O principe

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2052 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Para iniciarmos uma boa resenha faz-se necessário uma leitura atenciosa, concentrada, delineando-se os pontos importantes do livro e as partes que nos chamou mais a atenção. Se possível uma breve biografia do personagem para abrilhantar mais o que vai se desenhar abaixo. Onde nasceu, como viveu e a importância da obra para a humanidade, nos dias atuais e em sua época. Nicolau Maquiavel nasceu emFlorença, na Itália, no ano de 1469, filho de advogado e pertencente a uma família de destaque em seu torrão natal. No auge do Renascimento, sua pátria estava dividida em principados de pequeno porte, enquanto na Espanha, Inglaterra e França já eram consideradas nações unificadas. Fraca militarmente e politicamente a sua Itália, em contraponto tinha seus grandes nomes culturais de alcancesurpreendente. Filósofo e político Nicolau Maquiavel viveu no período de 1469 a 1527, vivendo 58 anos. Considerado um dos mais famosos e conhecidos filósofos políticos, visto que tinha uma visão eminentemente de um governante. Poderia se tornar devido às conseqüências de seu país cruel e violento para conquistar o poder e mantê-lo. Escreveu um livro polêmico intitulado “O Príncipe”. Dedicou a obra aoMagnífico Lourenço de Médici, para depois começar a esmiuçar o assunto estendendo-se por todos os principados.
No capítulo I começa a tratar de um assunto se estende por grande parte da obra: os principados como foi citado antes e podemos observar como ele definia o Estado. Nicolau Maquiavel afirmava que o Estado eram na realidade todos os governos que tiveram e têm autoridade sobre os homens, sendoou não repúblicas ou principados. Fala dos hereditários e mistos que em seu aspecto eram menos tangíveis pela conservação do poder, pois tinha um príncipe de linhagem de comando tradicionalíssimo. Pensava e tinha como ideal a eliminação da linhagem de nobres dominadores e desprezava a alteração da organização de leis, instalação de colônias imposta preexistentes e a mudança do novo dominador para olocal conquistado. Estado dominante e povo dominado e obediente a ele, recebendo o apoio até dos vizinhos. A partir desse momento o autor inicia a utilização de diversos exemplos para ilustrar as características que se dispusera a descrever a partir dessa situação. Neste caso dos principados mistos, um nome bastante comentado é o de Luís XII. Fala sobre o reino de Dário, que foi dominado eocupado por Alexandre o Grande, e da não revolta contra seus sucessores depois da sua morte, havendo contraste com territórios ocupados pela França.
A grande explicação reside na forma de organização da monarquia: no reino de Dario, existe apenas uma figura central e de maior importância no poder, o príncipe, e todos os outros são servos; já nos reinos governados pela França, “O rei é posto em meio auma multidão de senhores de linhagem antiga, reconhecidos e amados pelos súditos...” (capítulo. IV, no. 3), o que não cria uma figura central forte e, cujo poder, não possa ser contestado. Maquiavel afirma ainda que um líder deva buscar o apoio de seu povo.

Para a surpresa de muitos, o autor explicou que ao assumir o poder “deve-se cometer todas as crueldades de uma só vez, para não ter quevoltar a elas todos os dias... Os benefícios devem ser oferecidos gradualmente, para que possam ser mais bem apreciados.”. No principio, cita os exemplos de Moisés, Teseu, entre outros, que por virtude própria tornaram-se príncipes. Já no segundo, o autor transcorre a respeito de César Bórgia, filho do papa Alexandre VI, cujas conquistas foram impulsionadas pelo poder da posição de seu pai e, depois,por alianças com pessoas de punho mais firme que ele, como Remirro de Orco. Já em "Dos que conquistaram o principado com malvadez” (capítulo. VIII), é tratado o fato de se atingir o principado através de “... atos maus ou nefandos...” (no. 1).
Maquiavel também afirma que, se necessário, um governante deve mentir e trapacear. O autor declara que é melhor para um líder caluniar do que agir de...
tracking img