O principe

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1501 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Curso: Administração de Empresas (bacharelado)
Disciplina: Ciências Politicas-3º período
Professor: Vinicius Bezerra
Aluno: Tarcísio Augusto Sampaio Carneiro de Sousa

O Príncipe foi escrito por Nicolau Maquiavel e dedicado ao Magnifico Lourenço, filho de Piero de Médici. Esta obra constitui uma abordagem acerca de como se deve conquistar um principado, e não só, mas também de como mantê-lo,o mais é causa ou consequência destas ultimas. Maquiavel sustenta sua obra em fatos verídicos dando assim um teor de credibilidade e aceitação do que se é exposto.
Ele começa sua abordagem mostrando os tipos de principados e também quanto a forma pelos quais se conquista. Os principados podem ser hereditários, isto é, herdados, e também podem ser novos, ou melhor, mesmo que inteiramente novospodendo ser agregados a um Estado já existente podendo ser de procedência hereditária. No primeiro caso, é mais fácil de manter, pois já se esta acostumado ao governo da família de seu príncipe, o que resta fazer é só não abandonar os procedimentos de seus antecessores e contemporizá-los em relação as variáveis da época vigente. No segundo caso, Maquiavel diz que o príncipe deve fazer com que aspessoas deixem ser dominado, o príncipe deve conquistar o povo. O príncipe deve ser o defensor dos mais fracos, não mudar as leis e colher impostos a que já estão acostumados. Pode também ser necessário de o príncipe habita-la para um melhor acompanhamento ou controle. Como tática de defesa, deve se prevenir contra entrada de estrangeiros poderosos, pois estes podem ser potenciais opositores.
Oshomens podem vir a se tornar príncipes por seus próprios méritos sendo que desta forma é a mais difícil, porém mais fácil se de conservar no poder e também podem se tornar príncipes não com méritos próprios, mas com ajuda dos outros, dependendo da boa vontade e virtude dos outros, assim não conseguem conservar o seu principado, pois as habilidades para tal não contém. Há ainda aqueles que ascendemao principado através de crimes e outros através do favor do povo ou dos poderosos. A primeira acontece por meios de atos perversos e contrários às leis humanas e de Deus, e a segunda ocorre devido a interesses do povo ou dos poderosos. O povo não quer ser governado e nem oprimido pelos poderosos e por isso apoiam um que esteja a seu favor enquanto que os poderosos querem mesmo é oprimir e governaro povo e então apoiam outro também a seu favor. De tudo, o principado que se conserva mais facilmente é aquele que tem o apoio do povo. O autor adverte que nunca o príncipe estará seguro com a oposição do povo devido este ser composto de muitos e por isso nunca deve ser abandonado por eles, mas se ascender ao principado em favor dos poderosos, deve conquistar o povo. Maquiavel dá exemplo de umprincipado realmente seguro e conservador, é o eclesiástico. Esse tipo não se conserva por mérito ou fortuna (sorte), basta a religião e o temor a Deus que é onde sustentam e conservam seus príncipes no poder.
Entrando agora no assunto de exércitos, Maquiavel diz que para se conservar um principado é necessário, por tanto, estabelecer bons alicerces ou então o fracasso é certeiro. Assim, umEstado que deseja se manter deve ter boas leis e boas armas. Deve também ter cuidado com as forças de que um príncipe utiliza para conservar seu Estado. Sendo essas forças próprias ou mercenárias, auxiliares ou mistas, as mercenárias e auxiliares são classificadas como inúteis e muito perigosas pelo fato de que podem não ser fieis ao príncipe e também durante uma guerra ser covardes. Estão do lado dopríncipe em momentos de paz, mas se guerra houver, pedem as contas e abandona a quem o confiara.
Segue-se dizendo que nenhum principado está totalmente seguro sem forças próprias e que sem elas está apenas sujeito ao rumo que a sorte o levar e também que não há virtude que os defenda em momentos adversos. Assim, o exercito deve ser composto de súditos, cidadãos ou de servos, deve ser compostos...
tracking img