O sapo e o buraco

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (559 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O BURACO, O SAPO E O SAPINHO SAPECA.

Um dia, nasceu um sapinho e, quase que no momento do seu nascimento, ingênua e inadvertidamente, caiu num buraco: poft! Ali ficou. Era razoavelmente amplo,tinha água, era escurinho, aquecido, livre de perigos, havia o necessário para a sua sobrevivência, enfim, era um mundo maravilhoso aquele seu buraco.
O tempo foi passando, o sapinho transformou-se emsapo, em sapão... e um sapão gordo, inchado e numa zona de conforto, daquela que ele pediu a Deus.
Num certo dia, ele acorda em meio a um barulho estranho e novo, para o mundo em que vivia: caiubem perto dele, um bicho estranho e meio peçonhento.
“- Ué! Quem é você? !” – pergunta ele, assustado.
“- Sou um sapo, ora”! – respondeu o estranho visitante.
“-Mas, sapo sou eu!” – questionou ohabitante do buraco.
“-Meu amigo, existem milhares de sapos no mundo lá fora”. – retrucou o outro.
“- Mundo lá fora?! Como assim?” – indagou o dono do buraco.
“- É meu amigo”... o mundo lá fora émaravilhoso. E uma das coisas que faz como que ele seja mais maravilhoso ainda, são umas criaturinhas especiais, razão maior da nossa vida de sapo: as sapinhas.
“Além disso- continuou ele - émagnífico o entardecer, quando ficamos todos juntos, cantando nas lagoas e nos alimentando dos mosquitos que voam desgovernados.”
“- lagoas?! Mosquitos?! – mais surpresa para o velho e acomodado sapo.“– E tem mais : quando anoitece, é lindo o céu cheio de estrelas!” – ressaltou romanticamente , o sapinho sapeca.
“– Epa ! Aí você não me pega. Eu, também, todas as noites, consigo contar quatro ou cincoestrelas, vistas daqui de casa.” – gabou-se o acomodado.
“- Pois é, meu amigo. Aí é que esta a nossa diferença: eu posso contar, aliás, nem posso, pois são milhões e milhões de estrelas...”
Eassim, o sapinho sapeca foi dissertando sobre as belezas e vantagens do mundo lá fora. Mas, parou um pouco e, reflexivamente, prosseguiu:
“– Por outro lado, tem um bicho terrível, do qual...
tracking img