O papel do supervisor pedagogico na implementaçao da ludicidade na educaçao infantil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1722 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de janeiro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Pedagogia
Etapa IV – Volume 01

Nome do(a) aluno(a): Rejane Aguilar de Souza Torres Barros R.A: 1024460

Unidade temática: Desenvolvimento Bio-Psicomotor da Criança Roteiro nº. 01

Nome do preceptor: Neila Correa

ATIVIDADE 01
“Estimulação Psicossocial”

O desenvolvimento humano nos anos escolares é algo imensurável. Mas sua iniciação é um tanto quanto difícil, pois as exigências domeio manifestam-se de maneira mais contundente neste período. Surgem inúmeras demandas a serem vencidas pela criança, por isso é importante que ocorra a estimulação psicossocial.
As dificuldades enfrentadas pela criança são inúmeras. São expressas e influenciadas por fatores emocionais, intelectuais, pelo fator saúde, problemas de comportamento, relações com outras crianças, mudanças físicas epsicológicas, aspectos sociais e outros...
Os fatores emocionais que a crianças enfrenta são primordiais no momento de iniciação escolar, não só estes, mas todos os fatores citados são grandes influenciadores, pois é de suma importância a relação das crianças com o meio em que vive.
Particularmente do nascimento até os três anos de idade, a criança vive um período crucial durante o qual seformarão mais de 80% das conexões cerebrais, graças aos estímulos do meio. O desenvolvimento do cérebro depende de dois fatores: dos genes com sua programação e do estímulo do ambiente. A partir do nascimento cada estímulo é registrado e provoca transformações na estrutura interna do cérebro. Os estímulos externos formam a memória internamente e novas conexões. É importante notar que as viasespecíficas para determinadas percepções ou aptidões tem um prazo certo para se formar. Se não forem estimuladas adequadamente naquele período elas simplesmente não se formam mais.
Porém as sensações de afeto não passam só pelo toque. A professora pode usar a expressão do rosto, o tom de voz e o gesto para aproximar-se da criança e desfazer a barreira. Também se comunicando desta forma ela poderá sentiremoção e formará novas conexões. A criança terá uma atitude diferente se a professora expressar no rosto um ar encorajador e confiante. Desde bebê recém - nascido, segundo Piaget a afetividade, corresponde à energética, a motivação, portanto o que move as ações.
Daí a importância da relação da criança com a professora, pois tanto os pais e professores são recipientes de impulsos, fantasias eemoções, amor, agressividade, medo e angústias são transmitidos para os professores. Da perspectiva da criança, qualquer provedor de cuidados é uma fonte em potencial de amor e aprendizado, conforto e estimulação. A criança precisa de experiências com pessoas que são sensíveis as suas necessidades emocionais e físicas. Oferecendo cuidados recíprocos e consistentes pode-se garantir que a criança terámelhor oportunidade para um desenvolvimento social e emocional saudáveis.
Sabemos que a ansiedade e a preocupação invadem os canais de pensamento, por serem oriundas de uma estrutura mais primitiva e mais rápida. Se não houver compreensão do professor e dos pais ela ficará repetindo ano, marcando passo, assistindo a seus colegas progredirem enquanto ela regride. Assim ela terá diminuídoprogressivamente sua auto-estima, aumentando sua angustia.
Por fim, a estimulação psicossocial é importantíssima na prontidão para a pré-escola, afinal são essas as primeiras experiências com o meio que sem dúvidas influenciarão muito no futuro.
REFERENCIAS:
BALDWIN, A. Teoria do Desenvolvimento da criança. São Paulo, Pioneira, 1973.
BIAGGIO, A. M. B. Psicologia do Desenvolvimento. Petrópolis,Vozes, 1978.
ERIKSON, E. H. Infância e Sociedade Rio de Janeiro, Zahar, 1976.
MUSSEN, P. H. O Desenvolvimento psicológico da criança. Rio de Janeiro, Zahar, 1982.
PARIGUIN, B. D. Psicologia Social como Ciência. São Paulo, Zaher, 1983.
RENATE, J. M. As Chaves do Inconsciente. 19ª ed. Petrópolis, RJ, Vozes, 2000.

ATIVIDADE 02.

Os desafios das deficiências

O inicio da vida escolar para...
tracking img