O papel do gestor de pessoas numa perspectiva de inclusão social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 22 (5446 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 1 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
REDE DOCTUM DE ENSINO/VITÓRIA, ES, Brasil, fevereiro de 2012.

1 .

O PAPEL DO GESTOR DE PESSOAS NUMA PERSPECTIVA DE INCLUSÃO SOCIAL
Hevellyn Cruz dos Santos - hevellyn_cruz@hotmail.com (Autora do Artigo) Profª Esp. Christina A. Suzane Ferreira Salimena (Orientadora)
1

RESUMO
O objeto desta pesquisa é avaliar o papel, a responsabilidade do gestor em instituições e empresas através daslentes de especialistas no assunto e nos embasamentos da lei, de maneira que possam ser fomentadas as oportunidades de crescimento profissional para funcionários especiais, havendo sucesso para o profissional especial e a instituição em que está inserido. Palavras-chave: Inclusão Social; Profissionais Especiais; Gestor de Pessoas.

ABSTRACT
The object of this research is to evaluate the role,the manager's responsibility in institutions and companies through the lens of subject matter experts and a grounding in the law, so they can be fostered professional growth opportunities for special and there success for the professionalparticular institution and it is inserted. Keywords: Social Inclusion; Special Expert; Manager People.

1 INTRODUÇÃO
Tem-se falado bastante da inclusão social ede um olhar mais apurado para as necessidades de pessoas especiais dentro de empresas, escolas e outras instituições. Trata-se, portanto de um desafio atual com o qual os gestores e líderes têm que lidar. Entendemos como pessoas especiais aquelas que pos
______
1

Pós-Graduando em Gestão de Recursos Humanos, pela Rede Doctum de Ensino, 2012.

REDE DOCTUM DE ENSINO/VITÓRIA, ES, Brasil,fevereiro de 2012.

2 .

suem segundo o art. 3º do Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, “perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividade, dentro do padrão considerado normal para o ser humano”. Estudos se prestam a desmistificar a limitação exacerbada que foi imposta pela sociedade ao longo dos anosa pessoas que são especiais, mas que também podem com apoio e um ambiente que fomente o desenvolvimento psíquico, social e físico, realizar atividades dignas de uma vida de satisfação e objetivos.

Observaremos de maneira breve nesta pesquisa o histórico de segregação e marginalização por parte de uma sociedade intrinsecamente sectarista que veio cerceando o desenvolvimento e inclusão deportadores de necessidades especiais (NEEs). Também observaremos o que um gestor precisa compreender sobre o desenvolvimento intelectual de um portador de NEEs para oportunizar o seu crescimento e, assim, o de sua instituição também de acordo com as leis que os amparam.

1.1 O HISTÓRICO DO PROBLEMA
Não é atual a ignorância social relativa à classe de deficientes. Existe um histórico de segregação emarginalização por parte de tradições religiosas e culturais, que apontava o especial como um portador de espíritos malignos ou como uma pessoa que não merecia habitar com os outros da tribo ou sociedade para não trazer, assim, maldição ou dificuldades para os demais. Ainda hoje temos por parte de algumas tribos indígenas a representação do especial como um fardo para toda a tribo, devendo assim sereliminado por meio de rituais antigos.

Textos do século XIV concernentes à inquisição fazem menção a vários tipos de pessoas em situações que poderiam ser consideradas avessas à vontade divina, dentre eles, estavam os portadores de deficiências mentais. Sob torturas impostas pela igreja, era prática comum o extermínio de dementes quanto de bruxas.

REDE DOCTUM DE ENSINO/VITÓRIA, ES, Brasil,fevereiro de 2012.

3 .

Por outro lado, ao longo da história, também existia a piedade exacerbada por parte de alguns, como se os deficientes fossem dignos de pena e não tivessem capacidade de criar mecanismos e sobreviver a um mundo de constante inovação. Tanto a eliminação quanto a proteção exacerbada dos mesmos, trazia uma representação errônea do potencial que cada um deles podia...
tracking img