O que é etnocentrismo? resumo da obra de everardo p. guimarães rocha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2726 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
MARCELO ADRIANO CASADO

O QUE É ETNOCENTRISMO?
RESUMO DA OBRA DE EVERARDO P. GUIMARÃES ROCHA

CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE MACEIÓ - CESMAC
MACEIÓ – AGOSTO DE 2010

MARCELO ADRIANO CASADO

O QUE É ETNOCENTRISMO?
RESUMO DA OBRA DE EVERARDO P. GUIMARÃES ROCHA

Trabalho solicitado pelo Professor Jorge Vieira com o objetivo de aperfeiçoar o aprendizado da matéria Antropologia Cultural,segundo período do curso de Comunicação Social, habilitação em Publicidade e Propaganda.

CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE MACEIÓ - CESMAC
MACEIÓ – AGOSTO DE 2010
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO 04

2. ETNOCENTRISMO 04
CAPÍTULO 1 – PENSANDO EM PARTIR
3.1. RELATIVIZAÇÃO 05

3. EXPEDIÇÕES 06
CAPÍTULO 2 - PRIMEIROS MOVIMENTOS
4.2. EVOLUCIONISMO 06

4. AESCOLA AMERICANA 07
CAPÍTULO 3 – O PASSAPORTE
5.3. DIFUSIONISMO 07
5.4.1. ESCOLA PERSONALIDADE E CULTURA 08
5.4.2. ESCOLA LINGUAGEM E CULTURA 08
5.4.3. ESCOLA AMBIENTE E CULTURA 08

5. OS CAMINHOS PARA A RELATIVIZAÇÃO NA EUROPA 09
CAPÍTULO 4 – VOANDO ALTO
6.4. RADCLIFFE BROWN 09
6.5.4. FUNCIONALISMO 09
6.5. ÉMILEDURKHEIN 10
6.6.5. FATO SOCIAL 10
6.6. BRONISLAW MALINOWSKI 10
6.7.6. TRABALHO DE CAMPO 10
6.7.7. COMPARAÇÃO RELATIVIZADORA 11

6. ANTROPOLOGIA 11
CAPÍTULO 5 – A VOLTA POR CIMA

7. CONSIDERAÇÕES FINAIS 12

8. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 12
1. INTRODUÇÃO

A obra de Everardo P. Guimarães Rocha, “O que é etnocentrismo?”, expõe não somente aproblemática proposta pelo tema como também todo o caminho percorrido para a sua dissolução.
Faz um relato histórico, nem sempre cronológico, das principais teorias, seus idealizadores, avanços e dificuldades de cada uma delas em sistematizar a forma de conhecimento das sociedades e mostra como, aos poucos, o etnocentrismo foi sobrepujado, se não para todos, ao menos na Antropologia.
A leituradesse livro faz com que nos submetamos a uma auto-avaliação, que repensemos os nossos preconceitos, soberbas e principalmente a forma como definimos e entendemos os que são diferentes de nós.

2. ETNOCENTRISMO

No primeiro capítulo (Pensando em Partir), o autor explica o significado do termo “etnocentrismo” como a tendência em avaliar as sociedades a partir dos seus valores, da sua etnia:“Etnocentrismo é uma visão do mundo onde o nosso próprio grupo é tomado como centro de tudo e todos os outros são pensados e sentidos através dos nossos valores, nossos modelos, nossas definições do que é a existência.” (Rocha, 1988, p.5)
Everardo Rocha aborda, também a questão do “choque cultural”, que acontece quando a sociedade do “eu” (nosso grupo) é colocada em contato com a sociedade do“outro” (grupo dos outros), e assim as diferenças culturais apresentam um conflito de valores éticos, morais e comportamentais que gera o “etnocentrismo”, pois, cada grupo tende a defender a identidade da sua sociedade como “a mais correta”.
Rocha ilustra esse “choque cultural” com uma analogia sobre um pastor que desenvolve um trabalho de evangelização em uma tribo indígena do Xingu no Brasil, quedepois de presentear um dos índios com o seu moderno relógio digital surpreendeu-se com a função a ele dada: Foi utilizado como ornamento na aldeia. Porém o missionário não percebia que fazia o mesmo com os presentes recebidos dos índios, pois, nas paredes de seu escritório, arco e flecha, tacapes, cocares e outros objetos típicos da sociedade indígena não passavam de itens decorativos. Embora nessahistória o “etnocentrismo” tenha acontecido de forma “cordial” (sem acarretar maiores consequências para ambas as partes), muitas vezes isso pode ocorrer de forma violenta e cruel.
Ainda nesse capítulo, Everardo aponta o posicionamento etnocêntrico dos livros didáticos sobre os índios no Brasil, que definem de forma preconceituosa e soberba o índio brasileiro, de acordo com os interesses...
tracking img