O povo brasileiro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1991 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Povo brasileiro – Darcy Ribeiro

Principais pontos para serem trabalhados

(O Brasil sertanejo).



1. Aspectos físicos geográficos:

• Clima e vegetação.



-
Toda
essa
área
 conforma
um
vastíssimo
mediterrâneo
de
vegetação
 rala,confinado,
de
um
lado,
pela
floresta
da
costa
atlântica,
do
outro
pela
floresta
amazônica
e
fechado
ao
sul
por
zonas
de
matas
e
campinas
naturais.


- Localização distante do clima chuvoso e vegetação fértil de onde encontra-se os engenhos, com suas caatingas, extensões semiáridas.

- A
vegetação
comum,
 porém,
 é
 pobre,
 formada
 de
 pastos
 naturais
 ralos
 e
 secos
 e
 de
arbustos
enfezados
que
exprimem
em
seus
 troncos
e
ramos
 tortuosos,
em
seu
enfolhamento
maciço
e
duro,
a
pobreza
das
terras
e
a
irregularidade
das chuvas. Predominando ascactáceas,
os
espinhos
e
as
xerófilas,
organizadas
para
condensar
a
umidade


atmosférica
das
madrugadas
frescas
e
para
conservar
nas
folhas
fibrosas
e


nos
tubérculos
as
águas
da
estação
chuvosa.

• Características fenotípicas. 



-Os sertanejos devido as condições climáticas do sertão, começou a incorporar um físico de baixa estatura, ossudos e secos de carne, assim como também o gado.

-Os vaqueiros e os povos do sertão, seriamfruto de miscigenações com os indígenas, mesmo que a história não sustente essa hipótese, devido hostilidade no encontro de ambos, no entanto as características fenotípicas relatados pela antropologia da base para a afirmação. Haviam relações entre ambos, de maneiras como roubando índias, ou acolhendo indígenas.





2. Aspectos econômicos:

• At. Pastoril.

INICIAÇÃO

-No
agreste,
 depois
 nas
 caatingas
 e,
 por
 fim,
 nos
 cerrados,
 desenvolveu‐se
uma
 economia
 pastoril
 associada
 originalmente
 à
 produção
 açucareira
como
fornecedora
de
carne,
de
couros
e
de
bois
de
serviço.
Foi
sempre
uma
economia
pobre
 e
dependente.

-A atividade pastoril veio a crescer ocupando áreas territoriais mais extensas.

-O gado trazido pelos portugueses, provavelmente já vinhaacostumados com a criação extensiva, em
que
 os
 próprios
 animais
 procuram
 suas
 aguadas
 e
 seu
 alimento.


-As primeiras rezes foram instaladas bem distante dos canaviais, para não haver estrago na plantação. Com o decorrer do tempo foram se dispersando em currais ao longo dos rios. Ao do sec XVI os criadores baianos e pernambucanos já se encontravam nos sertões do São Francisco adentro.- Os criadores de gado tinham que comprar o gado, porem a terra se enquadrava nas Sesmarias (Sesmaria foi um instituto jurídico português que normatizava a distribuição de terras destinadas à produção. O Estado, recém-formado e sem capacidade para organizar a produção de alimentos, decide0 legar a particulares essa função.)

- Os currais se espalhavam pelas beiradas dos rios.

-O
 criador
 e
seus
 vaqueiros
 se
 relacionavam
 como
 um
 amo
 e
 seus


Servidores Assim,
 o
convívio
mais
 intenso
 e
 até
 a
 apreciação
das
qualidades
de
 seus
 serviçais


não
 aproximavam
 socialmente
 as
 duas
 classes,
 prevalecendo
 um


distanciamento
 hierárquico
 e
 permitindo
 arbitrariedades,
 embora
 estas


estivessem
 longe
 de
 assemelhar‐se
 à
 brutalidade
 das
 relações
prevalecentes
nas
áreas
da
cultura
crioula.


-O
 contraste
 dessa
 condição
 com
 a
 vida
 dos
 ENGENHOS
 açucareiros
 devia fazer
 a
 criação
 de
 gado
mais
 atrativa
 para
 os
 brancos
 pobres
 e
 para
 os mestiços
dos
núcleos
litorâneos.
E o negócio açucareiro era um ramo muito caro de se manter e necessitava de mão de obra um pouco mais especializada e entre
a
classe
de
senhores
e
a
massa
escrava.-Com as vantagens acima citadas, sempre havia massas se deslocando das regiões dos engenhos para a região pastoril, de tal forma que havia uma oferta constante de mão de obra, tornando dispensável a compra de escravos.

-Os gados eram mercadorias que se auto carregavam, os vaqueiros os levavam de uma fazenda a outra pelo...
tracking img