O que é o capitalismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1122 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

O livro de Afrânio Catani explica as duas principais teorias para o entendimento do capitalismo de maneira geral. Essas duas grandes correntes buscam explicar o que é capitalismo, mas antes de discorrermos sobre o livro e sobre elas analisaremos, brevemente, a etimologia e o contexto que originou o termo.
A palavra capital vem do latim capitale, derivado de capitalis (principal,primeiro, chefe) que vem do proto-indo-europeu kaput significando "cabeça", em referência à expressão "cabeças de gado" (forma de medir a riqueza nos tempos antigos).
A conexão léxica entre o comércio de gado e a economia pode ser vista em várias moedas (as cunhas, no anverso ou no reverso, continham a representação de cabeças de gado) e palavras que dizem respeito ao dinheiro: O primeiro uso dapalavra Kapitalist foi em 1848 no Manifesto Comunista de Marx e Engels. Porém, a palavra Kapitalismus, que é "capitalismo" em alemão, não foi usada. O primeiro uso da palavra capitalismo é atribuído ao romancista Thackeray, em 1854, com sentido de "posse de grandes quantidades de capital", não referir-se a um sistema de produção.
Em 1867, Proudhon usou o termo capitalista para referir-se apossuidores de capital, e Marx e Engels referiam-se à "forma de produção baseada em capital" (kapitalistische Produktionsform) e, no Das Kapital, Kapitalist (um possuidor privado de capital).
Nenhum deles, porém, usou os termos em alusão ao significado atual das palavras. A primeira pessoa que assim o fez, de uma forma objetiva, foi Werner Sombart na obra Capitalismo Moderno, de 1902. Max Weber, amigopróximo e colega de Sombart, usou o termo em sua obra A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, de 1904.
O capitalismo é comumente definido como um sistema de organização da sociedade baseado na propriedade privada do capital, dos meios de produção (terras, fábricas, máquinas, edifícios) e distribuição, da propriedade intelectual, na liberdade de contrato sobre estes bens (não háintervenção Estatal nas decisões sobre oferta, demanda, preço, distribuição e investimentos) e na finalidade lucrativa. Ele surge em um contexto de estabilidade quanto à posse de sua propriedade e de liberdade contratual, onde, no intuito de satisfazer seus anseios e/ou necessidades, as pessoas tendem, espontaneamente, a dirigir seus esforços no sentido de acumular riqueza.
Antes do capitalismo, vigorouo Feudalismo sistema descentralizado que vinha perdendo eficácia por não mais atender aos anseios e crescimento populacional. O progresso e as importantes mudanças na sociedade (novas técnicas agrícolas, urbanização, etc.) também contribuíram para que este sistema entrasse em colapso.

Culturalismo – Max Webber

Webber destaca que o “impulso para o ganho” ou a “ânsia de lucro” não temrelação, em si, com o capitalismo, nem podem distinguir o capitalismo ocidental de outras formas de capitalismo, já que essas características são presentes em várias espécies e condições de pessoas. O que diferiria o capitalismo ocidental das outras formas é que, no primeiro, há (1) a formação de um mercado de trabalho formalmente livre e (2) uso da contabilidade racional. Tais atributos estariamintimamente ligados, já que na formação de um mercado de trabalho a separação entre residência e local de trabalho acentua a necessidade de utilização da contabilidade racional que implicaria, necessariamente, um cálculo do custo de produção. Ou seja, sem esses atributos a moderna organização racional da empresa capitalista não teria sido viável no Ocidente.
Webber caracteriza o capitalismo moderno como“um vasto complexo de instituições interligadas que trabalham com base mais na prática econômica racional do que na especulativa”.
Segundo essa acepção, o desenvolvimento do capitalismo decorre de fatores externos à economia. Um desses fatores foi o protestantismo, em especial o calvinista, que valorizava o trabalho por enriquecer, não só os bolsos, mas o espírito humano. O Calvinismo...
tracking img