O sagrado e o profano

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1113 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
DISCIPLINA – CIENCIA DA RELIGIAO I

FICHAMENTO – O DIALOGO EM TEMPOS DE

FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO

Professor - Padre Flávio
Aluno - Paulo Farias Subrinho
5º. Período – Direito - Noturno

UBERLANDIA, ABRIL DE 2011

FACULDADE ATENAS MARANHENSE – FAMA
CURSO DE PEDAGOGIA
DISCIPLINA: POLÍTICAS PÚBLICAS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRAPROFESSOR:X X XX XX X X X XX
ALUNA:XX X X XX X XXX X X X XX X
DATA:XX/XX/XXXX
SAVIANI, Demerval. A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas. 10. ed. Campinas,
SP: Autores Associados, 2006. p. 200 a 223.
AS DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO NA NOVA LDB
Conceito de Educação
[...] a educação escolar emergiu na modernidade como uma forma principal e dominante de educação, erigindo-se emponto de referência e critério para se referir as demais formas de educar. (p. 202).
[...] a educação escolar deve se vincular ao mundo do trabalho e à prática social [...] o significado real desse enunciado dependerá do entendimento que se tem de “mundo do trabalho” e “prática social” (p.202).
2
Princípios e fins da educação
[...] texto da lei limita-se, praticamente, a repetir [...] oconceito de educação do artigo primeiro [...], os princípios da “valorização da experiência extra-escolar” e vinculação entre educação escolar, o trabalho e as práticas sociais”. (p. 202).
Direito, Dever e Liberdade de Educar
[...] o texto da lei restringe o preceito constitucional. [...] “o acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito público subjetivo. [...]. Na LDB está escrito: “o acessoao ensino fundamental é direito público subjetivo...”. (p. 203).
Quanto à liberdade da iniciativa privada de exercer o ensino, a lei se limita ao disposto na Constituição, não incorporando as condições mais específicas definidas no projeto aprovado pela Câmara dos Deputados. (p. 204).
Sistema Nacional de Educação
[...] não há como fugir à constatação de que a exigência de se fixar asdiretrizes e bases da
educação nacional implica diretamente o sistema nacional de educação. (p. 204).
[...] do ponto de vista histórico, a idéia de lei nacional de educação esteve sempre associada à implantação do sistema nacional de educação, como o demonstra a experiência da maioria dos países nos últimos dois séculos. (p. 205).

Do ponto de vista lógico, parece evidente a relação de implicaçãoentre os conceitos de “lei de
diretrizes e bases da educação nacional” e de “sistema nacional de educação”. (p. 206).
[...] sistema [...] é [...] unidade da diversidade, um todo que articula uma variedade de elementos
que, ao se integrarem ao todo, nem por isso perdem a própria identidade. (p. 206).
[...] sistematizar significa reunir, ordenar, articular elementos enquanto partes de umtodo. E esse
todo articulado é o sistema. (p. 206).
[...] há uma estreita relação entre a LDB e a sistematização da educação. A educação assistemática
não é objeto de legislação específica. (p. 206).
Quando [...] se pensa numa lei específica para a educação, é porque se está visando à sua
sistematização e não apenas à sua institucionalização. (p. 206).
[...] se por diretrizes e bases seentendem fins e meios, ao serem estes definidos em termos nacionais pretende-se não apenas indicar os rumos para onde se quer caminhar, mas organizar a forma, isto é, os meios através dos quais serão atingidos. (p. 207).
[...] a organização intencional dos meios com vistas a se atingir os fins educacionais preconizados
em âmbito nacional, eis o que se chama “sistema nacional de educação” (p.207).
4
As atribuições de articulação, coordenação e avaliação enfeixadas no âmbito da União, vale dizer, do MEC, apesar das resistências de caráter “nominalista”, implicam, de algum modo, a idéia do sistema nacional de educação. (p. 209).
BASES DA EDUCAÇÃO NA NOVA LDB
[...] a distinção entre diretrizes e as bases no quadro da LDB é relativa porque em realidade elas se imbricam resultando...
tracking img