O quinze

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2357 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Escola Estadual Padre Menezes – Ensino médio
Avaliação Bimestral de Língua Portuguesa e Literatura – Professor (a): ............................
Aluno: .......................................................... n°: ...................... Professora: ...........................
Série: ............................ Valor: 10 pontos Pontos obtidos: ...........................

Leiaatentamente todos os textos antes de responder às questões propostas:

Texto 1

No Brasil das últimas décadas, a miséria teve diversas caras.
Houve m tempo em que, romântica, ela batia à nossa porta. Pedia-nos um prato de comida. Algumas vezes, suplicava por uma roupinha velha.
Conhecíamos os nossos mendigos. Cabiam nos dedos de uma das mãos. Eram parte da vizinhança. Aoalimentá-los e vesti-los, aliviávamos nossas consciências. Dormíamos o sono dos justos.
A urbanização do Brasil deu à miséria certa impessoalidade. Ela passou a apresentar-se como um elemento da paisagem. Algo para ser visto pela janelinha do carro, ora esparramada sobre a calçada, ora refugiada sob o viaduto.
A modernidade trouxe formas de contato com a riqueza. Logo a miséria estavabatendo, suja, esfarrapada, no vidro de nosso carro.
Os semáforos ganharam uma inesperada função social. Passamos a exercitar nossa infinita bondade pingando esmolas em mãos rotas. Continuávamos de bem com nossos travesseiros.
Com o tempo, a miséria conquistou os tubos de imagem dos aparelhos de TV. Aos poucos, foi perdendo a docilidade. A rua oferecia-nos algo alem de água encanada e luzelétrica.
Os telejornais passaram a despejar violência sobre o tapete da sala, aos pés de nossos sofás. Era como se dispuséssemos de um eficiente sistema de miséria encanada. Tão simples quanto virar uma torneira ou acionar o interruptor, bastava apertar o botão da TV. Embora violenta, a miséria ainda nos excluía.
Súbito, a miséria cansou de esmolar. Ela agora não pede; exige. Ela jánão suplica; toma.
A miséria não bate mais à nossa porta; invade. Não estende a mão diante do vidro do carro; arranca os relógios dos braços distraídos.
Acuada, a cidade passou de opressora a vítima dos morros. No Brasil de hoje, a riqueza é refém da miséria.
A constituição do perfil da miséria no Brasil está diretamente relacionada com a crescente modernização do país.
SOUZA,Josias de. A vingança da miséria. Folha de S. Paulo, 31 Out. 1994 Caderno Opinião, p. 2.
(Texto adaptado)
01. A partir da leitura desse texto, é CORRETO afirmar que ele tem por objetivo:
a) Mostrar a evolução da situação de miséria no Brasil.
b) Defender práticas de maior justiça social.
c)Criticar a ação governamental no trato com a miséria.
d) Denunciar a culpa sentida pelas classes privilegiadas.

02. Embora violenta, a miséria ainda nos excluía.
Essa frase é uma síntese de todas as seguintes passagens do texto, EXCETO:
a) Continuávamos de bem com nossos travesseiros.
b) A rua oferecia-nos algo além de água encanada e luz elétrica.
c) Dormíamos o sono dos justos.
d) Eracomo se dispuséssemos de um eficiente sistema de miséria encanada.

03. Leia atentamente este parágrafo, observando as relações de sentido que se estabelecem entre as frases:
Os semáforos ganharam uma inesperada função social. Passamos a exercitar nossa infinita bondade pingando esmolas em mãos rotas. Continuávamos de bem com nossos travesseiros.

Em todas as alternativas, as palavrasou expressões destacadas traduzem corretamente as relações de sentido sugeridas no trecho original, EXCETO em:
a) Os semáforos ganharam uma inesperada função social. Dessa maneira, passamos a exercitar nossa infinita bondade pingando esmolas em mãos rotas. Por conseguinte, continuávamos de bem com nossos travesseiros.
b) Os semáforos ganharam uma inesperada função social. Então, passamos a...
tracking img