cada povo demonstra os aspectos essenciais da realidade em que vive e como essasexplicações lhes são transmitidas. Por serem passadas oralmente não se pode saber a origem dos mitos. O mesmo não é justificado e fundamentado. E questionar, criticar ou mesmo corrigi-lo não era possível. Para o individuo pertencente àquela sociedade o mito é significativo, então ele o aceita como verdade. Mas segundo o autor o mito é caracterizado por sua maneira de explicar tudo de formasobrenatural e misteriosa, com isso somente os sacerdotes, magos, e iniciados poderiam interpretá-lo. A insatisfação com esse modo de explicação da realidade faz nascer o pensamento filosófico-científico, pois o mito para no inexplicável e na impossibilidade do conhecimento, afirma o autor. Os primeiros filósofos da escola jônica tentaram achar uma explicação no mundo natural, que é o naturalismo. Elespensavam que a chave da explicação do mundo esta no próprio mundo. Por tanto, o pensamento filosófico-científico é uma ruptura com o pensamento mítico, isso não ocorreu de forma imediata e completa, ocorreu de um longo processo de transição da sociedade grega. Quanto ao contexto do nascimento do pensamento filosófico-científico o autor nos conta que esse acontece no período de decadência dacivilização micénico-cretense na Grécia. Sabendo que anteriormente a estrutura da civilização era a monarquia divina, onde os sacerdotes tinham grande influência no poder político que era hereditário, e tudo tinha explicação mitologicamente, existe a teoria de que com a queda desta estrutura houve a possibilidade para o surgimento do pensamento filosófico-científico. O autor explica que isso ocorreu nascolônias gregas do Mediterrânio que também eram importantes portos e entrepostos comerciais, onde surgiram cidades cosmopolitas onde coexistia uma grande variedade de línguas, e crenças. Por isso o aspecto global, absoluto da explicação mítica teria enfraquecido e se tornado relativo, pois, para cada povo existia uma determinada maneira de explicar o mundo. Quanto as noções fundamentais dopensamento filosófico-científico temos alguns conceitos básicos das teorias sobre a natureza que a partir de então foram criadas. O autor primeiramente nos traz a physis, os primeiros filósofos eram chamados por Aristóteles de physiólogos, aqueles que estudam a natureza. A physis tem intenção de estudar o mundo natural e tudo o que ocorre na realidade. A causalidade em segundo lugar, é a busca pelascaracterísticas principais da natureza. Para isso se estabelece uma conexão causal entre determinados fenômenos naturais, a forma básica da explicação científica é feita assim. Em terceiro lugar temos a arqué, que é a nomeação da existência de um elemento primordial que seria o início de tudo. O primeiro a ter esse pensamento foi Tales de Mileto, que disse que a água era o elemento primordial. O quartolugar é o cosmo, que quer dizer harmonia, ordem, ou seja, uma ordem racional (razão) que organiza toda a realidade. Quinto lugar está o logos que é o discurso, significando uma explicação em que razões são oferecidas. Em sexto lugar o caráter crítico, que é uma característica do saber, aqui nada é dogmático, as teorias não eram verdades absolutas, tudo podia ser discutido e modificado. Isso foi...
tracking img